Perguntar
Fechar
O que pode causar hemorroida?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O desenvolvimento de hemorroidas está associado a diversas situações como:

  • Constipação crônica;
  • Esforço ao evacuar;
  • Ficar sentado por muito tempo;
  • Envelhecimento;
  • Diarreia;
  • Gravidez;
  • Tumor pélvico.

A região anal possui uma vasta musculatura responsável pelo esfíncter que controla a saída das fezes. Com o avançar da idade, esse tecido pode se afrouxar e permitir que as veias da região fiquem protusas para fora do ânus, originando a hemorroida.

Quando há excesso de esforço durante a evacuação,  essa musculatura torna-se hipertrofiada, fazendo-se uma pressão maior na região do esfíncter anal e também originando a hemorroida.   

Para evitar o aparecimento da hemorroida, é orientado a ingestão de uma dieta rica em fibras (frutas, vegetais, legumes, etc) e líquidos (água) além de atividade física regular.

Leia mais em:

Como saber se tenho hemorroida e quais são os sintomas?

Como tratar hemorroida?

O que é fissura anal e quais podem ser as causas?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Fissura anal é um rasgo na mucosa anal que ocorre devido à elevada pressão na região do ânus. Trata-se de uma ferida localizada no canal anal. Os seus principais sintomas são a dor, o sangramento e a coceira.

A fissura anal costuma ter uma profundidade média e normalmente está alinhada com o canal anal. Em geral, a fissura surge isoladamente e é posterior.

As principais causas de fissura anal estão relacionadas com prisão de ventre, endurecimento das fezes, diarreia ou inflamação do canal anal. A passagem de fezes muito duras ou com muito volume pode provocar lesões no canal anal que muitas vezes resultam em fissuras.

As causas da fissura anal incluem: passagem de fezes endurecidas, diarreia prolongada, parto vaginal, sexo anal, procedimentos cirúrgicos no ânus, doenças sexualmente transmissíveis (HIV, Sífilis, Clamídia), doença Inflamatória intestinal e doenças malignas (câncer).

A fissura anal pode ser uma condição aguda, que pode se resolver em 6 semanas com tratamento conservativo local, ou algo crônico, que pode exigir uma abordagem cirúrgica.

Quais são os sintomas de fissura anal?

O principal sintoma da fissura anal é a dor durante a evacuação. Contudo, a dor pode permanecer, mesmo após a pessoa ter evacuado. A dor pode ser causada pela própria fissura. Porém, quando a dor é muito forte, é provocada por um espasmo do músculo esfíncter anal, localizado ao redor do ânus.

O diagnóstico da fissura anal é feito através de exame proctológico. A colonoscopia também é indicada, para avaliar a existência de outras doenças. Porém, numa fase aguda, em que a pessoa pode estar com uma dor muito intensa, esses procedimentos podem não ser possíveis de serem realizados.

Qual é o tratamento para fissura anal?

As fissuras curam-se espontaneamente na maioria dos casos. Quando isso não acontece, o tratamento da fissura anal é feito com aplicação local de pomadas para aliviar a dor e os espasmos, uso de laxantes e banhos de assento com água morna. Essas formas de tratamento costumam ser suficientes para curar a fissura anal.

Quando os sintomas persistem por vários dias e o tratamento conservador não produz uma resposta satisfatória, o quadro deve ser reavaliado. Nesses casos, pode haver necessidade de cirurgia e é preciso identificar uma possível doença que possa estar na origem da fissura anal.

O objetivo do tratamento da fissura anal, a longo prazo, é controlar e prevenir a prisão de ventre.

O especialista responsável pelo diagnóstico e tratamento da fissura anal é o médico proctologista.

Estou enfrentando um desconforto com hemorroida...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Os seus sintomas estão dentro da esfera neurológica, existe o envolvimento de raízes nervosas (nervos) da região sacral (osso logo acima do ânus) uma inflamação dessa região poderia até causar os sintomas que você está sentindo, mas com certeza são sintomas estranhos e incomuns no caso de hemorroidas, você precisa voltar ao médico.

Como saber se tenho hemorroida interna ou externa?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Hemorroidas são vasos sanguíneos presentes na região anal e que, por alguma razão, tornaram-se proeminente do esfincter anal. As hemorroidas podem ser percebidas como "bolinhas" ao redor do ânus.

A diferença entre hemorroida interna e externa consiste no vaso sanguíneo afetado. A pessoa pode se auto examinar com auxílio de um espelho para olhar sua região anal e perceber as proeminências no toque e na visualização. 

O mais importante é fazer inicialmente uma consulta médica para avaliação pormenorizada e indicação do tratamento adequado. Durante o exame físico, o/a médico/a poderá analisar se a hemorroida é interna ou externa. Em alguns casos, será necessária realização de um exame mais aprofundado como a retoscopia para identificação da extensão da hemorroida.

Leia também:

Como saber se tenho hemorroida e quais são os sintomas?

Como tratar hemorroida?

Existe algo para tratar hemorroidas sem cirurgia?

Prurido anal tem cura? Como é o tratamento?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Prurido anal tem cura e o tratamento incide sobre a origem do incômodo. Após tratar ou eliminar o agente causador, a coceira no ânus tende a desaparecer. Contudo, quando o médico não encontra uma causa aparente, o tratamento torna-se mais difícil e prolongado.

Para aliviar o prurido anal, recomenda-se regular os hábitos intestinais. Para isso, é importante aumentar a ingestão de fibras e o consumo de água para favorecer o trânsito intestinal. Ao fazer menos esforço para evacuar, o risco de lesões na mucosa anal diminui.

Também é fundamental manter a região anogenital limpa e seca, evitar roupas íntimas de tecido sintético e não aplicar nenhum tipo de pomada ou medicamento sem orientação médica.

Por vezes, a coceira pode se tornar insuportável, ao ponto da pessoa arranhar o local para acabar com o desconforto. Isso deve ser evitado pois pode lesionar a mucosa e provocar uma infecção.

Para aliviar o prurido anal nessas situações, aplique uma compressa fria ou faça um banho de assento com água fria.

Seguindo o tratamento adequado, os sintomas podem ser aliviados em poucos dias. Muitos casos de prurido anal ficam completamente curados no espaço de 1 mês.

Consulte um médico de família ou clínico geral para mais orientações, em casos complicados pode ser necessário a avaliação de um proctologista.

Saiba mais em:

O que pode causar prurido anal?

Coceira no ânus, o que pode ser?

Fístula anal pode virar câncer?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Não existe uma relação direta, porém toda área do corpo exposta ao traumatismo e inflamação contínua pode ser uma área mais propensa ao desenvolvimento de câncer.

Estou com sangramento anal há três dias...
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Um sangramento volumoso e com grande perda de sangue é uma situação de emergência e deve ser tratada com prontidão. Um sangramento de pequena quantidade como o seu e por tempo mais arrastado também deve ser tratado, mas pode ser feito em acompanhamento ambulatorial ou em consulta com clínico/a geral, médico/a de família ou proctologista.

O sangramento anal pode ter várias explicações, mas está relacionado principalmente com hemorroida e fissura anal.

Deve-se diferenciar o sangramento anal do sangramento que pode ser observado nas fezes. O sangramento anal é de coloração vermelho vivo, em geral observado pela pessoa ao se limpar com papel higiênico ou mesmo no vaso sanitário. O sangramento que vem misturado com as fezes, geralmente tem uma coloração mais escurecida e apresenta outras causas que devem ser abordadas de outra forma.

As hemorroidas, vasos que se dilatam na região do ânus, podem ser escoriadas durante a passagem das fezes e, ao haver pequenas rupturas na pele anal, causa o sangramento.

Veja também:

Como saber se tenho hemorroida e quais sao os sintomas?

Uma alimentação rica em fibras e uma adequada ingestão de água pode facilitar o funcionamento do intestino e evitar fezes endurecidas que promovem o sangramento.

Procure o/a médico/a assim que possível para uma avaliação e orientação do melhor tratamento para o seu caso.

Leia também:

O que e fissura anal e quais podem ser as causas?

Relação anal, sem nenhum método anticoncepcional pode engravidar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Pode. É muito raro, mas sempre que permita uma relação sexual sem qualquer contraceptivo, existe o risco de engravidar.

Na relação anal o esperma percorre outro trajeto, sem ligação com a vagina e consequentemente com o útero, por isso teoricamente não existira a possibilidade de gestação, porém a vagina e o ânus guardam uma proximidade anatômica, que muitas vezes possibilita esse contato. Mais uma vez, essa é uma possibilidade muito pequena, mas não podemos dizer com certeza que está descartada.

Vale lembrar que toda relação anal deve ser protegida por uso de camisinhas devido se tratar de uma área com elevado risco de infecção e ou contaminação para ambas as partes. E caso não seja utilizado a camisinha, para trocar o tipo de relação o pênis deve ser devidamente higienizado.

Outro ponto importante, é lembrar que além da gravidez, o sexo desprotegido é a principal causa de transmissão das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), como HIV, sífilis, herpes, entre outras; na população sexualmente ativa. O uso de preservativos, como a camisinha, é a grande ferramenta que dispomos para evitar a contaminação pelas DST, portanto é fundamental criar o hábito de se proteger fazendo uso de preservativo em todas as relações.

Em casos de dúvidas sobre relação sexual e contraceptivos, o ginecologista é o profissional indicado para orientar e esclarecer quaisquer dúvidas.

Pode lhe interessar também:

Fístula anal se dá pela pratica do sexo anal? Só cura através de cirurgia? Pode se transformar em algo mais sério?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Quem cuida dessa área é o Proctologista. Não sei se sexo anal causa fístula anal, acredito que não, senão haveria muito mais fístula anal do que encontramos na prática diária do consultório. O tratamento da fístula anal é na maioria das vezes feito por cirurgia. Fístula anal pode se transformar em uma fístula anal pior e mais incômoda, mas não vira câncer (acho que essa é sua dúvida).

Eu tive algo que acredito ser uma fístula anal, mas que já cicatrizou. Ainda devo procurar um médico?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Deve procurar o médico sim para os seus exames anuais de rotina, mas em relação ao que teve no ânus, pode optar por comentar isso com seu médico, quando fizer seu próximo preventivo e ele pode dar uma olhada.

Meu marido fez uma cirurgia de fissura anal há 40 dias...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Ele precisa ir ao médico, provavelmente precisa fazer uma colonoscopia para saber a causa do sangramento. O estado geral debilitado tem origem no mesmo problema que está causando o sangramento.

Gostaria de saber mais sobre fístula anal, o que pode ter causado? Pode tratar com medicamentos ou é preciso cirurgia?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Fístula anal, ou perianal, na grande maioria das vezes é causada por um abscesso.

O abscesso é uma coleção de pus (células mortas) que forma uma cavidade e precisa ser tratado por drenagem cirúrgica e antibióticos.

Após a drenagem, essa cavidade pode resultar numa espécie de canal que comunica dois órgãos. Esse canal é denominado fístula e o tratamento quase sempre é cirúrgico.

Causas de Fístula anal / perianal

Mais raramente, a fístula anal pode ser causada por outras doenças como:

  • Doença de Crohn
  • Tuberculose
  • Tumores
  • Diverticulite
  • Câncer anal ou retal
  • Infecção sexualmente transmissível (sífilis, linfogranuloma venéreo)
  • Traumas
  • Pós-operatório
Tipos de fístulas

As fístulas podem ser classificadas de acordo com a sua localização, suas características ou gravidade.

Pela localizada, são descritas como fístulas anais (localizadas no ânus), vesico-vaginal (comunica a bexiga com a vagina) e fístulas arteriovenosas (comunica uma artéria e uma veia).

Seguindo as suas características, podem ser fístulas superficiais ou profundas; e quanto a sua gravidade, simples ou complexas.

A identificação dos tipos de fístulas, auxiliam na definição do melhor tratamento.

Tratamento da fístula anal

O tratamento quase sempre é cirúrgico, com os objetivos de fechar esse canal anormal e mantendo a função do esfincter anal. A fístula perianal favorece a formação de nova infecção, além de causar dor e dificuldade na evacuação.

Para as fístulas mais superficiais e simples, pode ser optado tratamento por endoscopia, uso de cola de fibrina, fistulotomia ou fistulectomia.

Para os casos mais profundos ou complexos, com comprometimento do músculo do esfincter, pode ser preciso realizar mais de uma cirurgia, com intervalo de 2 a 4 meses entre elas e a técnica de retalho ou fio cirúrgico.

A complicação mais temida para esse tratamento é a incontinência fecal, pelo comprometimento do esfincter.

O que é uma fístula?

A fístula é um trajeto anormal ou "caminho" anormal, que comunica dois órgãos.

Podem ocorrer em qualquer lugar do corpo, mas as mais comuns são as fístulas anais, vesico-vaginal (entre a bexiga e a vagina) e a arteriovenosa (entre uma artéria e uma veia).

A fístula vesico-vaginal, pode ocorrer após uma cirurgia de cesariana, ou cirurgias urológicas. A fístula arteriovenosa é formada pelo cirurgião, para determinados tratamentos, como a diálise.

Doenças crônicas também podem provocar a formação de fístulas, por exemplo, a doença de Crohn.

As letras A, B e C, são exemplos de fístulas formadas na região subcutânea, ao redor do ânus. Fístula anal em bebês

Nos bebês pode haver a formação de fístulas, geralmente é uma doença congênita e mais comum nos meninos.

Saiba mais sobre o tratamento da fístula anal no seguinte artigo: Fístula anal: como é a cirurgia e o tratamento?

Referência:

  • Portal da proctologia
  • Jon D Vogel, et al.; Anorectal fistula: Clinical manifestations, diagnosis, and management principles. UpToDate, Jan 07, 2020.
  • Elsa Limura, Pasquale Giordano. Modern management of anal fistula. World J Gastroenterol 2015 January 7; 21(1): 12-20.