Perna

Edema nas pernas: o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O edema (inchaço) nas pernas pode ser sinal de muitas coisas diferentes, pois as suas causas são bastante variadas. Algumas delas:

  • Insuficiência cardíaca: Normalmente o edema afeta as duas pernas, tem início nos  tornozelos e surge no final da tarde, progredindo para pernas e coxas, podendo chegar à região genital;
  • Erisipela (infecção do tecido subcutâneo): O edema costuma afetar apenas uma perna e é acompanhado por calor e vermelhidão no local, além de sinais de infecção como febre e mal estar;
  • Insuficiência venosa crônica: Edema com predomínio em uma perna, aumenta durante o dia e melhora com a elevação das pernas. Normalmente há presença de varizes e a pele das pernas pode ficar mais escura;
  • Trombose venosa profunda: Costuma atingir uma das pernas. Calor e vermelhidão local são sintomas que acompanham o edema, podendo haver também um endurecimento das panturrilhas. É um quadro grave devido ao risco de embolismo pulmonar que podo levar à morte;
  • Linfedema: Muitas vezes o edema afeta as duas pernas e sua principal característica é ser endurecido e não melhorar com a elevação dos membros;
  • Doenças renais: O edema neste caso também pode acometer a face e vem acompanhado de fraqueza, náuseas e emagrecimento;
  • Hipoproteinemia (redução da concentração de proteínas do sangue): O edema pode ser generalizado;
  • Cirrose hepática: Edema generalizado, com início na região abdominal, passando depois para as pernas;
  • Medicamentos: Geralmente o edema está localizado no tornozelo e nas pernas, Muitas vezes é causado por medicamentos cardiovasculares;
  • Alergias: O edema também pode afetar a face;
  • Alterações hormonais (ciclo menstrual): Atinge tornozelos, pernas e mãos. 

O diagnóstico da causa exata do edema é feito através de exame clínico associado à história clínica da pessoa como o uso de medicamentos, presença de outros sintomas e doenças. O/a médico/a, se achar necessário, pode solicitar exames complementares como exames de sangue, eletrocardiograma, ultrassom abdominal, entre outros para complementar a avaliação.

Minha esposa tem 25 anos e está sentindo formigamento pernas, o que pode ser?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Formigamento em pernas está geralmente associado com doenças neurológicas, emocionais ou circulatórias, numa mulher de 25 anos causas emocionais são as mais comuns.

Quando a criança (bebê) começa a ter firmeza nas pernas? Com quantos meses?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Nenhum bebê nesta idade (6 meses) deve ter força suficiente para ter firmeza nas pernas, no máximo ficar sentada com o corpo ereto. A idade ideal para a criança começar a ficar firme de pé e apoiada é entre 9 a 12 meses. Mas eu já tive crianças que eram perfeitamente normais e ficaram com as pernas firmes muito depois de um ano de idade. Cada criança tem seu tempo certo, esteja sempre atenta ao desenvolvimento de sua filha e qualquer dúvida consulte o pediatra.

Dor na parte interna da perna, o que pode ser?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Você deve ter algum tipo de lesão muscular ou de tendão (rompimento ou algo parecido), precisa procurar um Ortopedista que provavelmente vai solicitar algum exame.

Também pode lhe interessar: Sinto muita dor nas pernas. O que pode ser?

Minha mãe, 84 anos, está com pernas e tornozelos inchados
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Bom eu diria que o problema dela é o número de anos (84), só isso já bastaria para ter inchaço nas pernas, mas ela tem outras coisas que podem causar esse inchaço como a pressão alta, falta de movimentação e os problemas de coração. Aliás eu me surpreenderia se ela não tivesse esse inchaço (isso seria estranho).

Tenho sentido um tremor e formigação nas pernas e pés...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Seu peso está dentro do esperado, os seus outros sintomas são compatíveis com ansiedade ou problemas de circulação, mas como sua urina está doce o ideal é em primeiro lugar ir a um médico contar isso a ele e fazer exames para ver se não tem diabetes. E depois de ver o resultado dos exame ver o que fazer.

Tenho muitas câimbras nas pernas...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

As câimbras pode ou não estarem relacionadas a problemas de saúde, na maioria das vezes não tem um significado clínico importante, mas é muito ruim sentir câimbras e o ideal é você tentar descobrir porque está tendo-as. Reduza a quantidade de leite e aumente a quantidade de frutas na sua alimentação isto pode ajudar e procure um médico.

Leia também:

Câimbra na panturrilha: o que pode ser e o que fazer?

O que são espasmos musculares e quais as causas?

Faz 5 dias que sinto leve vibração parte de trás perna...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Lembra mais algo ostemuscular que alguma coisa relacionada a trombose (não são estes os sintomas), precisa procurar um médico, preferencialmente um ortopedista para ver o que está acontecendo.

Dor intensa na panturrilha esquerda e amortecimento...
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim. Pode ser algum problema neurológico ou também um problema vascular.

Uma das causas mais comuns de dor em panturrilha são a trombose venosa, quando acontece uma obstrução de um vaso, de forma abrupta, levando a um quadro de dor, dificuldade de andar e edema local. Pode haver ainda vermelhidão e calor local.

Trata-se de uma doença grave, que impede o fluxo de sangue para as regiões mais distais da perna, com risco de sequelas se não tratada a tempo.

No caso de acometimento neurológico, sendo de forma abrupta, a hipótese seria uma compressão de nervo na altura da coluna lombar ou sacral, a hérnia de disco, entretanto apenas com os sintomas descritos não é possível afirmar esse diagnóstico, é preciso um exame neurológico mais minucioso.

Já uma neuropatia periférica não costuma iniciar o quadro com dor intensa na panturrilha, portanto, seria uma suspeita menos provável, porém, da mesma forma, dependendo do exame clínico e comorbidades, deve ser investigada.

Sendo assim, recomendamos que procure um médico clínico geral, ou médico da família o quanto antes, para uma avaliação e exame clínico completo, a fim de buscar a causa desse problema, e iniciar o tratamento mais adequado para o caso.

Trombose venosa

Trombose significa a obstrução parcial ou completa do fluxo de sangue dentro de um vaso sanguíneo, originado pela formação de um ou mais coágulos. A trombose pode ocorrer dentro de artérias, o que leva a quadros de isquemia ou infarto, ou em veias, provocando quadros de trombose venosa - superficial (tromboflebite) ou profunda.

A tipo de trombose venosa mais comum é a chamada trombose venosa profunda (TVP), que acomete veias da perna, coxas ou região pélvica, caracterizando-se por quadro de edema e dor no membro acometido, especialmente a panturrilha. Sempre de um único lado. Quando a dor acoemte ambos os lados devemos pensar em outras causas.

Leia também: Quais os fatores de risco para a trombose venosa profunda?

Hérnia de disco

Hérnia de disco é o extravasamento do material interno do disco intervertebral, uma espécie de núcleo gelatinoso, que fica entre as vértebras da coluna, e atua como um amortecedor.

O disco intervertebral possui uma cápsula fibrosa, que quando sofre uma lesão e rompe, permite que esse núcleo gelatinoso saia do seu local, comprimindo o nervo, por ser uma estrutura muito próxima.

Como consequência dessa compressão, a região ou membro inervados por esse nervo comprimido, apresentam os sintomas da "hérnia", como dor, formigamento ou diminuição de força.

Pode lhe interessar também: Hérnia de disco tem cura? Qual o tratamento?

Por todo o descrito, o mais indicado é que procure um médico clínico geral ou médico da família para avaliar o seu caso e dar as devidas orientações.

Síndrome das pernas inquietas tem cura? Qual é o tratamento?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Síndrome das pernas inquietas não tem cura, mas pode apresentar longos períodos de remissão e tem tratamento. Trata-se de um distúrbio neurológico, cujo tratamento tem como objetivo aliviar os sintomas e melhorar a qualidade do sono.

O tratamento da síndrome das pernas inquietas depende da causa, da frequência e da intensidade dos sintomas, bem como da presença ou ausência de dor.

Para tratar a síndrome são usados medicamentos e adotadas medidas que contribuem para amenizar os sintomas. Também é importante identificar e afastar os fatores que podem piorar o quadro.

Fazem parte do tratamento não medicamentoso da síndrome das pernas inquietas:

⇒ Evitar a privação do sono, pois o cansaço piora o distúrbio;

⇒ Reduzir o consumo de bebidas alcoólicas, cafeína e outros estimulantes, como o cigarro (nicotina);

⇒ Praticar atividade física regularmente, pois ajuda a dormir melhor.

O tratamento medicamentoso pode ser feito com fármacos como os anticonvulsivantes, os benzodiazepínicos (calmantes) e medicamentos que estimulam a produção de dopamina.

A dopamina é um neurotransmissor que conduz os impulsos nervosos e está presente em menor quantidade em pessoas com síndrome das pernas inquietas. A sua diminuição ou a falta no organismo afeta os movimentos do corpo.

Em casos de anemia (uma das causas da síndrome), são também usados suplementos de ferro e vitaminas.

Veja aqui outras causas da síndrome das pernas inquietas.

Com os medicamentos e as medidas de controle é possível amenizar o quadro, aliviando os sintomas e melhorando a qualidade de vida do paciente.

O especialista indicado para tratar a síndrome das pernas inquietas é o neurologista.

Saiba mais em:

Distúrbios do sono: Quais os principais tipos e como identificá-los?

Quais os sintomas dos distúrbios do sono?

Quais são as fases do sono e o que acontece em cada uma delas?

Qual o tratamento para edema nas pernas?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

tratamento para edema nas pernas é variado a depender da causa.

Quando o edema é causado devido à postura que a pessoa fica ao longo do dia, muito tempo sentada com as pernas para baixo ou em pé ou durante a gestação, a pessoa pode se beneficiar com o uso de meias de compressão, disponíveis até a altura abaixo do joelho ou até a coxa. Em outros casos, a drenagem linfática pode facilitar o retorno da linfa e melhorar o inchaço.

Exercícios físicos como andar, correr ou qualquer outro que estimule os músculos da panturrilha favorecem o retorno do sangue ao coração e ajudam a reduzir o edema. 

Elevar as pernas, colocando um calço embaixo dos pés da cama de maneira que todo o corpo fique inclinado, também ajuda.

Uma dieta saudável com uso moderado do sal e bebidas alcoólicas além da manutenção do peso apropriado para a altura colaboram para evitar o edema nas pernas.

Para as causas patológicas e relacionadas a condições clínicas como insuficiência cardíaca, insuficiência hepática, deficiência renal, trombose, etc, o tratamento deve ser supervisionado pelo/a médico/a que irá investigar a causa original do edema nas pernas e indicar o tratamento específico, pois uma vez melhorando o quadro clínico haverá melhora do edema. 

Tenho na perna algo que parece uma verruga?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Pela sua descrição, parece ser de fato uma verruga. O ideal é procurar o/a médico/a para avaliação detalhada e tratamento.

Apesar de serem benignas, as verrugas são altamente contagiosas. A melhor forma de evitar a proliferação de verrugas para outras partes do corpo ou a transmissão para outras pessoas é removê-las através da aplicação de medicamentos específicos ou métodos cirúrgicos.

Alguns cuidados que ajudam a prevenir o aparecimento de verrugas:

  • Cobrir lesões ou cortes na pele com curativos;
  • Evitar ficar descalço;
  • Evitar o contato direto com as verrugas (próprias ou de terceiros);
  • Usar preservativo;
  • Tomar vacina contra HPV para prevenir verrugas genitais.

Alguns remédios utilizados para remover verrugas e que não precisam de receita médica são o Wartner, o Duofilm e o Pointts.

No entanto, é necessário consultar um/a médico/a dermatologista, clínico/a geral ou médico/a de família antes de iniciar qualquer tratamento.

O uso caseiro dessas medicações podem trazer efeitos colaterais e, quando não são bem aplicadas na área delimitada da verruga, pode causar danos à pele ao redor. Por isso, o mais indicado é realizar o tratamento seguindo as indicações médicas.

Além disso, o tratamento para remover verrugas depende do tipo de verruga e pode incluir:

  • Aplicação de ácidos ou outras substâncias químicas;
  • Crioterapia (congelação);
  • Eletrocirurgia (queima);
  • Cirurgia a laser;
  • Cirurgia para retirar a verruga (excisão);
  • Imunoterapia com o objetivo de estimular as defesas do organismo para que este rejeite a verruga.

Como cada tipo de verruga requer um tratamento específico, procure o/a médico/a para o diagnóstico apropriado e tratamento correto do seu caso.

Leia também:

Qual o remedio para remover verruga?

Verruga coça faz mal coçar verruga?