Perguntar
Fechar

Pele

Depois de um enxerto de pele pode cheirar muito mal?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O local de um enxerto pode ter um cheiro um pouco desagradável devido a partes do tecido que podem ter pequenas áreas de necrose (cheiro mal é subjetivo neste caso), porém qualquer alteração neste caso deve ser levada em consideração (cheiro, secreção, febre, vermelhidão). Três situações podem estar ocorrendo: erro de interpretação desse cheiro, necrose do enxerto (morte do tecido) ou infecção no local, precisa procurar um médico.

Manchas causadas pelo sol na gestação são permanentes?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

As manchas são permanentes, se nada for feito elas não desaparecem mais, precisa começar a se cuidar com o uso de protetor solar todos os dias - passar uma vez pela manhã e repetir na hora do almoço (mesmo em dias nublados). Atualmente existem muitas soluções estéticas e dermatológicas. Procure uma clínica de estética ou um dermatologista.

Pele ressecada: o que fazer?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Em caso de pele ressecada, deve-se tomar alguns cuidados, que também servem para evitar o ressecamento da pele:

  • Tomar banhos de água morna (evitar banhos quentes), com 10 minutos de duração no máximo;
  • Não utilizar buchas ou esponjas na hora do banho e usar pouco sabonete, que deve ser apropriado para pele ressecada, de preferência com ceramidas, glicerina, triglicerídeos ou manteiga de karité;
  • Evitar produtos que tenham ácido salicílico, ácido glicólico ou álcool em suas composições;
  • Usar protetor solar diariamente, de preferência os que contêm hidratantes;
  • Passar hidratante todos os dias, de preferência após o banho, enquanto a pele ainda está um pouco úmida;
  • Sempre utilizar hidratante depois de ir à piscina, praia e sauna, após exposições ao sol e a produtos químicos;
  • Enxugar a pele pressionando suavemente a toalha sobre a pele, sem esfregar;
  • Evitar exposições prolongadas ao sol;
  • Usar luvas ao manipular produtos químicos;
  • Hidratar as mãos com frequência;
  • Evitar fumar;
  • Beber água com frequência.

É importante ressaltar que o ressecamento da pele pode ser passageiro e estar relacionado a fatores externos, mas também pode ser sinal de algum problema de saúde ou doenças de pele, inclusive câncer.

Se mesmo com esses cuidados a pele continuar ressecada, consulte o/a médico/a dermatologista, clínico/a geral ou médico/a de família para receber um diagnóstico e tratamento adequados.

Também pode lhe interessar: Lábios ressecados: Quais são as causas e como tratar?

Pele muito oleosa, algum sabonete ou remédio?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pele oleosa pode estar associada com várias causas e geralmente o tratamento ideal seria tratar a causa. Dentre as mais comuns: característica própria e natural do tipo de pele, problemas hormonais, problemas emocionais, alimentação inadequada, doenças de pele.

O ideal é procurar um dermatologista que pode dizer melhor qual a causa e a partir de então propor um tratamento. Medidas gerais como cuidados com a alimentação (evitar frituras, gorduras alimentos gordurosos, comidas rápidas e prontas - fast food), exercícios físicos regulares e o uso de sabonetes com pH neutro para pele oleosa podem reduzir a oleosidade da pele.

Leia também: Pele oleosa pode ser sintoma de gravidez?

Babosa (Aloe vera) é benéfico para a saúde da pele? É cicatrizante?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim. A Aloe vera, popularmente conhecida como babosa, é uma planta medicinal que traz benefícios à saúde da pele. A ação hidratante da planta já foi comprovada em diversos estudos. Entretanto, ainda não há evidências científicas suficientes para afirmar o seu efeito cicatrizante.

Aloe vera e cicatrização

O uso da Aloe vera para a cicatrização de feridas ainda é questionado. Alguns estudos realizados em seres humanos demonstraram redução da dor pós-operatória e melhora da cicatrização, com redução do consumo de medicamentos analgésicos.

Contudo, houve pesquisas que mostraram o contrário, um aumento no tempo de cicatrização. O uso do gel de Aloe vera associado com ultrassom, micro corrente ou na forma de lipossomas parece estar mais relacionado aos casos de melhora na cicatrização de feridas e redução da inflamação.

Para confirmar o efeito cicatrizante da Aloe vera são necessários mais trabalhos, e se possível envolvendo populações maiores.

Aloe vera e seu efeito hidratante

Um benefício importante da Aloe vera para a saúde da pele é a sua ação hidratante. O efeito hidratante do gel de Aloe vera, se deve possivelmente, por um mecanismo umectante que ajuda a reter a água na sua superfície.

O uso do gel é bastante difundido na indústria cosmética e higiene pessoal em forma de cremes, xampus, sabonetes, entre outros.

Aloe vera e ação bactericida

O pirocatecol, ácido cinâmico, ácido ascórbico e ácido p-cumárico são algumas das substâncias envolvidas no efeito bactericida (destroem bactérias) e bacteriostático (impede a proliferação de bactérias) da Aloe vera. A planta tem ação antimicrobiana e combate alguns tipos de fungos, vírus e bactérias.

Aloe vera e ação anti-inflamatória

A atividade anti-inflamatória da Aloe vera foi confirmada em estudos com ratos ou pesquisas de laboratório, o que não permite afirmar que o mesmo efeito possa ser observado em seres humanos. Por este motivo, a ação anti-inflamatória da planta não é aceita.

Aloe vera e queimaduras

O uso de creme contendo Aloe vera pode auxiliar na cicatrização e na reepitalização (reparo do tecido da pele) em um curto período, se for adequadamente indicado, em caso de queimaduras.

No entanto, o uso de qualquer produto em queimaduras aumenta o risco de infecção secundária, visto que a barreira de proteção (epiderme) foi danificada. Sendo assim, nunca deve fazer uso de cremes ou hidratantes sem a orientação da equipe médica assistente.

Aloe vera e câncer

Alguns estudos mostram que a Aloe vera pode contribuir com atividade antineoplásica, ou seja, pode apresentar capacidade de destruir células malignas ou inibir seu crescimento e proliferação. Esta ação depende da dose utilizada e do tipo de câncer e parece estar ligada a presença da aloína, aloe-emodina e a acemanana na planta.

Alterações no desenvolvimento das células tumorais, estímulo ao bom funcionamento do sistema imunológico e a atividade antioxidante da Aloe vera são outros mecanismos envolvidos no combate a proliferação do câncer.

No entanto, são poucos os estudos que evidenciam estes efeitos, por isso, apesar dos bons resultados, serão necessários mais estudos clínicos com um número maior de pacientes para confirmar estes efeitos.

Aloe vera e psoríase

Existem estudos que comprovam a eficácia da Aloe vera no tratamento de pessoas com psoríase (doença inflamatória e autoimune que afeta a pele). O uso do creme de Aloe vera provocou a melhora dos sintomas clínicos da psoríase e da qualidade de vida dos pacientes.

Aloe vera e redução de colesterol e diabetes

Estudos indicam ainda indícios de que há benefícios no uso da Aloe vera para redução da glicose e do colesterol. Porém, da mesma forma que referido para o uso na psoríase e no câncer, são poucos os estudos, portanto, não foram suficientes para a compreensão desse benefício. Acredita-se que mais estudos poderão esclarecer e confirmar essa ação, de forma consistente.

Uso de Aloe vera oral na Gravidez

A administração oral de Aloe vera não é recomendada durante a gravidez. As antraquinonas presentes na planta estimulam o intestino grosso e podem se refletir na musculatura uterina induzindo ao aborto.

Efeitos colaterais da Aloe veraAdministração oral
  • Diarreia
  • Cólicas
  • Náuseas
  • Hepatite aguda
Uso tópico
  • Dermatite de contato
  • Sensação de queimação

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) proibiu a comercialização de sucos e outros alimentos que contenham Aloe vera. A proibição se deve ao fato de que ainda há poucas evidências científicas que comprovem a segurança do seu consumo em forma de alimentos além de relatos de reações adversas.

Veja também

Plantas medicinais são seguras para a saúde?

Tenho psoríase, queria saber se Perlutam afeta essa doença?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Não é algo comum de acontecer, mas é possível. Qualquer coisa que aconteça com você, incluindo o uso de medicamentos, pode influenciar em muitas coisas, inclusive no aparecimento de doenças que você já tinha predisposição.

Tenho uma pele sensível nas partes que não pegam sol...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Exposição ao sol causa câncer de pele, o que você precisa é procurar um médico dermatologista para ele fazer um diagnóstico do seu problema de pele e com o diagnóstico começar um tratamento.

Bepantol Derma Creme: para que serve e como usar a pomada?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A pomada Bepantol Derma Creme serve para hidratar a pele e prevenir o seu ressecamento e a sua descamação. Sua fórmula possui grandes quantidades de pró-vitamina B5 (dexpantenol), além de lanolina e óleo de amêndoas doces, substâncias com forte ação hidratante.

O principal princípio ativo do Bepantol Derma Creme é a pró-vitamina B5, também conhecida como dexpantenol. A substância acelera a regeneração das células, promovendo a renovação natural da pele.

O dexpantenol também é um poderoso hidratante, que evita a perda excessiva de água pela pele, além de estimular a produção de colágeno, ajudar na cicatrização, auxiliar no controle de inflamações e melhorar a função de proteção da pele.

Assim, o Bepantol pomada hidrata, cicatriza, fortalece e renova a pele, deixando-a mais macia, firme e resistente.

Como o Bepantol Derma Creme funciona?

A pró-vitamina B5 ou dexpantenol, presente em grandes concentrações no Bepantol Derma Creme, é transformada rapidamente em ácido pantotênico nas células da pele e das mucosas.

O ácido pantotênico está relacionado com a regeneração e a cicatrização da pele e das mucosas.

O ácido pantotênico estimula a replicação das células das camadas basais da pele, que irão compor a camada superficial da pele. A substância também estimula a multiplicação dos fibroblastos, que produzem colágeno, fundamental para a firmeza e resistência da pele.

A pomada também forma uma fina camada protetora e transparente, que protege a pele dos agentes agressores externos e impermeabiliza a pele, evitando a perda de água e consequente desidratação e ressecamento.

Quando usar Bepantol Derma Creme?

O Bepantol Derma Creme é indicado para peles que precisam de hidratação e locais que necessitam de cuidados especiais e hidratação intensiva, como tatuagens, pés, cutículas, calcanhares, cotovelos e joelhos, deixando a pele mais macia e saudável.

Quando aplicado no rosto e na região abaixo dos olhos, a ação hidratante da pomada deixa a pele com um aspecto mais saudável. Porém, a pomada não serve para clarear a pele ou eliminar manchas.

O Bepantol pomada promove uma hidratação profunda da pele, estimulando a sua regeneração naturalmente e prevenindo a sua descamação.

Contudo, devido às propriedades cicatrizantes, regenerativas e anti-inflamatórias do dexpantenol, o Bepantol Derma Creme também é indicado no tratamento de:

  • Assaduras;
  • Fissura anal;
  • Fissuras nos mamilos;
  • Ferimentos e queimaduras leves;
  • Rachaduras em pele e mucosas;
  • Escaras (úlceras de pressão);
  • Fissuras nos lábios.
Como usar Bepantol Derma Creme?

Aplique uma camada de Bepantol Derma na pele e espalhe suavemente, uma vez ao dia. Aplique novamente a pomada sempre que for preciso hidratar ou tratar a pele de forma mais intensa.

Para prevenir e tratar assaduras, recomenda-se aplicar uma camada de Bepantol sempre que houver mudança de fralda, depois de limpar o bebê.

No tratamento e na prevenção de fissuras nos mamilos, deve-se aplicar uma camada de pomada no local após cada mamada.

Para maiores esclarecimentos sobre o uso de Bepantol Derma Creme, consulte um médico dermatologista ou fale com o médico que receitou o medicamento.

Também pode lhe interessar: Posso usar Bepantol Derma Solução para hidratar o cabelo?

Limpeza de pele faz bem para a saúde? Quem tem lesões de pele, pode fazer?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A limpeza de pele é um procedimento estético que pode sim trazer benefícios à saúde da pele se for realizado por um dermatologista, esteticista devidamente treinado ou fisioterapeutas dermato-funcionais.

É indicado para a remoção das impurezas da pele, cravos abertos (pontos pretos) e fechados (pontos brancos) e milliuns (pequena lesão amarelada que surge no rosto, especialmente na pele em torno dos olhos.

Fase de hidratação da limpeza de pele Quem tem lesões de pele pode fazer a limpeza?

Como regra geral, especialmente quem tem acne muito inflamada, ou qualquer outra lesão de pele não deve fazer a limpeza profunda. Entretanto, é importante passar pela avaliação de um/a dermatologista para se certificar sobre a indicação.

Como é feita a limpeza de pele?

A limpeza de pele é efetuada em etapas, podendo variar entre serviços de dermatologia. Em geral são realizadas a assepsia, em seguida a esfoliação, extração, aplicação de alta frequência, máscara e, por último a aplicação do filtro solar.

Assepsia

Nesta etapa o profissional faz uma higiene na pele com cremes de limpeza desengordurantes que retiram a maquiagem, produtos cosméticos, oleosidade da pele e sujidades decorrentes da poluição.

Esfoliação

A esfoliação é realizada com a aplicação de loções com efeito abrasivo, que afinam a camada mais superficial da pele. Isto facilita a remoção de cravos abertos e fechados que não estejam inflamados.

Extração

Nesta fase da limpeza de pele os cravos são expulsos maualmente e com auxílio de uma microagulha, para remover os milliuns. Entretanto, antes de espremer as regiões da pele que contenham cravos ou milliuns, um vapor de ozônio é utilizado com o objetivo de dilatar os poros e facilitar a retirada manual e cuidadosa. Após aplicação do vapor de ozônio uma fina camada de algodão com produto emoliente é colocada sobre o rosto, associado ao uso de vapor de água. Somente após estes procedimentos a retirada manual de cravos e milliuns é iniciada com delicadeza.

Veja também: Bolinhas no rosto parecidas com espinhas: o que pode ser?

Alta frequência

O objetivo da aplicação de equipamento de alta frequência durante a limpeza de pele é promover efeito cicatrizante e anti-inflamatório em áreas da pele com micro lesões decorrentes da própria limpeza. A alta frequência atua também como fungicida, eliminando alguns tipos de fungos, ainda, bactericida e bacteriostático, por destruir e controlar a proliferação de algumas bactérias.

Máscara

A aplicação da máscara é a penúltima etapa da limpeza de pele. Sua função é de acalmar a pele após o procedimento. As máscaras à base de mentol e azuleno são as mais utilizadas e sua escolha ocorre de acordo com o tipo de pele.

Filtro solar

A finalização da limpeza de pele é realizada com a aplicação do filtro solar. Os filtros em gel e loção são os mais indicados, pois evitam a obstrução dos poros. O fator de proteção utilizado deve ser superior a 30.

Cuidados após a limpeza de pele
  • Não se exponha ao sol: após a limpeza, a pele pode ficar mais sensível e irritada. Por este motivo não se recomenda a exposição solar.
  • Realize higiene diária de acordo com o seu tipo de pele.
  • Utilize filtro solar com proteção superior a 30, reaplicando em torno de 3 vezes ao dia.
  • Se sua pele estiver muito vermelha utilize produtos cicatrizantes, nos dois primeiros dias após a limpeza, e calmantes como a água termal. Busque orientação profissional para a escolha do produto mais indicado.

A limpeza de pele é indicada também para remover células mortas e manter a pele saudável e macia.

O tempo entre uma limpeza de pele e outra vai depender de cada pessoa.

Consulte um profissional qualificado - dermatologista, esteticista devidamente treinado ou fisioterapeuta dermato-funcional – antes de qualquer procedimento.

Leia mais

Quais são as causas da vermelhidão no rosto?

Quais os benefícios do microagulhamento para a saúde da pele?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O microagulhamento consiste em um procedimento no qual são feitas microperfurações na pele por meio da utilização de microagulhas.

Utilização de microagulhas durante sessão de microagulhamento.

Este tratamento tem como principal resultado a indução de formação de colágeno e de outras fibras que atribuem firmeza e sustentação à pele. Os benefícios do microagulhamento são:

1. Atenuar ou remover cicatrizes

O microagulhamento pode ser utilizado para minimizar ou remover cicatrizes da pele, especialmente aquelas produzidas por acne.

2. Minimizar rugas e promover o rejuvenescimento da pele

O procedimento pode ajudar a minimizar rugas de expressão e provocar o rejuvenescimento da pele, uma vez que provoca a formação do colágeno no local aplicado.

3. Promover o clareamento da pele

O microagulhamento ajuda a tratar manchas acastanhadas de pele provocadas, principalmente, pelo sol chamadas melasmas. As microagulhas provocam a dilatação dos vasos e pequenos sangramentos nos locais de aplicação. Quando associado aos cremes de tratamento, o microagulhamento apresenta resultados positivos no clareamento da pele. Além disso, ajuda melhorar o aspecto dos poros.

4. Tratar estrias

O tratamento de estrias, tanto as vermelhas quanto as brancas, pode ser auxiliado com o uso do microagulhamento. As pequenas perfurações permitem que os cremes de tratamento de estrias penetrem com maior facilidade no tecido potencializando a sua ação. Isto faz com que o tratamento de estrias se torne mais efetivo.

5. Tratar calvície

O microgulhamento é também utilizado no tratamento de calvície. Entretanto, ainda não há evidências científicas suficientes que sustentem a efetividade do procedimento para este fim.

Como é feito o microagulhamento?

Utiliza-se um creme anestésico, uma vez que a técnica mais comumente aplicada é minimamente invasiva. O tratamento deve ser feito com a regularidade de uma vez ao mês. Esta periodicidade é necessária para que haja tempo suficiente para formação de colágeno e regeneração da pele e, assim, sejam alcançados os resultados desejados.

Quando é efetuado por meio de técnica cirúrgica, o microagulhamento alcança camadas mais profundas na pele. Esta modalidade de tratamento é realizada em centro cirúrgico com o paciente anestesiado. Alguns estudos apontam que o microgulhamento cirúrgico pode demonstrar seus resultados em apenas uma sessão.

Para a realização do microagulhamento são utilizados rollers, instrumento mais comum, carimbos ou canetas elétricas. Todo o material deve ser autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). As agulhas devem ser estéreis e descartáveis e não podem ser reutilizadas nem pelo próprio paciente.

Saiba mais em: Dermaroller funciona? Para que serve o microagulhamento?

Quais as contraindicações do microagulhamento?

São condições que contraindicam o microagulhamento:

  • Presença de infecções no local da aplicação;
  • Câncer de pele na região a ser tratada ou em suas proximidades;
  • Bronzeamento da pele;
  • Herpes labial;
  • Uso de anticoagulantes;
  • Alergias aos cremes anestésicos.

O microagulhamento deve ser indicado e orientado pelo dermatologista.

Veja também:Existe alguma forma de clarear manchas escuras na pele?

Aparecem no meu pênis pequenas manchas vermelhas...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A única coisa que vem na minha cabeça agora e que pode causar esse tipo de lesão sem uma melhora pode ser herpes genital. Se for realmente herpes é um problema, porque herpes não tem cura, eu recomendaria você procurar um médico homeopata, geralmente esses tipos de lesão que não melhoram com a medicina alopática tradicional a homeopatia pode ajudar e muito.

O que é paquidermia?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Paquidermia significa pele grossa.