Perguntar
Fechar

Transtorno desintegrativo da infância é grave?

O transtorno desintegrativo da infância (TDI), também conhecido como síndrome de Heller, é uma doença grave, rara, de causa desconhecida, que provoca perda das habilidades já adquiridas nas áreas da linguagem, interação social e capacidades motoras.

Crianças com transtorno desintegrativo da infância apresentam um desenvolvimento aparentemente normal nos primeiros 2 anos de vida, mas antes de completarem 10 anos de idade começam a manifestar uma profunda regressão na comunicação e nas habilidades sociais.

A causa do transtorno não é conhecida, mas acredita-se que a sua origem esteja associada a fatores genéticos, acidentes antes ou durante o parto, infecções e doenças neurológicas.

A doença causa retardo mental grave, epilepsia, prejudica severamente o funcionamento global da criança e o seu desenvolvimento durante toda a vida.

O transtorno desintegrativo da infância é raro, com cerca de 1,5 casos em cada 100.000 nascimentos, sendo bem mais comum em meninos do que em meninas.

O transtorno desintegrativo da infância pode ser considerado uma forma grave de autismo. Porém, trata-se de um quadro bem diferente no início, na evolução e nas consequências.

O desenvolvimento do autismo no transtorno desintegrativo da infância ocorre mais tarde, até os 10 anos de idade, após um período em que a criança apresenta um desenvolvimento normal até então.

O tratamento do transtorno desintegrativo da infância deve começar o mais cedo possível, com abordagem multidisciplinar na área educacional, social e psicológica.

Saiba mais em: Transtorno desintegrativo da infância: Quais os sintomas e como tratar?