Perguntar
Fechar
Estrabismo tem cura?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Estrabismo tem cura, mas é importante que o desvio seja detectado o mais cedo possível. Quanto antes o estrabismo for diagnosticado e tratado, maiores serão as suas chances de cura. Mesmo quando a correção total não é possível, o tratamento pode melhorar os problemas visuais e o alinhamento do olhar.

O tratamento do estrabismo depende da sua causa e pode ser feito através de exercícios oculares, uso de óculos e tampões, injeções de toxina botulínica ou cirurgia. Em alguns casos, o uso de óculos é suficiente para corrigir o estrabismo.

Os sintomas do estrabismo podem ser a falta do desenvolvimento da visão do olho desviado (ambliopia), visão dupla (diplopia), desconforto e diminuição do campo visual, posições anormais da cabeça e dificuldades para desenvolvimento de atividades sociais e no trabalho.

Quando a pessoa enxerga melhor com um dos olhos (ambliopia), o tratamento inicial é feito com a colocação de um tampão no olho "bom" para estimular a visão do olho que está pior, também podem ser utilizado colírios que desestimulam a visão do olho bom.

Em alguns casos quando os demais métodos não conseguem alinhar a visão corretamente ou o desvio propriamente dito se mantém é feita a cirurgia para corrigir o estrabismo. A operação é feita através de um pequeno corte no olho para reposicionar os músculos que controlam os movimentos do olho.

Saiba mais em: Como é a cirurgia de estrabismo? Quando ela é indicada?

Uma alternativa a cirurgia é a aplicação de toxina botulínica no músculo que controla os movimentos do olho desviado. A toxina bloqueia os impulsos nervosos e causa paralisia do músculo, promovendo o alinhamento do olho.

A pessoa estrábica tem um desvio no alinhamento do olhar. As formas mais comuns desse desvio são para dentro (convergente), para fora (divergente) ou quando o olhar de um olho parece estar um pouco acima do nível do outro (na vertical).

Leia também: O que é estrabismo e quais são as causas?

O oftalmologista é o médico especialista capacitado para diagnosticar e tratar o estrabismo.

O que é estrabismo e quais são as causas?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Estrabismo é um problema visual em que os olhos não estão alinhados adequadamente, ou seja, não apontam para a mesma direção. Enquanto um olho está virado para frente, o outro pode estar desviado para dentro, para fora, para cima ou para baixo.

O estrabismo convergente, também chamado de esotropia, caracteriza-se pelo olho voltado para dentro. O estrabismo divergente, também conhecido como exotropia, ocorre quando o olho está voltado para fora. Já o estrabismo vertical caracteriza-se pelo olho virado para cima (hipertropia) ou para baixo (hipotropia).

Podem ocorrer também combinações entre os tipos de estrabismo. Por exemplo, quando o olho se desvia para cima e para o nariz ao mesmo tempo. O estrabismo também pode ser alternante, ou seja, o desvio se alterna entre um olho e outro. O desvio também pode ocorrer esporadicamente, principalmente em casos de estrabismo divergente.

O estrabismo é mais comum na infância, mas também ocorre em adultos, principalmente devido a outros distúrbios.

Estrabismo infantil

A esotropia acomodativa é a forma mais comum de estrabismo infantil. Ocorre sobretudo em crianças com 2 anos ou mais e caracteriza-se pelo desvio dos olhos para dentro quando a criança se concentra em algum objeto.

Pequenos desvios em bebês com menos de 4 meses são normais. Porém, se o estrabismo for acentuado ele deve ser investigado.

O estrabismo pode estar presente desde o nascimento devido a fatores genéticos. Porém, doenças e condições que afetam o cérebro também estão entre as causas do estrabismo infantil, tais como paralisia cerebral, Síndrome de Down, hidrocefalia, tumores cerebrais e prematuridade.

Quais as causas de estrabismo?

O estrabismo também pode surgir mais tarde, depois da infância, tendo como principais causas: diabetes, doenças neurológicas, doenças da visão (hipermetropia em grau elevado) e traumatismos na cabeça.

Quando o estrabismo surge numa fase mais avançada, na idade adulta, além do desvio do olho a pessoa também apresenta visão dupla (vê os objetos em dobro).

Como identificar o estrabismo?

Os sinais e sintomas mais comuns do estrabismo são os movimentos desalinhados dos olhos, gerando desalinhamento ocular e dificuldade para focar objetos e pessoas. Também é comum pessoas estrábicas realizarem tarefas com apenas um olho aberto ou inclinarem a cabeça para tentar endireitar os olhos.

Nos adultos, o estrabismo geralmente surge repentinamente, podendo causar visão dupla (diplopia), cansaço da visão e dor de cabeça. Muitas vezes, é uma consequência de outras doenças, como derrame cerebral, aneurisma, pressão alta, diabetes, tumores, grau elevado de miopia, entre outras.

Os olhos não se mantêm na posição adequada devido à transmissão deficiente dos impulsos nervosos do cérebro para os músculos dos olhos.

Qual é o tratamento para estrabismo?

O tratamento do estrabismo depende da sua causa e pode ser feito com exercícios específicos para os músculos oculares, óculos, lentes corretivas, uso de tampões ou cirurgia, além de injeções de toxina botulínica nos músculos oculares.

Quanto mais cedo o estrabismo for diagnosticado e tratado, maiores são as chances do tratamento ser bem sucedido.

O/a médico/a responsável pelo diagnóstico e tratamento do estrabismo é o/a oftalmologista.