Perguntar
Fechar
Qual o valor de referência da ureia?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os valores de referência da ureia no adulto variam entre 16 e 40 mg/dL, enquanto que nas crianças o valor de referência fica entre 5 e 36 mg/dL.

A ureia alta pode ser um sinal de que os rins não estão funcionando adequadamente, embora os níveis de ureia não sejam muito confiáveis para verificar a função renal, uma vez que a sua elevação muitas vezes está relacionada com a dieta e o estado de hidratação da pessoa.

Na insuficiência renal, os níveis de ureia no sangue estão sempre elevados. Contudo, ureia alta nem sempre significa problemas renais, pois os seus valores podem ser alterados em casos de dieta rica em proteínas, desidratação, infarto, infecções, tumores, doenças hepáticas, entre outras situações.

Já a ureia baixa pode estar relacionada com desnutrição, falta de proteínas na alimentação, insuficiência hepática, gravidez, doença celíaca, entre outras condições.

A ureia é resultante da metabolização das proteínas ingeridas na alimentação, sendo produzida pelo fígado e eliminada pelos rins através da urina. Quando os rins perdem a capacidade de filtrar o sangue de forma adequada, a ureia começa a se acumular na corrente sanguínea e os seus valores ficam elevados.

Devido a todos esses fatores que podem alterar os valores da ureia, normalmente esse exame é solicitado junto com o exame de dosagem de creatinina, que é um marcador mais confiável para avaliação da função renal.

Para que serve o exame de ureia?

O exame de ureia é usado para avaliar a função dos rins, sendo indicado em caso de suspeita de lesão renal ou de modo preventivo em pessoas que têm mais chances de desenvolver insuficiência renal crônica, junto com o exame de creatinina.

Fazem parte desses grupos de risco pessoas com hipertensão arterial, rins policísticos, diabetes, cálculos renais frequentes, história de insuficiência renal na família, infecções renais recorrentes, entre outras doenças e condições que aumentam a predisposição para desenvolver insuficiência renal.

Embora não seja suficiente para diagnosticar uma insuficiência renal crônica, a avaliação dos valores de ureia oferece uma boa ideia desta função. Quanto mais alta estiver a ureia, maior é o comprometimento da função dos rins.

O resultado do exame deve ser interpretado pelo/a médico/a que o solicitou, que irá levar em consideração a história e o exame clínico do/a paciente.

Saiba com mais detalhe para que serve o exame da ureia

Ureia alta: o que fazer para baixar?

Ureia alta: o que fazer para baixar?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Uma forma de baixar a ureia alta naturalmente é diminuir o consumo de alimentos ricos em proteínas e aumentar a ingestão de água. Níveis elevados de ureia no sangue muitas vezes estão relacionados com uma dieta rica em proteínas e desidratação.

Nesses casos, deve-se evitar sobretudo alimentos com proteínas de origem animal, como carnes vermelhas (porco, vaca, cordeiro), aves (frango, pato, peru), embutidos (bacon, salame, mortadela, linguiça), frutos do mar (camarão, polvo, lula, mexilhão), miúdos (fígado, moela, coração) e peixes, principalmente sardinha e anchova.

Para manter a ingestão diária necessária de proteínas, pode-se apostar em alimentos que são fontes de proteínas de origem vegetal, como leguminosas (feijão, grão-de-bico, lentilhas, ervilhas) e soja (tofu, carne de soja). Leite, queijos e iogurtes com baixo teor de gorduras também podem estar incluídos na dieta.

A ureia é resultante da metabolização das proteínas ingeridas na alimentação, sendo produzida pelo fígado e eliminada pelos rins através da urina.

Por isso, a ureia alta também pode ser um sinal de que os rins não estão funcionando bem, pois quando os rins perdem a capacidade de filtrar o sangue adequadamente, a ureia vai se acumulando na circulação e os seus níveis se elevam.

Outras situações que podem elevar a ureia no sangue incluem infarto, infecções, tumores, doenças hepáticas, entre outras.

O resultado de exame de ureia isoladamente não representa necessariamente um problema. Ele deve ser correlacionado com a história clínica da pessoa e com os demais exames complementares. Outros exames complementares, como a Creatinina, são mais específicos e podem avaliar com mais precisão a função renal da pessoa e a presença de alguma insuficiência.

Em caso de ureia alta, o/a médico/a que solicitou o exame deverá interpretar o resultado e indicar o tratamento mais adequado para baixar a ureia, de acordo com o caso. Leve sempre o resultado dos exames nas consultas de retorno para que essa avaliação possa ser feita adequadamente.

Qual o valor de referência da ureia?

Saiba mais para que ser o exame da ureia

Para que serve o exame da ureia?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O exame de ureia é um exame que mede a quantidade de ureia no sangue ou na urina. A ureia é um subproduto resultante do metabolismo de proteínas no organismo. A ureia é excretada pelos rins. Por isso, o resultado do exame de ureia pode avaliar a função renal. Uma taxa de ureia elevada pode ser um sinal de que os rins não estão funcionando de maneira eficiente.

Pessoas que estão nos estágios iniciais de uma doença renal podem não notar nenhum sintoma. O exame de ureia pode detectar problemas renais em um estágio inicial, quando o tratamento é mais eficaz.

A principal função dos rins é eliminar os resíduos e o excesso de líquidos do corpo. A ureia é um dos resíduos que os rins removem do sangue. Se a pessoa tiver uma doença renal, o material residual pode se acumular no sangue e causar sérios problemas de saúde, como pressão alta, anemia e doença cardíaca.

Além de ser usado para diagnosticar ou monitorar uma doença ou um distúrbio renal, o exame de ureia serve ainda para verificar o equilíbrio proteico de uma pessoa e a quantidade de proteína necessária nos alimentos para indivíduos gravemente doentes. Também é usado para determinar quanta proteína uma pessoa consome.

Quando o exame de ureia é indicado?

Alguns fatores que aumentam o risco de doença renal e podem ser indicativos para solicitar o exame de ureia incluem:

  • História familiar de problemas renais;
  • Diabetes;
  • Pressão alta;
  • Doença cardíaca.

Os níveis de ureia também podem ser avaliados se a pessoa tiver sintomas de doença renal avançada, como:

  • Urinar com pouca frequência;
  • Coceira pelo corpo;
  • Cansaço constante;
  • Inchaço nos braços, pernas ou pés;
  • Cãibras musculares;
  • Dificuldade para dormir.

O exame de ureia é apenas uma das maneiras de avaliar o funcionamento dos rins. Se houver suspeita de doença renal, poderão ser recomendados outros testes, com o exame de creatinina, outro produto filtrado pelos rins, que avalie a eficácia com que os rins estão filtrando o sangue.

Quais são os valores de referência da ureia?

Os valores de referência da ureia variam de 12 a 20 gramas por 24 horas (428,4 a 714 mmol/dia). Esses são os valores de ureia considerados normais. As faixas de valores normais podem variar um pouco entre os laboratórios.

Ureia baixa: o que pode ser?

Ureia baixa geralmente é sinal de problemas renais ou desnutrição (falta de proteína na dieta).

Ureia alta: o que pode ser?

Ureia alta pode ser sinal de doença renal, aumento da quebra de proteínas no corpo ou ingestão excessiva de proteínas. Pode ocorrer ainda em casos de desidratação, queimaduras, uso de certos medicamentos ou outros fatores, como idade. Normalmente, a taxa de ureia fica mais elevada à medida que a pessoa envelhece.

Para entender o resultado do exame de ureia, consulte o médico que solicitou o exame de sangue ou de urina.

Entenda com mais detalhe o valor de referência da ureia

Ureia alta: o que fazer para baixar?

Ureia alta: o que significa, e quais são as causas.
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A ureia alta pode significar um problema renal. A principal função do rim é a filtração do sangue, com a eliminação de resíduos como a ureia e a creatinina na urina.

Outras situações que também causam o aumento da ureia no sangue são: o consumo exagerado de proteínas na alimentação, desidratação, efeito colateral de medicamentos, infarto, hemorragia digestiva, queimaduras e até o envelhecimento natural do corpo.

Portanto, embora seja um indicador importante para avaliar a função renal, para definir a causa da ureia alta, é necessária uma investigação mais detalhada.

6 causas de ureia alta no sangue 1. Doença renal

A insuficiência renal é uma das causas de aumento da ureia no sangue, e se caracteriza pela dificuldade dos rins em realizar as suas funções. A principal função dos rins é filtrar o sangue, eliminando os resíduos, como a ureia e a creatinina. Na doença renal, ocorre o aumento da ureia e da creatinina.

2. Alimentação rica em proteínas

A ureia é resultado da quebra das proteínas no fígado. O consumo aumentado dessas proteínas, faz com que o fígado aumente a sua metabolização, produzindo e liberando mais ureia no sangue. Nesses casos a creatinina não se eleva.

3. Desidratação

A desidratação, reduz a capacidade de filtração renal devido a falta de água e consequentemente falta de sangue para o órgão. Com isso, os resíduos se acumulam no sangue, tanto a ureia quanto a creatinina, causando diversos problemas de saúde. O aumento de ingesta de água ou hidratação venosa, nos casos mais graves, normaliza a taxa de ureia.

4. Medicamentos

Alguns medicamentos, como o corticoide e a tetraciclina, estão relacionados ao aumento da ureia no sangue, especialmente quando em doses altas.

5. Infarto do coração e hemorragia digestiva

O infarto do coração e a hemorragia, assim como a desidratação, reduzem o fluxo de sangue para os rins, prejudicando filtração renal. O infarto devido ao enfraquecimento do coração, que bombeia menos sangue, e a hemorragia pela perda do volume de sangue no corpo. Nesse caso, tanto a ureia quanto a creatinina podem estar elevadas no exame de sangue.

6. Queimaduras

Nos quadros de queimadura grave, especialmente de terceiro grau, o organismo aumenta o seu metabolismo e quebra mais proteínas para a recuperação do tecido danificado e para a sua própria recuperação, porém, com isso, libera mais ureia no sangue. Se a reposição de líquidos estiver boa, a creatinina se manterá normal. Esta reposição de líquidos é feita no hospital por via venosa.

O que é ureia?

A ureia é uma substância produzida pelo fígado durante o processo de metabolização das proteínas. Depois de produzida, a ureia é lançada na corrente sanguínea, filtrada pelos rins e então eliminada na urina e no suor.

A concentração de ureia no sangue está em constante mudança, de acordo com a alimentação e a hidratação do corpo, porém, sempre em equilíbrio devido ao trabalho dos rins. O rim é órgão que coordena esse equilíbrio no sangue.

Qual o valor normal da ureia?

Os valores de referência para uma ureia normal no sangue, varia de 16 a 40 mg/dL, para a maioria dos laboratórios. Portanto, chamamos de ureia alta, o valor de ureia no sangue acima de 40 mg/dL.

O que é o exame de ureia?

A ureia pode ser dosada no sangue ou na urina. O exame de sangue para análise da ureia é realizado através de uma amostra de sangue coletada em laboratório, sem necessidade de jejum ou orientação alimentar.

Entretanto, o mais adequado é sempre manter os hábitos de vida normais, dias antes do exame, para que o resultado seja o mais fiel possível.

O exame de ureia na amostra de urina, costuma ser pedido para avaliação da função renal, de maneira mais específica. Os exames avaliados em conjunto ajudam na definição do problema.

Sintomas de ureia alta

A dosagem aumentada de ureia no sangue só é percebida quando os valores estão muito elevados, ou quando outros eletrólitos também estão elevados, como a creatinina e o potássio.

Os eletrólitos aumentados podem dar origem a um quadro grave, chamado uremia.

A uremia é um conjunto de sinais e sintomas, que ocorrem quando os rins não são mais capazes de filtrar o sangue de forma eficiente. Os principais sintomas são:

  • Náuseas, vômitos,
  • Fraqueza,
  • Mal-estar,
  • Dores de cabeça,
  • Distúrbios de coagulação,
  • Confusão mental e coma.

Recomendamos retornar ao seu médico, levando os exames, para a correta interpretação e orientações.

Leia também: