Perguntar
Fechar
Fiz um ultrassom, o diagnóstico foi Tireoidite de Hashimoto?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Não há muito o que dizer, você está com uma doença auto-imune chamada Tireoidite de Hashimoto, é um tipo de inflamação da tireoide causada por anticorpos produzidos pelo seu próprio corpo.

Qual a frequência que se deve fazer ultrassom para ovário policístico?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A frequência que se deve fazer o exame de ultrassom em caso de ovário policístico depende do tratamento que está sendo feito, do objetivo final do tratamento, entre outros fatores.

Cabe ao/à médico/a ginecologista definir a regularidade das consultas e dos exames de ultrassom que devem ser feitos, de acordo com o seu caso.

De qualquer maneira, você não deve ficar mais de um ano sem ir ao/à ginecologista.

Independentemente de ter ovários policísticos ou não, toda mulher deve ir ao ginecologista pelo menos uma vez por ano, para que sejam feitos exames nas mamas e órgãos pélvicos, além de exames de sangue, ultrassom e urina.

Saiba mais sobre o tratamento do ovário policístico em: Ovários policísticos têm cura? Qual o tratamento?

Exame transvaginal é doloroso?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O ultrassom transvaginal geralmente não causa dor, mas pode gerar algum desconforto se não for realizado de maneira correta ou se a mulher não estiver suficientemente relaxada e tranquila no momento do exame. 

A dor e o desconforto são percepções muito individuais e dependem de vários fatores no momento do exame como: confiança no profissional que está realizando o exame, ambiente calmo e acolhedor, tranquilidade e relaxamento da mulher. 

O ultrassom transvaginal é realizado através da introdução de um transdutor que emite ondas sonoras na vagina, esse transdutor é coberto por um preservativo e com um pouco de gel de modo a facilitar a realização do exame, causar menos desconforto e proteger a vagina.

Leia mais sobre em:

Ultrassom transvaginal dói?

Dor na vagina após ultrassom transvaginal, o que pode ser?

Testes de farmácia deram positivo e ultrassom não mostrou nada...
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Se a gestação for menor de 5 semanas não aparece no ultrassom, geralmente deve-se aguardar até por volta da sétima semana de gravidez até ser realizado o primeiro ultrassom quando já será possível visualizar o saco gestacional.

Alguns testes de farmácia apresentam uma alta sensibilidade para detectar gravidez bem antes de 5 semanas de gestação, por isso é possível que o teste seja positivo e o exame ainda não tenha detectado a presença do embrião.

A partir da décima semana geralmente já é possível também visualizar estruturas fetais. Já em relação ao sexo do bebê atualmente se consegue distinguir a genitália fetal após a 13ª ou 16ª semana de gestação.

Quando fazer o primeiro ultrassom na gravidez?

A Organização Mundial da Saúde recomenda que o primeiro ultrassom seja realizado antes de 24 semanas de gestação, assim se consegue obter o principal objetivo do primeiro ultrassom gestacional que é a correta datação da idade gestacional, e também determinar o local de implantação embrionária e número de fetos.

Quantos ultrassons se faz na gravidez?

Não há ainda consenso entre os profissionais da saúde sobre o número mínimo de ultrassonografias a serem realizadas no decorrer de uma gestação. Alguns protocolos preconizam uma a cada trimestre. A OMS recomenda ao menos uma ultrassonografia, a primeira, que deve ser feita antes de 24 semanas, já que é a mais importante.

Em algumas situações quando a gravidez envolve maior risco um número maior de ultrassonografias pode ser necessário.

Para mais informações sobre o ultrassom durante o pré natal consulte o seu obstetra ou médico de família.

Meu endométrio está medindo 11mm, pode ser gravidez?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Gravidez é uma das coisas que aumenta o endométrio, caso esteja com atraso menstrual essa é uma possibilidade, nessa situação você pode realizar um teste de gravidez para confirmação diagnóstica. É importante ainda estar atenta a outros possíveis sintomas como sangramentos, irregularidade menstrual ou cólicas menstruais, que podem sugerir outras possíveis causas de aumento endometrial.

Também é importante estar atenta a outros sinais e sintomas da gravidez como náuseas, vômitos, dor ou desconforto pélvico e sensibilidade mamária.

Hiperplasia endometrial

O espessamento do endométrio é chamado de hiperplasia endometrial e se refere a proliferação das células que compõem a camada interna do útero. Essa proliferação ocorre por conta do estímulo estrogênico, por isso uma das causas de hiperplasia endometrial é a terapia de reposição hormonal, utilizada no tratamento dos sintomas da menopausa, essa terapia inclui estrogênio, este hormônio está associado a proliferação das células endometriais.

Outras causas de espessamento do endométrio são:

  • Síndrome do Ovário Policístico;
  • Perimenopausa;
  • Obesidade;
  • Pólipos;
  • Alguns tumores de ovário;
  • Câncer de endométrio.

Alguns outros fatores também estão relacionados ao aumento do risco de hiperplasia endometrial entre eles:

  • Uso prolongado de medicamentos que contêm estrogênio ou substâncias com a mesma ação;
  • Idade maior que 35 anos;
  • Primeira menstruação muito jovem;
  • Tabagismo;
  • Menopausa em idade avançada;
  • Nunca ter estado grávida;
  • História familiar de câncer de útero, ovário ou cólon;

A causa mais provável de espessamento endometrial irá depender do contexto clínico de cada mulher, por isso, é essencial uma avaliação medica.

Leia mais em: O que é hiperplasia endometrial, e quais os sintomas?

Para mais informações e esclarecimentos sobre o espessamento endometrial consulte um ginecologista ou médico de família.

Como calculo minha idade gestacional: ultrassom ou atraso?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Você não precisa calcular nada, deixe isso para seu médico fazer, ele estudo para fazer isso e também recebe pagamento justamente para fazer isso.

Minha filha fez um ultrassom: Hipertrofia Coluna de Bertin!
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A hipertrofia de coluna de Bertin, ou duplicação pielocalicinal, é uma variação anatômica, que não representa uma doença ou problema renal.

Portanto não há nada a se fazer, apenas acompanhamento com médico urologista. A não ser que haja alguma dúvida nesse exame, e por isso seja pedido mais exames de imagem, como uma Tomografia Computadorizada.

O exame deve ser levado para os dois médicos, para o médico que pediu, porque existem outros dados a serem avaliados no exame, mas também para um médico urologista, por ser o especialista em hipertrofia de coluna de Bertin.

Coluna de Bertin

A coluna de Bertin, ou coluna renal, é uma região do córtex renal localizada entre duas pirâmides (renais).

As colunas de Bertin (ou colunas renais) estão representadas no número 5. Hipertrofia da coluna de Bertin

A hipertrofia de coluna de Bertin é apenas uma variação anatômica comum nessa região, que se caracteriza pelo aumento (hipertrofia) de uma coluna, ou junção de mais de uma coluna.

Essa variação não interfere nas funções renais normais e pode ser encontrada em até 20% da população.

Outras causas de hipertrofia de colunas renais

A hipertrofia da coluna de Bertin pode ser semelhante a outras situações encontradas no córtex renal, como cistos e tumores.

Sendo assim, quando houver dúvidas entre a hipertrofia de Bertin e uma tumoração verdadeira, por exemplo, pode ser necessário continuar a investigação com outros exames mais específicos, como a tomografia computadorizada (TC).

Leia também: O que é hipertrofia da coluna de bertin?

Tenho hipotireoidismo e fiz uma ultrassom da tireoide...
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

As alterações encontradas são típicas de um estado de tireoidite, portanto corroboram a presença da tireoidite de Hashimoto e não mostram nenhum achado novo, como nódulos. Portanto, a principio não parece haver nada diferente para se preocupar.

Geralmente, o ultrassom de tireoide na tireoidite de Hashimoto é utilizado para detectar a presença de nódulos ou outras alterações no pescoço, que foram detectadas no exame físico e suspeitadas pela presença de queixas ou sintomas, no seu exame não foi encontrada nenhuma dessas alterações.

Entretanto, todo exame deve sempre ser avaliado pelo médico que o solicitou, que irá correlacionar o resultado com o quadro e história clínica individual de cada pessoa, por isso consulte o seu médico para uma avaliação do resultado.

O que é a Tireoidite de Hashimoto e quais os seus sintomas?

A tireoidite de Hashimoto é uma doença autoimune da tireoide, na qual o sistema imunológico ataca células tireoidianas, interferindo assim na produção dos hormônios tireoidianos. Por isso, a tireoidite de Hashimoto cursa com o hipotireoidismo, condição em que se produz menos hormônio tireoidianos o que leva a diferentes sintomas se não tratada.

Os principais sintomas dessa doença são:

  • Cansaço sem razão aparente;
  • Pele seca;
  • Unhas e cabelos quebradiços;
  • Constipação;
  • Ganho de peso sem mudanças na alimentação;
  • Dores musculares;
  • Déficit de memória;
  • Palidez;
  • Alterações menstruais;
  • Depressão.

O tratamento da Tireoidite de Hashimoto consiste na ingesta dos hormônios tireoidianos que estão em falta, a levotiroxina. Deve-se fazer um acompanhamento clínico de modo a acompanhar o equilíbrio hormonal no organismo.

Caso apresente sintomas sugestivos de hipotireoidismo, consulte um clínico geral ou médico de família para uma avaliação inicial.

Qual é a possibilidade do médico ter errado o sexo do bebê?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sempre existe a possibilidade de errar o sexo do bebê, pode fazer um novo ultrassom a hora que quiser.

É possível errar o sexo do bebê com a ultrassonografia. Os exames de ecografia nem sempre permitem visualizar as estruturas fetais com nitidez. Quanto mais cedo são realizados, maiores as chances de apresentar um resultado errado, isto porque a genitália do feto é muito semelhante nos dois sexos no início da gestação.

Além disso, a posição do feto durante o exame do ultrassom também pode dificultar a visualização do sexo do bebê e confundir o/a médico/a que está realizando o exame.

É ainda possível que o pênis do menino fique um pouco escondido e o/a profissional interpretar que portanto o bebê seja uma menina, também é possível ocorrer o oposto, quando o profissional confunde o clitóris da menina com um pênis.

Pesquisas mostram que a possibilidade de acerto do sexo do bebê através do ultrassom pode variar de 80 a 90%, a depender da época da gestação em que foi feito o exame.

Recomenda-se que o exame para visualização do sexo do bebê seja feito um pouco mais tarde, por volta da 16ª a 20ª semana, nesse período os genitais estão um pouco mais diferenciados e o pênis de bebês do sexo masculino já está um pouco maior, sendo mais fácil a diferenciação a partir da vigésima semana.

Como você está com 24 semanas, é possível que o/a médico/a tenha detectado o sexo do bebê, porém, você pode realizar um novo ultrassom a qualquer momento para tirar essa dúvida.

Converse com o/a médico/a que está acompanhando a gestação para esclarecer mais dúvidas sobre o exame de ultrassom e o sexo do bebê.

Leia também:

Na ultrassonografia transvaginal dá para saber o sexo do bebe?

Ultrassonografia obstétrica com doppler é a mesma coisa que...
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

São exames diferentes com indicações diferentes (são solicitados para situações diferentes).

O Ultrassom Obstétrico normal é diferente do Ultrassom Obstétrico com Doppler.

Ultrassom obstétrico é o exame de ultrassonografia realizado de rotina durante a gravidez. A função dele é avaliar a placenta, o líquido amniótico que protege o feto, o crescimento e desenvolvimento fetal. Com ele, é possível detectar alguns problemas e anomalias fetais, bem como determinar a idade gestacional e a data provável do parto.

O ultrassom com Doppler serve para avaliar órgãos, estruturas, tecidos, vasos sanguíneos e o fluxo de sangue da região em análise. O ultrassom com Doppler é uma ultrassonografia realizada da mesma forma que as outras, porém, com um adicional que permite a visualização do fluxo sanguíneo do local, analisando a irrigação e a permeabilidade sanguínea.

O Ultrassom Obstétrico com Doppler serve para avaliar o sentido e a quantidade de fluxo sanguíneo que chega para o feto, permitindo, assim, analisar a circulação sanguínea nos vasos uterinos e fetais, além de detectar possíveis alterações na placenta. Portanto, ele é um exame mais completo que o Ultrassom Obstétrico normal.

Por isso, caso o/a médico/a tenha solicitado um Ultrassom Obstétrico com Doppler, é importante ele ser realizado pois não é a mesma coisa que o Ultrassom Obstétrico normal.

Leia também:

O que é ultrassom obstetrico e para que serve?

Para que serve o ultrassom com doppler?

Pequena coleção cística ovariana, característica funcional?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não parece grave. Uma coleção cística ovariana de característica funcional, significa a presença de um cisto no ovário em atividade ou exercendo uma função. Em geral são cistos originados por estímulo hormonal.

Sugerimos que aguarde a consulta e leve o exame ao médico que o solicitou, para que junto com o exame clínico, posso interpretar o resultado e definir a conduta e orientações para seu caso.

Apenas nos casos de dor abdominal intensa, febre, corrimento marrom ou com presença de sangue, sugerimos solicitar adiantamento da consulta, ou procurar um atendimento de urgência médica para avaliação.

O que causa cisto no ovário?

Os cistos ovarianos funcionais são originados habitualmente por estímulo hormonal, e por isso podem se apresentar em todas as etapas da vida da mulher desde a puberdade.

Porém existem casos de cistos logo após o nascimento, como resquício gestacional, embora não seja comum.

O cisto ovariano funcional é grave?

Não. Os cistos são folículos que estimulados pelos hormônios femininos, evoluem para originar um óvulo e então ser expelido para as trompas. É o início da formação do gameta feminino. Quando o óvulo é formado e expulso para a trompa, o seu resquício forma um cisto, que participa do ciclo ovulatório e depois espontaneamente é é reabsorvido pelo organismo, sem causar qualquer problema.

Entretanto, algumas alterações hormonais podem comprometer esse processo, resultando em doenças como por exemplo a síndrome do ovário policístico. Quando os óvulos não conseguem ser expelidos e vão se acumulando no ovário, causando sinais e sintomas como dor pélvica, acne e irregularidade menstrual.

A síndrome do ovário policístico é uma condição benigna, mas que interfere no ciclo menstrual normal, sendo uma das causas mais comuns de dificuldade para engravidar.

Saiba mais no artigo: Ovário policístico causa dor?

Outra condição mais rara, mas que merece investigação nos casos de cisto funcional, é a possibilidade de representar uma lesão tumoral. Nesses casos pode ser preciso um tratamento mais agressivo, como biópsia ou ressecção cirúrgica.

Leia também: Cisto no ovário tem cura? Qual o tratamento?

Estou grávida de 6 semanas, o ultrassom detectou pequeno hematoma...
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Depende. A única maneira de saber com certeza se as medicações interagem é avaliando todos os substratos que estão na composição do medicamento homeopático que faz uso. A princípio não interferem, no entanto é preciso avaliar ambas as medicações.

De qualquer forma, é fundamental que informe ao seu médico tudo o que está em uso durante a gravidez, mesmo que não seja diariamente ou que seja algo "natural". Porque muitas vezes tratamentos naturais ou homeopáticos podem prejudicar ou interferir no programa de acompanhamento da gestação.

Principalmente se está havendo algum contratempo na sua gravidez, como é o caso da formação do hematoma, o médico precisa saber todas as possibilidade de riscos e causas para esse problema.

Portanto, sugerimos que retorne ao seu médico obstetra assistente, levando o medicamento homeopático que está em uso, para adequada avaliação.

Leia também: O que é hematoma retrocoriônico?

Importante saber também, que o hematoma é uma coleção de sangue, devido a um descolamento da placenta e lesão de pequeno vaso, que pode ser resolvido com repouso e medicamentos, conforme orientado pelo médico assistente, mas pode evoluir com piora do sangramento e com isso o risco de descolamento do óvulo e aborto.

Sendo assim, todos os cuidados são necessários para evitar essa evolução. Um deles é o cuidado com a coagulação. Existem alguns alimentos e chás que são contraindicados durante a gestação, exatamente por esse motivo, por aumentar o risco de sangramentos.

São exemplos os chás de arruda, chá de canela, entre outros. Totalmente contraindicados durante a gravidez.

Saiba mais sobre esse assunto no artigo: Grávida pode tomar chá de hibisco?

Recomendamos sempre que mantenho o contato e o acompanhamento rigoroso do seu pré-natal, converse e esclareça todas as suas dúvidas com a equipe de saúde, para que tenha uma gravidez saudável e segura.

Pode lhe interessar também: Quais os sintomas de descolamento de placenta?