Perguntar
Fechar

Ossos

O que é tuberculose óssea e quais são os sintomas?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Tuberculose óssea é um tipo de tuberculose extrapulmonar que afeta ossos e articulações, principalmente as vértebras da coluna (Mal de Pott), os ossos longos e as articulações do quadril, joelho e tornozelo. Os seus principais sintomas são a dor óssea e o inchaço da articulação afetada.

A tuberculose óssea é mais comum em crianças e idosos. A infecção dos ossos e das articulações pela bactéria causadora da tuberculose ocorre frequentemente através do sangue. A coluna também pode ser atingida pela via linfática, em casos de tuberculose pleural (membrana que recobre os pulmões).

Os sintomas mais frequentes da tuberculose óssea são a dor e o aumento do volume da articulação. A dor instala-se lentamente e a sua intensidade evolui de forma progressiva. Também pode haver limitação dos movimentos, atrofia muscular e fístulas na pele, além de sintomas gerais como febre, emagrecimento e fraqueza muscular.

A coluna torácica é a parte da coluna mais afetada pela tuberculose óssea, sobretudo entre as vértebras T8 e T12. Se a infecção se espalhar pela vértebra, o disco intervertebral também é envolvido, com disseminação para a vértebra adjacente. 

As grandes articulações são as mais acometidas pela tuberculose óssea, principalmente quadril e joelho. Raramento a infecção ocorre em mais de uma articulação ao mesmo tempo. À medida que a infecção evolui e a cartilagem articular é destruída, o espaço da articulação fica mais estreito. Por isso, se não for devidamente tratada, a tuberculose pode causar deformidades na coluna.

O diagnóstico da tuberculose óssea é feito por meio de exames de imagem como raio-X, tomografia computadorizada ou ressonância magnética. O tratamento é realizado com a combinação de medicamentos antibióticos tomados por via oral e tem uma duração superior a 6 meses.

Leia também: 

Tuberculose óssea tem cura? Como é o tratamento?

Quais são os sintomas da tuberculose pulmonar e como é o tratamento?

O médico infectologista é o responsável pelo diagnóstico e tratamento da tuberculose óssea.

Dor nos ossos: o que pode ser?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

A dor nos ossos é um sintoma menos frequente do que a dor na articulação e a dor muscular, e deverá ser diferenciada destes outros tipos de dor.

 A dor óssea pode ocorrer com muitas lesões ou condições, tais como:

  • Câncer nos ossos (malignidade primária), quando pode associar-se a inchaço da região;
  • Câncer quer se espalha para os ossos (malignidade metastática), comum nos casos de mieloma múltiplo, câncer de mama e de próstata;
  • Diminuição do fluxo sanguíneo para os ossos, como na anemia falciforme;
  • Osteomielite (infecção óssea), quando poderá estar presente febre;
  • Lesão ou fratura óssea;
  • Leucemia;
  • Perda de mineralização (osteoporose);
  • Fratura por estresse, mais comum na criança menor de 2 anos.

Leia também: O que é doença de Paget? Quais os sintomas?

O sintoma de dor óssea sempre deverá ser investigado. Procure um médico clínico geral!

O que é medula óssea e para que serve?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A medula óssea, é um tecido gelatinoso localizado no interior dos ossos, onde são formadas as células sanguíneas (glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas).

A medula óssea pode ser vermelha ou amarela. A primeira é responsável pela produção das células do sangue, enquanto que a segunda é formada apenas por gordura e não produz células sanguíneas.

Nos bebês recém-nascidos, a medula óssea é toda vermelha. Já nos adultos, a medula óssea vermelha é encontrada apenas nos ossos chatos (esterno, costelas, crânio), nas vértebras da coluna e nos ossos longos do corpo, como fêmur (osso da coxa) e úmero (osso do braço).

À medida que a pessoa envelhece, a medula vermelha dos ossos longos é substituída por tecido gorduroso e torna-se amarela.

É na medula óssea vermelha que são produzidas as células do sangue: hemácias ou eritrócitos (glóbulos vermelhos), leucócitos (glóbulos brancos) e plaquetas.

As hemácias são responsáveis pelo transporte de oxigênio dos pulmões para os tecidos do corpo e também levam o gás carbônico dos tecidos para os pulmões para ser eliminado através da respiração.

Os leucócitos fazem parte do sistema imunológico, são as células de defesa que protegem o organismo contra infecções e agentes invasores.

Já as plaquetas são responsáveis pela coagulação do sangue. São essas células que interrompem um sangramento e impedem que a pessoa sangre sem parar.

O transplante de medula óssea é indicado em casos de doenças que afetam gravemente a produção das células do sangue, como leucemias, anemia aplástica, linfomas, mieloma múltiplo, doenças autoimunes, entre outras.

Leia também: O que é leucemia?

O transplante consiste na substituição da medula doente por células normais da medula óssea, de maneira que o organismo da pessoa volte a produzir células sanguíneas. A medula óssea usada no transplante pode ser do próprio paciente (transplante autogênico) ou de um doador (transplante alogênico).

O transplante também pode ser realizado a partir de células que darão origem a novas células de medula óssea, obtidas através do sangue do cordão umbilical ou de um doador.

Saiba mais em: Como é feito o transplante de medula óssea?

O médico hematologista é o especialista responsável pelo diagnóstico e tratamento das doenças relacionadas com a medula óssea.

O que significa uma contusão óssea na tíbia e na fíbula?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Uma contusão óssea na tíbia e na fíbula significa um traumatismo nos ossos da perna, geralmente causado por uma pancada.

A tíbia é o osso da "canela" e a fíbula (antigo "perônio") fica ao lado tíbia, na parte de fora da perna. O local de contato entre esses dois ossos é a articulação tíbio-fibular, onde ocorreu a contusão.

Uma contusão óssea deixa o osso "inchado" e provoca uma dor intensa. Ao contrário dos hematomas verificados na pele, onde o sangue tem espaço para se espalhar, no osso o sangue fica confinado a uma área pequena devido à falta de espaço para escoar. O resultado é um edema (inchaço) com bastante dor.

Qual o tratamento para uma contusão óssea na tíbia e na fíbula?
  • Descanso: O paciente deve ficar pelo menos 15 dias sem praticar esportes e atividades que exigem muito esforço físico;
  • Fisioterapia: (deverá ser avaliado para indicação de um ou mais tipos de tratamento específico, como os exemplos descritos abaixo)
    • Exercícios para fortalecer outras partes próximas do corpo;
    • Estimulação elétrica para acelerar o tempo de recuperação;
    • Compressão com Wraps e Kinesio Taping para remover o excesso de líquido do local afetado e tornar a cicatrização mais rápida;
    • Massagem do tecido mole ao redor para melhorar a circulação e favorecer a reparação dos ossos;
    • Aparelhos de apoio, como cintas, órteses, bengalas, muletas, andadores, podem auxiliar a locomoção dos pacientes se necessário;
  • Medicamentos anti-inflamatórios.
Qual o tempo de recuperação de uma contusão óssea?

O tempo de recuperação varia entre duas semanas e um ano para cicatrizar por completo. Na maioria dos casos, o inchaço é reabsorvido após duas a seis semanas.

Casos que demoram 1 ano para cicatrizar são extremos e geralmente ocorrem devido a complicações ou problemas metabólicos, como a osteoporose, que bloqueiam a cicatrização.

O diagnóstico e o tratamento de uma contusão óssea são da responsabilidade do médico ortopedista.

Leia também: Qual a diferença entre entorse, luxação, contusão e fratura?

Como é possível saber se quebrei um osso?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Para saber com certeza se quebrou um osso é preciso fazer um exame de raio-x, pois é a única forma de diagnosticar uma fratura. No entanto, existem alguns sinais e sintomas de fratura que ajudam a identificar um osso quebrado, tais como:

  • Dor imediata causada pelo trauma, que piora ao movimentar ou comprimir a área afetada;
  • Inchaço;
  • Podem surgir hematomas (manchas roxas) na pele;
  • Dificuldade de movimentar o membro ou a parte afetada (mesmo que a pessoa consiga mexer o local, a possibilidade de fratura não deve ser afastada);
  • Sensação de que os ossos estão raspando uns nos outros, que pode vir acompanhada de um barulho característico (crepitação);
  • Deformidade da região acometida, que perde a sua aparência normal ou parece estar fora da sua posição habitual.

Veja também: Quais os primeiros socorros em caso de fratura exposta?

Em caso de suspeita de um osso quebrado, deve-se evitar mexer no local e procurar um/a médico/a ortopedista ou dirigir-se a um serviço de urgência.

Qual e o tempo para recuperação de costelas quebradas?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Depende de qual recuperação você esteja falando. Se a recuperação significa a consolidação óssea o tempo depende da idade da pessoa, quanto mais jovem mais rápido e fácil a recuperação. Em média a consolidação óssea ocorre dentro de 30 a 60 dias.

Tuberculose óssea tem cura? Como é o tratamento?

Sim, tuberculose óssea tem cura. O tratamento geralmente é feito com esquemas de até 4 medicamentos antibióticos, tomados por via oral: rifampicina, isoniazida, pirazinamida e etambutol. O tratamento da tuberculose óssea tem uma duração mínima de 6 meses e pode ser prolongado por mais 6 ou 9 meses.

Pacientes com tuberculose nas vértebras da coluna (mal de Pott) podem necessitar de tratamento cirúrgico se houver deformidades, comprometimento neurológico ou destruição significativa dos ossos. Também pode ser necessário imobilizar a coluna externamente com órteses ou coletes.

As cirurgias nos casos de tuberculose vertebral normalmente são indicadas para drenar grandes abscessos, descomprimir a medula espinhal, corrigir deformidades ósseas e estabilizar a coluna.

O tratamento cirúrgico da tuberculose óssea na coluna é indicado sobretudo quando há destruição óssea progressiva e comprometimento neurológico.

A complicação mais grave da tuberculose na coluna é a perda dos movimentos ou da força das pernas devido à compressão da medula espinhal. 

Contudo, desde que não haja comprometimento neurológico ou deformidades, a resposta da tuberculose óssea ao tratamento conservador com antibióticos geralmente é boa. As cirurgias ficam reservadas apenas aos casos mais avançados.

O médico ortopedista é o especialista responsável pelo diagnóstico e tratamento da tuberculose óssea.

Saiba mais em:

O que é tuberculose óssea e quais são os sintomas?

Tuberculose tem cura? Qual o tratamento?

Quais são os sintomas da tuberculose pulmonar e como é o tratamento?

Contusão e edema da medula óssea da tíbia, fíbula e tálus...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Contusão e edema são os sinais de trauma no osso e medula óssea (no caso da tíbia, fíbula e tálus - nome dos ossos). Rotura é o rompimento do ligamento.

Meu esposo tem câncer de próstata com metástases nos ossos!
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O aumento no PSA não foi tão grande, claro que se aumentou pode significar que ainda não está totalmente curado, mas precisa ter calma e esperar o médico dele, tem jeito ainda sim.

Tomar refrigerante faz mal aos ossos?

Sim, tomar refrigerante faz mal aos ossos porque prejudica a absorção de cálcio pelo organismo e favorece a perda de massa óssea, aumentando o risco de fraturas e osteoporose.

Os refrigerantes são ricos em fósforo, presente no ácido fosfórico. No corpo humano, o cálcio está sempre ligado ao fósforo. São chamados de gêmeos metabólicos, pois onde um está, lá está o outro também.

Ao tomar refrigerantes, seja ele normal, diet, light ou zero, o corpo precisa ir buscar o cálcio dos ossos para processar a grande quantidade de fósforo ingerida.

Esse desequilíbrio contribui para a perda de massa óssea, aumentando o risco de osteoporose.

Além disso, o fósforo e o cálcio competem entre si para serem absorvidos pelo organismo. Isso significa que tomar refrigerante dificulta a absorção do cálcio presente nos alimentos.

Outra substância que prejudica os ossos é a cafeína, presente em grandes quantidades nos refrigerantes à base de cola, como Coca-Cola e Pepsi.

Em excesso, a cafeína aumenta a concentração de cálcio nos músculos, bloqueando assim a sua recaptação para o sangue.

A cafeína também aumenta a produção das células responsáveis pela reabsorção óssea, ou seja, que retiram cálcio dos ossos.

O resultado é uma redução da massa óssea, com consequente aumento do risco de fraturas, principalmente nas mulheres.

Leia também: Tomar refrigerante durante a gravidez faz mal?

Como é feito o transplante de medula óssea?

O transplante de medula óssea consiste na substituição da medula doente por células normais de medula óssea, de maneira que o organismo da pessoa volte a produzir células sanguíneas. A medula óssea usada no transplante pode ser do próprio paciente (transplante autogênico) ou de um doador (transplante alogênico).

O transplante também pode ser realizado a partir de células-tronco, que darão origem a células de medula óssea. As células-tronco são obtidas através do sangue do cordão umbilical ou do sangue de um doador.

Antes da doação, o doador da medula óssea tem que passar por uma série de exames para confirmar que o seu estado de saúde é bom. O doador pode manter os seus hábitos de vida normais, sem necessidade de alterar a sua rotina ou alimentação.

A doação da medula óssea é feita sob anestesia, num centro cirúrgico. A medula que será transplantada é obtida através de agulhas que são introduzidas nos ossos da bacia do doador. Retira-se no máximo 15% da medula do doador, sem que isso traga qualquer prejuízo para a sua saúde. O procedimento dura cerca de duas horas.

Existe ainda uma outra forma de doar a medula óssea, conhecida como coleta por aférese. Nesse método, o doador primeiro toma um medicamento durante 5 dias para aumentar a quantidade de células-tronco no seu sangue. Depois, a doação é feita através de uma máquina que retira o sangue, separa as células-tronco e devolve o sangue ao doador. Não é preciso ficar internado nem tomar anestesia. O procedimento é feito pela veia e não pelos ossos. 

Para o paciente, o transplante da medula óssea começa com um tratamento para destruir a sua própria medula. Depois desse período, é feito o transplante. O procedimento é semelhante a uma transfusão de sangue, através da qual o paciente recebe a nova medula saudável.

Através da circulação sanguínea, as células da medula transplantada chegam então à medula óssea do paciente, onde permanecem e se desenvolvem. Entretanto, leva algum tempo até que a medula nova produza células sanguíneas suficientes para manter os níveis normais dessas células no sangue.

Leia também: O que é medula óssea e para que serve?

Isso deixa o paciente mais suscetível a infecções e hemorragias, pelo que precisa ficar internado em regime de isolamento durante duas a três semanas. É muito comum haver episódios constantes de febre após o transplante.

O tratamento continua, mesmo após a recuperação da medula. Entretanto, o mesmo é feito em regime ambulatorial, embora possa ser necessário comparecer diariamente ao hospital.

O transplante de medula óssea é indicado em casos de doenças que afetam gravemente a produção das células do sangue, como leucemias, anemia aplástica, linfomas, mieloma múltiplo, doenças autoimunes, entre outras.

O médico hematologista é o especialista responsável pelo transplante de medula óssea.

O que é a doença dos ossos de vidro?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Doença dos ossos de vidro é uma desordem rara do tecido conjuntivo de caráter genético e hereditário cientificamente conhecida como Osteogênese Imperfeita.

A doença é conhecida por esse nome pelo acometimento nos ossos que ficam fracos e quebram com facilidade.

A causa dessa doença é a deficiência na produção de colágeno tipo 1 que constitui os ossos. Na deficiência de colágeno, os ossos ficam fragilizados e susceptíveis à fratura com maior facilidade.

Infelizmente a doença dos ossos de vidro não possui cura. O tratamento tem objetivo de melhorar a qualidade de vida da pessoa, aliviar a dor crônica, reduzir a quantidade de fraturas e maximizar a mobilidade e a capacidade funcional.