Perguntar
Fechar

Transtorno de conduta: Quais os sintomas e como é o tratamento?

Os sinais e sintomas do transtorno de conduta mais observados incluem bullyings, intimidação dos parceiros e das autoridades, agressões físicas, uso de objetos para ferir os outros, maus tratos a pessoas e animais, roubos, violações sexuais, danos materiais públicos ou a terceiros, além de violação grave das regras morais e sociais.

As manifestações de desvio de conduta normalmente começam a se manifestar entre os 7 e os 15 anos de idade, sendo mais comuns em meninos do que em meninas, com graves prejuízos na vida social, escolar e acadêmica.

No início, os sintomas podem ser leves, como mentiras e fuga às aulas. Depois, as atitudes tornam-se mais sérias e podem envolver agressões físicas ou ainda uso abusivo de drogas.

Crianças e adolescentes com transtorno de conduta também manifestam com mais frequência outros tipos de transtornos mentais, como transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), ansiedade e transtorno obsessivo-compulsivo. O uso de drogas também é uma característica marcante nesses jovens.

Quanto mais cedo o transtorno de conduta tem início, mais grave é o distúrbio e maiores são as chances do problema permanecer durante toda a vida.

Veja também: Quais as causas do transtorno de conduta?

Tratamento

O tratamento do transtorno de conduta pode incluir psicoterapia, terapia familiar, uso de medicamentos psiquiátricos, além de orientação aos pais e professores. Os resultados podem ser pouco satisfatórios, embora seja possível obter melhorias nos comportamentos.

Os medicamentos servem para controlar os sintomas (agressividade, intolerância a frustrações, hiperatividade mental e motora) e tratar outros transtornos mentais associados, como ansiedade, depressão, TDAH, entre outros.

Quanto mais cedo tiver início o tratamento e mais leves forem os sintomas, maiores serão os benefícios da psicoterapia e a evolução da criança em geral.

A resposta ao tratamento do transtorno de conduta também é muito influenciada pelo envolvimento da família e pelo ambiente em que a pessoa vive.