Perguntar
Fechar
Tenho tremores na cabeça. O que pode ser e o que fazer?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Tremores e espasmos musculares podem ter muitas causas. A origem pode estar no nervo, no músculo ou ainda ter fundo emocional, como ansiedade. Se os tremores na cabeça são desencadeados por sustos, nervosismo, ansiedade ou estresse, é provável que tenham uma origem psicológica.

Outra causa comum são as alterações de origem neurológica, que frequentemente pioram nos períodos de maior estresse, dentre as mais comuns podemos destacar: o tremor essencial, tremor benigno familiar que acomete voz, mãos e cabeça, nas mãos o tremor é simétrico, de intensidade leve e piora com o movimento ou realização de tarefas delicadas e com estresse; tremor por uso regular de alguns medicamentos, como suplementos para atividades físicas ou medicamentos para emagrecer; o tremor parkinsoniano, raramente causa tremor na cabeça, mas por vezes pode acontecer em estágios iniciais da doença; tiques motores, que são movimentos rápidos, súbitos e involuntários de cabeça, braço, ou partes do corpo, entre outros. Não são doenças que causem preocupação maior porém devem ser avaliadas por um profissional.

No seu caso especificamente, o mais indicado é procurar um médico clínico geral ou neurologista, para fazer uma avaliação detalhada e orientações adequadas ao seu caso.

Leia também:

O que são espasmos musculares e quais as causas?

Tomo pílula, uso camisinha e ainda tenho medo engravidar. O que posso fazer?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Você está usando dois métodos anticoncepcionais eficientes, não fique com medo de engravidar. Se ainda assim tem medo de engravidar, precisa realmente procurar ajuda, um psicólogo seria bem indicado para você aprender a lidar com esse medo.

Estou com medo de ter pego HIV?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A única forma de saber se pegou a doença é realizando os exames de sangue específicos para pesquisa do vírus, o teste para HIV. Assim como pesquisar outras doenças sexualmente transmissíveis (DST).

O quanto antes identificar essas doenças, maior a chance de evitar a sua evolução e complicações conhecidas. Embora não haja cura para o HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis, existem tratamentos eficazes, principalmente se começar a tratar de forma precoce. Por isso é preciso não ter medo de realizar o teste.

Além disso, mesmo que o teste seja negativo, é importante que o exame seja repetido após 6 meses, para confirmar. No início da infecção pode não haver resposta imunológica suficiente para ser detectada no exame.

Os sinais e sintomas de contaminação são semelhantes a uma virose, e pode ter início logo nos primeiros dias ou anos depois, varia de pessoa para pessoa. Existem casos que nunca apresentaram sintomas, e a doença é descoberta acidentalmente.

Entretanto, durante todo esse tempo, são transmissores do vírus HIV.

Sintomas iniciais de HIV

Os sintomas iniciais de contaminação pelo HIV são:

  • Febre (entre 38º e 40ºC),
  • Dor de cabeça,
  • Dores articulares,
  • Mal-estar,
  • Náuseas, vômitos,
  • Ínguas (aumento de gânglios, principalmente na região do pescoço),
  • Tosse,
  • Dor de garganta,
  • Falta de apetite,
  • Perda de peso e
  • Fraqueza ou fadiga, sem motivo aparente.

Com o passar dos anos portador da doença, começam a surgir sinais de baixa imunidade, como as infecções de repetição, meningite, tuberculose, candidíase e doenças típicas da AIDS (sigla em inglês para Síndrome da Imunodeficiência adquirida).

Qual é o tratamento para contaminação por HIV?

Apesar de não haver tratamento definitivo para o vírus HIV, existem diversos tratamentos eficazes atualmente, com objetivo de retardar a evolução da doença e/ou controlar os sintomas da AIDS, para os portadores do vírus.

Também existem tratamentos e cura para algumas das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), quando são diagnosticadas e tratadas de forma precoce.

Por isso procure um atendimento médico, converse sobre a sua situação, para possibilitar uma investigação completa e tratamento adequado.

Saiba mais sobre esse tema nos artigos abaixo:

Portador do vírus hiv pode não apresentar sintomas?

Como é feito o diagnóstico do HIV?

Como saber se tenho uma DST?

Medo, vontade de chorar, calor na cabeça e rosto vermelho?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pela sua descrição parece ser uma crise de ansiedade ou pânico (pode estar associado com problemas emocionais como estresse, ansiedade, depressão ou até síndrome de pânico), precisa ir a um médico para fazer o diagnóstico e tratamento.

Tenho medo de pegar HIV/AIDS quando vou ao cabeleireiro, devo ficar preocupado?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sua preocupação é válida uma vez que instrumentos cortantes utilizados por barbeiros e cabeleireiros podem apresentar riscos de transmitir infecções como o vírus HIV e hepatites.

A pessoa que frequenta barbeiros deve ter o cuidado de saber se os instrumentos utilizados são devidamente esterilizados.

Quando esses instrumentos, como a navalha, são efetivamente esterilizados a cada utilização, a pessoa pode realizar os procedimentos estéticos sem receios.

Essa forma de transmissão é rara de acontecer comparativamente às outras possíveis como relação sexual desprotegida, compartilhamento de agulhas contaminadas e de mãe para filho/a.

Mesmo assim, é preciso tomar cuidado e procurar saber as práticas de higienização e esterilização utilizadas pelo profissional da estética.

O teste de HIV é oferecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em casos de dúvidas, procure uma Unidade de Saúde mais próxima de você.

Leia também:

Como pode ocorrer a transmissão do HIV?

Fiz o preventivo e fiquei com medo de ir levar o exame...
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O exame sugere uma vaginose bacteriana (infecção vaginal), causada pela bactéria Gardnerella mobiluncus.

As vaginoses são infecções comuns nas mulheres, causadas por um aumento exagerado da população de bactérias presentes normalmente na flora vaginal.

E esse aumento da população de bactérias pode ser originado por situações e doenças que levem a redução da imunidade, como diabetes, depressão, estresse, uso de antibióticos, ainda, o tabagismo, uso regular de duchas vaginais, vários parceiros sexuais, até por gravidez.

Entretanto, esse resultado deve ser avaliado pelo médico ginecologista, em conjunto com seu exame clínico e ginecológico, para confirmar a suspeita da infecção e então, ser receitado a medicação para o tratamento definitivo da vaginose.

Infecção por Gardnerella

A Gardnerella vaginalis ou mobiluncus, são as bactérias responsáveis pela maioria das vaginoses evidenciadas. O quadro clínico pode ser assintomático, ou seja, a mulher não apresenta qualquer sintoma, outras vezes pode apresentar um corrimento branco acinzentado, de consistência mais pastosa, coceira local, embora pouco comum, e odor desagradável.

O tratamento é baseado em medicamentos, sendo o mais utilizado, o metronidazol® 500 mg 2x ao dia, ou 250 mg 3x ao dia, por pelo menos 7 dias, ou a critério médico. Outra opção é a clindamicina® 300 mg 2x ao dia, também por 7 dias. O tratamento pode ser repetido se houver recidiva da doença.

Apesar de não ser considerada uma doença sexualmente transmissível, porque a bactéria faz parte da flora vaginal natural, a doença pode ser transmitida ao parceiro por via sexual, portanto, deve evitar relações até o final do tratamento, e o parceiro deve ser avaliado pelo seu médico assistente.

Exame de preventivo

Também conhecido por Papanicolau, o exame preventivo é uma avaliação ginecológica, aonde são coletados materiais celulares do colo do útero e regiões ao redor, com o objetivo principal de detectar células anormais precocemente, como rastreio de câncer de colo de útero. Ainda, o exame é capaz de avaliar o equilíbrio da flora vaginal, e a presença de inflamação ou infecção local.

Leia também: Existe diferença entre papanicolau e preventivo?

Que medo! Fui fazer cocô e sai uma lombriga?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Provavelmente você tem uma verminose e precisará de tratamento com vermífugo para matar esse parasita. As verminoses mais comuns e que costumam apresentar vermes visíveis nas fezes são a Teníase e a Oxiurose.

O diagnóstico é clínico, porém pode ser confirmado pelo exame de fezes, que identifica o tipo do verme e quando necessário, o exame de sangue para avaliar a gravidade da doença.

Na suspeita de verminose, procure o seu médico da família para avaliação, exames e tratamento específico.

Verminoses mais comuns

As principais doenças causadas por vermes são:

  • Oxiurose,
  • Teníase,
  • Ascaridíase,
  • Esquistossomose,
  • Ancilostomose,
  • Filariose,
  • Amebíase,
  • Larva migrans (bicho geográfico) e
  • Giardíase.

Leia também: Quais são as doenças causadas por vermes?

O tratamento para doenças causadas por vermes é feito com vermífugos, como Albendazol, Mebendazol e Tiabendazol.

No entanto, além do tratamento medicamentoso, é fundamental orientar, principalmente crianças, quanto às medidas de prevenção para essas doenças, que podem ser fatais em alguns casos.

Como se prevenir de verminoses?

As medidas de prevenção para doenças causadas por vermes, de acordo com as equipes de saúde, são:

  • Boa higiene pessoal;
  • Lavar as mãos com sabonete depois de ir ao banheiro;
  • Lavar as mãos antes de preparar a comida e antes de se alimentar;
  • Lavar adequadamente frutas e verduras;
  • Cozinhar bem os alimentos;
  • Evitar andar descalço;
  • Não beber água que não seja tratada ou de origem duvidosa;
  • Evitar tomar banho em água parada ou inadequada para banhos;
  • Manter brinquedos limpos, especialmente de crianças pequenas com hábito de levar à boca;
  • Combater insetos domésticos, pois moscas e baratas podem transmitir a doença;
  • Lavar as mãos com água e sabonete depois de brincar com animais.

Na suspeita de verminoses, procure seu médico de família ou clínico geral.

Pode lhe interessar também: O que fazer no caso de verme nas fezes?

Fiz sexo sem camisinha e estou com medo de ter pego uma doença, o que fazer?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Deve procurar um médico ginecologista, para avaliar o seu caso e realizar um exame clínico. De acordo com a história e exame ginecológico, o médico será capaz de definir a necessidade de tomar alguma medicação, ou realizar algum exame complementar.

A maioria das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) não apresentam sinais, especialmente nos homens, por isso nunca deve ser uma forma de avaliação quanto ao uso ou não de contraceptivos de barreira. A camisinha é o único método capaz de proteger ambos quanto às DSTs.

Além disso, a doença sexualmente transmissível pode não apresentar qualquer sintomas nas primeiras semanas ou meses. A Aids, por exemplo, ou síndrome da imunodeficiência humana, quadro de sinais e sintomas desencadeados pela ação do vírus HIV, pode levar anos para apresentar algum sintoma. Mesmo que faça exames, nos primeiros meses é comum o resultado negativo, porque não houve tempo de multiplicação suficiente do vírus.

No entanto, com o avanço de técnicas laboratoriais, alguns exames já detectam a doença em estágios bem iniciais, possibilitando o tratamento precoce, e melhor qualidade de vida. A Aids ainda não tem cura.

Além da Aids, outras DSTs podem ser bastante desagradáveis e inclusive deixar sequelas como a infertilidade. Por isso, o mais adequado é que procure quanto antes um atendimento médico, para adequada avaliação e tratamento se for preciso.

Leia também:

Posso fazer nebulização sem medo da aceleração?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Provavelmente não há nenhum problema em usá-los, vão acelerar um pouco o coração, principalmente o Berotec, porém seu médico estava ciente disso quando fez a prescrição.

Meu filho é hiperativo, estou com medo de dar os remédios!
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Medicamentos são as principais armas que os médicos tem para tratar seus pacientes, se for ao médico e não tomar os remédios não adianta procurar um médico. Claro que o ideal seria seu filho não tomar, porém é um caso bem problemático e vocês precisam de ajuda, neste caso: medicação, comece a tratar seu filho.

Leia também: Como saber se meu filho é hiperativo?

Fiz uma cirurgia no dente e o dentista prescreveu nimesulida e curativo por 8 dias, mas o curativo caiu no segundo dia. Tomei um benzetacil por medo de infecção. Devo continuar a nimesulida ?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim, mesmo tomando um antibiótico, no caso o benzetacil®, é fundamental manter as orientações dadas, como o uso do anti-inflamatório (nimesulida) e o curativo.

Portanto, mais importante do que o uso da nimesulida® no seu caso, é retornar com urgência ao seu dentista. O dente sem o curativo, apresenta riscos de doenças graves, que são facilmente evitadas quando o tratamento é realizado de forma precoce.

A grande preocupação de manter um dente tratado aberto, ou seja, sem o devido curativo, consiste em evoluir com quadro de infecção nesse dente, que pode originar outras doenças sistêmicas graves, como a celulite de face e a endocardite bacteriana. Tanto a celulite quanto a endocardite devem ser tratadas por internação hospitalar e com antibioticoterapia venosa.

Portanto, caso não consiga contato com seu dentista, deve procurar uma emergência odontológica, explicar a sua situação e ser avaliada por um especialista, após esta avaliação e tratamento inicial, poderá dar seguimento ao seu tratamento com o dentista de sua escolha.

Pode lhe interessar também: Tudo sobre Benzetacil