Vacina da gripe 2020 e coronavírus (COVID 19)

Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Muitos se perguntam hoje se vale a pena sair da sua residência ou local de segurança, para fazer a vacina da gripe, em meio a pandemia do coronavírus. Segundo o Ministério da saúde é fundamental que todos se vacinem contra a gripe na campanha de 2020.

A vacinação contra os vírus que também causam gripe, tem como objetivos principais:

  • Evitar maior sobrecarga do sistema de saúde nesse momento, devido a mais casos de gripe, por vírus da família influenza,
  • Ajudar no diagnóstico mais rápido e isolamento de pessoas com gripe, visto que os pacientes vacinados tem mais risco de ser uma gripe por coronavírus,
  • Evitar casos de infecção por dois tipos de vírus, o que seria ainda mais grave,
  • Manter o controle de epidemias já enfrentadas, como a do H1N1 em 2009.

A vacina não protege contra o coronavírus, mas contra outros vírus também perigosos, ainda encontrados no Brasil, e qualquer exposição necessária durante os próximos meses, como ir ao médico, ao supermercado, banco, ou situações de urgência, pode ser suficiente para uma contaminação.

Como fazer para evitar a contaminação ao procurar um posto de vacinação?

A campanha de 2020 recebeu cuidados a mais, exatamente para não agravar a pandemia atual pelo coronavírus. As prioridades foram alteradas, começando pelos idosos e profissionais de saúde, devido ao maior risco de doença grave e a maior exposição, com abertura de mais postos de atendimento e medidas de redução de contato.

Esse ano, as cidades contam com postos diferenciados, com o mínimo contato e exposição das pessoas, que bastam colocar o braço pela janela do carro, para receber a devida vacinação, é chamado atendimento "drive-thru".

Locais com muitos idosos receberam postos locais, aonde entra apenas uma pessoa por vez. Além de tantas outras medidas de manter o distanciamento entre as pessoas em fila, medidas de higiene e materiais de proteção como máscaras.

Datas da campanha de vacinação contra Gripe 2020 nas cidades do Brasil

  • 23 de março - Grupos selecionados como prioridade para vacina. Os Idosos (acima de 60 anos) e Profissionais de saúde
  • 16 de abril - Doentes crônicos, Professores (rede pública e privada) e Profissionais das forças de segurança e salvamento.
  • 09 de maio - Chamado dia D. Atende ao restante da população, dando prioridade a crianças de 6 meses a menores de 6 anos, pessoas com 55 a 59 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas com deficiência, povos indígenas, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

A vacina protege de quais tipos de vírus?

A vacina contra gripe é desenvolvida a cada ano, através de vírus inativado, protegendo contra os três vírus: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2).

Como os vírus sofrem mutação constante, as vacinas são produzidas anualmente, com as cepas mais recentemente encontradas por isso tem a validade de um ano apenas. Devendo ser administrada anualmente.

Os números de casos de infecção pelo vírus influenza no país reduziram muito desde a descoberta da vacina, porém ainda existem muitos casos por ano. No ano de 2019, foram registrados 5.800 casos e 1.122 óbitos pelos três tipos de influenza.

Portanto, é importante seguir as orientações dos órgãos de saúde, mantendo o controle dessa doença com as vacinas oferecidas e mantendo o isolamento social, para conter a pandemia da COVID-19.

Quem não deve tomar a vacina contra gripe?

  • Pessoas com febre
  • Pessoas que tenham alergia a gema de ovo (devem fazer em locais especializados).

A vacina da gripe, pode causar gripe?

Não. A vacina da gripe é produzida através de "pedaços" do vírus morto, inativado, por isso não causa gripe. O que pode ocorrer, em pessoas que nunca tiveram contato com o vírus antes, são os efeitos colaterais de dor no corpo, febre e mal-estar, que duram no máximo 48h.

A vacina da gripe aumenta o risco de contaminação do coronavírus?

Não. A vacina não aumenta o risco de se contaminar. O problema é a exposição da pessoa que precisa se deslocar até um posto de saúde para receber a vacinação. Por isso, esse ano, haverão postos de vacina "drive-thru", onde a pessoa nem precisa sair do carro, basta colocar o braço para fora e será devidamente vacinado.

Leia também:

Fonte: Ministério da Saúde.