Perguntar
Fechar
Posso engravidar na pausa do anticoncepcional?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A mulher que faz uso correto do anticoncepcional, tomando um comprimido por dia, sempre no mesmo horário e sem apresentar esquecimento de pílulas, não engravida na pausa do anticoncepcional.

A pausa do anticoncepcional é o intervalo entre uma cartela e outra. Nesses dias de intervalo, ocorrerá o sangramento equivalente à menstruação e, após essa pausa, a mulher deve iniciar a nova cartela e continuar tomando a medicação como indicada.

Durante essa pausa, os hormônios da pílula continuam agindo no organismo da mulher e evitando a gravidez indesejada.

Caso a mulher esteja começando o uso da pílula e esteja nas primeiras três cartelas, seu organismo está em fase de adaptação à medicação e, portanto, ela deve usar um método contraceptivo adicional (como o preservativo) para evitar possíveis falhas.

O uso da amoxicilina juntamente com o anticoncepcional não diminui a eficácia da pílula. As duas medicações podem ser usadas ao mesmo tempo e, durante o tratamento com antibiótico, a mulher deve continuar o uso do anticoncepcional normalmente.

Leia também:

Posso tomar benzetacil ou amoxicilina com bebida alcoólica?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Desde que seja uma quantidade pequena de bebida, não há problemas graves em tomar benzetacil ou amoxicilina com bebida alcoólica, embora o ideal seja evitar ingerir álcool enquanto estiver tomando antibiótico.

A bebida alcoólica aumenta a eliminação de urina e pode acelerar a excreção do antibiótico, o que pode tornar o intervalo prescrito do medicamento inadequado.

Por exemplo, se o paciente estiver tomando benzetacil, amoxicilina ou qualquer outro antibiótico, de 8 em 8 horas, pode ser que depois de 8 horas ele já não tenha quantidade suficiente de medicamento na corrente sanguínea, caso tenha bebido álcool.

Além disso, a ingestão de bebida alcoólica com antibióticos pode reduzir o tempo de eliminação do álcool, aumentando a sua toxicidade no cérebro, fígado e aparelho digestivo. Pode inclusive causar vômitos e impedir, desta forma, a absorção das próximas doses do medicamento.

Outra razão para evitar essa combinação é que, assim como os antibióticos, o álcool também é metabolizado no fígado, sobrecarregando o órgão e prejudicando o processamento do medicamento.

Para maiores informações sobre a ingestão de bebidas alcoólicas com benzetacil ou amoxicilina, fale com o/a médico/a que receitou o medicamento.

Penicilina e amoxicilina são a mesma coisa?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Penicilina e Amoxicilina são antibióticos usados para tratar infecções causadas por bactérias.

A penicilina foi o primeiro antibiótico descoberto e continua sendo útil para combater várias bactérias. A penicilina é classificada em vários tipos: primeira, segunda, terceira e quarta geração. A penicilina mais conhecida é a Benzetacil® (Penicilina Benzatina) que é usada na forma de injeção intramuscular geralmente nas nádegas.

Para que serve a penicilina?

A Amoxicilina é uma medicação derivada da penicilina, classificada como de segunda geração pois é capaz de combater um espectro maior de bactérias. Portanto, quem possui alergia às penicilinas não deve usar amoxicilina na mesma. Ela é disponível em comprimido ou xarope (suspensão oral). As infecções mais comuns tratadas com amoxicilina são: otite (infecção de ouvido), de garganta, de pele, de dente, de urina, pneumonia e erradicação do H. pylori no estômago. 

Por isso, apesar de terem composições equivalentes, as duas medicações são usadas com finalidades distintas a depender da doença em questão (pois uma pode ser mais específica para determinada doença do que a outra) e da forma de administração (injeção, comprimido, líquido).

O/a médico/a saberá indicar a melhor opção de acordo com a infecção do/a paciente.

Amoxicilina corta o efeito do anticoncepcional?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não. Apesar de alterar a flora intestinal, assim como outros antibióticos, o que poderia causar uma absorção menor do hormônio estrogênio do anticoncepcional no trato gastrointestinal, reduzindo a ação do medicamento, esse efeito não foi comprovado cientificamente no caso da Amoxicilina. 

O único antibiótico que reduz a eficácia dos anticoncepcionais comprovadamente é a Rifampicina, utilizado no tratamento para tuberculose, meningite e hanseníase.

O uso correto do anticoncepcional, 1x ao dia, buscando manter o mesmo horário, sem falhas, alcança 99% de segurança de contracepção. Caso precise fazer uso de outras medicações em conjunto é importante comunicar ao médico que está prescrevendo, todos os medicamentos que faz uso, para não correr riscos de interação medicamentosa ou redução do efeito de um deles.

Saiba mais sobre esse assunto nos links:

Posso tomar Amoxicilina e Paracetamol amamentando?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Sim, pode tomar Amoxicilina e Paracetamol e amamentar seu bebê sem problemas, nenhum dos dois medicamentos costumam fazer mal ao bebê. Salvo casos de alergias aos remédios citados. Eventualmente a Amoxicilina pode estar associada a casos de diarreia em crianças.

Tomei uma benzetacil, preciso continuar a amoxicilina?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Provavelmente não. Contudo, é importante seguir o que foi orientado pelo seu médico. Na maioria dos casos, o tratamento das infecções bacterianas de garganta é feito ou com amoxicilina por via oral, por 10 dias, ou através de uma injeção única de penicilina benzatina, a Benzetacil.

Dificilmente, há a necessidade de associar os dois medicamentos, isto porque ambos são beta lactâmicos ou seja, são da mesma classe de antibióticos, sendo que a amoxicilina é considerada um tipo de penicilina semi-sintética e a Benzetacil é um tipo de penicilina G, do grupo das penicilinas naturais.

Há algumas diferenças entre ambas: a forma de administração da amoxicilina é oral e da Benzetacil injetável, porque a penicilina benzatina é pouco absorvida quando administrada através de comprimidos. Além disso, há uma diferença no que ser refere ao espectro de ação, a amoxicilina tem o espectro maior do que o da Benzetacil, ou seja, ela é capaz de combater eficientemente mais perfis de bactérias.

Contudo, no que se refere as faringoamigdalites, que são as infecções de garganta, ambas são eficazes e são considerada primeira opção no tratamento dessa doença. 

Saiba mais sobre esses dois antibióticos em: Penicilina e amoxicilina são a mesma coisa?

Pode também interessar:

Tudo sobre a Benzetacil

Tomei uma Benzetacil posso fazer compressa quente?

Amoxicilina tira efeito da pílula anticoncepcional?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Sim, alguns medicamentos interferem com a eficácia dos anticoncepcionais, a amoxicilina tem pouca interferência (amoxicilina pode ficar tranquila).

Qual é o efeito da amoxicilina se tomado em excesso?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Dor abdominal, vômitos e diarreia são os sintomas mais comuns da ingestão de uma dose muito grande de amoxicilina, o ideal é levá-lo a um médico ou serviço de emergência.

Amoxicilina e ibuprofeno interferem na ação do anticoncepcional?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Não.

Amoxicilina e ibuprofeno não interferem na ação do anticoncepcional.

Quem faz uso de algum anticoncepcional e precisa tomar amoxicilina ou ibuprofeno, pode tomar normalmente como foi prescrito pelo/a profissional de saúde.

A amoxicilina e o ibuprofeno não interferem na ação do anticoncepcional e não diminuem sua eficácia.

Ao utilizar o antibiótico e o anti-inflamatório, a mulher deve continuar o uso habitual do anticoncepcional: 1 comprimido por dia, no mesmo horário.

Leia também:

5 coisas que podem cortar o efeito do anticoncepcional

Antibióticos cortam o efeito do anticoncepcional?

Estou amamentando, posso tomar Amoxicilina?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pode sim. Não há contra-indicações da amoxicilina na amamentação (salvo caso de alergias ou outras situações especiais constatadas pelo pediatra).

Posso tomar Amoxicilina amamentando?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A Amoxicilina pode ser usada pela mulher que está amamentando.

Porém, vale ressaltar que qualquer antibiótico somente deve ser usado com recomendação médica e pelo período e dosagem indicados na receita médica. O uso de antibióticos de forma não segura e sem uma necessidade pode causar resistência antibiótica.

Os antibióticos são indicados em casos de infecções causadas por bactérias. Em alguns casos, o medicamento é usado para prevenir infecções bacterianas, como em pós-operatórios, por exemplo.

Vale lembrar que os antibióticos não servem para tratar doenças causadas por vírus, como gripes, Dengue, amigdalites virais, entre outras.

O uso incorreto do antibiótico, como no caso do antibiótico não ser adequado para aquela infecção bacteriana específica, não elimina as bactérias infecciosas e pode fazer com que as bactérias desenvolvam resistência a antibióticos.

Para evitar a resistência das bactérias ao antibióticos, é fundamental seguir o tratamento até ao fim, no tempo e nas doses prescritas pelo médico, mesmo que os sintomas tenham aliviado ou desaparecido.

Apesar de ser secretada pelo leite materno em pequena quantia, a Amoxicilina não acarreta problemas no desenvolvimento da criança.

Use medicamentos apenas com indicação médica e, em caso de dúvidas, procure uma unidade de saúde para uma consulta médica.

Qual é a dosagem máxima de amoxicilina para bebê?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A dose máxima é de 60 mg/kg/dia.

Nessa faixa etária, e até atingir o peso de 40 kg, a dose deve se basear no peso corporal. Além disso, a dose depende da idade, gravidade da doença, função renal e a sensibilidade da bactéria ao antibiótico (amoxacilina®).

Portanto, embora a dose máxima recomendada pelo fabricante seja de 60 mg por kg de peso por dia, essa dose deverá ser definida pelo médico assistente, de acordo com o quadro clínico e características da criança.

A dose diária prescrita para crianças, varia entre 25 a 50 mg/kg/dia, dividida em 2 ou 3 vezes.

O que é a amoxacilina® e para que serve?

A amoxicilina® é um antibiótico de amplo espectro indicado para o tratamento de infecções bacterianas, causadas por germes que sejam sensíveis à ação dessa medicação. As principais indicações são as infecções de vias respiratórias, afecções do ouvido, como a otite, infecções das vias urinárias e como parte do esquema de antibióticos contra a bactéria H.pylori.

Quais são os efeitos colaterais da amoxacilina®?

Os efeitos colaterais dessa medicação não são comuns, e quando acontecem costumam ser de leve intensidade. Os efeitos mais relatados são de diarreia e enjoo; que podem ser evitados se for administrado no início das refeições. Outros efeitos possíveis são as erupções da pele.

Na presença de qualquer um dos sintomas relatados, ou qualquer alteração após o início do antibiótico, deve ser informado ao médico, para avaliar a suspensão da medicação.

No entanto, no caso de diarreia liquida (mais de 5 episódios por dia), vômito frequente, dificuldade de aceitar água (ou aleitamento materno), urticária e ou coceira, procure um atendimento médico imediatamente. Devido ao risco de desidratação da criança.

Quais são os cuidados e contraindicações para o uso de amoxacilina®?

A amoxicilina® é um antibiótico do grupo das penicilinas, por isso não deve ser administrada a pacientes com histórico de alergia a essa classe de antibióticos.

Em pacientes diabéticos, apesar de não ser uma contraindicações, deve-se ter uma atenção especial, devido a presença de açúcar em sua composição.

Não é recomendado o seu uso desse antibiótico por mulheres grávidas, a não ser que seja por indicação e orientação médica ou do cirurgião-dentista.

A amoxicilina® pode ser administrada durante a lactação, sob supervisão médica.

Para maiores esclarecimentos, procure seu médico pediatra.