Perguntar
Fechar

Exame da Próstata

Quais são os valores de referência do PSA?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Os valores de referência do PSA total variam conforme o laboratório, mas, em média, para homens com até 59 anos de idade, as taxas devem ficar abaixo de 4,0 ng/mL. Indivíduos entre 60 e 69 anos devem estar com um PSA total de no máximo 4,5 ng/mL. Já aqueles com idade igual ou superior a 70 anos, os valores não devem ultrapassar 6,5 ng/mL.

Contudo, é importante frisar que o valor do PSA total pode estar alto devido a outros fatores que não estão relacionados com câncer de próstata, tais como doenças, infecções ou procedimentos aos quais o homem foi submetido recentemente.

O que pode alterar o resultado do exame de PSA?

Dentre os fatores que podem alterar o resultado do exame de PSA total estão o toque retal, massagem prostática, prostatite, infecção urinária, hipertrofia benigna da próstata, instrumentações uretrais, biópsia prostática e ejaculação recente.

Por exemplo, quando os valores do PSA total estão entre 4 e 10 ng/mL, pode ser difícil interpretá-los, já que esse aumento pode ter sido causado por uma hipertrofia benigna da próstata (quando a próstata aumenta de tamanho, mas não por câncer). Nesses casos, aconselha-se fazer a associação com o resultado do PSA livre.

A relação PSA livre / PSA total é menor nos pacientes com câncer. Isso significa que quando os valores de PSA livre são divididos pelos de PSA total, o resultado do cálculo costuma ser menor em quem tem câncer de próstata.

Os valores de referência para a relação PSA livre/PSA total não estão bem estabelecidos. Contudo, quando estão abaixo de 0,20, parecem se correlacionar com câncer de próstata, enquanto que valores acima de 0,20 parecem estar associados a doenças benignas.

O que é o exame de PSA e para que serve?

O PSA, sigla em inglês para Antígeno Prostático Específico, é uma substância produzida somente pela próstata. O exame de PSA serve para auxiliar o diagnóstico do câncer de próstata, associado ao toque retal e ultrassom, ou acompanhar pacientes com a doença já diagnosticada.

Para que o tratamento do câncer de próstata seja eficaz e capaz de curar o tumor, é necessário que a doença seja diagnosticada precocemente, quando o tumor ainda está localizado na próstata.

Quando a cápsula que envolve a próstata já está comprometida, assim como a área ao redor, os ossos e os gânglios, o tratamento pode não ser capaz de curar o tumor.

Em geral, o aumento do PSA nos casos de câncer de próstata ocorre progressivamente. Na suspeita de malignidade, é solicitada uma biópsia.

Quando realizar o exame de PSA?

Caso estejam presentes os sintomas de dificuldade de urinar, diminuição da força do jato urina, aumento da frequência urinária, o PSA deve ser solicitado como exame de investigação inicial do câncer de próstata.

Atualmente, alguns órgãos como a US Preventive Service Task Force e o Instituto Nacional do Câncer (INCA) não recomendam a realização do exame de PSA como forma de rastreio do câncer de próstata rotineiramente. A recomendação atual é de que o paciente converse com o médico sobre os riscos e benefícios de se submeter ou não ao rastreamento.

Isto porque não há evidência científica até o momento de que o rastreamento do câncer de próstata traga mais benefícios do que riscos.

A realização do PSA como exame de rastreamento sem critérios leva a um aumento de sobrediagnóstico, induz o excesso de procedimentos terapêuticos. que podem levar a danos e efeitos adversos permanentes. Sendo que alguns tipos de câncer não evoluem de forma agressiva e não colocariam a vida do paciente em risco. Entre os possíveis danos do tratamento estão a disfunção erétil, incontinência urinária e sintomas intestinais.

Portanto, antes de realizar o exame indiscriminadamente é importante consultar um médico para maiores orientações.

A análise isolada do exame de PSA não permite o diagnóstico de doença prostática. É necessária correlação com a história e o exame físico do paciente e muita vezes a realização de outros exames complementares.

Para maiores esclarecimentos consulte um médico de família e comunidade, ou um clínico geral. Em casos de diagnóstico de câncer de próstata o seguimento deve ser realizado por um médico urologista.

Como é feito o exame de próstata?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O exame da próstata é realizado através de toque retal e exame de PSA. Para se investigar suspeita de câncer de próstata a combinação do toque retal com o exame de PSA é a forma mais eficaz de avaliar a próstata.

No entanto, esses exames não apresentam uma precisão muito alta, por isso em alguns casos pode ser necessário também a realização do ultrassom ou outros exames complementares.

O exame de toque é feito em consultório pelo médico. Demora poucos segundos e serve para detectar alterações na próstata, como endurecimento e forma irregular, que podem indicar a presença de algum tumor.

O PSA (sigla em inglês para Antígeno Prostático Específico) é uma proteína produzida exclusivamente pela próstata. O seu nível fica consideravelmente alto em casos de câncer, com valores superiores a 2,5 ng/ml.

Contudo, os níveis de PSA também podem estar elevados em indivíduos com prostatite (inflamação da próstata), infecção ou crescimento benigno da próstata. Portanto, PSA alto não significa necessariamente presença de câncer na próstata.

Saiba mais em: PSA alterado: quais os sintomas e o que pode ser?

Se houver alteração no exame clínico e o PSA estiver aumentado, é realizada uma ultrassonografia. O exame de ultrassom é feito através do ânus e permite visualizar lesões cancerosas na próstata.

O diagnóstico do câncer de próstata é confirmado através de biópsia, que consiste na retirada de uma pequena amostra de tecido do órgão que é avaliada ao microscópio.

Veja também: Biópsia da próstata: como é feito o procedimento?

Vale ressaltar que nem todos os homens precisam realizar o exame de próstata rotineiramente se não estiver apresentando sintomas ou pertença a algum grupo de risco para o câncer de próstata.

Por isso, para esclarecer mais dúvidas e avaliar se é ou não necessário realizar o exame de próstata converse com o seu médico de família ou clínico geral. Em situações de diagnóstico de câncer o segmento é realizado pelo médico urologista.

Também pode lhe interessar:

Quais são os valores de referência do PSA?

Como é feito o exame PSA livre?

Como prevenir o câncer de próstata?

Quando deve-se começar a fazer o exame de próstata?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A idade ideal para começar a fazer o exame de próstata é entre 40 e 45 anos, mesmo que não sinta nada. O exame é preventivo, então deve ser feito independente do que você sente, o melhor é fazer antes de você sentir alguma coisa.

Quando começar a fazer exame de próstata?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Na verdade a prevenção deve começar por volta dos 40 anos (antes caso haja casos de câncer de próstata na família), o exame da próstata é justamente para quem não tem sintomas (por isso é um exame preventivo). Corre risco o homem que não faz seus exame de rotina.

O que é o exame de PSA para câncer da próstata?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O exame de PSA (antígeno prostático específico) é um exame indicado para ajudar a diagnosticar e monitorar as doenças da próstata, como por exemplo o câncer.

Trata-se de um exame de sangue capaz de identificar os níveis de PSA, uma proteína produzida pela próstata. A próstata é uma pequena glândula que faz parte do sistema reprodutivo do homem, localizada embaixo da bexiga e responsável por produzir o líquido que compõe o sêmen.

Em geral, os homens apresentam um baixo nível de PSA no sangue. Quando o PSA está alto, pode ser um sinal de câncer de próstata. Porém, também podem indicar problemas não-cancerígenos da próstata, como infecção ou hiperplasia (aumento benigno da próstata).

Medir as taxas de PSA total pode aumentar a probabilidade de identificar um câncer de próstata na fase inicial. Contudo, não há um consenso sobre os valores para essa afirmação. Por isso, os resultados devem ser avaliados caso a caso, juntamente com outros fatores, como a idade, raça, uso de medicamentos, história familiar, entre outros.

Vale lembrar que os resultados do exame de PSA não são suficientes para diagnosticar o câncer de próstata. Somente com uma biópsia da próstata esse câncer pode ser confirmado.

Indicações de biópsia de próstata

A biópsia de próstata é um procedimento cirúrgico simples, que pode ser guiado por exames de imagem para maior exatidão. O procedimento consiste em retirar uma pequena amostra de tecido do órgão para análise em laboratório. As principais indicações para esse procedimento são:

  • Infecção de próstata de repetição, ou que não melhora com o tratamento medicamentoso;
  • PSA constantemente alto ou aumentando à medida que o teste é repetido;
  • Toque retal alterado;
  • Exame de PSA livre muito baixo (quanto mais baixo for o resultado do exame de PSA livre, maiores são as chances de câncer de próstata);
  • Exame de PCA-3 (teste genético, através do exame de urina, ainda em fase experimental);
  • Índice de Saúde da Próstata (PHI) aumentado.
    • O PHI é um teste de rastreio novo, com alta sensibilidade, realizado a partir da combinação de três testes sanguíneos (PSA, PSA livre e p2PSA), que tem evitado o número elevado de indicações desnecessárias de procedimentos cirúrgicos (biópsias).
Quando o exame de PSA é indicado?

Embora as indicações sejam controversas, a maioria concorda com as seguintes indicações: Investigar doenças da próstata, monitorar indivíduos que foram tratados para câncer de próstata, alterações no toque retal e presença de fatores de risco para desenvolver câncer de próstata.

Os principais fatores de risco são: história da doença na família (pai ou irmão), idade, uma vez que o câncer de próstata é mais comum em homens com mais de 50 anos e sinais e sintomas de alterações na próstata, como dor ao urinar, aumento do número de micções e dor pélvica ou nas costas.

Quais os valores normais de PSA?

O valor normal de PSA é de 4 ng/ml de sangue. Para a maioria dos homens com 50 anos ou menos, o PSA deve estar abaixo de 2,5. Homens mais velhos costumam ter níveis de PSA total um pouco mais altos do que homens jovens.

Leia também: Quais são os valores de referência do PSA?

PSA alto é sinal de câncer de próstata?

Um nível de PSA alto está associado a doenças de próstata como o câncer de próstata. Porém, como citado acima, pode se apresentar elevado em outras situações, como:

  • Aumento da próstata (hiperplasia benigna);
  • Traumatismo;
  • Infecção da próstata (prostatite);
  • Infecção urinária;
  • Exames recentes da bexiga (cistoscopia) ou da próstata (biópsia);
  • Colocação recente de cateter na bexiga;
  • Ejaculação ou relação sexual recente.

Saiba mais em: Quando o PSA dá elevado significa um tumor?

Como é o preparo para o exame de PSA?

Na maioria dos casos, não são necessários cuidados especiais para se preparar para o exame de PSA. Porém, é importante informar ao médico se está tomando algum medicamento, já que certas medicações podem baixar o nível de PSA.

Também é preciso abster-se de ejacular durante os 3 dias anteriores ao exame de sangue, pois a liberação de sêmen pode aumentar os níveis de PSA.

O médico urologista é o especialista indicado para prescrever e analisar os resultados do exame de PSA.

Também podem lhe interessar: Como é feito o exame PSA livre?