Perguntar
Fechar
Como funciona a pílula do dia seguinte?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

A "pílula do dia seguinte" é um método anticoncepcional de emergência que age de várias formas para impedir a gestação, em situações de emergência (estupro, falha da camisinha, expulsão do DIU, deslocamento do diafragma, eventual relação sem proteção, etc). Idealmente, deve-se utilizar outros métodos contraceptivos muito mais seguros e eficazes, como por exemplo a pílula anticoncepcional comum associada ao uso de camisinha). O remédio pode agir antes ou depois da fecundação (quando um espermatozoide fecunda o óvulo). A mulher só é considerada grávida quando além da fecundação ocorre a nidação do óvulo fecundado no endométrio (parede uterina), que a partir desse momento é chamado de embrião.

O funcionamento da pílula do dia seguinte depende da fase do ciclo menstrual em que a mulher está: Se a mulher ainda não tiver ovulado, o medicamento inibe a ovulação (impede a liberação do óvulo). Se a ovulação já tiver ocorrido, a pílula age de outra forma: altera a composição da secreção vaginal, agindo no muco cervical e endométrio, tornando o ambiente hostil para os espermatozoides, que morrem antes de conseguirem chegar às tubas uterinas (onde fecundariam o óvulo). Ainda que ocorra a fecundação, se ainda não houve a nidação, a pílula consegue interferir no processo: altera o endométrio (camada interna do útero), impedindo a fixação do óvulo fecundado. Após a nidação, a eficácia da pílula é nula.

A eficácia deste medicamento é maior quando a primeira dose é tomada até 72 horas após a relação: nas primeiras 24 horas, sua eficácia chega a 95%. Depois de 48 horas, cai para 85% e após 72 horas, apenas 58%. A segunda pílula deve ser tomada doze horas após a ingestão da primeira, e não devem ser ingeridos mais do que estes dois comprimidos.

Nestes casos, um médico, preferencialmente um ginecologista, deverá ser consultado para prescrição do medicamento e avaliação correta, caso a caso.

Relação sexual sem proteção: quais os riscos?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Quando é praticada uma relação sexual sem proteção (especificamente sem camisinha - seja porque rasgou ou porque não foi usada na relação), existe o risco de ocorrer:

  • Gravidez não planejada;
  • Infecções por doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

A camisinha (especialmente a masculina) é um excelente método de barreira contra agentes infecciosos de doenças sexualmente transmissíveis. Embora não seja 100% eficiente, pode chegar a um valor muito próximo disto para a maioria das doenças e também para a prevenção da gravidez.

Depois da prática sexual desprotegida, podem ser tomadas algumas medidas de prevenção em alguns casos particulares. Isso inclui, em relação ao HIV, o uso de medicamentos específicos até no máximo 72 horas após o contato sexual. Esses casos devem ser avaliados de acordo com determinados critérios, sendo assim, a pessoa deve se dirigir aos Serviços Ambulatoriais de Atenção Especializada em HIV e AIDS (SAE) ou aos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA). Os endereços desses serviços em cada região podem ser encontrados no site do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde ou na página de serviços da Agência de Notícias da AIDS.

No que refere à prevenção da gravidez após relação sem proteção, existe a possibilidade do uso da "pílula do dia seguinte", método anticoncepcional de emergência que age de várias formas para impedir a gestação, em situações de emergência (estupro, falha da camisinha, expulsão do DIU, deslocamento do diafragma, a já citada eventual relação sem proteção, etc). Idealmente, deve-se utilizar outros métodos contraceptivos seguros e eficazes a longo prazo.

Leia mais em:

Pílula do dia seguinte causa aborto?

Como saber se a pílula do dia seguinte funcionou?

e tomar a pílula do dia seguinte muitas vezes, ela perde o efeito?

A eficácia deste medicamento é maior quando é tomado até 72 horas após a relação: nas primeiras 24 horas, sua eficácia chega a 95%. Depois de 48 horas, cai para 85% e após 72 horas, apenas 58%.

Portanto, para realizar uma relação sexual sem riscos, a pessoa deve se proteger utilizando, principalmente, o preservativo(camisinha) feminino ou masculino.

Tive relação sem proteção e usei a pílula do dia seguinte, há algum risco de gravidez?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O simples fato de usar a pílula do dia seguinte já é um risco para gravidez, já que ela não é 100% eficiente, e tomando de forma não correta diminui ainda mais sua eficiência limitada. O risco de gravidez existe, mas é baixo no seu caso.

Tivemos uma relação sem proteção e ela usou a PDS...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pelo que contou os sintomas que ela teve e esse sangramento são decorrentes da pílula do dia seguinte, porém a possibilidade ou não de gravidez depende do período do ciclo menstrual que ela estava, então se estava no meio do ciclo as chances de engravidar são maiores. Agora tudo depende do que vai acontecer (por exemplo: se a menstruação atrasar mais que 15 dias deve fazer o exame de gravidez).

Uma semana antes de menstruar corre risco de engravidar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O risco de engravidar uma semana antes de menstruar é pequeno, porém depende principalmente de como funciona o seu ciclo hormonal. Mulheres com ciclo menstrual regular, entre 28  e 30 dias, todos os meses, dificilmente engravidam nessa fase, pois a ovulação já ocorreu no meio do ciclo. Entretanto grande parte das mulheres apresentam ciclos irregulares em algum momento da vida, seja por fatores ambientais, emocionais, ou a necessidade de fazer uso de algum medicamento que interfira no sistema hormonal.

Portanto a única forma de realmente não correr o risco de engravidar, é fazendo uso de algum método contraceptivo, como uso de pílula anticoncepcional e ou preservativos.

O/a médico/a de família, clínico/a geral ou ginecologista poderá esclarecer melhor as suas dúvidas e indicar um método contraceptivo seguro.

Saiba mais em: 

Preciso saber que dia engravidei?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Qualquer um desses dias é possível ter ocorrido uma gravidez, sendo dia 25 o mais provável.

Contando que o seu ciclo seja regular de 28 dias, ou seja, a menstruação acontece a cada 28 dias, o período mais provável para engravidar seria do dia 18 ao dia 24 de Outubro.

No caso de ciclo menstrual de 30 dias, os dias mais prováveis seriam entre dia 19 e 25 de Outubro. Por isso podemos dizer que o dia 25 parece o mais provável, embora qualquer um dos 3 dias sejam possíveis.

Como saber que dia engravidei?

O dia mais provável de se engravidar é chamado dia fértil, o dia do meio do ciclo menstrual. Mulheres com ciclo de 28 dias, tem o 14º dia como o dia mais fértil, já nos ciclos de 30 dias, seria o 15º dia.

Isso porque durante o mês, ocorrem alterações hormonais no organismo da mulher, com intuito de preparar para uma gravidez. Primeiro o óvulo é estimulado para ser liberado na trompa, após a ovulação, que ocorre no meio do mês.

O organismo funcionando adequadamente, sem ação de medicamentos ou outros problemas hormonais, permite que no meio do mês aconteça o pico do LH (hormônio luteinizante), responsável pela liberação desse óvulo preparado, na trompa de um dos lados. O óvulo segue a caminho do útero.

Se houver relação sem proteção e o espermatozoide encontrar o óvulo e fecundá-lo, pode haver a gestação. Em média, o espermatozoide leva 3 a 5 dias para encontrar o óvulo.

Sendo assim, muitos fatores interferem na definição dessa data. Quando o óvulo foi liberado, quanto tempo após a relação o espermatozoide encontrou o óvulo, e quando foi implantado no útero.

Portanto, podemos estimar a data, mas saber com certeza nem sempre é possível.

Para maiores esclarecimentos converse com o seu ginecologista.

Saiba mais sobre como calcular o período fértil nos artigos:

Referência:

FEBRASGO - Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.

Esqueci de tomar o anticoncepcional 2 dias posso engravidar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Pode sim, as chances são pequenas, mas pode acontecer.

Sempre que esquecer de tomar uma pílula, a mulher deverá evitar relações ou fazer uso de outro método de barreira, como o uso da camisinha, especialmente se estiver no período fértil.

Saiba mais no link: Como calcular o Período Fértil?

Outra opção, seria o uso do contraceptivo de emergência, a pílula do dia seguinte, que deve ser tomado dentro das primeiras 72 h após a relação, o mais cedo possível. Quanto antes tomar a pílula, menor é a chance de gravidez.

Leia também: A pílula do dia seguinte faz efeito depois de 2 dias?

O que fazer quando esquecer de tomar a pílula?

Se o esquecimento for menor do que 12h, não há o que se preocupar. Os níveis da medicação no sangue continuam adequados, por isso basta tomar assim que se lembrar, e a próxima no horário habitual, dando seguimento na cartela.

Caso ultrapasse 12 h, as orientações variam conforme o número de dias que esqueceu a pílula e em qual semana se encontra na cartela (para a maioria dos anticoncepcionais):

  • 1 pílula, mais de 12h - Quando a mulher esquecer de tomar apenas uma pílula, um dia sem a medicação, a recomendação é de tomar a pílula assim que se lembre, e depois continuar a cartela como de costume. Entretanto, deverá acrescentar um método de barreira, como a camisinha, para manter relações, por pelo menos 7 dias. Até que os níveis da medicação no sangue estejam novamente adequados para a prevenção da gestação.
  • 2 dias ou mais - Quando esquece de duas ou mais pílulas, as orientações se baseiam na fase do ciclo menstrual em que se encontrava.
    • Na primeira semana da cartela o risco de gravidez é maior! A orientação, portanto, é para manter o uso normal da pílula, tomar logo que lembrar e seguir a cartela, porém deverá fazer uso de mais um método de barreira por pelo menos 7 dias.
    • Na segunda e terceira semanas, costuma ser indicado parar a medicação, usar outro método contraceptivo e aguardar a próxima menstruação para recomeçar em nova cartela.

Vale lembrar que sempre que houver relação sem proteção, ou esquecimento da pílula, é fundamental acrescentar mais um método de contraceptivo, seja de barreira ou de emergência, para evitar uma gravidez não planejada.

Para mais esclarecimentos fale com seu/sua médico/a ginecologista.

Pode lhe interessar também: Tem algum problema não tomar anticoncepcional na hora certa?

Dor de cabeça, enjoo pela manhã e corrimento marrom...
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim, pode ser gravidez. Principalmente se a menstruação estiver atrasada, caso contrário, é menos provável que seja.

O sangramento descrito pode estar relacionado ainda com adaptação hormonal no organismo, comum nos casos de uso de anticoncepcionais de longa duração ou injetáveis. Inclusive mulheres fumantes estão mais susceptíveis a esse tipo de sangramento, conhecido por sangramento de escape ou "spotting".

Saiba mais em: Sangramento de escape pode ser considerado menstruação?

Alguns fatores precisam ser levados em conta para pensar em uma possível gravidez: Primeiro, se houve relação desprotegida, depois se faz uso de anticoncepcional e porventura tenha esquecido algum comprimido, e por fim, se a menstruação está atrasada.

A coloração marrom em pequena quantidade pode ser o início de um ciclo menstrual normal em mulheres que fazem uso de anticoncepcionais, porém a dor de cabeça pela manhã e enjoos há 3 dias pode estar relacionada aos primeiros sintomas de uma gravidez.

Leia também: Os 7 primeiros sintomas de gravidez: descubra se você está grávida

Relação sem proteção

Sempre que ocorre uma relação sexual sem uso de contraceptivos, seja anticoncepcional ou de barreira, como a camisinha, existe o risco de gravidez. Quanto mais próximo do período fértil, maior a possibilidade.

Leia sobre o assunto no link: Como calcular o Período Fértil?

Faz uso de algum contraceptivo

No caso de fazer uso regular de algum anticoncepcional, de forma correta, há mais de um mês, a possibilidade de gravidez é muito pequena. A eficácia das medicações atualmente chega a 99%, por isso, se fizer uso regular é extremamente raro que aconteça.

Isso tanto para anticoncepcionais orais, como injetáveis, DIU ou contraceptivos de barreira.

Lembrando que os contraceptivos de barreira, como a camisinha, são os únicos que impedem além da gravidez, a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis, como a Aids, a sífilis e a gonorreia.

A menstruação está atrasada?

A menstruação atrasada costuma ser o primeiro sinal de gravidez. Para algumas mulheres que tem os ciclos irregulares pode ser mais difícil de avaliar esse dado, e por isso percebem sintomas como enjoo e sonolência inicialmente, mas na maioria das mulheres o primeiro sinal é o atraso menstrual.

E o cigarro..

Vale ressaltar que o uso crônico de cigarro está associado a diversas doenças graves, como aumento do risco de câncer (em diferentes órgãos), endometriose, acidente vascular cerebral, trombose, doença pulmonar crônica, entre tantas outras, as quais podem levar a inicialmente apenas aos sintomas descritos.

No seu caso, recomendamos que procure um médico clínico geral, médico da família ou ginecologista para um exame clínico e avaliação de todos esses fatores. Só assim poderá definir a causa desses sintomas e tratamento adequado.

Ciprofloxacino pode alterar o ciclo menstrual?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não. A ciprofloxacino é um antibiótico que não interfere no ciclo menstrual, ou seja, o antibiótico não tem relação com atraso da menstruação.

No entanto, a ciprofloxacina é um remédio indicado para infecções, que podem ser a causa do atraso, como uma infecção urinária ou doença inflamatória pélvica (DIP), por exemplo.

Assim, a causa do atraso pode ser o processo infeccioso que está ativo e não a medicação em uso.

O que pode causar atraso na menstruação?
  • Gravidez
  • Infecções
  • Viroses
  • Estresse
  • Exercício físico extenuante
  • Dietas restritivas
  • Uso de medicamentos (rifampicina, corticoides, antipsicóticos, antidepressivos e benzodiazepínicos, quando usados por tempo prolongado).

Embora a gravidez seja a principal causa de um atraso menstrual, existem inúmeras outras causas que devem ser investigadas. Os antibióticos raramente interferem no ciclo menstrual, mas uma das exceções é a rifampicina.

Por todo o descrito, recomendamos que sempre informe ao médico, todos os medicamentos que faz uso, mesmo que não seja de forma regular, para evitar a interação de medicamentos e problemas de efeitos colaterais.

O que fazer no caso de atraso da menstruação?

No caso de atraso menstrual por mais de 15 dias, independente do uso de medicamentos, o recomendado é que realize um teste de farmácia ou exame de sangue, para descartar a gravidez, especialmente se houve relação sem proteção nesse período.

Vale ressaltar que para ser considerado atraso menstrual, a menstruação deve estar ao menos 15 dias atrasada. Antes disso, não é considerado um atraso.

Para mulheres que fazem uso regular de anticoncepcionais, um atraso de poucos dias, que chamamos de irregularidade menstrual, é um efeito colateral comum da medicação, e não deve causar maiores preocupações.

Posso tomar antibióticos durante a menstruação?

Sim. Os antibióticos podem ser usados no período menstrual, desde que seja prescrito pelo médico. O cloridrato de ciprofloxacina ou de norfloxacina não cortam a eficácia dos anticoncepcionais e nem interfere no ciclo menstrual. Assim como a maioria dos antibióticos do mercado.

A rifampicina é um dos raros casos de redução da ação dos anticoncepcionais. Se houver indicação de usar a rifampicina, converse com o seu médico e faça uso de mais um contraceptivo, de barreira como a camisinha, durante o período de tratamento, para evitar uma gravidez não planejada.

Saiba mais sobre esse assunto nos artigos:

Referência:

FEBRASGO - Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.

Tive relação menstruada e ela parou. Posso estar grávida?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Se teve relação sexual menstruada e ela parou, é um sinal de que o seu período menstrual chegou ao fim. Não é nenhum sintoma de que você está grávida. Fazer sexo menstruada não interrompe a menstruação, mesmo que a relação tenha originado uma eventual gravidez. Pelo contrário, a estimulação durante o ato pode gerar contrações uterinas que expulsam o sangue do útero, podendo aumentar o sangramento.

Além disso, quando a mulher está menstruada, é um sinal de que o óvulo não foi fecundado. Esse óvulo é liberado cerca de 14 dias antes do 1º dia de menstruação, se você tiver um ciclo de 28 dias. Isso significa que, no caso de haver relação sexual durante a menstruação, não haverá óvulo para ser fecundado pelo espermatozoide.

Se for esse o seu caso, é impossível estar grávida. Porém, 28 dias é a duração média dos ciclos, que podem ter duração mais curta, de 21 dias, ou mais longa, de até 35 dias. Se o seu ciclo for de 21 dias, você pode engravidar se tiver relação sexual menstruada.

Ter relação menstruada engravida?

A mulher que tem relação sexual menstruada dificilmente engravida. Aliás, é muito difícil engravidar durante a menstruação, pois esse é o período do mês que está mais distante do dia da ovulação. Contudo, se você tiver um ciclo menstrual curto e um período menstrual longo, a chance de gravidez existe. Por isso, embora seja muito improvável, não é impossível.

A maioria das mulheres tem um ciclo menstrual de 28 dias, em média. Cada ciclo começa no 1º dia de menstruação e termina no dia anterior à vinda do próximo período. A ovulação ocorre em torno do meio do ciclo. Nesse caso, no 14º dia. Esse é o dia mais fértil e, portanto, com maior probabilidade de engravidar.

Porém, o espermatozoide pode permanecer vivo no corpo da mulher durante 72 horas. Por isso, o período fértil começa 3 dias antes e termina 3 dias depois do dia da ovulação. Portanto, o período fértil num ciclo de 28 dias vai do 11º ao 17º dia. Esse é período do mês que pode ocorrer uma gravidez se tiver relações sexuais sem usar método anticoncepcional.

Veja também: Como calcular o Período Fértil?

Assim, se o seu ciclo for de 28 dias, o seu período fértil só começa 11 dias depois do 1º dia de menstruação. Tendo em conta que o período menstrual, em condições normais, dura no máximo 7 dias, seria impossível, nesse caso, estar grávida, mesmo que tenha tido relação sexual no último dia de menstruação.

Quando é possível engravidar se tiver relação menstruada?

A duração média do ciclo menstrual é de 28 dias. Contudo, é importante lembrar que ciclos menstruais com duração de 21 a 35 dias são considerados normais.

Assim, se uma mulher tem um ciclo de 21 dias, o seu dia mais fértil seria o 10º ou 11º dia do ciclo. O período fértil nesses casos iria do 7º ao 14º dia. Nesse caso, se houver relação sexual no último dia de menstruação (considerando um período menstrual de 7 dias), a mulher já está no seu período fértil, pois seria o 7º dia.

Portanto, é possível engravidar menstruada se você tiver um ciclo menstrual de 21 dias ou menos e o seu período menstrual tiver duração de 7 dias ou mais. Quanto mais próxima do fim da menstruação ocorrer a relação sexual, maiores são as chances de gravidez.

O que deve fazer é esperar pela próxima menstruação. Se ela atrasar uma semana da data prevista, faça um teste de gravidez.

Para maiores esclarecimentos, consulte o/a médico de família, clínico/a geral ou ginecologista.

Saiba mais em:

É possível engravidar menstruada?

Tive relação sexual no 1° dia menstruação, posso engravidar?

É possível engravidar tendo relação sexual uma noite antes da menstruação?

Corro risco de engravidar fora do meu período fértil?

Menstruei e 10 dias depois tive relação e não usamos camisinha, posso engravidar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim, você pode engravidar, porque está próximo do período fértil. O período de maior risco para que aconteça a gravidez.

Para evitar a gravidez, nos casos de falha nos métodos contraceptivos, pode fazer uso da pílula do dia seguinte, em até 5 dias após a relação desprotegida. Por exemplo, no caso de esquecer de tomar uma pílula ou quando a camisinha rompe durante a relação.

Importante lembrar que a eficácia do remédio é maior quanto antes tomar a pílula, de preferência nas primeiras 24 horas após a relação. De qualquer forma, existem pílulas do dia seguinte que pode ser tomada em até 3 dias após a relação, e pílulas mais novas, que conferem proteção, em até 5 dias.

A opção desse método deve ser sempre como método de emergência. O uso repetido da pílula do dia seguinte pode causar sérios danos a saúde, com trombose ou hemorragias.

Quando usar a pílula do dia seguinte?

A recomendação é que tome a pílula nas primeiras 24 horas após a relação, quando é garantido a proteção contra gravidez, em mais de 95%. Após 24 horas essa resposta já é menor, e após 72 horas o risco de falha é de quase 50%.

De qualquer forma, para evitar a gravidez não planejada, pode sim tomar o remédio dentro de 5 dias após a relação, dependendo da pílula e conversar com seu médico para receber as orientações e acompanhamento necessários.

O que é o período fértil?

O período fértil é a semana na qual se espera que um dos ovários da mulher, libere um óvulo maduro para a trompa, por isso, tem a maior probabilidade de engravidar.

Se houver relação, esse óvulo pode encontrar um espermatozoide e darem origem a gestação.

Como calcular o período fértil?

O período fértil é calculado pelo último dia da menstruação. Não é um cálculo de grande precisão, especialmente para mulheres com ciclo irregular, por isso o método de contracepção através da tabelinha não é tão confiável.

Para as mulheres que tem o ciclo menstrual regular, o cálculo é simples, basta calcular o dia do meio do ciclo e então somar 3 dias antes e 3 dias após o dia do meio. Por exemplo, mulheres com ciclos de 28 dias:

O dia mais fértil é o 14º dia. Somando os 3 dias antes e depois, o período se inicia no 11º dia e termina no 17º dia. Então, a semana mais fértil, será do 11º ao 17º dia do ciclo.

Colocando em números. A mulher que menstrua a cada 28 dias, teve seu primeiro dia em 05 de janeiro.

O dia mais fértil será o dia = 5 + 14 = 19 de janeiro

O período féritl será = 19 - 3 (16) e 19 +3 (22) = 16 a 22 de janeiro

Para mulheres com ciclo irregular, esse cálculo deve ser feito anotando os últimos 6 ciclos e depois subtrai o número 18 do menor ciclo, e 8 do maior ciclo.

Lembrando que para os ciclos irregulares, o cálculo é ainda menos confiável.

Essa estimativa de dias mais prováveis para engravidar podem variar ainda, de acordo com os níveis hormonais da mulher e condições de saúde.

Vemos assim, que uma relação sem proteção após 10 dias da menstruação, chega exatamente no período fértil, da maioria das mulheres, o décimo primeiro dia. Por isso podemos dizer que existe um risco elevado de engravidar nesse período.

Entenda melhor sobre o cálculo do período fértil nas mulheres que não tem o ciclo regular, no seguinte artigo: Cálculo do período fértil vale para ciclo irregular?

Referência:

FEBRASGO - Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.

Tive relação e depois tomei logo banho e limpei, tem como engravidar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim. Depois que ocorre a penetração e ejaculação dentro da vagina o risco de engravidar é alto, mesmo que haja a tentativa de lavar em seguida. 

O risco passa a ser maior nos casos de não fazer uso de contraceptivos, como os anticoncepcionais; no caso de estar no período fértil e por fim, dependendo da sua fisiologia normal, do seu organismo em gerar uma gravidez com esse evento apenas.

Existem formas de evitar a gravidez indesejada, em té 72 h após a relação sexual desprotegida, por exemplo com o uso do contraceptivo de emergência. Porém o mais adequado é que agende uma consulta com médico ginecologista para avaliar o seu caso e dar as devidas orientações.

Lembrando que o uso de preservativos, como a camisinha, não só impede uma gestação não planejada, como também, a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), tão comuns na população sexualmente ativa, e facilmente evitável, bastando se proteger durante todas as relações sexuais. 

Saiba mais sobre esses assuntos nos links abaixo: