Perguntar
Fechar
Tomei o contracep agora pela primeira vez, engorda?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, o ganho de peso é um efeito colateral frequente do uso dos anticoncepcionais injetáveis trimestrais, no entanto, nem todas mulheres apresentam esse efeito, algumas mantém o peso e outras inclusive podem emagrecer. O ganho de peso com o uso dos injetáveis trimestrais é de 1 a 2 kg, raramente o ganho de peso é maior.

Caso o uso do anticoncepcional seja associado a uma alimentação equilibrada e um estilo de vida saudável com prática de atividade física o efeito sobre o peso pode ser minimizado.

O Contracep é um dos nomes comercias da injeção anticoncepcional de medroxiprogesterona, um contraceptivo que possui efeito durante 3 meses após a sua aplicação.

Quais são as vantagens do uso do anticoncepcional injetável trimestral?

Há algumas vantagens no uso do anticoncepcional injetável trimestral, um dos principais é o fator de não ser necessário que a mulher tome todos os dias pílula, portanto, dificilmente é esquecido ja que sua aplicação se repete a cada 3 meses.

Além disso, para muitas mulheres que sofrem com sangramento menstrual abundante ou cólicas menstruais intensas, ou mulheres que desejam reduzir o sangramento menstrual a medroxiprogesterona pode contribuir com redução do fluxo menstrual, ou mesmo provocando a amenorreia (ausência da menstruação).

Outras vantagens associadas ao uso do anticoncepcional injetável trimestral são:

  • Diminuição do risco de câncer de endométrio fibroides uterinos;
  • Diminuição do risco de doença inflamatória pélvica;
  • Diminuição do risco de anemia por deficiência de ferro devido a sangramento menstrual abundante;
  • Reduz crises hemolíticas em mulheres com anemia falciforme;
  • Reduz sintomas de endometriose.
Quais são as desvantagens do uso do anticoncepcional injetável trimestral?

O anticoncepcional injetável trimestral apresenta algumas desvantagens como:

Possível irregularidade menstrual e amenorreia, algumas mulheres podem sentir-se incomodadas ao parar de menstruar. Além disso, em algumas situações raras pode provocar sangramento contínuo.

Uma importante desvantagem é que o retorno a fertilidade é mais lento, ou seja, logo após parar o uso do anticoncepcional é possível que a mulher só volte a apresentar ciclos ovulatórios após alguns meses.

Possui alguns efeitos adversos com: ganho de peso, dor de cabeça, perda de cabelo, náuseas, diminuição da libido e alteração no humor.

Para mais informações sobre os injetáveis trimestrais consulte o seu médico de família ou ginecologista.

Também pode ser do seu interesse:

Dúvidas sobre anticoncepcional injetável

Minha filha transou pela primeira vez, pode estar grávida?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O principal motivo para suspeitar de gravidez é o atraso menstrual, se sua filha menstruou normalmente não há porque pensar que possa estar grávida.

Perlutan pela primeira vez, com 9 dias tive relação sem camisinha, posso estar grávida?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Tem mas o risco de gravidez é muitíssimo baixo, isso porque a injeção anticoncepcional se tomada no primeiro dia da menstruação já começa a fazer efeito. Alguns médicos recomendam uso de método complementar de barreira nos 7 primeiros dias após a primeira aplicação da injeção, mas no seu caso esse período já passou.

O Perlutan é o nome comercial de uma injeção anticoncepcional mensal composta por dois hormônios a algestona acetofenida e o enantato de estradiol. Possui alta taxa de eficácia se usada corretamente, ou seja, a cada 30 dias. Se as injeções forem tomadas na data certa, ocorre menos do que 1 gravidez para 100 mulheres que usam esta injeção no primeiro ano.

Leia também:

Quando tomar a Perlutan?

Posso tomar Perlutan amamentando?

Caso ainda tenha dúvidas consulte o seu médico de família ou ginecologista para esclarecimentos.

Quanto tempo depois da primeira vez se faz exame Papanicolau?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

No Brasil, o exame preventivo é recomendado principalmente de acordo com a idade. Atualmente, a recomendação é para mulheres entre 25 e 64 anos e que já iniciaram atividade sexual. O exame deve ser repetido anualmente nos primeiros dois anos, e com resultados normais deve passar para 3 em 3 anos.

A única exceção é para mulheres portadoras do vírus HIV ou imunodeprimidas, as quais precisam repetir anualmente o exame, ou a critério médico.

No entanto, a recomendação não impede que o ginecologista, solicite o exame mais precocemente ou mais vezes, de acordo com a sua avaliação. Trata-se de uma recomendação geral, que deve ser avaliada caso a caso.

Tanto é que as recomendações sofrem alterações constantemente. Atualmente a recomendação mundial e adotada pela maioria dos países, é de iniciar o exame aos 21 anos, com citologia oncótica cérvico-vaginal, sendo repetido a cada 3 anos, ou com co-teste (citologia associado ao teste de DNA-HPV por captura híbrida) a cada 5 anos.

No Brasil, um grupo de São Paulo, em convênio com outros países, já participa de um projeto piloto, aonde avalia a substituição do exame preventivo pelo estudo de teste de DNA-HPV por captura híbrida. Mas ainda no Brasil, se mantém a recomendação do exame regularmente, conforme descrito acima, visto que é a medida comprovadamente mais efetiva contra o câncer de colo de útero, até o momento.

Como é feito o exame?

O exame é simples, rápido e não causa dor. Algumas mulheres queixam de incômodo, mas que não duram muito tempo. O médico passa uma "escovinha" especial no colo do útero e transfere para os recipientes adequados, depois para a lâmina de vidro, aonde será analisado.

Leia mais sobre o assunto em: Como é feito o exame preventivo feminino?

Cuidados antes do exame

Os cuidados e orientações antes da realização do exame, são fundamentais para garantir um resultado fidedigno, por isso siga todas as recomendações. São elas:

  • Não pode manter relações sexuais no dia anterior ao exame (mesmo com camisinha);
  • Evitar o uso de duchas higiênicas, dias antes do exame;
  • Evitar medicamentos vaginais e anticoncepcionais locais nas 48 horas antes do exame;
  • Não pode estar menstruada;
  • Evitar roupas apertadas no dia anterior.

Mulheres grávidas também podem realizar o exame, sem riscos para sua saúde ou a do bebê.

Vacina contra HPV

Vale ressaltar que o Ministério da Saúde implementou no calendário vacinal, desde 2014, a vacina contra o HPV, principal fator de risco para câncer de colo de útero, para todas as meninas entre 9 e 14 anos, com objetivo de erradicar o vírus, portanto, é importante que a população se informe sobre a vacina e procure manter seu calendário vacinal e dos seus filhos, atualizado.

A vacina que foi estendida mais recentemente para meninos, de 11 a 14 anos. Ela protege contra os tipos 16 e 18 do HPV, responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero.

A vacina e a realização do exame preventivo se complementam no cuidado com a saúde da mulher.

O exame preventivo pode ser feito gratuitamente nas Unidades de Saúde da Família (USF) e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) pelos profissionais de saúde da Medicina e Enfermagem.

Tomei o Contracep pela primeira vez e me arrependi
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não existe medicamento para interromper o efeito do Contracep® ou auxiliar na gestação nesse momento. Terá mesmo que aguardar o efeito da medicação terminar, após 90 dias, e não aplicar a nova injeção.

Enquanto aguarda pelo período da medicação, pode agendar uma consulta com um obstetra, para dar início ao período de pré-natal, quando faz exames e começa a preparar o corpo da mulher para receber a gestação.

São necessários alguns exames clínicos e exames complementares, orientações nutricionais e orientações quanto aos hábitos de vida saudáveis.

Contracep®

O Contracep® é uma injeção composta por acetato de medroxiprogesterona, um anticoncepcional de longa duração, cuja concentração sanguínea aumenta com o decorrer do tempo e tem um efeito de proteção contra gravidez por até 90 dias consecutivos.

A maioria dos anticoncepcionais, seja oral ou injetável, tem um risco de desenvolver efeitos colaterais, especialmente no início do seu uso, enquanto o organismo está em fase de adaptação às dosagens de hormônios. Após 1 ou duas semanas esses sintomas já amenizam ou desaparecem completamente.

Os sintomas podem ser tontura, dores de cabeça, dores na barriga ou irregularidade na menstruação, podendo nem vir o sangramento, mas não indica gravidez. Provavelmente não está grávida, a ausência da menstruação é mais um dos efeitos colaterais esperados, para mulheres que fazem uso de anticoncepcionais injetáveis.

Quantos dias após a injeção de Contracep® já estou protegida?

Desde o primeiro dia da aplicação a medicação começa o seu efeito, atingindo a eficácia máxima a partir de 7 dias de uso. Ou seja, após 7 dias da injeção de Contracep®, o medicamento já confere proteção contra a gravidez. As relações ocorridas com 3 semanas de uso, mesmo sem proteção de camisinha, dificilmente resultarão em gravidez.

O risco de gravidez estimado para mulheres que usam o medicamento é de 0,4 a 0,6% apenas.

Atraso da menstruação

A irregularidade menstrual, como o atraso de 30 dias que ocorreu, é um efeito colateral comum da medicação, e pode ainda apresentar náuseas, tontura, dor de cabeça, edema, ganho de peso ou perda de peso e maior sensibilidade nas mamas.

Leia também: Anticoncepcional injetável tem efeitos colaterais?

Recomendamos sempre manter contato com o seu ginecologista, no caso de dúvidas quanto ao uso de anticoncepcionais, ou quanto ao desejo de engravidar brevemente, para um acompanhamento correto e orientações adequadas, sempre que necessário.

Pode lhe interessar também:

Tomei Contracep e dos meus seios sairam leite?

É normal menstruar usando a Contracep trimestral?

Dúvidas sobre Anticoncepcional Injetável

Que exames devem ser feitos pelo homem e pela mulher antes de tentar engravidar?