Perguntar
Fechar
O exame de ultrassom pode errar a data das semanas de gestação?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

"Errar" não é uma palavra para ser usada neste caso porque o ultrassom não é um exame exato, depende muito da experiência do médico que faz o exame. 10 ultrassom feitos por 10 pessoas diferentes pode dar 10 datas diferentes para a sua gestação.

Grávida de 16 semanas, ultrassom já dá para ver o sexo?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim. A partir da 13ª semana de gestação já é possível saber o sexo do bebê pela ultrassonografia; entretanto essa estimativa pode variar de acordo com a posição do bebê e também de acordo com a implantação da placenta da mãe.

A data ideal e mais segura para essa avaliação médica, se dá a partir da 15ª a 16ª semana de gestação.

Existem hoje métodos mais modernos, também seguros, para avaliação do sexo do bebê desde a 8ª semana de gestação, porém são métodos de custo elevado e que não estão disponibilizados na rede pública de saúde.

Saiba mais sobre esse assunto nos links abaixo:

Com quantas semanas é possível saber o sexo do bebê?

Com quantas semanas dá para ver o bebê no ultrassom?

Com quantas semanas é possível ouvir o coração do bebê?

Na gravidez, quando é possível ouvir o coração do bebê?

Sem atraso posso fazer ultrassom para ver se estou grávida?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Ultrassom não mostra nada nas 5 primeiras semanas de gravidez.

Espere o dia da sua menstruação se ela não descer você faz um exame de gravidez e se der positivo aí sim vai se preocupar com o restante.

Ansiedade para engravidar é prejudicial, a mulher precisar estar tranquila, senão as coisas não acontecem.

Virgem pode fazer ultrassom transvaginal?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Não é recomendado a realização do ultrassom transvaginal em mulher virgem.

Para mulher virgem, é indicada a ultrassonografia abdominal.

A ultrassonografia transvaginal não é o exame indicado para avaliação ginecológica em pacientes virgens. Quando for necessária uma avaliação das estruturas e órgãos pélvicos, o/a médico/a pode solicitar o ultrassom abdominal para as mulheres virgens. Esse exame também é capaz de demonstrar as estruturas como o útero, ovários, trompas, presença de massa pélvica, etc.

A perda da virgindade é associada ao rompimento do hímen durante a primeira relação sexual. Durante o ultrassom transvaginal, o/a médico/a introduz o aparelho na vagina da paciente e, caso tenha o hímen intacto, pode causar ruptura dessa membrana.  Por isso, não é recomendado a realização da ultrassonografia transvaginal em mulheres virgens.

Caso a mulher seja virgem, é importante informar para o/a profissional de saúde que poderá solicitar outros exames no lugar da ultrassonografia transvaginal.

Um nódulo na mama: devo fazer outro ultrassom?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O ultrassom só vai mostrar o que realmente existe em sua mama, dificilmente um novo nódulo vai surgir em tão pouco tempo.

O que é hipertrofia da coluna de bertin?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A hipertrofia na Coluna de Bertin é uma variação anatômica e geralmente não está associada a nenhum problema.

Coluna de Bertin

A coluna de Bertin, ou coluna renal, é uma área do córtex renal, localizada entre duas pirâmides renais. Em média, 20% da população apresenta hipertrofia, ou seja, aumento da coluna de Bertin, apenas como variante anatômica, sem que represente um problema renal.

Entretanto, nos exames de imagem, essa hipertrofia se assemelha a imagem de uma tumoração verdadeira, por isso a preocupação em sinalizar essa variação anatômica e por vezes, repetir ou acompanhar a imagem, para confirmação diagnóstica.

Tumor de córtex renal

Nos casos de tumores de córtex renal, as imagens apresentam hipertrofia e mais algumas características sugestivas de lesão complexa, aquelas com maior risco de evoluir para câncer. Como imagem cística, paredes mais espessas, bordos irregulares, presença de septos e calcificações ou conteúdo sólido em seu interior. Além da imagem típica, o paciente costuma apresentar queixa de dores, perda de peso ou fadiga crônica, embora mais comum nos casos avançados.

Na suspeita de tumor ou cisto complexo, a opção de tratamento deve ser a retirada cirúrgica e avaliação histológica.

O exame de imagem mais fidedigno é a tomografia computadorizada.

Portanto, a hipertrofia da coluna de Bertin, não significa uma doença ou qualquer problema renal, porém em alguns casos a tomografia deverá complementar a investigação.

O médico que pediu o exame é o responsável por definir os próximos passos. Leve o exame para que seja avaliado esse resultado junto ao seu exame clínico e demais exames que tenha solicitado, afim de dar sequência ao seu acompanhamento e orientações.

Pode lhe interessar também: Hipertrofia Coluna de Bertin e bifidez renal tem que operar?

Posso fazer ultrassom transvaginal estando com sangramento?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Precisa fazer essa pergunta para o serviço de ultrassonografia que vai fazer seu exame, do ponto de vista médico você pode fazer o exame mesmo com sangramento, porém algumas clínicas não realizam o exame se estiver com sangramento.

O que significa útero em AVF?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

AVF é a abreviação da posição anatômica do útero em relação ao corpo. Nesse caso significa ânteroversoflexão, ou apenas anteroversão.

Quais são as variações de posição do útero?

As variações de posição são:

  • Anteroversão
  • Medioversão e
  • Retroversão.

A anteroversão é a variação anatômica do útero mais encontrada, caracterizada pela posição do órgão voltada para frente, como se o útero estivesse "dobrado" na direção anterior do corpo.

Na medioversão o útero se encontra na posição mediana do corpo, situado dentro da bacia. Posição mais comum nas mulheres de meia idade e na menopausa.

A retroversão, útero retrovertido ou popularmente conhecido por útero "invertido", é a posição em que se encontra voltado para trás. Variação menos comum, costuma representar pouco mais do que 5% das mulheres.

Todas as três variações são consideradas normais, embora a retroversão esteja mais associada a casos de infertilidade, quando a posição é ocasionada por processos inflamatórios, como as doenças inflamatórias pélvicas (DIPs).

Importância de avaliar a posição do útero nos exames

A indicação e importância da avaliação da posição do útero, se dá especialmente quando a mulher apresenta queixas como dor pélvica intermitente, cólicas durante o período menstrual, dor na relação sexual, ou ainda infertilidade.

A posição de retroversão, sobretudo, está relacionada a casos de dor crônica, cólicas menstruais de difícil tratamento e infertilidade. E nesses casos, pode estar indicada a abordagem cirúrgica para correção da posição ou cicatrizes que possam existir naquela localização.

Nos demais casos não há indicação de abordagem, como no seu caso de AVF.

Leia também: Quem tem útero retrovertido pode engravidar?

Portanto, se seu exame apresentou como resultado o útero em AVF, significa que está normal. Contudo, é importante que leve o resultado para demais esclarecimentos.

Se fizer ultrassom não preciso fazer Papanicolau?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O exame Papanicolau (Preventivo) e a ultrassonografia possuem funções diferentes e podem se complementar.

O exame preventivo é realizado com objetivo de identificar alterações nas células do colo do útero e vagina para detectar precocemente lesões ou doenças como câncer do colo do útero. O exame é feito com a raspagem superficial de secreções vaginais e do colo do útero que o/a profissional coloca em uma lâmina. Essa lâmina irá para avaliação em laboratório e após alguns dias o resultado é acessível.

A ultrassonografia transvaginal serve para avaliar órgãos e estruturas pélvicas da mulher como útero, endométrio, ovários, trompas uterinas, etc. É um exame de imagem em que, através de um aparelho, o/a médico/a visualiza de imediato normalidades ou possíveis alterações nessa região.

Por essa razão, os dois exames são diferentes e servem para propósitos distintos. A mulher deve realizar os dois se forem pedidos separadamente. O resultado dos exames podem complementar a decisão clínica do/a médico/a.

Leia também:

Existe diferença entre Papanicolau e preventivo?

Qual a diferença de fazer o preventivo e a transvaginal?

Ultrassom transvaginal mostrou cistos nos ovários, é grave?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A presença de cistos nos ovários não é necessariamente uma condição grave de saúde.

Cistos nos ovários e uma situação frequente na maioria das mulheres.Esses cistos surgem porque o folículo que se desenvolve dentro do ovário não cresce o suficiente para se transformar em óvulo, ser expulso do ovário e desencadear a ovulação. Dessa forma, os folículos vão se acumulando no ovário na forma de cisto.

A presença de cistos nos ovários pode ser uma condição benigna que não apresenta riscos para a mulher. Isso dependerá de como o cisto se apresenta, se há ruptura ou torção e se, em consequência disso, há algum sintoma preocupante como dores em baixo ventre, sangramento vaginal intenso, febre, etc.

Quando os ovários com policistos são associados a um conjunto de outros sinais e sintomas, a mulher pode manifestar a Síndrome dos Ovários Policísticos. 

As mulheres com Síndrome dos Ovários Policísticos podem ter dificuldade de engravidar pois apresentam o ciclo menstrual irregular.

É fundamental que todo exame seja mostrado para o/a profissional de saúde que o solicitou para fazer uma análise completa do caso e correlacionar com os aspectos clínicos do/a paciente. 

Mulher com suspeita de gravidez pode fazer exame transvaginal?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. A mulher com suspeita de gravidez pode fazer o exame de ultrassom transvaginal. Não precisa ter medo pois o exame não faz mal para a gravidez ou para o bebê.

O exame de ultrassonografia transvaginal não oferece nenhum risco para o bebê. A sonda introduzida para fazer o exame não irá machucar o bebê, que está bem protegido no útero. A ultrassonografia também não emite radiação, como o raio-X, e as ondas de alta frequência emitidas pelo aparelho não prejudicam o bebê.

Além de não trazer riscos para o bebê, o ultrassom transvaginal é fundamental para acompanhar o desenvolvimento e a saúde do feto, detectar malformações e identificar sinais de doenças genéticas, como a síndrome de Down.

No 1º trimestre de gravidez,o principal objetivo do exame é o rastreamento de anomalias genéticas. O ultrassom transvaginal pode ser realizado entre a 11ª e a 14ª semana de gestação, de preferência entre a 12ª e a 13ª semana.

A sensibilidade da ultrassonografia transvaginal para detectar a síndrome de Down é de aproximadamente 90% e cerca de 60% das malformações fetais podem ser identificadas nesta fase através do exame.

O/a médico/a ginecologista poderá esclarecer as suas dúvidas sobre o ultrassom transvaginal e tranquilizá-la para a realização do exame.

Leia também:

Ultrassom transvaginal tem algum risco para o bebe?

Na ultrassonografia transvaginal da para saber o sexo do bebe?

Para que serve o exame transvaginal?

Útero em retroversoflexão interfere para engravidar?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não, útero em retroversoflexão (retrovertido) não traz dificuldades para engravidar nem interfere com a gravidez. O útero retrovertido é apenas uma variação da posição anatômica do útero, em que ao invés de o útero estar virado para frente ele está voltado para trás.

Porém, isso não provoca nenhuma alteração no órgão, não dificulta a gravidez, não traz problemas para a gestação e também não impede que a mulher tenha um parto normal.

O útero retrovertido raramente provoca sintomas, na maioria das vezes só é detectado durante um exame de ultrassom realizado por outro motivo, ou seja, acaba por ser um achado ocasional. Cerca de 15 a 25% das mulheres possuem útero retrovertido. 

Há alguns estudos que apontam uma correlação entre endometriose e o útero retrovertido, nesse tipo de situação as mulheres teriam maior dificuldade para engravidar, mas em decorrência da presença de endometriose e não por causa do útero em retroversão.

Já durante a gestação, uma condição muito rara que a retroversoflexão do útero pode causar é o encarceramento uterino, situação em que o útero torna-se fixo. Essa situação pode provocar retenção de urina e algum desconforto para urinar, necessitando ser avaliada por um ginecologista.

O médico ginecologista ou médico de família poderá esclarecer outras dúvidas em relação a esse assunto.

Leia também:

Útero retrovertido tem cura?

O que é útero retrovertido e quais os sintomas?