Perguntar
Fechar

Ultrassom

Fiz minha 1ª ultrassom, mas não deu para ver nada...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O segundo Beta-HCG serve para demostrar que a gestação (ou a causa da elevação do Beta-HCG) está em evolução, não dá para saber nada do bebê.

Câncer de ovário aparece no exame ultrassom ou só no exame de CA125?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O diagnóstico de câncer de ovário não se baseia apenas nesses dois exames. Mas dentre eles o que tem maior sensibilidade, ou seja, mais chance de encontrar o câncer, sem dúvida é o Ultrassom.

O câncer de ovário é um tipo de câncer felizmente pouco comum, porém de difícil diagnóstico, apesar da evolução dos exames e da pesquisa médica nas últimas décadas. Em geral seu diagnóstico se dá pela soma de fatores analisados pelo médico, como sintomas clínicos, presença de massa pélvica na palpação durante o exame ginecológico, associado ao exame de Ultrassonografia, o primeiro a ser solicitado quando suspeita, e marcadores tumorais, como o CA125, CEA, CA 19-9, HCG, entre outros. Já exames como Tomografia e ressonância não acrescentam muito ao diagnóstico, mas são habitualmente utilizadas para pesquisa de metástases e preparo cirúrgico, quando indicado.

Os marcadores tumorais são substâncias produzidas pelos tumores, ou associadas a eles, entretanto existem diversos tipos de tumores, benignos e malignos, que podem elevar o valor dos marcadores da mesma forma, não te permitindo definir um diagnóstico apenas por este exame. Por exemplo, o CA 125 é o marcador mais associado ao câncer de ovário, podendo aumentar em até 80% seus níveis no sangue, mas também pode se apresentar com valores normais, o que não exclui o diagnóstico.

Portanto, na suspeita de câncer de ovário, o médico ginecologista e/ou oncologista, devem ser os médicos responsáveis pelo devido acompanhamento e esclarecimento de todas as dúvidas.

Pode lhe interessa também:

Quais são os sintomas do câncer de ovário?

Endometriose pode virar câncer?

Entendendo os valores do CA 125

Ultrassom obstétrico com alteração da translucência nucal? O que pode ser?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A TN ou Translucência Nucal é uma medida que serve principalmente para verificar os riscos do bebê ter Síndrome de Down, entre outras malformações e doenças genéticas. Quando o valor da translucência nucal é maior que 2,5 mm, significa maior chance de Síndrome de Down.

É importante lembrar que o exame de ultrassom não é capaz de diagnosticar a Síndrome de Down e serve apenas para calcular os riscos. Isso quer dizer que um exame considerado normal (translucência nucal inferior a 2,5 mm) não garante que o bebê não tenha Síndrome de Down, indica somente que o risco é baixo.

O mesmo acontece quando a translucência nucal está aumentada. O risco de Síndrome de Down é alto, mas o bebê pode nascer sem a doença.

Nesses casos, quando a translucência nucal está aumentada, pode-se fazer um exame chamado amniocentese, que permite analisar os cromossomos do bebê e detectar com precisão a síndrome de Down e outras alterações cromossômicas.

Se o resultado da amniocentese for normal, fica afastada a possibilidade de Síndrome de Down, mas pode ser necessário fazer a investigação de outras mal-formações.

Converse melhor com o médico que está acompanhando a sua gravidez em caso de dúvidas.

Também pode lhe interessar:

Que exames devem ser feitos durante a gravidez?

Gostaria de saber qual a posição do meu bebê?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Com 36 semanas a posição do bebê pode ser facilmente verificada pela palpação da barriga, não é preciso fazer o ultrassom com esse objetivo, você mesma se deitar na cama de forma relaxada e tentar imaginar um bebê em posição fetal, passe a mão em todas a sua barriga e vá sentindo e observando o corpo do seu bebê que você mesma vai descobrir em que posição ele está.

Fiz uma ultrassonografia transvaginal...
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Pelo que consta nas descrições apresentadas, o exame demonstra com características normais. Entretanto, é importante ressaltar que o exame deve ser interpretado pelo/a médico/a que solicitou e, então, é preciso levar o exame na consulta de retorno para que o/a profissional possa relacionar o resultado com os achados clínicos.

O que é imagem uterina em AVF?

O termo AVF significa anteversoflexão. Trata-se da apresentação mais comum do útero nas mulheres. Existem outras variações de posição, que são a medioversão (útero mediovertido) e a retroversão (útero retrovertido).

A ultrassonografia transvaginal serve para avaliar órgãos e estruturas pélvicas da mulher como útero, endométrio, ovários, trompas uterinas, etc. É um exame de imagem em que, através de um aparelho, o/a médico/a visualiza de imediato normalidades ou possíveis alterações nessa região.

Examinando com maior proximidade e nitidez, estruturas e órgãos pélvicos como o útero, os ovários, o colo do útero e as trompas, o exame pode ser indicado para avaliar a espessura do endométrio; sangramento uterino; presença de massa pélvica (mioma, câncer); anomalias no útero; localização do DIU; avaliação da gravidez e auxiliar as técnicas de reprodução assistida.

Um exame de imagem não é capaz de determinar um diagnóstico. É fundamental que o exame seja levado para o/a médico/a que solicitou o exame para uma avaliação completa e devidas orientações.

Leia também:

Como é feito o exame transvaginal?

Fiz um ultrassom e tenho pedra na vesícula e também...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Duplicidade significa dois (duplicado), renal é referente aos rins, bilateral é dos dois lados (direito e esquerdo) e pélvica é a sua pelve uma região do corpo, é seu abdômen inferior.

Ultrassom não mostrou o ovário operado isso é normal?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Depende qual ultrassom foi feito: pela barriga a visualização do ovário é difícil, transvaginal a visualização é mais fácil, mas pode acontecer de o ovário estar lá e o exame não mostrar.

Gestação com idade diferente entre o ultrassom e...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Uma diferença de 4 dias entre a data da menstruação e o ultrassom é algo perfeitamente aceitável. Se o ultrassom é normal não há o que se preocupar.

Fiz um ultrassom, o diagnóstico foi Tireoidite de Hashimoto?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Não há muito o que dizer, você está com uma doença auto-imune chamada Tireoidite de Hashimoto, é um tipo de inflamação da tireoide causada por anticorpos produzidos pelo seu próprio corpo.

Exame transvaginal é doloroso?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O ultrassom transvaginal geralmente não causa dor, mas pode gerar algum desconforto se não for realizado de maneira correta ou se a mulher não estiver suficientemente relaxada e tranquila no momento do exame. 

A dor e o desconforto são percepções muito individuais e dependem de vários fatores no momento do exame como: confiança no profissional que está realizando o exame, ambiente calmo e acolhedor, tranquilidade e relaxamento da mulher. 

O ultrassom transvaginal é realizado através da introdução de um transdutor que emite ondas sonoras na vagina, esse transdutor é coberto por um preservativo e com um pouco de gel de modo a facilitar a realização do exame, causar menos desconforto e proteger a vagina.

Leia mais sobre em:

Ultrassom transvaginal dói?

Dor na vagina após ultrassom transvaginal, o que pode ser?

Como calculo minha idade gestacional: ultrassom ou atraso?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Você não precisa calcular nada, deixe isso para seu médico fazer, ele estudo para fazer isso e também recebe pagamento justamente para fazer isso.

Qual a frequência que se deve fazer ultrassom para ovário policístico?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A frequência que se deve fazer o exame de ultrassom em caso de ovário policístico depende do tratamento que está sendo feito, do objetivo final do tratamento, entre outros fatores.

Cabe ao/à médico/a ginecologista definir a regularidade das consultas e dos exames de ultrassom que devem ser feitos, de acordo com o seu caso.

De qualquer maneira, você não deve ficar mais de um ano sem ir ao/à ginecologista.

Independentemente de ter ovários policísticos ou não, toda mulher deve ir ao ginecologista pelo menos uma vez por ano, para que sejam feitos exames nas mamas e órgãos pélvicos, além de exames de sangue, ultrassom e urina.

Saiba mais sobre o tratamento do ovário policístico em: Ovários policísticos têm cura? Qual o tratamento?