Perguntar
Fechar
Soluço constante, o que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Soluços constantes geralmente são causados por distúrbios que levam à irritação dos nervos frênico e vago, que inervam o diafragma. O diafragma é um músculo que separa o tórax do abdômen e participa dos movimentos respiratórios. Distúrbios que irritam os nervos frênico e vago podem provocar movimentos irregulares no diafragma, causando os soluços.

Embora os soluços possam estar relacionados com doenças, algumas delas graves, a maioria deles surgem em situações comuns como após comer muito, ingestão de bebidas alcoólicas e refrigerantes, rir muito, mudanças repentinas de temperatura e ingestão de líquidos quentes ou frios. Nesses casos, ele é benigno e tende a desaparecer após algum tempo.

Algumas possíveis causas para o aparecimento de soluço constante:

  • Esofagite de refluxo;
  • Comer rápido ou comer muito;
  • Ansiedade;
  • Estresse;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Inchaço do estômago (distensão gástrica);
  • Distúrbios neurológicos ou metabólicos;
  • Realização de procedimentos cirúrgicos;
  • Anestesia;
  • Uso de certos medicamentos;
  • Doença ou distúrbio que irrita os nervos que controlam o diafragma, incluindo pleurisia, pneumonia ou doenças do abdômen superior;
  • Alimentos ou líquidos quentes ou condimentados;
  • Derrame ou tumor cerebral.

Já o soluço constante pode resultar de problemas estruturais ou funcionais, distúrbios da medula espinhal ou de nervos dos músculos respiratórios. Pode ainda ser consequência de distúrbios endócrinos, uso de medicamentos e drogas, infecções do sistema nervoso central (encefalite, meningite, sífilis, encefalopatia por HIV).

Os soluços causados por distúrbios neurológicos indicam envolvimento da região da medula responsável pela respiração. Sua ocorrência pode antecipar o desenvolvimento de irregularidades do ritmo respiratório, culminando em parada respiratória.

Distúrbios do esôfago e de outras partes do trato gastrointestinal estão ocasionalmente relacionados a soluços prolongados, devido à estimulação do nervo vago. Dentre eles estão refluxo gastroesofágico, distúrbio da motilidade do esôfago, distensão gástrica, obstrução do esôfago ou do intestino delgado e doença pancreática ou biliar.

Outras causas de soluço constante podem incluir ainda:

  • Presença de corpo estranho no ouvido externo;
  • Tumores no tórax;
  • Aneurisma da aorta torácica;
  • Irritação do diafragma causada por doença hepática, derrame pleural ou pericárdico e infarto do miocárdio;
  • Distúrbios sistêmicos, incluindo diabetes, níveis elevados de ureia (uremia), pouca concentração de cálcio e sódio no sangue e doença de Addison.
O que é o soluço?

Os soluços são contrações musculares involuntárias (espasmos) do diafragma, músculo responsável pela inspiração. O resultado são breves explosões de intensa atividade inspiratória, envolvendo o diafragma e os músculos inspiratórios localizados entre as costelas.

O fechamento da glote ocorre quase imediatamente após o início da contração diafragmática, gerando o som característico e o desconforto do soluço.

Muitas vezes os soluços começam sem um motivo aparente e desaparecem após alguns minutos. São comuns em recém-nascidos e bebês. Contudo, em casos raros, os soluços podem durar dias, semanas ou meses.

O soluços estão frequentemente associados a distensão gástrica, mudanças repentinas de temperatura, emoção ou ingestão de álcool.

Em geral, os soluços se resolvem-se espontaneamente ou com medidas simples. Soluços que duram mais de 24 horas são raros e podem indicar doença subjacente grave.

O que fazer em caso de soluço constante?

A primeira coisa a fazer em caso de soluço constante é reverter ou tratar qualquer causa subjacente, incluindo alívio da obstrução do esôfago ou da distensão gástrica.

A estimulação da faringe pode inibir os soluços de forma considerável, embora o efeito possa ser apenas temporário. Essa estimulação pode ser obtida bebendo água gelada, fazendo gargarejo ou comendo açúcar granulado, por exemplo.

Respirar repetidamente em um saco de plástico e prender a respiração também pode ajudar a acabar com o soluço em algumas situações.

A introdução de um tubo no estômago através do nariz também pode funcionar. Contudo, esse é um procedimento médico e só pode ser feito por profissionais de saúde habilitados.

Muitos medicamentos têm sido usados para tratar soluços constantes, como a clorpromazina® e o haloperidol®. Outros remédios, incluindo metoclopramida®, clonazepam® e anticonvulsivantes (carbamazepina® e fenitoína®) podem ser úteis, principalmente em soluços causados por distúrbios neurológicos.

A interrupção de casos de soluços constantes também pode ser conseguida com a amitriptilina®, nifedipina®, amantadina® e baclofeno®.

Se os medicamentos ou outros métodos não funcionarem, pode ser indicado o bloqueio cirúrgico do nervo frênico, o nervo que controla o diafragma.

Os soluços que duram até 48 horas são considerados agudos. Se durarem mais de 48 horas, são considerados persistentes. Em qualquer dessas situações, o médico clínico geral ou médico de família deve ser procurado para a identificação da sua causa e indicar o tratamento.

Qual é a melhor forma de parar o soluço?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Existem diversas técnicas que ajudam a parar o soluço. Contudo, aquela que parece ter melhores resultados é beber água, principalmente água gelada, porque a mudança abrupta da temperatura estimula a inervação torácica, regulando o funcionamento do diafragma.

Há ainda uma outra forma que era indicada para interromper o soluço, que vem caindo em desuso pelos riscos de engasgos e broncoaspiração, além de não se saber ao certo o seu mecanismo de ação; que seria beber água “ao contrário”, ou seja, inclinando o tronco para a frente ao invés de inclinar normalmente o copo.

Outras formas que comprovadamente auxiliam no término do soluço mais rapidamente, porém sem oferecer riscos para a saúde, são:

1. Prender a respiração

Prender a respiração por alguns segundos, e soltar o ar aos poucos. Esta manobra pode acabar com soluços leves, pois ajuda a relaxar o diafragma e diminui os impulsos nervosos que desencadeiam os espasmos do músculo;

2. Levar um susto

Também pode interromper o soluço, por provocar liberação de adrenalina, que tem efeito sobre o diafragma e sobre sua inervação;

3. Soprar contra resistência

Por exemplo, soprar contra a mão, pois aumenta a pressão intra-abdominal, aumentando a resistência sobre o diafragma, organizando seu funcionamento;

4. Soprar dentro de um saco ou uma bola de aniversário

Pelo mesmo mecanismo, aumentando a pressão intra-abdominal e consequente ajuste no funcionamento do diafragma.

O que é o soluço?

O soluço é o resultado de espasmos ou contrações involuntárias do diafragma, um músculo localizado abaixo dos pulmões, responsável por separar a cavidade torácica da cavidade abdominal, e fortemente relacionado a respiração.

Soluço persistente: o que fazer?

Em geral, os soluços desaparecem espontaneamente em pouco tempo e não precisam de nenhum tipo de avaliação ou tratamento. Porém, soluços persistentes podem ser tratados com medicamentos, hipnose e acupuntura.

Se mesmo assim permanecerem os soluções, embora seja raro, existem ainda opções cirúrgicas, como bloqueio do nervo e implante de marca-passo respiratório.

Portanto, se mesmo depois de realizar as técnicas sugeridas acima, o soluço permanecer por mais de 48 horas, procure um/a médico/a clínico geral ou médico/a de família para uma investigação e orientação de tratamento.

Remédios podem causar soluços?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim, alguns remédios podem causar soluços. Dentre os medicamentos relatados como responsáveis por provocar crises persistentes de soluço estão os anestésicos usados na anestesia geral em cirurgias, levodopa, neurolépticos e alfa-metildopa. O mecanismo exato por que esses remédios podem causar soluços não é totalmente conhecido, mas é provável que esteja relacionado com a atuação sobre o sistema nervoso central.

Os soluços são espasmos involuntários do músculo diafragma, o músculo responsável pela inspiração durante a respiração. Na maioria das vezes o soluço ocorre quando o diafragma sofre algum tipo de irritação e produz uma contração vigorosa do músculo (espasmo), fazendo com que o ar entre nos pulmões a uma velocidade elevada, logo depois a glote é fechada impedindo a entrada de ar para os pulmões, gerando o som característico do soluço.

O soluço também pode ter como causa alterações metabólicas devido tabagismo, alcoolismo ou diabetes não controlado, doenças do sistema nervoso central como meningite ou tumores, refluxo gastroesofágico, o hábito de mascar chicletes, alterações dos nervos vago ou frênico, responsáveis por inervar os músculos da respiração, entre outras.

Leia também: O que é o soluço e quais são as suas causas?

Existem maneiras simples e eficazes de interromper o soluço, como prender a respiração por alguns segundos, depois respirar profundamente; tomar uma colher de açúcar cristal; entre outras, saiba mais no link abaixo. 

as melhores formas de parar o soluço.

Se os soluços persistirem, fale com o médico clínico geral ou médico da família para dar início a investigar de causas de soluço refratário. 

Saiba mais sobre o assunto em:

Soluço constante, o que pode ser?

Soluço constante em bebê é normal? O que pode ser e o que fazer?

O que é o soluço e quais são as suas causas?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O soluço é uma contração vigorosa e involuntária do diafragma, o músculo responsável pela inspiração e que separa o tórax do abdômen. Esse espasmo do diafragma faz com que o ar entre nos pulmões a uma velocidade muito maior que o normal, seguido pelo fechamento súbito da glote que produz o som característico do soluço.

Contudo, a causa do soluço ainda não é totalmente conhecida. Sabe-se que o mecanismo está relacionado com um reflexo que envolve o nervo frênico, que inerva o diafragma, o nervo vago, que inerva boa parte do aparelho digestivo, e as conexões desses nervos no sistema nervoso central.

As situações mais comuns que podem provocar soluço incluem estresse, comer ou beber demais, fumar, mascar chicletes, alteração no nervo do diafragma, uso de medicamentos (anestésicos, corticoides, ansiolíticos) e refluxo gastroesofágico.

Porém, o soluço também pode ter origem em alterações metabólicas causadas por alcoolismo ou diabetes não controlado, além de doenças do sistema nervoso central como meningite ou tumores.

Os soluços podem ser classificados em 3 tipos: episódicos, persistentes e intratáveis. Os episódicos podem ocorrer quando a pessoa come demais (hiperdistensão do estômago), ingere bebidas com gás, engole ar ao mascar chicletes ou fumar, ou quando é submetida a uma insuflação gástrica durante uma endoscopia.

Já os soluços persistentes e intratáveis podem causar desnutrição, emagrecimento, insônia, cansaço e estresse, interferindo negativamente na qualidade de vida do indivíduo. Esses tipos de soluço ocorrem principalmente em homens idosos com doenças associadas.

Saiba mais em: Soluço constante, o que pode ser?

Ainda não foi encontrada nenhuma função fisiológica para o soluço. Acredita-se que os soluços do bebê, enquanto ainda está no útero materno, sejam um tipo de exercício respiratório.

Veja também: Soluço constante em bebê é normal? O que pode ser e o que fazer?

O soluço episódico desaparece espontaneamente e não precisa de nenhum tipo de avaliação ou tratamento. Contudo, soluços que persistem por mais de 48 horas precisam ser investigados. Se houver alguma doença associada, o tratamento é direcionado para a doença.

Existem algumas técnicas que podem ajudar a parar o soluço, como prender a respiração, soprar contra uma resistência, beber água gelada, ou ainda manipular o diafragma pressionando as coxas sobre o abdômen ou apoiando o tórax contra uma superfície.

Veja aqui qual é a melhor forma de parar o soluço.

Soluços persistentes ou intratáveis podem ser tratados com medicamentos, hipnose e acupuntura.

Em caso de soluço persistente por mais de 48 horas, consulte um médico de família ou um clínico geral para investigar as possíveis causas do soluço.

Também pode lhe interessar: Remédios podem causar soluços?

Soluço constante em bebê é normal? O que pode ser e o que fazer?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, soluço constante em bebê é normal, desde que não sejam soluços que duram um dia inteiro e não param de forma alguma. Se isso acontecer, o melhor é levá-lo ao pediatra. Tirando essas situações excepcionais, é muito comum o bebê soluçar bastante, principalmente recém nascidos.

Os soluços são contrações do músculo diafragma, um músculo que separa a parte superior da parte inferior do tronco e é responsável pela entrada de ar nos pulmões durante a respiração.

Essas contrações provocam uma entrada busca de ar nos pulmões, causando o som característico do soluço.

Como a musculatura do bebê ainda é bastante imatura, qualquer irritação no diafragma pode provocar soluço. Dentre as causas mais comuns de soluço em bebês, estão:

  • Frio: Correntes de ar ou falta de roupas podem deixar o bebê com frio e provocar soluços. Mesmo nos dias mais quentes, é recomendável deixá-lo com uma roupa que cubra pelo menos a barriga e as costas, sem se esquecer de proteger também os pés. Fralda molhada e camiseta úmida por causa da baba também podem causar soluços pelo frio;
  • Estômago cheio: Ocorre depois de uma boa mamada. Quando acontecer, basta deixar o bebê meio sentado, no bebê conforto ou encostado num travesseiro. Caso o bebê fique no colo, deve-se tomar o cuidado de não apertar a sua barriga e não sacudi-lo enquanto estiver com soluços;
  • Estômago vazio: Se o bebê estiver com fome, ele também pode ter soluço. Neste caso, o soluço passa quando ele mamar;
  • Refluxo gastroesofágico: Necessita de medicamentos específicos para melhorar o esvaziamento do estômago e reduzir o refluxo, aliviando os soluços;
  • Ação reflexa do sistema nervoso central: Este tipo de soluço ocorre devido à imaturidade do sistema nervoso autônomo e pode passar quando o bebê assusta com um barulho forte e súbito.

Leia também: Remédios podem causar soluços?

O que fazer para acabar com o soluço?
  • Certificar-se de que o bebê não está com fome;
  • Se não estiver com o estômago cheio, dar 10 a 20 ml de líquido assim que o soluço começar;
  • Deixar a criança no bebê elevada ou sentada depois de mamar;
  • Verificar se o bebê não está com frio e aquecê-lo, se necessário;
  • Não sacudir o bebê quando estiver com soluço.

É importante lembrar que os bebês não sofrem com os soluços como os adultos, podendo ficar vários minutos soluçando sem demonstrar nenhum desconforto.

Saiba mais em:

O que é o soluço e quais são as suas causas?

Qual é a melhor forma de parar o soluço?

O que fazer quando a pessoa não que se tratar?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O paciente e sua família (salvo sob condição judicial) tem pleno direito e liberdade de escolher o que fazer com sua própria saúde e cabe aos médicos e as outras pessoas respeitarem esse direito, mesmo que isso possa levar a um desfecho infeliz. Ninguém pode obrigar o seu pai a fazer algo que ele não queira, por mais difícil que isso seja para você da família assistir a essa situação, que sabemos onde vai chegar, você precisa respeitar a vontade dele.

6 causas do soluço e como parar
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Ainda não se sabe ao certo quais são as causas do soluço. Ele pode ocorrer quando comemos em grande quantidade e muito rápido, ao tomar bebidas gaseificadas, ao ingerirmos alimentos quentes e frios em uma mesma refeição ou por doenças do sistema gastrointestinal.

O soluço é um espasmo ou contração involuntária do diafragma (músculo que separa o tórax do abdome), seguido pelo fechamento da glote e das cordas vocais durante a inspiração. Deste modo, a passagem de ar para os pulmões fica prejudicada e produz o som típico do soluço, o “hic”.

Os espasmos ou contrações involuntárias do diafragma causam os soluços. Quais são as causas do soluço?

Na maior parte das vezes, as crises de soluço são passageiras e cessam espontaneamente. As causas mais comuns são:

1. Alimentar-se em grande quantidade e muito rápido

Comer muito e de forma rápida é uma das causas mais comuns de soluço. O excesso de alimentos provoca distensão do estômago. Ao mesmo tempo, se alimentar rapidamente faz com que a pessoa engula mais ar a cada deglutição.

Estes dois hábitos juntos – comer muito e comer rápido – podem gerar movimentos anormais no diafragma e desencadear os soluços.

2. Ingerir bebidas alcoólicas e/ou gaseificadas

O gás presente em bebidas como água com gás, refrigerantes e algumas bebidas alcoólicas causam a distensão do estômago e, por este motivo, podem ocasionar o soluço. Se você tem tendência a soluços, evite estas bebidas.

3. Misturar alimentos em diferentes temperaturas

Ingerir alimentos muito quentes e muito frios em uma mesma refeição podem gerar solução. Este é um hábito muito comum, pois por vezes, costumamos comer comidas muito quentes e ingerir bebidas geladas no almoço ou jantar, por exemplo.

Estas diferenças de temperatura entre os alimentos podem promover espasmos involuntários do diafragma e causar soluço.

4. Deglutição de ar

A deglutição de ar (aerofagia) que ocorre ao fumar cigarros, mascar chicletes ou dar muitas risadas podem levar à distensão do estômago e causar os soluços.

A aerofagia não é um problema grave, mas pode ser bastante desconfortável se tornar-se frequente. Nestes casos, o mais indicado é consultar um gastroenterologista para que ele possa identificar as causas e indicar o melhor tratamento.

5. Doenças gastrointestinais

Algumas doenças como laringite, esofagite e refluxo podem ter o soluço como um sintoma. Estas doenças podem estimular o nervo que controla os movimentos do diafragma e, por este motivo, o soluço pode surgir.

O indicado nestas situações é buscar um médico de família para que ele possa avaliar e tratar adequadamente, de acordo com a causa.

6. Estresse, ansiedade e depressão

O soluço também pode ser provocado por causas emocionais como ansiedade, depressão e estresse. Ainda não está bem esclarecido os motivos pelos quais os distúrbios psicológicos ou emocionais desencadeiam o soluço.

O que fazer para acabar com uma crise de soluço?

Algumas medidas caseiras são bastante utilizadas para fazer com que a crise de solução pare. Estas ações caseiras devem ser efetuadas no início da crise:

Prenda a respiração por alguns segundos

Prender a respiração durante segundos provoca o aumento da quantidade de gás carbônico na corrente sanguínea. Isto faz com que o diafragma se contraia e ajude a cessar a crise de soluço.

Não existe um tempo determinado para prender a respiração. Tente prendê-la por 5 segundos ou o tempo que você conseguir.

Beba água gelada ou coma gelo triturado

Ingerir água gelada ou comer gelo triturado causa uma mudança de temperatura em todo o sistema digestivo e isto estimula o nervo vago. É este o nervo que atua na secreção dos líquidos digestivos e controla o diafragma.

Ao ser estimulado, o nervo vago envia estímulos para regularizar a ação do diafragma e, deste modo, cessar a crise de soluço.

Respire repetidamente dentro de um saco de papel

Respirar algumas vezes dentro de um saco de papel eleva a quantidade de gás carbônico no sangue. Isto provoca contrações no diafragma que faz com que a crise de soluço passe.

Toque a úvula com o dedo ou com um objeto

Utilize um objeto longo ou o seu dedo para tocar a úvula (o “sininho” da garganta), o que provocará reações de arroto e vômito para aliviar a pressão dentro de estômago. Isto faz com os soluços passem.

Se as crises de soluço tiverem duração de mais 24 horas e/ou interferirem no sono é importante buscar a avaliação de um neurologista.

Quando devo procurar um médico?

De forma geral, o soluço não causa problemas de saúde importantes.

Entretanto, você deve procurar um médico se as crises de soluço forem recorrentes (crises que vão e voltam com frequência e duram mais de 24 horas) ou quando se tornarem persistentes com duração de mais de 48 horas.

Quando uma crise de soluço dura mais de 48 horas (soluço persistente) é necessária uma avaliação detalhada para descobrir a sua causa. Neste caso, o neurologista é o profissional mais indicado para efetuar a avaliação.

Você poderá passar por uma entrevista na qual precisará relatar sobre as crises de soluço e, possivelmente, fará alguns exames como exame de sangue (hemograma), endoscopia, ressonância e teste de função pulmonar.

Posso usar algum remédio para soluço?

Não. Você não deve usar remédios para soluço sem indicação médica.

Existem vários medicamentos que podem ajudar a conter as crises de soluço quando estas são longas (entre 24 e 48 horas de duração) ou se repetem por diversas vezes.

O soluço persistente requer acompanhamento de um neurologista para identificar as causas e, deste modo, tratar de forma adequada.

Leia mais

O que é o soluço e quais são as suas causas?

Qual é a melhor forma de parar o soluço?

Soluço constante, o que pode ser?