Perguntar
Fechar

Parto Normal

É possível ter um parto normal se a mulher tem hemorroida?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, é possível ter um parto normal se a mulher tiver hemorroida. As hemorroidas não impedem o parto normal e não é razão que justifique a realização de uma cesárea.

As hemorroidas podem surgir pela primeira vez durante a gravidez, sendo normalmente no 3º trimestre e no período pós-parto os momentos em que surgem complicações como as crises e as tromboses hemorroidárias.

O aumento da pressão abdominal, do volume sanguíneo circulante e a obstipação intestinal também tendem a agravar os sintomas da hemorroida. Além disso, a fraqueza dos tecidos de sustentação do canal anal também contribuem para que as hemorroidas extravasem para fora do ânus.

A hemorroida pode surgir durante o segundo estágio do trabalho de parto devido à força que a mulher efetua no momento da expulsão do feto.

Na maioria dos casos de hemorroida na gravidez, o tratamento é conservador, com dieta rica em fibras, cuidados com a higienização do local e aplicação de pomadas, sendo poucos os casos em que a cirurgia é indicada.

Para maiores esclarecimentos, a grávida deve falar com o/a médico/a que a acompanha no pré natal ou com um/a médico/a proctologista, especialista responsável pelo tratamento das hemorroidas.

Leia também: Como saber se tenho hemorroida e quais são os sintomas?

O parto normal dói muito?
Dr. Gabriel Soledade
Dr. Gabriel Soledade
Médico

A sensação de dor, inclusive a intensidade da dor, varia muito de uma pessoa para outra, e depende de uma série de fatores.

É claro que o parto normal é sim um procedimento doloroso. Mas é sabido que quase a totalidade das mulheres consegue suportar muito bem. Além disso, a mulher comumente recebe uma analgesia peridural, que tem papel importante no alívio da dor.

Em geral, as gestantes que estão mais preparadas, que conversam abertamente com seus médicos e entendem o "funcionamento" do seu corpo na hora do parto conseguem lidar muito melhor.

Outra coisa importante é a mulher estar acompanhada no momento do nascimento de seu filho. As mulheres que mais se queixam da dor geralmente são aquelas que estavam sozinhas na hora do parto.

Por fim, não devemos esquecer que o parto cesáreo, apesar de ser realizado sob anestesia, também tem uma série de sensações incômodas durante o procedimento. E, após o parto, sabemos que o período de recuperação da cesárea é muito maior do que no parto normal.

Para a melhor decisão possível sobre a via preferencial de parto, é fundamental que a gestante procure orientação de seu obstetra e converse amplamente com sua família.

Parto normal após cesariana é perigoso?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Um parto normal após cesariana pode ser perigoso, se a mulher tiver antecedente de três ou mais cesáreas. Isso porque na cesárea o obstetra corta o útero numa região específica para poder retirar o bebê e nas cesarianas seguintes o local de abertura uterina é o mesmo da cicatriz anterior.

Por isso, acredita-se que após três cesáreas essa cicatriz passe a ser um local mais suscetível de rotura, tanto devido ao crescimento do útero durante a gravidez como e, principalmente, devido às contrações do trabalho de parto. 

Alguns obstetras optam por parto cesariana se a mulher tiver antecedente de duas ou três cesarianas, pelo risco de rotura uterina (rompimento do útero), e com isso um risco de morte fetal e materna (por sangramento).

Também pode lhe interessar: Quantas cesáreas uma mulher pode fazer?

O seu obstetra deverá orientá-la sobre a melhor opção para o parto.  

Parto normal ou cesariana, o que preferir?
Dr. Gabriel Soledade
Dr. Gabriel Soledade
Médico

Os dois tipos de partos, normal e cesariana ou cesárea, têm vantagens e desvantagens. Por isso, essa decisão deve ser tomada com bastante cuidado, pela gestante e seu/sua médico/a.

O parto normal é a forma considerada "natural" do nascimento. Acredita-se que ofereça menos riscos de complicações tanto para a mulher quanto para o bebê nesse tipo de parto. A mulher, em geral, se recupera mais rapidamente do que na cesárea, há menor chance de infecção, trombose e hemorragia.

A cesariana, por outro lado, é a forma mais indicada em situações médicas específicas em que a via vaginal ofereça riscos para a mãe ou o bebê. Por exemplo, quando o bebê está transverso ("de atravessado" na barriga da mãe), no caso de desproporção céfalo-pélvica (cabeça do bebê maior que o canal de parto da mãe), ou na ocorrência de placenta prévia, em que a placenta se localiza na frente do bebê, impedindo a sua passagem.

Entre as mulheres, é frequente acreditar que a cesárea não dói. É fato que a anestesia realizada bloqueia totalmente a dor durante o procedimento, mas não se pode esquecer que se trata de uma cirurgia abdominal e, assim como qualquer outra, pode apresentar dor no pós-operatório, que costuma ser mais intensa e durar mais tempo do que no parto normal.

Entretanto, quando ocorre a necessidade de realização de uma abertura maior no canal do parto em um parto normal, chamado episiotomia, também pode haver dor e risco de infecção na cicatriz cirúrgica, devido sua localização.

Parto cesarianaComo é feito o parto cesárea ou cesariana?

O parto cesárea ou cesariana é uma cirurgia, realizada com anestesia raquidiana ou peridural, aplicada no espaço entre as vértebras da coluna. O tempo de duração de uma cesariana costuma ser de uma hora.

Quando a cesárea é indicada?

A cesariana é indicada quando o bebê está sentado, em casos de descolamento de placenta e quando a cabeça do bebê é muito maior que o canal de passagem da pelve da mãe.

No Brasil, a taxa de cesáreas é uma das maiores do mundo. Nos hospitais particulares brasileiros, cerca de 80% dos partos são cesarianos. Esse tipo de parto traz uma série de vantagens para os médicos e para os hospitais que o atendem, já que pode ser "agendado" e, desse modo, o hospital consegue controlar melhor os horários dos funcionários, materiais e equipamentos utilizados. Além disso, não é necessário esperar o tempo de evolução do trabalho de parto, que pode levar várias horas.

O parto vaginal é imprevisível, ou seja, exige que equipes completas e todos os materiais estejam de prontidão durante 24 horas por dia, o que consome mais recursos do hospital.

Como é a recuperação da cesariana?

Após o parto, a mulher só pode se levantar depois de 6 a 12 horas. Os pontos do local da cirurgia são retirados cerca de 10 a 15 dias após o parto. No pós-operatório, é comum a ocorrência de dor e distensão abdominal.

Quais são os riscos do parto cesárea?

O maior risco da cesariana é a ocorrência de infecções e trombose, que são os riscos comuns em cirurgias dessa dimensão.

Parto cesárea traz vantagens para o bebê?

Depende. Nos casos que oferece risco para a vida do bebê, como asfixia neonatal (falta de oxigenação) durante o parto, quando o parto não evolui, é evidente o benefício. Sem indicação efetiva para a cirurgia não há vantagens específicas para o bebê.

Parto normalComo é feito o parto normal?

Durante o parto normal, existe um trabalho de parto que provoca contrações uterinas e dilatação do colo do útero quando o bebê vai nascer. A dilatação do colo do útero é verificada e deve estar medindo 10 cm. No caso da dilatação não ser suficiente para o bebê passar, é feito um corte cirúrgico na região perineal.

Assim que o colo do útero atinge a sua dilatação máxima e as contrações ficam mais fortes, o bebê é pressionado pelas paredes do útero e, com a ajuda da mãe, acaba por ser expulso do útero.

O parto normal também pode ser feito com uma anestesia que previne as dores, sem interferir com a participação da gestante no trabalho de parto. As anestesias usadas no parto normal são as mesmas usadas na cesárea, porém, em doses menores.

Quanto tempo dura um parto normal?

Todo o trabalho de parto até à expulsão do bebê pode levar até 15 horas, caso seja o primeiro parto. Como é a primeira vez que o corpo da mulher está sofrendo essa dilatação, ele costuma ser mais lenta, ao ritmo de 1 cm por hora.

Como é a recuperação do parto normal?

No parto normal, a recuperação é mais rápida e simples que na cesárea. A mulher pode se levantar logo depois do parto, não há dores na recuperação e os pontos saem naturalmente.

Qual é a vantagem do parto normal para o bebê?

A vantagem para o bebê é a saída do excesso de líquido que está acumulado nos pulmões, pois precisa passar pela pelve estreita e apertada da mãe. A saída desse líquido dos pulmões reduz os riscos de complicações respiratórias.

Quais são as desvantagens e riscos no parto normal?

No parto normal também existem desvantagens e riscos, os quais as mulheres devem ser informadas, como risco de laceração do assoalho pélvico, músculos que sustentam os órgãos da pelve, causando incontinência de urina ou fezes. Pode apresentar dor intensa, e o bebê pode sofrer complicações neurológicas, como asfixia, ou lesão de nervos (como o plexo braquial), caso a evolução do parto não aconteça conforme o esperado.

Existem casos, na maioria das vezes, favoráveis sim ao parto normal, e casos bastante desfavoráveis.

Portanto, com avaliação de critérios adequados e acompanhamento regular do pré-natal, o parto poderá ser definido entre a gestante e seu/sua médico/a assistente.

Quais são as vantagens do parto normal?
Dr. Gabriel Soledade
Dr. Gabriel Soledade
Médico

O parto normal tem menores taxas de complicações tanto para a mãe quanto para o bebê. Há menor risco de infecção, hemorragia e trombose. E o tempo de recuperação da gestante após o parto é consideravelmente menor.

Existem algumas situações, entretanto, em que o parto normal pode trazer riscos, e por isso a cesárea está totalmente indicada. Por exemplo, quando o bebê está em posição transversa ("de atravessado") ou quando a placenta se localiza entre o bebê e o canal de parto, impossibilitando a passagem.

De todo modo, é fundamental conversar claramente com o médico obstetra para definição da via preferencial de parto.

Quem tem diabetes gestacional pode ter parto normal?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, quem tem diabetes gestacional pode ter parto normal. A diabetes gestacional não impede o parto normal e não é razão que justifique a realização de uma cesárea.

A diabetes gestacional pode levar a uma complicação conhecida como macrossomia fetal, ou seja, o bebê com peso superior ao habitual. A única ocasião em que realmente a cesárea é indicada é quando há diabetes gestacional na presença de feto com maior de 4,5Kg.

Fora dessa situação, a mulher com diabetes gestacional pode ter parto normal.

O momento do parto deve ser preparado ao longo do pré-natal, com o devido acompanhamento e monitoração da glicemia capilar.  

Para maiores esclarecimentos, a grávida deve falar com o/a médico/a que a acompanha no pré natal para ficar ciente das complicações e das condições reais em que se indica a cirurgia cesariana.