Perguntar
Fechar
Sibutramina pode causar câncer no estômago?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não, sibutramina não causa câncer no estômago. O medicamento pode provocar outros efeitos colaterais, mas não há nenhum relato até o momento de associação com câncer.

Os efeitos colaterais mais comuns da sibutramina são:

  • Boca seca;
  • Aumento da pressão arterial;
  • Dor de cabeça;
  • Prisão de ventre;
  • Taquicardia (batimentos cardíacos acelerados);
  • Insônia.

A sibutramina também pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares, como derrame e infarto, em pessoas que já têm uma predisposição elevada para desenvolver essas doenças.

Apesar dos seus efeitos colaterais, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (ABESO) afirmam que a sibutramina é o único medicamento usado no tratamento da obesidade com ação central, aprovado no Brasil para uso a longo prazo.

A sibutramina é um medicamento de tarja preta e só pode ser utilizado com prescrição e supervisão de um médico endocrinologista, médico de família ou clínico geral habilitados para o tratamento medicamentoso da obesidade.

Podem também lhe interessar os artigos: Se parar de tomar sibutramina vou engordar de novo?; Posso beber álcool se estiver tomando Sibutramina?

Tenho 16 anos de idade e 1,58m, qual é meu peso ideal?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O peso ideal estimado aos 16 anos é de 53,07 kg para as meninas e 58,83 kg para os meninos. No entanto, esses valores variam bastante, de acordo com a predisposição genética, fatores ambientais e sociais.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, os valores de peso e altura para os 16 anos, deve ser considerado normal, dentro da seguinte variação:

  • Meninas - Peso ideal - 53,07 kg e Altura ideal - 162,2 cm
    • Peso mínimo - 41,64 kg / Peso máximo - 71,53 kg
    • Altura mínima - 150,8 cm / Altura máxima - 172 cm
  • Meninos - Peso ideal - 58,83 kg e Altura ideal - 171,8 cm
    • Peso mínimo - 46,9 kg / Peso máximo - 77,3 kg
    • Altura mínima - /158,5 cm / Altura máxima - 185,6 cm

Isso porque o cálculo do peso ideal para jovens abaixo de 20 anos é diferente do IMC (Índice de Massa Corpórea ), que conhecemos e utilizamos em pessoas adultas. Na verdade, os cálculos de peso e altura ideal foram desenvolvidos para crianças até os cinco anos, depois para a faixa etária dos 5 aos 19, e a partir dos 20 anos, é utilizado o cálculo de IMC.

Tabela de peso e altura, por idade, para meninas dos 5 aos 18 anos (estimativa média da população)
IDADE PESO (Kg) ALTURA (cm)
5 anos 18,37 kg 109,1 cm
6 anos 21,0 kg 115,9 cm
7 anos 23,6 kg 122,3 cm
8 anos 26,35 kg 128 cm
9 anos 28,9 kg 132,9 cm
10 anos 31,8 kg 138,6 cm
11 anos 35,7 kg 144,7 cm
12 anos 39,7 kg 151,9 cm
13 anos 44,9 kg 157,1 cm
14 anos 49,1 kg 159,6 cm
15 anos 51,4 kg 161,1 cm
16 anos 53,07 kg 162,2 cm
17 anos 54 kg 162,5 cm
18 anos 54,3 kg 162,5 cm
Tabela de peso de altura, por idade, para meninos dos 5 aos 18 anos (estimativa média da população)
IDADE PESO (Kg) ALTURA (cm)
5 anos 18,37 kg 108,7 cm
6 anos 21,91 kg 117,5 cm
7 anos 24,54 kg 124,1 cm
8 anos 27,26 kg 130 cm
9 anos 29,9 kg 135,5 cm
10 anos 32,6 kg 140,3 cm
11 anos 35,2 kg 144,2 cm
12 anos 38,2 kg 149,6 cm
13 anos 42,1 kg 155 cm
14 anos 48,8 kg 162,7 cm
15 anos 54,4 kg 167,8 cm
16 anos 58,8 kg 171,8 cm
17 anos 61,7 kg 173,7 cm
18 anos 63 kg 174,5 cm

Essas tabelas são utilizadas pelos médicos pediatras e hebiatras. Os hebiatras são médicos que cuidam da saúde dos jovens e adolescentes, entre os 10 e os 20 anos.

Como saber o meu peso ideal?

O peso ideal é calculado através das medidas determinadas por estudos, e pelo cálculo do índice de massa corporal (IMC), como as apresentadas nas tabelas deste artigo, mas também de acordo com a herança genética e estilo de vida.

O estilo de vida inclui a alimentação, prática de atividades, entre outros fatores. Todos os fatores associados vão influenciar nos componentes do corpo, como, por exemplo na massa muscular, consequentemente, com o valor considerado ideal de peso.

Uma pessoa com grande quantidade de massa muscular, por exemplo, pode apresentar um valor aumentado de IMC ou de peso, apenas pela musculatura. Na análise das suas características, como massa magra, taxa de gordura e circunferência abdominal, os valores serem normais.

Da mesma forma, algumas pessoas aparentemente magras e com IMC dentro dos limites esperados, podem apresentar uma taxa elevada de gordura visceral, que representa um alto risco para o desenvolvimento de doenças crônicas, conhecidos como "falso-magro".As tabelas utilizadas pelos médicos e profissionais de saúde, para peso e altura ideal por idade, são uma ferramenta valiosa, entretanto outros fatores e cuidados devem ser analisados, para que essa medida seja fidedigna.

O médico responsável por essa avaliação, aos 16 anos, é o médico hebiatra. Agende uma consulta para esclarecer suas dúvidas e planejar um tratamento, caso seja preciso.

Saiba como calcular o peso ideal através do IMC no artigo: Como calcular o peso ideal?

Referências:

  • De Onis., et al; WHO Multicentre Growth Reference Study Group. WHO Child Growth Standards based on length/height, weight and age. Acta Paediatr Suppl 2006;450:76-85.
  • SBP - Sociedade Brasileira de Pediatria.
Usar cinta, body ou modelador emagrece?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não, usar cinta modeladora não emagrece. É um mito. Essa cintas abdominais apenas comprimem o abdômen e a cintura, afinando a silhueta e criando a ilusão de que a pessoa está mais magra. Porém, elas não emagrecem, não modelam o corpo a longo prazo e não queimam gordura localizada.

A cinta ou body modelador pode ser útil para uma ocasião em que a mulher precisa estar "mais magra" para usar alguma roupa específica, mas depois de tirar a cinta o corpo volta a como era antes.

Além de não emagrecer, o uso constante da cinta abdominal pode provocar fraqueza da musculatura postural, pois os músculos se habituam com esse suporte extra.

Manter uma postura correta e fortalecer os músculos abdominais são medidas que já ajudam a manter a barriga menos proeminente e ajudam a dispensar o uso da cinta. Além disso, é importante a realização de exercícios aeróbios como correr, dançar, nadar, entre outros para a perda de gordura localizada.

Para emagrecer de verdade, ou seja, perder gordura, é preciso fazer dieta e associar exercícios físicos. Consulte um nutricionista ou médico de família para mais orientações sobre emagrecimento.

Saiba mais em:

O que fazer para emagrecer?

7 Erros que Você não Pode Cometer se Quer Emagrecer

Criolipólise funciona? Como é feito o tratamento?

Fui ao endocrinologista por causa do meu aumento de peso...
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, a fluoxetina e a sertralina, outro antidepressivo, podem contribuir com a redução da compulsão alimentar e da ansiedade, que podem ser um fator que leva ao ganho de peso, portanto, o seu uso é recomendado para o tratamento da obesidade em algumas situações. Embora a fluoxetina seja um medicamento antidepressivo o seu uso não se restringe somente a depressão.

É importante seguir as orientações médicas e fazer o uso da medicação corretamente, caso apresente efeitos adversos importantes deve procurar o seu médico para ele avaliar a dosagem da medicação ou modificar o plano terapêutico.

Fluoxetina no tratamento da obesidade

A fluoxetina e a sertralina atuam diminuindo o apetite, algumas pesquisas já demonstraram esse efeito. No entanto, o efeito sobre cada pessoa na redução de peso é variável, algumas pessoas conseguem emagrecer, enquanto outras não.

Geralmente, a perda de peso máximo ocorre entre 6 a 9 meses de uso da medicação, portanto, o efeito não é imediato. Também se recomenda que o plano alimentar e a realização de atividade física se mantenham durante o tratamento com o antidepressivo, só assim é possível que a perda de peso seja sustentável no decorrer do tempo. Isto porque, é muito comum as pessoas voltarem a ganhar peso após pararem de tomar o medicamento.

A fluoxetina também pode ser prescrita em situações em que a pessoa com obesidade também sofre de depressão, de compulsão alimentar ou apresenta outros transtornos ansiosos associados.

Fluoxetina e bulimia nervosa

Uma outra recomendação da fluoxetina é no tratamento da bulimia nervosa. As pessoas com bulimia nervosa não necessariamente são obesas, mas podem ter o comportamento de comer compulsivamente e depois provocar vômito, com o propósito de não absorver os nutrientes alimentares.

Consulte o seu médico para esclarecer mais dúvidas sobre o uso da fluoxetina no tratamento da obesidade.

Também pode ser do seu interesse:

Quais os efeitos colaterais da fluoxetina?

Tive trombose, posso tomar remédio para emagrecer?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Emagrecer é parte do tratamento para quem tem trombose e está acima do peso, mas se pode ou não tomar remédio para emagrecer vai depender do medicamento em questão e do que o seu médico vai fazer (porque é ele quem vai ter que te dar a receita) e vai depender dos riscos que vocês dois querem correr.

Obesidade pode atrapalhar meus hormônios e ovulação?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, a obesidade pode interferir na produção dos hormônios e na ovulação provocando alterações no ciclo menstrual, que podem tornar-se irregulares. Além disso, a obesidade também afeta a fertilidade, dificultando uma possível gravidez.

Algumas pesquisas sugerem que a elevada quantidade de ácidos graxos livres em pessoas obesas pode ser tóxico às células ovarianas, impedindo o seu correto funcionamento. Esse processo acarreta problemas no funcionamento dos ovários, assim a mulher pode passar a apresentar mudanças no padrão menstrual e em algumas situações deixar de ovular.

Outros hormônios como a leptina, presente em grande quantidade em mulheres obesas, também interferem na produção hormonal de estrogênio e progesterona, hormônios essenciais para o correto funcionamento do ciclo ovulatório das mulheres.

Se a obesidade estiver causando amenorreia, que é a ausência de menstruação, ou dificuldade para engravidar é importante seguir um plano alimentar e um programa de exercícios físicos para ajudar a perder peso com orientação nutricional.

Quando consegue-se emagrecer o ciclo hormonal feminino, a ovulação e a fertilidade voltam ao seu funcionamento normal.

Em caso de dúvidas consulte o seu médico de família, ginecologista para mais informações.

Também pode lhe interessar:

Obesidade: como tratar?

Obesidade: quais são os seus sintomas?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Os sintomas de obesidade incluem além do aumento de peso, cansaço excessivo, fome constante entre as refeições e sintomas gerais, citados mais detalhadamente a seguir.

Sintomas gerais da obesidade
  • Cansaço fácil;
  • Sono excessivo;
  • Suor excessivo;
  • Pernas inchadas e pesadas;
  • Sensação de fome constante entre as refeições;
  • Respiração ofegante.
Como saber se tenho obesidade?

A maneira mais simples e eficaz para definir a obesidade é através do cálculo do IMC (Índice de Massa Corporal), calculado utilizando a altura e o peso do indivíduo, da seguinte maneira:

IMC = peso (kg) / altura (m)².

Segundo a SBEM (sociedade brasileira de endocrinologia e metabologia) e Ministério da saúde, a obesidade é definida pelo IMC acima de 30 kg/m². Os valores entre 25 e 29,9 kg/m² caracterizam o sobrepeso e a faixa considerada normal de peso, varia entre 18,5 e 24,9 kg/m²

O que é obesidade?

Trata-se de uma doença crônica, assim como a hipertensão e a diabetes, que ainda não tem cura, e dados de 2017 já apontavam para taxas de sobrepeso e obesidade atingindo mais da metade da população brasileira. Índices que continuam crescendo.

A doença aumenta os riscos de outras doenças graves como diabetes e câncer, por exemplo. Portanto, diversas campanhas têm sido realizadas, no intuito de reduzir essa estatística, auxiliar a população na prevenção e tratamento da doença, desde a infância.

Doenças relacionadas à obesidade

Algumas doenças podem ser provocadas pela obesidade, como:

  • Hipertensão arterial;
  • Diabetes;
  • Colesterol elevado;
  • Baixa autoestima;
  • Redução da expectativa de vida;
  • Disfunções renais;
  • Artrose;
  • Varizes;
  • Problemas cardiovasculares;
  • Dificuldade respiratória e cansaço;
  • Maior tendência de câncer, especialmente câncer de intestino e reto.

Os sintomas gerais da obesidade precisam ser avaliados considerando-se os fatores genéticos, ambientais, estilos de vida e psicossociais. Prevenir a obesidade também ajuda a evitar doenças que reduzem a qualidade e expectativa de vida das pessoas obesas.

Para detectar e tratar a obesidade busque orientação profissional de médicos/as e nutricionistas. A SBEM sugere a avaliação pelo IMC em todas as crianças a partir dos 5 anos de idade.

Leia também:

Você sabe calcular o seu IMC?

Obesidade - Fisiologia do armazenamento das gorduras