Perguntar
Fechar
Meu resultado de fator reumatoide latex fração deu...
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O valor inferior a 11 UI/ml significa não reagente, provavelmente foi um teste pelo método Nefelometria, pois o teste de látex costuma dar valores em fração e não um número inteiro. Vale a pena conferir esse dado.

De qualquer forma, o exame foi solicitado por suspeita de alguma doença, a mais comum para essa solicitação, a artrite reumatoide. Podemos dizer que o exame foi negativo para essa pesquisa.

Entretanto, a resposta negativa de um único exame de fator reumatoide, não exclui definitivamente a possibilidade da doença, nem de uma artrite reumatoide ou outras doenças imunomediadas, como Sjögren ou Lúpus. Cerca de 20 a 25% dos casos de artrite reumatoide, apresentam o fator reumatoide negativo.

Portanto, o mais adequado é que leve o exame para o seu médico, que saberá interpretar o resultado junto com seu exame clínico e demais exames que tenha solicitado.

O que é o fator reumatoide?

O fator reumatoide é um anticorpo contra IgG, que se unem, formam complexos imunomediados. Pode ser encontrado em diversas doenças, sobretudo nas articulações, aonde desenvolve as doenças reumatológicas. Esse fator está presente em mais de 80% dos casos de artrite reumatoide.

Contudo, pode ser encontrado também em casos de lúpus, Sjögren, vasculite, dermatomiosite e até em indivíduos saudáveis. Por isso é considerado um exame sensível, porém não tão específico para a doença artrite reumatoide.

Quais são os valores normais do fator reumatoide?

O exame de fator reumatoide pode ser avaliado por 3 métodos, cada um com resultados específicos, conforme mais detalhado abaixo:

Método: Prova do látex. Título até 1/20 - não reagente, ou negativo;

Método: Reação de Waaler-Rose. Título até 1/16 - não reagente, ou negativo;

Método: Nefelometria. 0 a 29 Ul/ml: não reagente. 30 a 79 Ul/ml: fracamente reagente. Maior ou igual a 80 Ul/ml: reagente.

Quais os riscos da toxoplasmose na gravidez?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Os riscos da toxoplasmose na gravidez, especialmente se adquirida durante o primeiro trimestre de gestação, incluem aborto espontâneo, hidrocefalia (acúmulo de "água" no crânio do bebê), retardo mental, calcificações no cérebro, lesões oculares (coriorretinite), cegueira, surdez, convulsões e atraso do desenvolvimento da criança.

Pelo risco de complicações graves, a sorologia para a toxoplasmose deve ser pedida no pré-natal de toda gestante. O diagnóstico é baseado na coleta de uma amostra de sangue para a sorologia (IgM e IgG).

A positividade isolada da IgG indica infecção antiga e a mãe possui anticorpos. Se houver positividade isolada da IgM, é indício de infecção aguda e a gestante deve iniciar tratamento imediatamente para toxoplasmose.

Se houver dupla positividade (IgG e IgM), é necessário proceder com a determinação da avidez da IgG, para determinar há quanto tempo houve o contato com o parasita. Em algumas ocasiões, será necessário tratamento.

O que é toxoplasmose?

A toxoplasmose é uma doença infecciosa provocada pelo Toxoplasma gongii, um protozoário existente na carne crua ou mal passada, na areia contaminada e nas fezes dos animais, principalmente dos gatos. É uma doença que muitas vezes não revela sintomas na mãe, porém é muito prejudicial para o bebê.

Quais são os sintomas da toxoplasmose?

Se a infecção acontecer durante a gravidez, a gestante pode apresentar febre, calafrios, ínguas pelo corpo (caroços dolorosos), dor generalizada nos músculos e aumento do fígado.

Em pessoas com a imunidade baixa, a toxoplasmose pode provocar inflamação dos olhos, erupções na pele, encefalite (inflamação do cérebro), meningite (inflamação das membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal), além de inflamações nos pulmões e no coração encefalite, pode levar a confusão mental e coma.

Porém, muitas vezes a pessoas está infectada pelo Toxoplasma e não manifesta sinais e sintomas. Em pessoas saudáveis, o sistema imunológico impede a manifestação da doença, na maioria dos casos. Quando presentes, os sintomas geralmente são leves e podem ser semelhantes aos de uma gripe ou resfriado.

Qual é o tratamento para toxoplasmose na gravidez?

O tratamento da toxoplasmose durante a gravidez é feito com espiramicina, no 1º trimestre de gestação, ou com a combinação de sulfadiazina, pirimetamina e ácido folínico no 2º e 3º trimestre de gestação.

Como saber se o bebê tem toxoplasmose congênita?

A toxoplasmose congênita ocorre quando o bebê é infectado pelo Toxoplasma durante a gravidez. Para determinar se o bebê foi infectado pela toxoplasmose na gestação, é necessária a coleta de sangue do cordão umbilical (cordocentese), que só pode ser realizado após 18 semanas de gravidez. No caso do bebê já estar infectado, o tratamento só deve começar depois do seu nascimento.

O tratamento, se iniciado precocemente e realizado de forma correta, pode impedir a toxoplasmose congênita. Contudo, se o bebê já tiver tido contato com o parasita, pode nascer com graves sequelas.

A toxoplasmose congênita pode não manifestar sintomas ou apresentar um quadro grave que pode ser fatal rapidamente. Quando, presentes, os sintomas podem incluir inflamação dos olhos, aparecimento fácil de hematomas, aumento do tamanho do crânio, icterícia grave (pele e olhos amarelados), facilidade em formar hematomas, convulsões e atraso mental.

No entanto, em muitos casos os sintomas logo a seguir ao nascimento geralmente são ligeiros ou estão ausentes e desenvolvem-se meses após o nascimento.

Como ocorre a transmissão da toxoplasmose?

A transmissão da toxoplasmose ocorre através da ingestão de alimentos crus ou mal cozidos, contaminados ou pelo contato direto com o parasita ao manipular areia contaminada com fezes de animais, especialmente de gatos.

Como prevenir a toxoplasmose na gravidez?

Os cuidados para evitar toxoplasmose na gravidez, caso a mulher não seja imune à doença, são os seguintes:

  • Cozinhar bem a carne e lavar cuidadosamente as mãos;
  • Lavar bem legumes e frutas;
  • Lavar as mãos após contato com gatos;
  • Evitar contato com gatos abandonados;
  • Evitar contato com fezes de gatos e sempre usar luvas ao manipulá-los;
  • Usar luvas para lidar com a terra;
  • Evitar consumo de carne crua, especialmente de porco e carneiro.

É imprescindível a realização de pré-natal durante a gestação. Se você suspeitar que está grávida, deve procurar imediatamente um médico obstetra para iniciar o pré-natal.

Estou grávida e meu exame de cmv IgG deu positivo?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Exame de Citomegalovírus IgG positivo significa que em algum momento da sua vida já teve a doença. Só é perigoso se for pego durante a gestação.

Estou grávida de 20 semanas e meu exame de toxoplasmose deu IgG superior a 650, IgM 12 e avidez alta. Estou infectada?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não há uma diferença significativa nesses valores. Os exames mostram que você já teve toxoplasmose, antes da gravidez.

A toxoplasmose é uma doença causada pelo protozoário Toxoplasma Gondi, na grande maioria dos casos é uma doença pouco sintomática que passa despercebida e resolve-se espontaneamente, no entanto, pode tornar-se uma doença grave se acometer pessoas imunossuprimidas ou gestantes.

Quais são os riscos da toxoplasmose na gravidez?

Nas gestantes a toxoplasmose pode aumentar o risco de complicações como aborto, parto prematuro, presença de mal formações fetais, baixo peso ao nascer da criança, ou mesmo, morte fetal.

Crianças que foram infectadas durante a gestação podem apresentar diferentes complicações que podem aparecer logo ao nascimento ou se manifestarem depois de alguns meses, como:

  • Coriorretinite e outras lesões oculares;
  • Calcificações intracranianas;
  • Hidrocefalia;
  • Surdez;
  • Atraso no desenvolvimento mental;
  • Epilepsia;
  • Lesões dermatológicas;
  • Linfadenopatia generalizada.
Como entender o exame de toxoplasmose na gravidez?

O rastreio da infecção por toxoplasmose está indicada em todas as gestantes pela menos uma vez no inicio da gravidez, se o exame mostrar que a gravida já está imune a doença não precisa ser repetido, caso contrário, quando a mãe é suscetível a infecção deve-se repetir o exame trimestralmente.

O exame realizado é a sorologia que detecta anticorpos igG e IgM. O IgM é o anticorpo que surge na infecção aguda, portanto se ele se apresentar positivo significa que a pessoa está com toxoplasmose aguda. Já o IgG é o anticorpo que aparece depois de algumas semanas, portanto, quando está positivo indica que a pessoa já se infectou e já se tornou imune a doença.

Mulheres que apresentam o IgG positivo e IgM negativo não precisam se preocupar, pois já entraram em contacto com o toxoplasma anteriormente e não tem chance de nova infecção.

Já mulheres que apresentam IgG e IgM negativos estão propensas a contraírem o toxoplasma durante a gestação, é o grupo de mulheres que precisa tomar algumas medidas de precaução para se prevenirem da infecção.

Como se prevenir da toxoplasmose durante a gravidez?

Durante a gravidez as seguintes medidas de prevenção estão indicadas:

  • Não comer carne mal passada ou crua;
  • Lavar as mãos após o preparo de carne crua ou após manusear alimentos crus;
  • Evitar levar as mãos aos olhos ou à boca quando se prepara a carne;
  • Lavar e higienizar bem todos os vegetais e frutas;
  • Lavar sempre as mãos após o manuseamento de qualquer alimento cru;
  • Consumir apenas água potável;
  • Evitar o consumo de produtos lácteos que não foram pasteurizados;
  • Lavar as mãos após entrar em contato com terra ou areia;
  • Ao manusear terra em jardins usar luvas;
  • Se tiver gatos em casa: mantenha limpa a caixinha de areia dos gatos, se for fazer essa limpeza use luvas e lave as mão após qualquer contato com a caixinha. Não dê carne aos gatos, alimente-os apenas com ração. Não deixe o gato sair de casa para que ele não contraia a doença.

Para mais informações sobre a toxoplasmose na gestação consulte o seu médico de família ou obstetra.

Deficiência de IgA tem cura? Qual é o tratamento?

A deficiência de IgA pode ter cura, dependendo da sua causa. O tratamento é direcionado para prevenir ou tratar as doenças que podem surgir devido à deficiência de imunoglobulina A. 

Pacientes que não apresentam sintomas precisam apenas de acompanhamento. Casos de infecções bacterianas são tratados com antibióticos, que também podem ser administrados para prevenir novos quadros infecciosos nos casos mais graves.

O tratamento da deficiência de IgA pode incluir ainda preparados orais de imunoglobulinas contendo IgG e pouquíssimas quantidades de IgA devido ao risco de reação anafilática.

Deficiências de IgA decorrentes do uso de medicamentos muitas vezes são resolvidas com a suspensão da medicação. 

Pessoas que sofreram reação anafilática após uma transfusão de sangue ou depois de receber imunoglobulinas devem usar algum tipo de identificação para prevenir a administração de imunoglobulinas e evitar assim a anafilaxia.

A deficiência de IgA está relacionada com defeitos em uma célula de defesa chamada linfócito B. Pode ser causada sobretudo por fatores genéticos, uso de medicamentos e infecções virais.

Apesar de não ter cura em alguns casos, a deficiência de IgA normalmente tem evolução benigna e muitos pacientes têm uma vida praticamente normal, sem grandes problemas. O prognóstico tende a ser pior quando a pessoa desenvolve alguma doença autoimune.

O imunologista é o especialista indicado para diagnosticar e tratar a deficiência de IgA.

Saiba mais em:

Qual é a função da Imunoglobulina A (IgA)?

O que é IgG e IgM e qual a diferença entre os dois?

Estou gravida de 7 semanas e o resultado do exame para citomegalovírus (IgG e IgM) deram positivo, deve ser infecção recente?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Provavelmente sua infecção não está ativa, não é recente. Apesar da sorologia nos casos de citomegalovirus (CMV) não ser tão simples de responder, porque este é um vírus que apresenta uma resposta imunológica diferente da grande maioria dos vírus conhecidos.

A presença do IgM positivo para a maioria das doenças, indica uma infecção aguda (recente), está na fase ativa de infecção, que seria a pior resposta para uma gestante e o feto. A presença de IgM e IgG positivos, nos aponta uma infecção subaguda (não é muito recente, já estão sendo produzidos anticorpos contra esse germe, porém ainda não está resolvido o processo). Quando existe apenas o IgG positivo dizemos que já houve a resolução da infecção e o corpo já tem uma memória imunológica (anticorpos) para esse determinado agente infeccioso, não contamina mais.

Entretanto no caso de CMV a imunoglobulina M (IgM) pode permanecer positiva por até 12 meses, por isso, provavelmente o seu exame permanece com IgM positiva, com taxas baixas, e altos níveis de IgG.

Portanto, provavelmente seu médico/a ginecologista/obstetra, irá acompanhar esses valores periodicamente, e poderá esclarecer mais dúvidas que venham a surgir sobre o assunto.

Toda gestante deve realizar seu pré-natal rigorosamente, para que a sua gestação corra de maneira saudável e prazerosa.

Saiba mais sobre esse assunto nos links abaixo:

Meu exame de herpes simplex IgG de reativo o que significa?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O exame isolado não tem nenhum significado. Deve ter um motivo para ter feito esse exame e este motivo junto com o que o exame diz (neste caso positivo) é que vai dar o diagnóstico, então (lesão semelhante a herpes + suspeita clínica de herpes + exame positivo para herpes), provavelmente deve ser herpes... Leve o exame de volta ao seu médico é ele quem deve dar o seu diagnóstico.

Grávida de 7 semanas e meu exame de CMV deu...
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

IgG Positivo significa que já teve a infecção pelo Citomegalovírus (CMV) em algum momento da vida, o IgM negativo mostra que a infecção não é atual. Cerca de 90 a 95% das gestantes apresentam IgG positivo. Como o vírus do CMV permanece no organismo de forma inativa, há uma chance muito pequena de ser reativado e causar uma infecção fetal, no entanto, esse risco é minimo.

Citomegalovírus

O citomegalovírus, é um vírus da família do Herpes, geralmente causa uma infecção com poucos sintomas, ou mesmo assintomática, por isso, a sua infecção pode passar totalmente despercebida em pessoas que apresentam um sistema imunológico normal. A infecção pelo CMV costuma ser mais grave em pessoas imunossuprimidas.

Citomegalovírus na gestação

Quando o citomegalovírus é adquirido durante a gestação, pode também causar pouco ou nenhum sintoma na mãe, que pode apresentar sintomas gripais inespecíficos, apenas em gestantes que apresentam imunossupressão podem desenvolver formas mais grave de infecção pelo CMV.

No entanto, a presença do CMV na mãe aumenta o risco desse vírus também ser transmitido ao feto. Quando a infecção acontece um pouco antes da gravidez ou no seu início há um maior risco de aborto e mal formações.

As crianças com citomegalovírus congênito podem não apresentar nenhum sintoma ao nascer, no entanto, cerca de 5 a 10% dos recém nascidos infectados apresentam sintomas típicos como hepatoesplenomegalia, microcefalia, calcificações intracranianas, hidropsia, icterícia, convulsões, petéquias e púrpura.

Crianças acometidas pelo citomegalovírus congênito podem apresentar sequelas da infecção como deficiência auditiva e alterações neurológicas.

Para mais informações e esclarecimentos consulte o médico de família ou obstetra que está acompanhando o seu pré-natal.