Asma

Pelo de gato dá asma ou bronquite?
Dr. Gabriel Soledade
Dr. Gabriel Soledade
Médico

Não exatamente o pelo, mas a saliva do gato pode provocar crises de asma. Ela contém uma proteína capaz de desencadear crises de asma em pessoas previamente suscetíveis.

O problema é que quem já observou um gato sabe que ele fica o dia todo lambendo as patas e os pelos. Desse modo, ele consegue espalhar essa substância por todo lugar onde pisa, e os pelos a levam consigo quando caem. E estudos puderam demonstrar que ela pode ser detectada no ambiente até seis meses depois que o gato passou, mesmo com higienização adequada da casa.

Sendo assim, faz parte do tratamento da asma evitar contato com esses animais e com os ambientes onde eles vivem.

Saiba mais em:

Qual a diferença entre bronquite e asma?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A bronquite é uma infecção nos brônquios, localizados nos pulmões. Os principais sintomas da bronquite são a tosse (com duração superior a 5 dias) e a expectoração. Já a asma é uma doença pulmonar crônica, caracterizada por tosse, chiado no peito e falta de ar.

A bronquite pode se apresentar de forma aguda ou crônica. A forma aguda é autolimitada e dura entre uma e três semanas.

A bronquite crônica está presente na doença pulmonar obstrutiva e caracteriza-se por uma tosse que dura mais de 3 meses durante pelo menos 2 anos seguidos.

A inflamação dos brônquios provoca um estreitamento dessas vias aéreas, o que dificulta a respiração e provoca os sintomas da doença, como a tosse.

A bronquite pode ser causada por vírus, bactérias, tabagismo e inalação de pó ou outros agentes poluentes.

Asma

A asma é uma doença das vias aéreas ou dos brônquios, causada por inflamação das vias aéreas. Os sintomas da asma incluem: falta de ar ou dificuldade para respirar, sensação de aperto no peito, tosse e chiado no peito.

Os sintomas da asma podem piorar à noite ou de madrugada, podendo também se agravar com a prática de atividade física. Ao longo do tempo, os sintomas da asma também podem variar de forma significativa, podendo desaparecer espontaneamente.

Contudo, mesmo na ausência de sintomas, a pessoa continua tendo asma, já que se trata de uma doença que não tem cura.

Em geral, as crises de asma são desencadeadas por alguns fatores que são particulares para cada pessoa. A asma exige um tratamento contínuo e principalmente cuidados para prevenir as crises.

Pacientes com asma podem apresentar uma infecção das vias aéreas superiores e, posteriormente, ter episódio de bronquite aguda.

A bronquite é diferenciada da asma de acordo com a história e o exame físico do/a paciente realizado durante a consulta médica.

Como identificar uma crise de asma?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A crise de asma pode ser identificada com o aumento progressivo de alguns dos sintomas respiratórios, como tosse seca persistente, falta de ar, chiado no peito, sensação de aperto no peito e incapacidade de falar frases longas.

A crise de asma pode ocorrer em pacientes já asmáticos ou em pessoas que nunca tiveram asma, sendo uma primeira manifestação doença. A crise pode ser classificada como leve, moderada ou grave, podendo ser necessário internação hospitalar e uso de oxigênio.

O que pode causar uma crise de asma?

Em geral, uma crise de asma é uma resposta a algum agente externo ao qual o paciente apresenta uma reação alérgica (vírus, ácaros, mofo, pelos de animais, baratas, pólen, poluentes, fumaça de cigarro, etc). Porém, alguns pacientes podem ter início súbito da crise sem uma clara exposição a um tipo específico de alérgeno.

O paciente com suspeita de crise de asma deverá ser avaliado por um/a médico/a em serviço de urgência e seguir o tratamento ambulatorial para controle da doença. Quem já tem o diagnóstico de asma e possui um plano de auto manejo deve seguir como a recomendação médica.

O que é asma e quais são os sintomas?

A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas definida por um histórico de sintomas respiratórios e uma limitação na expiração do fluxo de ar. As crises de asma geralmente começam na infância, embora a doença possa aparecer em qualquer idade.

Os sintomas incluem tosse, chiado no peito, falta de ar, sensação de aperto no peito com esforços físicos, cansaço e dificuldade em realizar tarefas do dia-a-dia.

Com o passar do tempo, os sintomas da asma podem variar significativamente, podendo inclusive desaparecer espontaneamente. Porém, mesmo sem manifestações, a asma continua estando presente, uma vez que a doença não tem cura.

Qual é o tratamento para asma?

O tratamento da asma é feito com controle dos alérgenos do ambiente e com o uso de medicamentos anti-inflamatórios (sendo os corticoides inalados os mais comuns). O objetivo do tratamento da asma é controlar a inflamação dos brônquios e das vias aéreas. Além dos anti-inflamatórios, podem também ser prescritos medicamentos broncodilatadores e imunomoduladores.

A exacerbação da asma está associada algumas vezes ao não seguimento do tratamento de controle diário que o paciente deve fazer.

Essa piora da doença é um quadro agudo ou subagudo que vai necessitar de uma mudança no esquema de tratamento habitual do paciente.

O tratamento da asma deve ser contínuo e os cuidados para prevenir as crises devem se diários. O diagnóstico precoce e o manejo da crise de asma pode salvar a vida do paciente.

Com o tratamento adequado e a doença controlada, a pessoa com asma pode ter uma vida normal, sem limitações profissionais, esportivas ou nas atividades de vida diária.

Uma crise de asma pode matar?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, uma crise de asma pode matar. Se não for tratada adequadamente, a asma pode levar à morte devido ao bloqueio que provoca nas vias aéreas, dificultando a respiração e a oxigenação dos órgãos do corpo.

Durante uma crise de asma grave, a pessoa pode necessitar do auxílio de aparelhos para respirar. Isso acontece porque o "entupimento" das vias aéreas provocado pela asma prejudica a entrada e a saída de ar dos pulmões, causando falta de ar, tosse e chiado no peito.

Sem tratamento, a asma pode tornar esse bloqueio das vias aéreas irreversível e a pessoa deixa de conseguir enviar a quantidade de oxigênio que os órgãos do corpo necessitam para funcionar adequadamente. Nas crises mais graves, essa falta de oxigênio pode levar à morte.

Como saber se as crises de asma estão controladas?

Para saber se a asma está controlada, deve-se observar os seus sinais e sintomas. Se a pessoa tiver apresentado, pelo menos uma vez nas últimas 4 semanas, algum dos seguintes itens, é possível que a doença não esteja sob controle:

  • Sintomas durante o dia, mais de 2 vezes por semana;
  • Acordar durante a noite por causa da asma;
  • Usar medicamentos para aliviar a falta de ar mais de 2 vezes por semana;
  • Limitação das atividades diárias decorrente da asma.

Nesses casos, o paciente deve procurar o seu médico pneumologista para uma avaliação. Para prevenir as crises de asma que podem matar, é fundamental seguir o tratamento de forma correta e contínua, mantendo sempre o cuidado com o ambiente.

Como identificar uma crise de asma?

A crise de asma caracteriza-se por sintomas respiratórios que pioram progressivamente, como tosse seca, falta de ar, chiado no peito, sensação de aperto no peito e dificuldade de falar frases longas.

Uma crise de asma pode acontecer em pessoas que já têm asma ou em quem nunca manifestou sinais da doença. Neste, caso trata-se de uma manifestação inicial da asma.

A crise de asma pode ser leve, moderada ou grave, podendo ser necessário ficar internado e usar oxigênio.

O que pode causar uma crise de asma?

Uma crise de asma geralmente é uma resposta alérgica a algum agente externo, como vírus, mofo, ácaros, pólen, pelos de animais, poluentes, fumaça de cigarro, entre outros.

Contudo, há crises de asma que são desencadeadas sem uma exposição clara a algum agente alérgeno específico.

Em caso de suspeita de crise de asma, a pessoa deve ser avaliada por um médico pneumologista. Para prevenir as crises de asma que podem matar, é fundamental seguir o tratamento de forma correta e contínua, mantendo sempre o cuidado com o ambiente.

Quem tem asma pode fazer academia?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, quem tem asma pode fazer academia, desde que a doença esteja bem controlada. Caso contrário, a atividade física poderá ser um desencadeante da asma e o paciente não será capaz de acompanhar o exercício nem irá obter os seus benefícios. 

No entanto, se a asma estiver controlada e houver uma boa prescrição de exercício, o paciente terá um aumento da capacidade cardiorrespiratória que lhe dará reservas para enfrentar melhor as crises.

De fato, a atividade física é recomendada para tratar a asma, mas sabe-se que, por outro lado, ela pode desencadear as crises devido ao broncoespasmo induzido pelo exercício (BIE). A grande maioria dos asmáticos apresentam BIE.

O aumento do ritmo respiratório causado pelo exercício físico leva à perda de água e aumenta a temperatura na parede dos brônquios, o que parece ser a causa desses broncoespasmos.

Ao fazer academia, é importante escolher atividades que são menos propensas a desencadear crises asmáticas, como a natação, por exemplo. Corridas, judô, atletismo e ciclismo são atividades que podem mais facilmente desencadear crises.

Porém, se o paciente for bem orientado pelo médico e pelo professor de educação física, ele poderá praticar esportes sem grandes problemas.

Uma pessoa com asma que faz academia ou pratica exercício físico de forma regular e bem orientada, poderá obter diversos benefícios, como:

  • Maior tolerância ao esforço;
  • Redução do desconforto respiratório e do broncoespasmo;
  • Melhora do sono e da mecânica respiratória;
  • Correção e prevenção de alterações posturais;
  • Prevenção de complicações pulmonares. 

Para diminuir o risco de broncoespasmo induzido pelo exercício, é importante:

  • Controlar a intensidade do exercício físico;
  • Tomar um broncodilatador 15 minutos antes da atividade física;
  • Fazer um aquecimento prévio;
  • Não parar o exercício de forma brusca. 

O pneumologista é o médico que deverá orientar o paciente asmático quanto a fazer academia e praticar atividade física.

Também pode lhe interessar: 

Existe tratamento para a asma? Tem cura?

Uma crise de asma pode matar?

O que pode causar asma?

Existe tratamento para a asma? Tem cura?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Asma não tem cura, mas possui tratamento capaz de controlar a doença. O tratamento inclui medidas não farmacológicas (higiene, controle ambiental, atividade física), vacinas e medicamentos para as crises e para manter a asma controlada.

O controle do ambiente é feito com a interrupção do hábito de fumar em casa, tanto o paciente como os familiares, além de evitar a exposição aos agentes que desencadeiam a asma.

A prática de atividade física regular deve ser estimulada, mas a doença deve estar bem controlada. Se os exercícios não forem bem orientados ou a asma não estiver totalmente sob controle, a atividade física poderá desencadear uma crise.

O tratamento da asma inclui também a vacinação contra a gripe (Influenza) para os pacientes que utilizam corticoide inalatório.

O tratamento farmacológico da asma é composto por 2 tipos de medicamentos: sintomáticos e de controle. A medicação sintomática é usada durante uma crise, enquanto a de controle é de uso contínuo.

Os remédios usados para aliviar os sintomas na crise da asma são os broncodilatadores de ação rápida e corticoides sistêmicos orais ou venosos, dependendo da gravidade. Os medicamentos de manutenção, que devem ser usados continuamente, incluem os broncodilatadores de ação lenta, corticoides inalatórios, entre outros.

Com o tratamento adequado e seguindo todas as recomendações médicas, a frequência e a intensidade das crises diminui e o paciente pode ter uma vida normal, sem limitações.

O pneumologista é o especialista responsável pelo diagnóstico e tratamento da asma.

Saiba mais em:

Uma crise de asma pode matar?

Quem tem asma pode fazer academia?

Qual a diferença entre bronquite e asma?

Como identificar uma crise de asma?

Pêlo de gato dá asma ou bronquite?

Qual a diferença entre asma, bronquite e bronquite asmática?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Na verdade a confusão maior é apenas de nomenclatura, existe uma doença médico chamada Asma (que engloba tudo o que você citou anteriormente - crises de falta de ar, tosse seca e chio no peito), também existe uma doença chamada Bronquite (mas ela tem características diferentes daquelas que normalmente são usadas para defini-la - tosse crônica produtiva, acompanhada ou não por falta de ar). O inalador deve ser usado conforme a receita do médico.

Leia também:

O que pode causar asma?

Ter bronquite na gravidez prejudica o bebê? Como tratar?

Bronquite é contagiosa?

Existe tratamento para a asma? Tem cura?

O que pode causar asma?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

As crises de asma não tem uma causa bem estabelecida, mas sabemos que se trata de uma combinação de fatores ambientais e genéticos específicos para cada pessoa. Em geral, a asma está relacionada com uma resposta alérgica a agentes externos como ácaros, vírus, poeira, pelos de animais, pólen, mofo, entre outros.

Causas mais comuns de crise de asma

Dentre os fatores mais comuns que deflagram uma crise de asma podemos destacar:

  • Infecções (gripes, resfriados, sinusites),
  • Mudança no tempo,
  • Odores fortes,
  • Fumaça,
  • Esforço físico,
  • Ansiedade, grandes emoções,
  • Medicamentos,
  • Refluxo gastroesofágico,
  • Alterações hormonais.

A asma é uma doença inflamatória, geralmente de causa alérgica, que atinge as vias aéreas. As crises de asma provocam uma espécie de "estreitamento" dos brônquios e bronquíolos, reduzindo a passagem de ar pelas vias respiratórias e com isso a dificuldade para respirar.

Sintomas da asma

Os principais sintomas da asma incluem tosse após esforço físico ou que piora à noite, chiado no peito, falta de ar, respiração curta e cansaço.

Em caso de crise de asma, a pessoa deve ser avaliada por um médico em um serviço de urgência e seguir o tratamento recomendado para controlar a doença.

O pneumologista é o médico indicado para diagnosticar e tratar a asma.

Saiba mais em:

Quem tem asma pode andar de avião?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim. As pessoas que tem asma podem sim andar de avião, sempre com os cuidados e orientações necessárias para não causar riscos a sua saúde. É importante que o indivíduo asmático esteja com a doença devidamente controlada e que esteja preparado para eventuais complicações que possam surgir durante o voo.

Devido a redução de oxigênio no sangue durante o voo, o paciente portador de asma deve tomar algumas precauções:

  1. Evitar medicamentos que causem broncoespasmo, como anti-inflamatórios não esteroidais, AAS e aspirina;
  2. Levar na bagagem de mão o seu medicamento para alívio, em caso de uma crise de broncoespasmo, os broncodilatadores ("bombinha");
  3. Levar soro fisiológico na bolsa, para umedecer nariz e vias aéreas;
  4. Tomar cuidado com ressecamento das vias aéreas, por isso tomar muita água durante a viagem.

Pessoas com asma que apresentam exacerbações frequentes podem precisar receber um ciclo curto de corticoide oral antes da viagem, especialmente se for uma viagem de longa duração, apesar de ser uma indicação ainda bastante controversa.

Já aqueles pacientes com asma mal controlada, relatos de crise asmática grave nos últimos 2 meses ou com exacerbações em viagens de avião anteriores, pacientes asmáticos crônicos, sobretudo os mais idosos, com asma avançada e história prévia de tabagismo e pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), devem ser avaliados individualmente.

O mais importante é que o paciente portador de asma mantenha acompanhamento regular adequado com seu/sua médico/a pneumologista, principalmente antes da viagem, para receber as devidas orientações.

Também pode ser do seu interesse: Uma crise de asma pode matar?