Perguntar
Fechar

Mamografia

Mamografia: em qual idade começar a fazer?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Entre os vários tipos de câncer de mama o carcinoma de mama é o tipo mais comum de neoplasia da mama, seu diagnóstico assim como o diagnóstico precoce dos outros tipos de cânceres de mama pode ser alcançado pela realização do exame chamado mamografia. A orientação geral é começar a fazer o exame preventivamente a partir dos 40 anos de idade com intervalo de 1 a 2 anos para mulheres sem história familiar de câncer de mama; caso haja algum caso na família (avó, mãe, tia ou irmã) a mamografia deve ser realizada a partir dos 35 anos anualmente.

Alguns ginecologistas (ou mastologistas - subespecialidade da ginecologia) costumam orientar suas pacientes a iniciar 5 anos antes ao descrito acima. A critério médico a mamografia pode ser solicitada a qualquer momento, principalmente quando existe alguma suspeita (presença de nódulos ou outras queixas que possam levar o médico a suspeitar de um tumor na mama). 

O Ministério da Saúde garante a gratuidade do exame de mamografia a todas as mulheres com mais de 40 anos. Existem muitas clínicas credenciadas pelo SUS, a paciente, geralmente, precisa ter uma requisição de exame médico da rede de saúde pública. O exame também pode ser feito particular ou por intermédio de convênio médico (plano de saúde)

Fiz exame de mama: linfonodo intramamário, isso é perigoso?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A presença de linfonodo intramamário pode não significar nada de grave, isso dependerá do restante do resultado do exame de mama. 

O que precisa ser feito é mostrar o resultado do exame para o/a médico/a que solicitou para que ele/ela lhe explique o resultado global do exame e dê sequência ao procedimento necessário, podendo ser: aguardar um novo exame, solicitar outro método diagnóstico (ultrassonografia, mamografia) ou indicar uma biópsia.

Um linfonodo é um gânglio linfático, um pequeno órgão de defesa que faz parte do sistema linfático do corpo. Esses gânglios estão dispostos em diversos pontos da rede linfática, inclusive na mama (intramamário), e atuam na defesa do organismo

A função do linfonodo é drenar os líquidos presentes ao redor dele. Quando um linfonodo está aumentado, significa que o sistema imunológico está produzindo mais células de defesa naquele gânglio e que a drenagem está sendo maior.

Veja também: Quais os sintomas do câncer de mama? ; O que são linfonodos?

O/a médico/a ginecologista ou mastologista poderá esclarecer as dúvidas, de acordo com o seu caso, e solicitar outros exames se achar necessário.

Estou entrando na menopausa e sinto muitas dores nas mamas...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O que você tem é a chamada mastalgia (dor na mama) que no seu caso pode ser decorrente das alterações hormonais típicas desse período. É importante manter em dias os exames de rotina (mamografia, por exemplo) e deve sim voltar ao mastologista.

Fiz um exame das mamas e deu... Estou com câncer?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Segundo este exame você não tem câncer de mama. Foram encontradas alterações benignas na mama que não sugerem câncer. É importante levar o exame ao médico que o solicitou, que poderá avaliá-la dentro do seu contexto clínico.

Como entender o laudo da mamografia?

O exame de mamografia pode encontrar nódulos ou alterações sugestivos ou não de malignidade, ou seja, alterações benignas ou malignas. De modo a melhor agrupar essas alterações usa-se o sistema BIRADS de classificação do resultado. Essa classificação vai de 0 a 6 e mostra as alterações que foram encontradas no exame pelo radiologista.

  • BIRADS 0: o resultado do exame não permite conclusões, geralmente é necessário complementar a mamografia com outros exames, como ultrassom.
  • BIRADS 1: Não foi encontrada nenhuma alteração no exame, portanto, o resultado é de normalidade.
  • BIRADS 2: Foram encontradas alterações, mas todas benignas, resultado também pode ser considerado normal.
  • BIRADS 3: Foram encontradas alterações provavelmente benignas, mas é necessário um acompanhamento mais próximo, o médico pode indicar repetir o exame em 6 meses.
  • BIRADS 4: Foram encontradas alterações com suspeita de malignidade. Nessa situação está indicada biópsia para esclarecimento do diagnóstico.
  • BIRADS 5: Alterações com alta suspeita de malignidade, é essencial a realização de uma biópsia para investigação.
  • BIRADS 6: É o resultado em pacientes que já apresentam câncer de mama e necessitam fazer mamografia para acompanhamento.

É válido lembrar que todo e qualquer exame deve ser interpretado pelo médico que o solicitou que irá levar em consideração outros fatores clínicos para o correto diagnóstico.

Quais são as alterações benignas mais frequentes da mama?

A mama pode apresentar diferente alterações estruturais benignas no decorrer da vida das mulheres. As mais frequentes são os fibroadenomas, cistos, papiloma intraductal e tumor filoide.

Fibroadenomas

Os fibroadenomas são as lesões de causas benignas mais frequentes na mama. Geralmente é um nódulo móvel, de consistência elástica, com bordas regulares e lisas, é pouco ou não doloroso. Costumam crescer um pouco mais na gestação. Também oscilam de tamanho conforme o ciclo menstrual.

Cistos

Os cistos são nódulos regulares e amolecidos por conterem líquido dentro. Podem causar dor se crescerem rapidamente ou atingirem grandes proporções. Além disso, podem crescer ou desaparecer espontaneamente.

Papiloma intraductal

O papiloma intraductal é uma alteração benigna dos ductos subareolares da mama, o seu principal sintoma é a saída de secreção mamilar sanguinolenta.

Tumor filoide

São tumores móveis, lobulados e indolores, apresentam semelhanças com os fibroadenomas, mas o seu crescimento é mais rápido e costumam ser maiores. São tumores mais raros.

Na presença de nódulos mamários ou outras alterações da mama consulte sempre o seu médico de família ou ginecologista.

Fazer a mamografia dói?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

A mamografia causa certo desconforto e dor, que é individual e sofre influência da faixa etária e do período menstrual. Esse desconforto acontece porque, para a realização do exame, é necessária a compressão do tecido mamário.

Quanto mais jovem for a mulher, maior será o seu tecido glandular, o que poderá tornar a dor mais intensa; quanto mais perto estiver do ciclo menstrual, devido à retenção de líquido ou questões hormonais, a mulher pode se sentir menos confortável.

A dor pode ser maior se houver cistos na mama, porém, existem algumas alternativas para diminuir essa dor:

  • Fazer o exame após a menstruação;
  • Realizar ultrassonografia mamária antes, para avaliar a presença de cistos mamários. Se houver cistos maiores de 2 cm, é indicado o esvaziamento antes da mamografia. Outra alternativa é fazer uso de um medicamento anti-inflamatório ou analgésico duas horas antes de realizar o exame;
  • Se a mulher for jovem e houver disponibilidade, realizar a mamografia digital, que exige menor compressão das mamas.

É importante frisar que a dor é passageira e a mamografia é indispensável para mulheres com mais de 40 anos, ou antes, se houver antecedente familiar de câncer de mama. O exame deverá ser solicitado pelo médico ginecologista.

Qual a diferença entre ecografia mamária e mamografia?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A mamografia é um exame de Raio-X realizado nas mamas. Ela é recomendada para todas as mulheres entre 50 e 69 anos de idade. Fora dessa faixa etária, ela pode ser indicada na presença de alguns fatores individuais e familiares que serão avaliados pelo/a médico/a solicitante. A mamografia é disponibilizada gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). 

A ecografia mamária é um exame de Ultrassom realizado nas mamas. Ela pode ser indicada em qualquer idade para avaliação do desenvolvimento mamário, identificação de cistos, dentre outros.

O/a profissional de saúde saberá indicar a melhor opção em cada caso. Em momentos de dúvida, pergunte sobre os procedimentos durante a consulta e antes da realização do exame. 

Mulher com prótese de silicone pode fazer mamografia normalmente?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. Mulher com silicone ou outro tipo de reconstrução das mamas pode fazer mamografia normalmente.

A mulher que possui silicone pode fazer mamografia seguindo as recomendações e idades indicadas para as mulheres sem silicone.

A prótese de silicone não impede o procedimento. A única diferença é que, nessas situações, a mulher fará a mamografia em quatro incidências e não em duas como habitualmente. Essas duas incidências adicionais servem para avaliar o posicionamento da prótese e os tecidos mamários que podem ficar escondidos pelo silicone nas incidências habituais.

A mamografia é recomendada às mulheres entre os 50 e 69 anos. Em casos de presença de história de câncer de mama na família, essa idade pode ser reduzida.

A mamografia é fornecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Se você encontra-se nessa faixa etária, procure uma unidade de saúde para uma avaliação e para solicitar o exame.