Perguntar
Fechar

Ultrassom

5 semanas e meia de gravidez e o batimento cardíaco do bebê...
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Provavelmente não há nenhum problema, porque esse período ainda é cedo para encontrar o batimento cardíaco do bebê.

A função cardíaca do bebê se inicia por volta da quinta semana de gestação, portanto só a partir dessa data será possível encontrar os batimentos cardíacos através de aparelhos médicos específicos, como Doppler fetal, ultrassom vaginal e abdominal, fetoscópio, ou mais recentemente, aplicativos para essa função.

Entretanto o mais comum é que os batimentos sejam evidenciados entre a 7ª e 8ª semanas pela ultrassonografia vaginal.

Durante o desenvolvimento do coração do bebê, na quinta semana, inicialmente a frequência é conduzida pelos ventrículos, o que torna a frequência mais baixa, dificultando um pouco sua percepção. Por volta da 9ª semana, quando os átrios estão formados e tomam controle dessa frequência e ritmo, os batimentos podem atingir a frequência de 180 bpm, facilitando sua visualização.

Ao exame de ultrassom abdominal e doppler, a partir da 10ª semana os batimentos são ouvidos com bastante nitidez, e após 20 semanas, também pelo estetoscópio.

Os aplicativos mais atuais, oferecem essa ausculta a partir de 30 semanas. A possibilidade de evidenciar os batimentos do bebê acaba por confortar pais e familiares.

Contudo, essas datas são uma estimativa que pode variar de gestante para gestante. Alguns fatores podem interferir nessas datas, como por exemplo, uma implantação diferenciada de placenta, aumento da gordura abdominal, entre outros.

Para maiores esclarecimentos nesse assunto, procure seu médico obstetra.

Leia também: Na gravidez, quando é possível ouvir o coração do bebê?

O que é polimicrocisto?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Polimicrocisto significa muitos (poli) cistos (espécie de saco arredondado com conteúdo líquido) pequenos (micro). 

Esses microcistos surgem quando o folículo que se desenvolve no interior do ovário não cresce o bastante para se tornar um óvulo, que é expelido do ovário durante a ovulação. Assim, esses folículos vão se acumulando no ovário sob a forma de cistos.

Contudo, a presença de polimicrocistos nos ovários não apresenta necessariamente riscos. Na maioria das vezes trata-se de uma situação benigna, que faz parte da fisiologia da mulher.

Quando os micropolicistos vem acompanhados de amenorreia e irregularidade menstrual ou ainda sinais de androgenismo têm-se a Síndrome do Ovário Micropolícistico.

No caso da síndrome dos ovários policísticos, que pode até dificultar uma gravidez, a mulher pode apresentar sinais e sintomas como:

  • Alterações nos ciclos menstruais;
  • Ganho de peso;
  • Acne;
  • Aumento da oleosidade da pele;
  • Alterações de humor;
  • Crescimento de pelos no rosto, peito e abdômen.

O tratamento para a síndrome dos ovários policísticos inclui perda de peso e uso de anticoncepcionais hormonais.

A gravidez também é possível, através de medicamentos que estimulam a ovulação e regularizam a menstruação.

Consulte o seu médico ginecologista ou médico de família caso apresente micropolicistos.

Leia também:

Ovário policístico, tomei remédio. Posso engravidar?

Ovários policísticos têm cura? Qual o tratamento?

O que significa ausência de gestação maior ou igual 5 semanas?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Significa que não foi visualizada gravidez com esse período. Existem algumas causas, como por exemplo uma gravidez ectópica.

O exame deve ser levado para o médico que o solicitou o quanto antes, para uma avaliação, exclusão de outras causas, e se tratando de gravidez ectópica, o tratamento deve ser em caráter de urgência.

Outra situação, é a gestação estar em estágio tão inicial, antes de 5 semanas, que não é mesmo possível ser evidenciada ainda pelo exame de ultrassonografia. Nesse caso o exame deve ser repetido após pelo menos 6 semanas.

Gravidez ectópica

A gravidez ou gestação ectópica se caracteriza pela implantação do óvulo fecundado, fora do útero. O local aonde mais acontece esse fenômeno, é a trompa. Por diversos fatores, a gestação ectópica não é incomum, e pode evoluir com graves complicações.

Por isso, na suspeita de uma gestação ectópica, é fundamental que procure um atendimento médico de urgência.

Sintomas de gravidez ectópica

Os sintomas mais comuns são, o atraso menstrual, cólica abdominais, sangramento vaginal. Pode ainda apresentar manifestações comuns da gravidez, como aumento da sensibilidade das mamas, náuseas, aumento do apetite, sonolência e aumento da frequência urinária.

Nos casos complicados, pode apresentar febre, sangramento de grande monta, dor incapacitante e perda da consciência, com elevado risco de morte.

Diagnóstico de gravidez ectópica

O diagnóstico é baseado na história da paciente, sinais, sintomas e exame clínico. Porém a confirmação será através do exame de imagem - ultrassonografia.

Tratamento

O tratamento varia de caso a caso. Como infelizmente, na maioria das vezes a gestação não progride, devido a sua implantação estar em local não preparado para nutrição e desenvolvimento do embrião, pode ser necessário cirurgia de urgência.

Porém, cada caso deve ser avaliado de maneira individualizada.

Pode lhe interessar também: O que é gravidez ectópica e quais os seus sintomas?

Ausência de sinais de gestação maior ou igual há 5 semanas... O que significa?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Seria necessário saber qual o exame foi realizado para este resultado e analisar o resultado inteiro, para ter certeza da resposta a lhe oferecer, apenas com essa informação, não podemos afirmar se existe ou não uma gestação.

Detalhando a pergunta conforme enviada, a "Ausência de sinais de gestação maior ou igual a 5 semanas" significa, que foi realizada uma análise, aonde o médico não evidenciou sinais que confirmem uma gestação de 5 semanas ou mais.

No entanto, se for um ultrassom, devem haver mais dados nesse laudo para uma explicação mais ampla do que foi identificado.

Outra opção, seria um caso de gestação ectópica. A gestação ectópica se caracteriza por uma gestação que acontece fora do útero, na maioria das vezes, na trompa. Por isso, nas primeiras semanas, os exames e os sintomas são típicos de uma gestação tópica (dentro do útero), embora não seja. Entretanto, trata-se de uma situação de risco para a mulher, visto que grande parte desses casos evolui com morte do feto e hemorragias, devido o local não ser adequado para essa evolução.

Na suspeita de gravidez ectópica, a mulher deve ser avaliada em um serviço de urgência médica, devido aos riscos de complicação e morte, como nos casos de ruptura de trompa.

Leia também: O que é gravidez ectópica e quais os seus sintomas?

Portanto, recomendamos levar esse resultado para o médico que o solicitou, pois ele será capaz de interpretar o laudo e assim esclarecer todas as suas dúvidas.

O que é idade gestacional?

A idade gestacional, é a estimativa de quantas semanas a mulher está grávida. Através desse número de semanas e ou dias, possibilita o obstetra a acompanhar e avaliar o desenvolvimento apropriado da gestação. Do mesmo modo, é o valor utilizado como referência para estimar a data provável do parto (DPP).

Como se calcula a idade gestacional?

A idade gestacional é calculada através da data da última menstruação (DUM), contando quantos dias já se passaram e dividindo esse valor por 7.

Após 5 a 6 semanas, quando o saco gestacional passa a ser visualizado na imagem de ultrassom, essa idade estimada pode ser confirmada pela análise de dados mais concretos, e pela experiência do médico radiologista.

Leia também: Com quantas semanas dá para ver o bebê no ultrassom?

O que é alteração textural parenquimatosa uterina?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

É uma alteração na textura da parede do útero, visualizada por um exame de imagem, provavelmente uma ultrassonografia pélvica.

Com uma única informação, o que podemos definir é que existe alguma alteração na textura da parede do útero, que pode ser devido a diferentes causas, e que nem sempre sinaliza um problema ou uma doença.

Por exemplo, é normal a alteração da parede do útero decorrente das variações hormonais durante um ciclo menstrual. Por outro lado, existem causas patológicas para essa alteração, como algumas doenças metabólicas, presença de pólipos, tumores, entre outras.

Portanto, para uma melhor interpretação e orientação quanto ao resultado desse exame, é fundamental que leve ao médico que o solicitou, para que junto com a história clínica e exame físico, possa definir a melhor abordagem e tratamento, se necessário.

Como é avaliado o útero em um exame de imagem?

Um dos exames mais solicitados para avaliação uterina é o exame de ultrassonografia. Nele é possível analisar os órgãos genitais da mulher, com base nos parâmetros e valores predeterminados de normalidade.

Esses valores podem sofrer alguma alteração devido a idade e fase do ciclo menstrual, porém esse dado é avaliado pelo médico especialista, junto ao exame clínico e história médica.

Dentre os principais parâmetros, são analisados:

Forma do útero

Tubular - crianças entre 2 e 6 anos de idade

Piriforme - início da puberdade até idade adulta

Comprimento do útero

pré-púberes - menor que 4,5 cm

puberdade/adulta - 5,0 a 8,0 cm

Largura uterina

pré-púberes - menor que 3,0 cm

puberdade/adulta - 3,5 cm em média

Espessura da parede do útero

pré-púberes - menor que 1,0 cm

puberdade/adulta - 1,5 a 3,0 cm

Textura

Geralmente homogênea, mas pode variar com a fase do ciclo.

Volume ovariano Presença ou não de massas ou estruturas anormais (massas, tumores, pólipos).

De qualquer forma, o exame de imagem é um exame complementar a uma suspeita diagnóstica, ou um exame de rastreio para detecção precoce de doenças, que sempre deve ser analisado em conjunto com outros dados.

Procure seu médico para levar o resultado do exame, e esclarecer as suas dúvidas.

Leia também: Como é feito o ultrassom pélvico e para que serve?

Qual a melhor maneira de saber o dia do bebê nascer?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A primeira ultrassonografia é com certeza muitas vezes mais confiável que a altura uterina. Uma ultrassom realizada no primeiro trimestre da gestação é a maneira mais confiável de saber o dia do Bebê nascer.

O embrião (ou saco gestacional) é visualizado no ultrassom...
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O cálculo de semanas de um bebê, habitualmente é baseado na data do primeiro dia da última menstruação (DUM), portanto são 5 semanas após a DUM.

Ainda hoje o cálculo é feito dessa maneira porque é muito difícil estimar exatamente o dia da fecundação, por diferentes fatores. Por exemplo, mesmo que a mulher tenha percebido o dia da sua ovulação, seja por aumento da temperatura corporal ou dosagem hormonal no sangue, e que saiba o dia da relação, não é possível estimar exatamente o momento em que o espermatozoide alcançará o óvulo. Isso porque, os espermatozoides podem sobreviver por até 5 dias no corpo da mulher, e de acordo com as suas características, levam mais ou menos dias para chegar até a trompa e acontecer a fecundação do óvulo.

Outro motivo, é que uma mulher na tentativa de engravidar, dificilmente terá apenas uma relação no período fértil, aumentando as possibilidade dessa data.

Visto isso, salvo exceções, até que o exame de ultrassom seja capaz de identificar o comprimento fetal e outros dados fundamentais para estimar com mais precisão a idade gestacional, é mantida a avaliação pela DUM.

Como é feito o cálculo da idade gestacional pela DUM?

Sabendo o primeiro dia da “data da última menstruação” (DUM), devem ser somados todos os dias que transcorreram até a data atual, depois divide-se o valor total por 7. O resultado inteiro são o número de semanas e o resto, corresponde ao número de dias.

Exemplificando, vamos supor que hoje é dia 27 de abril e a data do primeiro dia da da última menstruação foi dia 14 de janeiro.

14 a 31 de janeiro – 17 dias

Fevereiro – 29 dias

Março – 31 dias

Abril – 27 dias ( data atual)

Então soma-se todos os dias passados = 17+29+31+27 = 104.

Esse número dividido por 7 = 104 / 7 = 14,85. O que corresponde a 14 semanas e 8 dias de gestação.

Leia também: Com quantas semanas dá para ver o bebê no ultrassom?

Resultado de ultrassom via transvaginal posso engravidar?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O volume uterino parece estar um pouco acima do esperado e o restante tudo certo, mas não se preocupe, pelo seu exame você pode engravidar. Porém existem outros fatores envolvidos no processo de engravidar que este exame não avalia.

Fiz ultrassom e está normal, porque menstruação atrasada?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Volte ao seu médico que solicitou o exame, para que ele junto com os outros dados que ele já tem possa fazer as suposições mais adequadas para seu caso. Existem muitas outras causas para atraso menstrual.

Quais as chances da ultrassonografia não identificar uma gravidez?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A ultrassonografia transvaginal apenas não detectará uma gravidez se for uma gravidez com menos de 5 semanas (neste caso ela não pode ser visualizada ainda)

Fiz minha 1ª ultrassom, mas não deu para ver nada...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O segundo Beta-HCG serve para demostrar que a gestação (ou a causa da elevação do Beta-HCG) está em evolução, não dá para saber nada do bebê.

Câncer de ovário aparece no exame ultrassom ou só no exame de CA125?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O diagnóstico de câncer de ovário não se baseia apenas nesses dois exames. Mas dentre eles o que tem maior sensibilidade, ou seja, mais chance de encontrar o câncer, sem dúvida é o Ultrassom.

O câncer de ovário é um tipo de câncer felizmente pouco comum, porém de difícil diagnóstico, apesar da evolução dos exames e da pesquisa médica nas últimas décadas. Em geral seu diagnóstico se dá pela soma de fatores analisados pelo médico, como sintomas clínicos, presença de massa pélvica na palpação durante o exame ginecológico, associado ao exame de Ultrassonografia, o primeiro a ser solicitado quando suspeita, e marcadores tumorais, como o CA125, CEA, CA 19-9, HCG, entre outros. Já exames como Tomografia e ressonância não acrescentam muito ao diagnóstico, mas são habitualmente utilizadas para pesquisa de metástases e preparo cirúrgico, quando indicado.

Os marcadores tumorais são substâncias produzidas pelos tumores, ou associadas a eles, entretanto existem diversos tipos de tumores, benignos e malignos, que podem elevar o valor dos marcadores da mesma forma, não te permitindo definir um diagnóstico apenas por este exame. Por exemplo, o CA 125 é o marcador mais associado ao câncer de ovário, podendo aumentar em até 80% seus níveis no sangue, mas também pode se apresentar com valores normais, o que não exclui o diagnóstico.

Portanto, na suspeita de câncer de ovário, o médico ginecologista e/ou oncologista, devem ser os médicos responsáveis pelo devido acompanhamento e esclarecimento de todas as dúvidas.

Pode lhe interessa também:

Quais são os sintomas do câncer de ovário?

Endometriose pode virar câncer?

Entendendo os valores do CA 125