Perguntar
Fechar
Estou com secreção no ânus tipo pus, sem dor, o que é?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O mais provável é que você tenha um a fístula anal, precisa procurar um médico chamado Proctologista, que irá fazer o correto diagnóstico e o tratamento que em alguns caso necessita de cirurgia.

Fístula anal: como é a cirurgia e o tratamento?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O tratamento da fístula anal é quase sempre feito através de cirurgia. A operação permite abrir e expor o trajeto fistuloso (fistulotomia) ou fechar esse trajeto suturando o local fistulectomia). O tipo de cirurgia é escolhido de acordo com as características e a profundidade da fístula.

O tratamento das fístulas anais mais superficiais normalmente é mais simples. A técnica escolhida nesses casos é a fistulotomia, que consiste em abrir e fazer uma raspagem dos trajetos. Na cirurgia é feita uma abertura nos tecidos até chegar à fístula, expondo o seu trajeto e permitindo que a fístula cicatrize de dentro para fora.

Já as fístulas mais complexas podem ser difíceis de tratar. Por exemplo, se a fístula anal tiver um trajeto alto e envolver o músculo esfíncter, a abordagem do tratamento torna-se mais difícil e delicada. O esfíncter controla a abertura do ânus e, consequentemente, a eliminação de fezes e gases.

Quando a remoção ou a exposição da fístula pode destruir esse músculo, é realizada uma drenagem do trajeto por meio de um fio cirúrgico que deixa o canal limpo e aberto, impedindo o desenvolvimento de abcessos.

A colocação desse fio, chamado sedenho, favorece a cicatrização simultânea dos tecidos e ajuda a evitar a incontinência fecal.

Após a limpeza da fístula, também é possível fechar a sua abertura interna e preencher o trajeto fistuloso com uma substância específica que favorece a cicatrização a partir do interior.

Outra forma de fechar a abertura interna da fístula é colocando um retalho feito com a mucosa que recobre o canal anal e o reto. Esse procedimento cirúrgico é usado sobretudo para tratar casos de fístulas anais mais complexas ou que acometem uma grande área do esfíncter. 

As cirurgias de fístula anal geralmente são feitas em duas etapas. Isso significa que os pacientes são submetidos a 2 procedimentos cirúrgicos durante o tratamento. O tempo de espera entre cada operação varia entre 2 e 4 meses.

O objetivo do tratamento cirúrgico é eliminar a fístula e preservar a função do esfíncter. Vale lembrar que a fístula pode voltar após a cirurgia, não importa a técnica utilizada.

A  cirurgia de fístula anal deve ser feita por um médico cirurgião coloproctologista.

Também pode lhe interessar o artigo: Fissura anal tem cura? Qual o tratamento?

Fístula anal pode virar câncer?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Não existe uma relação direta, porém toda área do corpo exposta ao traumatismo e inflamação contínua pode ser uma área mais propensa ao desenvolvimento de câncer.

Fístula anal se dá pela pratica do sexo anal? Só cura através de cirurgia? Pode se transformar em algo mais sério?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Quem cuida dessa área é o Proctologista. Não sei se sexo anal causa fístula anal, acredito que não, senão haveria muito mais fístula anal do que encontramos na prática diária do consultório. O tratamento da fístula anal é na maioria das vezes feito por cirurgia. Fístula anal pode se transformar em uma fístula anal pior e mais incômoda, mas não vira câncer (acho que essa é sua dúvida).

Eu tive algo que acredito ser uma fístula anal, mas que já cicatrizou. Ainda devo procurar um médico?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Deve procurar o médico sim para os seus exames anuais de rotina, mas em relação ao que teve no ânus, pode optar por comentar isso com seu médico, quando fizer seu próximo preventivo e ele pode dar uma olhada.

Gostaria de saber mais sobre fístula anal, o que pode ter causado? Pode tratar com medicamentos ou é preciso cirurgia?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Fístula anal, ou perianal, na grande maioria das vezes é causada por um abscesso.

O abscesso é uma coleção de pus (células mortas) que forma uma cavidade e precisa ser tratado por drenagem cirúrgica e antibióticos.

Após a drenagem, essa cavidade pode resultar numa espécie de canal que comunica dois órgãos. Esse canal é denominado fístula e o tratamento quase sempre é cirúrgico.

Causas de Fístula anal / perianal

Mais raramente, a fístula anal pode ser causada por outras doenças como:

  • Doença de Crohn
  • Tuberculose
  • Tumores
  • Diverticulite
  • Câncer anal ou retal
  • Infecção sexualmente transmissível (sífilis, linfogranuloma venéreo)
  • Traumas
  • Pós-operatório
Tipos de fístulas

As fístulas podem ser classificadas de acordo com a sua localização, suas características ou gravidade.

Pela localizada, são descritas como fístulas anais (localizadas no ânus), vesico-vaginal (comunica a bexiga com a vagina) e fístulas arteriovenosas (comunica uma artéria e uma veia).

Seguindo as suas características, podem ser fístulas superficiais ou profundas; e quanto a sua gravidade, simples ou complexas.

A identificação dos tipos de fístulas, auxiliam na definição do melhor tratamento.

Tratamento da fístula anal

O tratamento quase sempre é cirúrgico, com os objetivos de fechar esse canal anormal e mantendo a função do esfincter anal. A fístula perianal favorece a formação de nova infecção, além de causar dor e dificuldade na evacuação.

Para as fístulas mais superficiais e simples, pode ser optado tratamento por endoscopia, uso de cola de fibrina, fistulotomia ou fistulectomia.

Para os casos mais profundos ou complexos, com comprometimento do músculo do esfincter, pode ser preciso realizar mais de uma cirurgia, com intervalo de 2 a 4 meses entre elas e a técnica de retalho ou fio cirúrgico.

A complicação mais temida para esse tratamento é a incontinência fecal, pelo comprometimento do esfincter.

O que é uma fístula?

A fístula é um trajeto anormal ou "caminho" anormal, que comunica dois órgãos.

Podem ocorrer em qualquer lugar do corpo, mas as mais comuns são as fístulas anais, vesico-vaginal (entre a bexiga e a vagina) e a arteriovenosa (entre uma artéria e uma veia).

A fístula vesico-vaginal, pode ocorrer após uma cirurgia de cesariana, ou cirurgias urológicas. A fístula arteriovenosa é formada pelo cirurgião, para determinados tratamentos, como a diálise.

Doenças crônicas também podem provocar a formação de fístulas, por exemplo, a doença de Crohn.

Fístula anal em bebês

Nos bebês pode haver a formação de fístulas, geralmente é uma doença congênita e mais comum nos meninos.

Saiba mais sobre o tratamento da fístula anal no seguinte artigo: Fístula anal: como é a cirurgia e o tratamento?

Referência:

  • Portal da proctologia
  • Jon D Vogel, et al.; Anorectal fistula: Clinical manifestations, diagnosis, and management principles. UpToDate, Jan 07, 2020.
  • Elsa Limura, Pasquale Giordano. Modern management of anal fistula. World J Gastroenterol 2015 January 7; 21(1): 12-20.