Insulina

O que acontece se uma pessoa que não tem diabetes toma insulina?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Se uma pessoa que não tem diabetes tomar insulina, o seu nível de glicose (açúcar) no sangue pode ficar baixo e ela pode apresentar desde tontura e dor de cabeça até convulsão e coma, nos casos mais graves. Essa diminuição da glicose sanguínea chama-se hipoglicemia.

É importante ressaltar que toda medicação deve ser tomada sempre com indicação médica e com receita constando a dosagem, a frequência e o período de tempo que deve ser utilizada.

As medicações que são tomadas sem indicação médica podem provocar sintomas não desejados e, por vezes, fatal.

Caso você não esteja se sentindo bem, peça ajuda para seus familiares, amigos mais próximos ou procure um serviço de saúde para ser atendido. No serviço de saúde, os profissionais podem ser úteis na escuta das suas angústias, na orientação sobre as possibilidades disponíveis para amenizar o seu problema.

Você pode realizar uma ligação gratuita para o Disque Intoxicação da ANVISA através do número 0800 722 6001.

Outro apoio disponível por meio de ligação telefônica gratuita é o CVV (Centro de Valorização da Vida) pelo número 188. Essa central telefônica disponibiliza pessoas competentes na oferta de apoio emocional e prevenção do suicídio. Por esse número de telefone ou em chat no site da CVV, você pode entrar em contato e conversar de forma totalmente sigilosa 24 horas por dia.

A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas e que tem como função transportar a glicose para dentro das células para ela ser transformada em energia.

Esse açúcar, a glicose, é a principal fonte de energia utilizada pelo corpo e é essencial para manter o funcionamento do cérebro.

Os diabéticos produzem pouca ou nenhuma insulina e há casos em que produzem o hormônio, mas o organismo não é capaz de utilizá-lo.

Se um indivíduo com diabetes não tomar insulina, ou outra medicação específica, o seu nível de açúcar no sangue fica elevado (hiperglicemia), pois sem insulina a glicose não consegue entrar nas células e o seu corpo precisa queimar músculos e gordura para obter combustível.

No entanto, se alguém que não tem diabetes toma insulina, o excesso deste hormônio irá rapidamente diminuir a quantidade de glicose circulante no sangue, podendo então provocar um quadro de hipoglicemia.

Os sintomas de hipoglicemia são causados pela falta de açúcar no cérebro e pelo aumento da liberação de adrenalina, que é uma tentativa do corpo em fazer subir o nível de glicose.

Dentre os sintomas relacionados com a falta de glicose no cérebro estão:

  • Visão turva;
  • Tonturas;
  • Fraqueza;
  • Dor de cabeça;
  • Raciocínio lento;
  • Formigamentos;
  • Fome;
  • Dificuldade de concentração;
  • Irritabilidade;
  • Alterações de comportamento;
  • Convulsão e coma, nos casos mais graves.

Já os sintomas mais frequentes causados pelo aumento de adrenalina são;

  • Transpiração;
  • Tremores; Palpitações.

Veja também: O que é a hipoglicemia?

Para combater a hipoglicemia, a pessoa pode tomar um copo de suco de fruta ou refrigerante não diet, colocar um pouco de açúcar embaixo da língua ou chupar balas até melhorar os sintomas.

Em caso de desmaio, ela deve ser colocada de lado e uma ambulância deve ser chamada com urgência, através do número 192.

Exame de dosagem de insulina alterado o que significa?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Este exame não serve para diagnóstico de diabetes. O resultado significa que está aumentado (mais insulina que o esperado) pode significar uma resistência periférica à insulina (é um estado que pode anteceder o diabetes).

Tomar insulina pode atrasar a menstruação?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não, tomar insulina não atrasa a menstruação e pode inclusive ajudar a regular o ciclo menstrual.

Sabe-se que mulheres com diabetes tipo 1 possuem uma tendência maior para desenvolver problemas com o aparelho reprodutivo, o que pode causar irregularidade da menstruação, atraso da puberdade, síndrome do ovário policístico, menopausa mais precoce e até infertilidade.

A menstruação irregular é a principal característica dos ovários policísticos, uma condição relativamente comum em mulheres diabéticas devido à taxa elevada de açúcar no sangue (hiperglicemia).

A irregularidade menstrual pode ser marcada por algum dos seguintes quadros:

  • Intervalos longos entre as menstruações, superiores a 35 dias;
  • Menos de 8 ciclos menstruais por ano;
  • Ausência de menstruação durante mais de 3 meses seguidos em mulheres que tinham ciclos regulares;
  • Aumento do sangramento menstrual, em fluxo ou duração, depois de um longo período sem menstruar.

No entanto, a tendência para esses distúrbios reprodutivos pode ser bastante amenizada através do tratamento com insulina.

Para maiores informações sobre a interferência do tratamento com insulina na menstruação, fale com o seu médico endocrinologista.

O que fazer quando a pessoa não que se tratar?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O paciente e sua família (salvo sob condição judicial) tem pleno direito e liberdade de escolher o que fazer com sua própria saúde e cabe aos médicos e as outras pessoas respeitarem esse direito, mesmo que isso possa levar a um desfecho infeliz. Ninguém pode obrigar o seu pai a fazer algo que ele não queira, por mais difícil que isso seja para você da família assistir a essa situação, que sabemos onde vai chegar, você precisa respeitar a vontade dele.