Perguntar
Fechar

Rosto

Dor no maxilar ao abrir a boca e ao mastigar, o que pode ser?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

Dor no maxilar ao abrir a boca e ao mastigar tem como principal causa distúrbios da articulação temporomandibular (ATM), que é a articulação entre a mandíbula e o osso temporal da face. A dor no maxilar nesses casos pode se instalar subitamente ou progressivamente, com variações na intensidade e na frequência das crises durante meses ou anos.

Contudo, a dor no maxilar também pode ocorrer devido a várias causas, tais como neuralgia do trigêmeo, fibromialgia, sinusite, mastoidite, otite, entre outras.

Uma vez que os distúrbios da ATM são a principal origem das dores no maxilar, sobretudo ao abrir a boca e mastigar, serão a causa abordada adiante. Porém, é fundamental consultar um médico para determinar a causa exata da dor e receber o tratamento apropriado.

O profissional mais habilitado a tratar esses distúrbios é o cirurgião-dentista.

Quais as causas dos distúrbios da ATM?

As principais causas dos distúrbios da ATM são aquelas que alteram os músculos faciais, como espasmos nos músculos mastigatórios desencadeados por tensão, estresse, depressão e ansiedade, artrites ou fixações na articulação temporomandibular, traumatismos na mandíbula, má oclusão dentária (mordida com defeitos), bruxismo (ranger dos dentes), morder objetos estranhos, roer unhas, mascar chicletes em excesso, tumores e problemas de crescimento na mandíbula.

Quais os sintomas dos distúrbios da ATM?

O principal sintoma dos distúrbios da ATM é a dor na face, nos músculos mastigatórios ou no maxilar, mais especificamente na articulação entre a mandíbula e o osso temporal da face (temporomandibular - ATM). A dor piora ou só aparece ao abrir e fechar a boca, seja falando, bocejando ou ao se alimentar, podendo irradiar para qualquer lugar do rosto, ouvido, pescoço ou nuca.

Também pode haver dificuldade para abrir a boca devido a contraturas musculares e calcificações articulares.

Os distúrbios da ATM envolvem problemas nos músculos mastigatórios, na articulação temporomandibular e nas estruturas associadas à articulação.

Outros sinais e sintomas que podem estar presentes:

  • Maxilar estalando ou som de rangido ao morder;
  • Sensação de mordida torta ou cruzada;
  • Desvio da mandíbula para um dos lados ao abrir ou fechar a boca;
  • Inchaço na face;
  • Dor no ouvido;
  • Surdez momentânea;
  • Vertigem;
  • Zumbidos;
  • Sensação de “ouvido tapado";
  • Perturbações visuais;
  • Dor de cabeça.
Como é feito o diagnóstico dos distúrbios da ATM?

O diagnóstico é feito por um médico ou cirurgião dentista que palpa, observa e ouve a movimentação da mandíbula; sente o estado das articulações, dos músculos, dos ligamentos e verifica a oclusão dos dentes (a mordida e o encaixe correto das arcadas dentárias superiores e inferiores).

São feitas perguntas ao paciente em busca de informações que possam ser a causa da dor e de outros sintomas, tais como traumas, hábitos orais e tratamentos médicos e dentários prévios.

Podem ser solicitados exames de imagem da mandíbula e da movimentação da articulação em estágios variados (abertura total, média e fechamento total). Foram desenvolvidas uma variedade de outras técnicas para diagnosticar os distúrbios da ATM, inclusive para localizar as contrações musculares, tais como eletromiografia de superfície, sonografia (SonoPak), termografia e cinesiografia. São exames que detalham com precisão as estruturas afetadas.

Qual é o tratamento para os distúrbios da ATM?

O tratamento para os distúrbios da ATM, na fase aguda, pode ser feito com analgésicos e aplicação de bolsas de água quente com massagens na região afetada para aliviar a dor no axilar.

Também é importante evitar alimentos que exigem mastigação excessiva, como carnes, ou abrir muito a boca, como maçãs inteiras, por exemplo.

Algumas pessoas podem precisar de tratamento medicamentoso associado. Os medicamentos mais usados são antidepressivos, anticonvulsivantes ou analgésicos mais potentes. Contudo, sempre deve ser iniciado com os analgésicos mais fracos e aumentar gradativamente, conforme a resposta, ou caso não haja melhora dos sintomas.

Há evidências de que técnicas de relaxamento diminuem o sofrimento em casos de dor crônica no maxilar. Portanto a fisioterapia e correções posturais podem ser incluídos no tratamento.

Nos casos mais graves, o tratamento pode ser feito com terapia de aplicação ortopédica (placa estabilizadora), terapia oclusal (ortodontia, reabilitação oral), correção de problemas dentários e cirurgia.

Resumindo, o tratamento para os distúrbios da ATM é inicialmente clínico e pode controlar os sinais e sintomas em até 90% dos casos. Apenas em casos mais graves ou que não respondem à terapia conservadora, deve-se recorrer à cirurgia.

Os objetivos do tratamento são reduzir a dor, restabelecer a função mandibular e limitar a recorrência da dor no maxilar.

Em caso de dor no maxilar ao abrir a boca e mastigar, um médico clínico geral ou médico de família deve ser consultado para avaliação e tratamento ou encaminhamento para um cirurgião bucomaxilofacial.

Dormência no rosto, o que pode ser?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Dormência no rosto pode ter várias causas.

Muitas vezes a causa da dormência do rosto não é grave. Por exemplo, dormir em uma posição muito desconfortável (exercendo pressão sobre os nervos faciais) pode levar à dormência, mas o sintoma é temporário.

Se a dormência for persistente ou vier associada a outras alterações, deverá ser procurado um pronto atendimento para melhor avaliação.

Veja as principais possíveis causas da dormência no rosto abaixo.

Compressão de nervo

Pode ser consequência de hérnia de disco. Esta situação produz dormência facial parcial, assim como uma sensação de formigamento. É uma condição reversível, se corrigida a hérnia discal. O tratamento deverá ser realizado sob orientação do neurocirurgião ou do neurologista.

Paralisia de Bell

Paralisia e dormência (mas apenas temporárias) rosto são as consequências desta condição. Acontece devido a uma inflamação do nervo facial, que pode ser causada pelo vírus da herpes e da catapora, por exemplo. Usualmente, há recuperação do déficit, mas pode ser prolongada. O tratamento deve ser feito sob orientação de um neurologista.

Esclerose múltipla

É uma doença auto-imune na qual há ataque à bainha de mielina, o revestimento de proteção em volta dos nervos. Eventualmente, isto resulta em um dano grave para o nervo. O tratamento deve ser feito sob orientação de um neurologista.

Infecção provocada pelo vírus varicela-zóster

O vírus varicela-zóster pode levar à erupção de pequenas bolhas, coceira, dor de cabeça, calafrios, febre e fadiga. Quando as erupções estouram na região da face, podem surgir sintomas como sensações de queimação, formigamento e dormência facial.

Acidente vascular cerebral

Acontece quando um dos vasos sanguíneos se rompe, ou se um coágulo obstrui o fluxo de sangue, causando diminuição do suprimento de oxigênio para o cérebro. A falta de oxigênio para o cérebro pode levar à dormência, que estará presente em apenas uma das metades do rosto. No entanto, ao contrário da paralisia de Bell, uma pessoa que apresente dormência no rosto por causa do acidente vascular cerebral, é capaz de fechar um olho ou franzir a testa. Ataques isquêmicos transitórios também podem ser uma das causas da dormência no rosto. Na presença desta alteração, associada à fraqueza do braço e perna de um lado do corpo, dor de cabeça, alteração da fala, perda de consciência, falta de resposta, deverá ser procurado um pronto atendimento imediatamente. O tratamento deve ser feito sob orientação de um neurologista.

Enxaqueca

Em algumas pessoas uma enxaqueca pode levar a dormência perioral, isto é, uma dormência ao redor da boca.

Saiba mais em: Dormência na boca: o que pode ser?

Neuralgia do trigêmeo

Não são conhecidas as causas exatas desta doença. Trata-se de uma desordem nervosa que afeta o nervo trigêmeo, levando a dormência, formigamento e inclusivamente dor no rosto. Em alguns casos, a dor é grave e pode ser mesmo insuportável. O tratamento deve ser feito sob orientação de um neurologista.

Outras possíveis causas
  • depressão, ataque de pânico, estresse;
  • deficiência de vitamina B12, potássio, cálcio ou sódio;
  • doenças auto-imunes, tais como a doença de Sjogren, esclerose sistêmica e lúpus eritematoso sistémico (LES);
  • tumores da bainha do nervo.

Também pode lhe interessar: Quais são as causas da vermelhidão no rosto?

Calor na cabeça e no rosto, latejante, gostaria de saber o que é?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Calor na cabeça que afeta também o rosto é sintoma de alteração da circulação. Podemos citar algumas das causas possíveis, como a enxaqueca, pré-menopausa, hipertensão arterial (pressão alta) e até mesmo estresse e ou ansiedade.

Como você não referiu dor, pode ser que seja uma condição chamada rubor facial, que causa um calor exagerado na face e deixa o rosto vermelho, podendo também atingir a cabeça. Pessoas que têm esse distúrbio sentem o rosto ficar quente e vermelho. 

As causas do rubor facial estão relacionadas ao sistema nervoso, que provoca uma dilatação dos vasos sanguíneos deixando a face e a cabeça vermelha e quente.

Saiba mais em: Quais são as causas da vermelhidão no rosto?

Sentir calor na cabeça pode ser sintoma de menopausa?

Sim, os calores são um dos principais sintomas da pré-menopausa, ou seja, o período que antecede a última menstruação. As ondas de calor podem ser sentidas pelo corpo todo, inclusive na cabeça. Os sintomas da pré-menopausa em geral têm início aos 45 anos de idade, e a menopausa com mais ou menos 50 anos. 

Além dos calores, os sintomas da pré-menopausa incluem suor noturno, alterações no sono, menstruação irregular, secura vaginal, mudanças de humor, falta de interesse e até mesmo quadros de depressão.

Os sintomas da pré-menopausa, são decorrentes das alterações hormonais que caracterizam esse período e desaparecem cerca de 3 anos depois da última menstruação, ou seja, após a chegada da menopausa.

Calor na cabeça pode ser sintoma de enxaqueca?

Sim, calor na cabeça pode ser enxaqueca, embora o seu principal sintoma seja a dor de cabeça. As crises podem ocorrer todos os dias, semanalmente ou a cada 15 dias. Contudo, há casos em que as crises de enxaqueca ocorrem entre períodos de tempo maiores.

A dor da enxaqueca é pulsátil, forte e na maioria das vezes unilateral, podendo também se apresentar em ambos os lados. Em algumas pessoas, antes do início da dor, sentem algum "sinal" de que a dor vai começar, o mais comum são as alterações visuais, ao que chamamos de aura. Outros tipos de aura são os sintomas gástricos, como azia; suor frio e náuseas ou vômitos.

Veja também: O que é enxaqueca com aura e quais são os sintomas?

Além de calor e dor na cabeça, a enxaqueca também pode causar tontura, náuseas, vômitos, fraqueza e mal-estar geral, sobretudo se a dor de cabeça for muito forte.

A enxaqueca não tem uma causa específica. É provável que a doença esteja relacionada com fatores genéticos. Porém, existem condições que podem desencadear as crises, tais como estresse, ansiedade, jejum prolongado, calor excessivo, queijo amarelo, vinho tinto, período de menstruação, consumo de bebidas alcoólicas e café, entre outras.

Há ainda indivíduos que podem ter enxaqueca se dormirem pouco ou demais, enquanto outros podem ter crises se ficarem expostos à claridade, ao sol, às mudanças de temperatura, ao cigarro e à poluição.

Estresse pode causar calor na cabeça?

Sim, os sintomas do estresse são físicos e emocionais. Emocionalmente e psicologicamente, o estresse caracteriza-se por irritabilidade, ansiedade, alterações de humor, desinteresse, impaciência, alterações no sono, depressão, falta de memória, entre outros sinais e sintomas.

Já o corpo pode indicar que a pessoa está estressada através de cansaço, dores musculares decorrentes de tensão, formigamentos, aumento da frequência cardíaca e respiratória, aumento da pressão arterial, boca seca, alterações no apetite, coceira pelo corpo, náuseas, diarreia, azia, entre outras manifestações.

Leia também: Estresse e nervosismo podem causar manchas roxas no corpo?

Nesse caso, o calor na cabeça seria decorrente de uma consequência do estresse, como o aumento da pressão arterial e dos batimentos cardíacos.

A adrenalina é o hormônio responsável por tais sintomas. Trata-se de uma reação natural do organismo ao estresse, que reage preparando o corpo para uma situação de "luta" ou "fuga", aumentando a produção de adrenalina.

Apesar de ser uma reação natural e boa, pois há situações que de fato a pessoa precisa agir, o estresse constante prejudica severamente a saúde e a qualidade de vida do indivíduo. 

Calor na cabeça pode ser sintoma de pressão alta?

Sim, trata-se de uma doença bastante comum e muitas vezes os pacientes não conseguem descrever ao certo os sintomas da hipertensão arterial, podendo referir calor na cabeça em alguns casos.

Os sintomas da pressão alta incluem dor no peito, cabeça ou nuca, tontura, zumbido, fraqueza, alterações visuais, sangramento nasal, entre outros sinais e sintomas.

Contudo, a hipertensão arterial normalmente só se manifesta quando a pressão está muito alta, embora a partir de 140/90 mmHg ("catorze por nove"), já seja considerado um caso de hipertensão arterial pelas diretrizes atuais das sociedades de cardiologia.

Também pode lhe interessar: Quais os sintomas da hipertensão arterial?

A pressão alta não tem uma causa definida na imensa maioria dos casos, que estão relacionados com fatores genéticos e estilo de vida. Apesar da causa da hipertensão arterial não ser totalmente conhecida, existem fatores de risco que contribuem para o aparecimento da doença. 

Os principais fatores de risco da hipertensão essencial incluem, afro descendência, história de pressão alta na família, excesso de sal na alimentação, obesidade, consumo de bebidas alcoólicas, envelhecimento, falta de atividade física, tabagismo e uso de pílula anticoncepcional.

Saiba mais sobre pressão alta em: Quais as causas da hipertensão arterial?

Para um diagnóstico preciso do seu problema, consulte um médico clínico geral ou médico de família. Se necessário, eles encaminharão você para um especialista para que prescreva o tratamento indicado.

Bolinhas no rosto parecidas com espinhas: o que pode ser?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Bolinhas no rosto semelhantes a espinhas podem ser milium, foliculite ou ainda ter outra causa. Apenas através de uma avaliação destas bolinhas é possível ter  a certeza de um diagnóstico. O milium é uma pequena lesão amarelada ou esbranquiçada que geralmente surge na face, sobretudo ao redor dos olhos. Já a foliculite é uma infecção do folículo piloso causada por bactérias. É semelhante a uma espinha e pode ou não conter pus.

Milium

O milium é muito frequente em bebês e normalmente desaparece naturalmente nesses casos. Mas também pode aparecer em adultos e causar incômodo estético, já que não causa nenhum dano a saúde.

Para evitar o aparecimento do milium é necessário fazer uma limpeza diária do rosto com um sabonete facial apropriado para o tipo de pele. Geralmente o milium desaparece espontaneamente com o decorrer do tempo, em alguns casos pode ser retirado ou tratado com pomada tópica.

Assim como as espinhas, essas bolinhas também não devem ser espremidas para não marcar a pele e não causar infecções no local.

Já a foliculite tem a aparência de uma pequena espinha vermelha de ponta branca que surge ao redor de um pelo. Nos homens pode acometer a região da barba. A pele pode ficar avermelhada e inflamada, podendo haver coceira, dor e aumento da sensibilidade local.

Foliculite

A infecção geralmente é superficial e desaparece espontaneamente na maioria dos casos. Porém, casos mais graves e frequentes de foliculite devem ser avaliados por um médico.

Saiba mais em: Existe algum tratamento para foliculite?

Quais são as causas da vermelhidão no rosto?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A vermelhidão no rosto normalmente é uma reação natural do corpo diante de situações de estresse, como nervosismo, raiva ou vergonha. O estresse emocional faz com que o sistema nervoso autônomo provoque uma dilatação dos vasos sanguíneos, deixando a face vermelha e quente. É o chamado rubor facial.

Nesses casos, a vermelhidão pode afetar todo o rosto ou apenas bochechas, testa, nariz e orelhas, podendo chegar ainda ao peito, pescoço e braços. Durante os episódios, também é comum a pessoa transpirar em excesso.

Apesar de ser uma reação normal do organismo, quando passa a interferir na vida pessoal ou social da pessoa, pode ser necessário tratamento medicamentoso, embora os resultados não sejam muito satisfatórios. 

Se o rubor facial persistir por muito tempo, pode ser um sinal de rosácea. Ambos podem ocorrer em situações de estresse, calor ou durante a atividade física. Porém, a rosácea também pode ser desencadeada pelo consumo de bebidas alcoólicas ou alimentos apimentados, exposição ao frio, sol ou vento, entre outros fatores.

A vermelhidão no rosto causada pela rosácea pode ser controlada através da aplicação de antibióticos e terapia a laser. Todavia, o mais importante é identificar e evitar os fatores que desencadeiam esse rubor. Mesmo com o tratamento, a vermelhidão volta a aparecer sempre que a pele é exposta aos fatores causais.

Outra causa de vermelhidão no rosto pode ser reação alérgica, porém nesse caso a vermelhidão não se restringe ao rosto, mais comumente se espalha pelo tronco e membros superiores, além de causar coceira por vezes intensa.

O médico dermatologista é o especialista indicado para diagnosticar a origem do rubor e prescrever o tratamento mais adequado.

Também pode lhe interessar: 

Dormência no rosto, o que pode ser?

Calor na cabeça gostaria de saber o que é?

Tomo anticoncepcional injetável (Mesigyna) e meu rosto...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pode ser efeito do anticoncepcional, se for realmente do anticoncepcional precisa parar de usar. O diagnóstico definitivo da causa das suas lesões de pele deve ser feito pelo seu médico, a suspensão ou troca do anticoncepcional (se for necessário) deve ser feita pelo seu médico.

Tontura, ânsia de vomito e pressão no rosto próximo nariz?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Pode ser sinusite mesmo que não tenha respondido ao tratamento ou pode ser outra coisa, diferentes condições pode ocasionar dores de cabeça.

Sintomas da sinusite como podem persistir por dias mesmo após o tratamento, sendo que a resolução total dos sintomas pode demandar algum tempo.

No entanto, existem outras possíveis causas de dor de cabeça que pode vir acompanhada de náuseas e tontura. Entre as causas mais prevalentes destacam-se a enxaqueca e a cefaleia tensional.

Além das cefaleias outras causas podem estar associadas com episódios de dor de cabeça com náuseas e tontura como hipoglicemia, episódios de hipotensão ou hipertensão, distúrbios visuais e distúrbios do labirinto. como a VPPB (Vertigem paroxística posicional benigna).

Quando esses sintomas são muito intensos pode-se pensar em outras causas como meningite, aneurisma ou tumores.

Quais os sintomas da enxaqueca?

A enxaqueca caracteriza-se por ser uma dor de cabeça geralmente unilateral, latejante, que piora com exposição a luz, odores ou barulho. Pode vir acompanhada de enjoos e vômitos. Um único episódio pode durar horas ou dias.

A enxaqueca pode ser com aura ou sem aura. A enxaqueca com aura apresenta ainda sintomas neurológicos transitórios como pertubação da visão, do olfato, fala ou mesmo alterações de sensibilidade como dormência em alguma parte do corpo.

Quais os sintomas da cefaleia tensional?

Já a cefaleia tensional apresenta geralmente uma localização mais difusa por toda a cabeça, mas em episódios agudos também pode vir acompanhada de náuseas, vômitos e tontura. Pode estar associada a situações de estresse, privação de sono, mudança de rotina.

Caso a sua dor de cabeça persista o ideal é procurar novamente um médico de família ou clínico geral para uma avaliação da causa e só assim será possível determinar o melhor tratamento a seguir.

Medo, vontade de chorar, calor na cabeça e rosto vermelho?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pela sua descrição parece ser uma crise de ansiedade ou pânico (pode estar associado com problemas emocionais como estresse, ansiedade, depressão ou até síndrome de pânico), precisa ir a um médico para fazer o diagnóstico e tratamento.

Tenho algumas manchas no rosto e falam que é verme?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Provavelmente não. Claro que é fundamental uma avaliação de um médico especialista em pele, o dermatologista, para analisar mais características das "manchas" que refere, mas em geral, as verminoses causam dores abdominais, mal-estar, falta de apetite, entre outros dependendo do verme em questão.

Contudo, existem algumas verminoses que podem apresentar alterações na pele, especialmente no início da doença, como a esquistossomose, a ancilostomíase e o bicho geográfico (larva migrans).

Na esquistossomose, doença causada pelo Schistosoma mansoni, os sintomas podem incluir na fase aguda, uma dermatite específica, conhecida por dermatite cercariana, pequenas pápulas avermelhadas, que costumam durar de 1 a 3 dias, podendo chegar a 15 dias, associada a coceira intensa, que se assemelha a uma picada de mosquito. Aproximadamente 15 dias após, a ferida desaparece e se iniciam os demais sintomas, como febre, tosse, diarreia, náuseas, vômitos e perda de peso.

A ancilostomose, verminose causada pelo Ancylostoma duodenale ou Necator americanus, é também conhecida como "amarelão", porque os pacientes apresentam a pele mais amarelada, devido a agressão que esses vermes promovem na parede do intestino, causando hemorragias e anemia.

E o bicho geográfico, nome popular da larva migrans, é uma verminose causada pelos vermes Ancylostoma brasiliensis e caninum, decorrente da contaminação por com fezes de cães e gatos com o parasita, o que origina "caminhos" avermelhados na pele, por onde ele passa e coceira intensa.

Entretanto, são alterações de pele muito específicas, embora não pareça com o relato, só poderá ser descartado com avaliação médica.

Agende uma consulta com dermatologista, para que possa avaliar melhor suas "manchas" e iniciar o tratamento mais adequado.

Leia também: Quais são as doenças causadas por vermes?

Como tirar manchas escuras do rosto causadas pelo sol?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Existem muitas maneiras, métodos e produtos com esse fim (peelings, cremes...), alguns funcionam e outros nem tanto.

Eu não posso passar através do site nenhum tratamento ou remédio específico para seu problema (isso é ilegal no Brasil), o objetivo do site é apenas esclarecer e tirar dúvidas.

O ideal é ir a um dermatologista que trabalhe com essa parte estética.

Leia também: Como posso tirar manchas de espinha da cara?

Tenho manchas no rosto e comecei a fazer o vulcanice...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Vulcanice é uma forma de peeling que pode tratar manchas de pele, mas como qualquer tratamento para manchas de pele ele não vai resolver todos os casos, manchas muito profundas ou dependendo do tipo de manchas e do tipo de pele os resultados não são assim tão bons. Para algumas pacientes o resultado é maravilhoso e para outras nem tanto.

Minha namorada fica com o rosto inchado e tem aftas...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Isso é algo realmente estranho, mas não parece ser um vírus e sim algum tipo de alergia, talvez pode ser alergia a você ou a algum produto, creme ou perfume que você use. Ela deve procurar um médico quando está com as lesões para que possa ser feito o correto diagnóstico e tratamento.