Perguntar
Fechar

Vesícula

Qual o tempo de recuperação da cirurgia para retirar pedra da vesícula?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O tempo de recuperação da cirurgia para retirar pedra da vesícula é de cerca de uma semana. O procedimento, feito geralmente por laparoscopia, leva aproximadamente uma hora e requer 1 dia de internamento se não houver complicações.

Em poucos dias, a pessoa já pode voltar às suas atividades normais, podendo até receber alta no mesmo dia, em alguns casos. A dor no pós-operatório é pouca, devido ao tamanho reduzido dos cortes (cerca de 1 cm) e ao tipo de procedimento utilizado, além de poder ser controlada com analgésicos.

O/a médico/a cirurgiã/o pode recomendar uma dieta leve nos primeiros dias de pós-operatório e sem alimentos gordurosos nas primeiras duas semanas após a cirurgia. Depois desse período, a pessoa pode ter uma alimentação normal, sem restrições.

A cirurgia para retirar pedra da vesícula geralmente remove toda a vesícula biliar (colecistectomia) para evitar complicações e novos episódios de cálculo biliar.

Como é feita a cirurgia para retirar a vesícula?Cirurgia aberta

A cirurgia aberta para retirar a vesícula é realizada sob anestesia geral. É feita uma incisão de 12 cm a 17 cm na parte superior direita do abdômen, logo abaixo das costelas. A área é aberta para que o cirurgião possa observar a vesícula biliar e separá-la dos outros órgãos.

A seguir, o ducto biliar e os vasos sanguíneos que irrigam a vesícula são cortados. A vesícula biliar sobe suavemente e é removida do corpo.

Durante a cirurgia, pode ser realizado um exame semelhante ao raio-x, chamado colangiografia. Para fazer o exame, é injetado corante no ducto biliar e é feita uma radiografia. O corante ajuda a encontrar pedras que podem estar fora da vesícula biliar. Se outras pedras forem encontradas, elas poderão ser removidas com um instrumento especial.

Essa forma de cirurgia de retirada da vesícula biliar dura cerca de uma hora.

Cirurgia por laparoscopia

A forma mais comum de retirar a vesícula é através de um instrumento chamado laparoscópio (colecistectomia laparoscópica). A cirurgia é feita por meio de pequenos cortes no abdômen, através dos quais são introduzidas pinças cirúrgicas para tirar a vesícula. A cirurgia é acompanhada através de uma microcâmera, que também é introduzida na cavidade abdominal e permite visualizar o procedimento.

Quando a cirurgia para retirar a vesícula é indicada?

A remoção cirúrgica da vesícula biliar é indicada em casos de cálculos biliares e mau funcionamento da vesícula. Os sintomas nesses casos podem incluir má digestão (inchaço, acidez, gases), náuseas, vômitos, dor depois de comer (geralmente na parte superior direita ou média do abdômen).

A cirurgia aberta da vesícula biliar é indicada quando a cirurgia por laparoscopia não pode ser realizada com segurança ou não pode ser concluída com sucesso. Outras razões para retirar a vesícula através de cirurgia aberta:

  • Sangramento inesperado durante a laparoscopia;
  • Obesidade;
  • Pancreatite (inflamação do pâncreas);
  • Gravidez (3º trimestre);
  • Problemas graves no fígado;
  • Cirurgias anteriores na mesma área do abdômen.
Quais os riscos da cirurgia para retirar a vesícula?

Os riscos gerais da anestesia e da cirurgia incluem reações medicamentosas, problemas respiratórios, sangramento, formação de coágulos sanguíneos e infecção. No caso da cirurgia da vesícula biliar, podem ocorrer ainda:

  • Danos aos vasos sanguíneos que irrigam o fígado;
  • Lesão no ducto biliar comum;
  • Lesão no intestino delgado ou intestino grosso;
  • Pancreatite (inflamação do pâncreas).

O/a médico/a cirurgiã/o é o/a especialista responsável pela realização da cirurgia para retirar a vesícula biliar.

Retirada da vesícula: como é a recuperação e quais os efeitos colaterais?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A recuperação após a cirurgia de retirada da vesícula normalmente é tranquila, sem grandes complicações. A pessoa geralmente fica internada por um dia e pode retomar as suas atividades em aproximadamente uma semana após a remoção da vesícula. Com duas semanas de pós-operatório, já é possível inclusive realizar exercícios físicos.

Contudo, é essencial permanecer em completo repouso após a cirurgia. Mesmo depois que a pessoa já tiver voltado a andar, os esforços físicos ainda devem ser evitados.

O tempo de recuperação da cirurgia por videolaparoscopia é de cerca de 10 dias. Durante o pós-operatório, a pessoa não deve permanecer longos períodos de tempo deitada. É importante se levantar e caminhar um pouco, várias vezes ao dia.

Quais os efeitos colaterais da retirada da vesícula biliar?

A diarreia é o efeito colateral mais comum no pós-operatório da retirada da vesícula. Contudo, assim como em outras cirurgias, existe sempre o risco de ocorrer sangramentos, infecções ou alguma reação alérgica à anestesia.

Na presença de sinais e sintomas como febre acima de 38ºC, feridas com pus, icterícia (pele e olhos amarelados), falta de ar e vômitos, deve-se procurar atendimento médico com urgência.

Após passar o efeito da anestesia, pode haver dor abdominal, dor no pescoço ou ainda nos ombros. Para aliviar esses sintomas, são indicados medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios.

A retirada da vesícula não traz grandes consequências, já que a digestão não é afetada de forma significativa. O corpo se adapta à ausência da vesícula biliar depois de algumas semanas ou meses e a pessoa pode voltar a comer alimentos gordurosos.

Em alguns casos mais raros, o/a paciente pode ter diarreias frequentes, que podem ser controladas com uso de certos medicamentos.

Como é feita a cirurgia para retirar a vesícula biliar?Cirurgia por laparoscopia

A cirurgia mais utilizada para remover a vesícula biliar é feita por videolaparoscopia. O procedimento é realizado através de pequenas incisões no abdômen, pelas quais o/a cirurgião/ã introduz pinças cirúrgicas na cavidade abdominal e retira a vesícula.

Todo o procedimento é acompanhado através de uma câmera (videolaparoscopia), que também é introduzida no abdômen e permite ao/à médico/a visualizar a operação.

Cirurgia aberta

A cirurgia para retirar a vesícula também pode ser feita pelo método aberto. Nesses casos, a operação é realizada através de um corte no abdômen, bem maior que as pequenas incisões da videolaparoscopia. Por isso, a cicatriz é mais visível e o tempo de recuperação é maior.

Em casos de câncer de vesícula em estágios mais avançados, a cirurgia é mais extensa (colecistectomia radical), com retirada da vesícula, dos gânglios linfáticos próximos ao tumor e de parte do fígado.

Quando a retirada da vesícula biliar é indicada?

A cirurgia para retirar a vesícula é indicada principalmente em casos de cálculos ("pedras") biliares. As pedras podem obstruir o fluxo da bile pela vesícula ou por algum dos ductos biliares, causando dor, inflamação ou infecção. A retirada da vesícula também é indicada quando há sinais de câncer.

A vesícula biliar é um pequeno órgão localizado junto ao fígado e que serve para armazenar a bile. A bile é um suco digestivo produzido pelo fígado que atua como um "detergente" sobre as gorduras, favorecendo a digestão das mesmas.

No entanto, mesmo sem a vesícula, o fígado continua produzindo a bile. Por isso, o organismo consegue digerir e absorver os alimentos normalmente sem o órgão.

O cirurgião geral ou cirurgião do aparelho digestivo é o médico responsável pela retirada da vesícula.

Depois que tirei a vesícula tenho muita dor abdominal...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Bom partindo do princípio que há uma ligação com a ausência de sua vesícula, pode ser algo relacionado com a digestão das gorduras, caso não seja isto pode ser algo relacionado com a "não aceitação" por parte do seu organismo da sua nova "configuração corporal". Procure um médico homeopata.

O que não pode comer quem tem problemas na vesícula?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Quem tem problemas na vesícula deve evitar comer alimentos muito condimentados, gordurosos, frituras e laticínios integrais, como:

  • Leite integral, queijos amarelos, requeijão, manteiga;
  • Creme de leite, maionese;
  • Caldo de carne ou de galinha;
  • Bolachas, sorvete, chocolate ao leite;
  • Tortas, pastéis, massa folhada;
  • Carnes gordas, linguiça, embutidos;
  • Aves com pele, mocotó;
  • Mortadela, presunto, salame, bacon;
  • Ovo frito e frituras em geral;
  • Alimentos enlatados ou já processados;
  • Amendoim, nozes, castanhas, amêndoas.

A principal recomendação é evitar alimentos gordurosos!

Veja também: Qual é o tratamento para vesícula preguiçosa?

A obesidade, sedentarismo, o consumo de gordura em excesso, o diabetes não controlado e a perda de peso acentuada em pouco tempo, como cirurgias de redução de peso ou mesmo dietas muito restritivas que promovem esse emagrecimento, estão entre as principais causas de distúrbios na vesícula biliar.

Leia também: Quais são os sintomas da vesícula preguiçosa?

Para seguir uma dieta adequada, consulte um nutricionista e fale com o seu médico gastroenterologista ou hepatologista.

Saiba mais em:

Qual o tempo de recuperação da cirurgia para retirar pedra da vesícula?

Retirada da vesícula: como é a recuperação e quais os efeitos colaterais?

Quais são os sintomas da vesícula preguiçosa?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

Vesícula preguiçosa é uma expressão popularmente usada para problemas digestivos com sintomas variados que, muitas vezes, não são originados na vesícula, como no caso da dispepsia ou do refluxo gastro-esofágico. A vesícula tem como função armazenar a bile (produzida no fígado) e eliminá-la no intestino, onde age na digestão das gorduras. Os distúrbios na vesícula levam à alterações no seu funcionamento podendo apresentar sintomas variados, dependendo do problema existente.

A presença de cálculos ou pedras na vesícula podem dificultar ou bloquear a eliminação da bile no intestino e isso provocar uma intolerância à alimentos gordurosos, frequentemente associada à enjoos e, às vezes, vômitos. Também pode ocorrer sensação de empachamento e gases (distensão abdominal), dor de cabeça e dor intensa e aguda do lado direito e superior do abdômen.

Outro sinal que pode surgir é a coloração amarelada da pele e mucosas quando ocorre uma obstrução (entupimento) no canal que leva a bile do fígado para a vesícula (duto colédoco), não permitindo a passagem da bile para o intestino, causando a icterícia obstrutiva.

A dispepsia tem como sintomas a dor no estômago, sensação de queimação, sensação de estômago cheio logo no início da refeição e de que os alimentos permanecem por tempo prolongado no estômago.

Para se identificar se o problema digestivo é causado pela vesícula biliar, pelo estômago ou fígado, é necessário recorrer a um especialista (gastroenterologista), que poderá utilizar, além da história e do exame clínico, o auxílio de exames de ultrassonografia, endoscopia e análises laboratoriais.

Saiba mais em: O que não pode comer quem tem problemas na vesícula?

Qual a dieta para quem faz cirurgia de retirada da vesícula?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Nos primeiros dias após a cirurgia ela terá que seguir as orientações do médico que a está operando, depois com o tempo sua filha mesma é quem terá que observar quais tipos de alimentos ela pode ou não pode ingerir, não existe uma dieta específica, geralmente as gorduras se tornam um problema para quem fez cirurgia de retirada de vesícula.

Cirurgia de retirada da vesícula quando posso ter relações?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Em torno de 7 a 14 dias já é possível voltar a ter relações sexuais, o tempo pode ser maior ou menor a depender da via cirúrgica.

Se a retirada da vesícula tiver sido realizada por videolaparoscopia a recuperação é mais rápida e o retorno à atividade sexual e outras atividades físicas pode acontecer mais rapidamente. Já em casos de cirurgia por via de acesso aberta, o tempo de recuperação tende a ser maior.

Também deve ser observado se houve a presença de complicações durante a realização da cirurgia ou há a presença de fatores de risco que podem atrasar o tempo total de recuperação, por isso o ideal é seguir a orientação médica.

Relação sexual é considerado um tipo de atividade física, portanto, as recomendações no que se referem a sua prática após a cirurgia são semelhante as recomendações de atividade física no geral.

Quando posso voltar a fazer atividade física?

A maioria dos médicos tendem a orientar o retorno à atividade física leve, como tarefas domésticas, em torno de 7 a 14 dias. Para o retorno às atividades físicas intermédias, como malhar e exercitar-se em academia, esse tempo pode ser de 30 a 45 dias. Já para atividades mais intensas, como levantar peso, o tempo preconizado é de 60 dias.

Este tempo deve ser respeitado porque só assim é possível evitar a ocorrência de complicações pós-cirúrgicas como desenvolvimento de hérnias umbilicais.

Para mais orientações converse com o seu médico cirurgião, pois cada caso precisa ser analisado individualmente.

Também pode lhe interessar:

Retirada da vesícula: como é a recuperação e quais os efeitos colaterais?

Fiz uma cirurgia de retirada de vesicula há 4 meses...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Não é normal. Para melhorar isso deve parar de comer alimentos que te fazem mal. Alimentos gordurosos (frituras, molhos, carnes com gorduras e frituras em geral) devem ser evitados por quem fez cirurgia de retirada de vesícula, deve também conversar com seu médico sobre outras formas de tratamento da sua dor.

Quais são os sintomas de pedra na vesícula?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

Os sintomas da presença de pedra na vesícula ou de cálculos biliares surgem, geralmente, quando essa pedra desloca-se em direção ao canal que leva a bile para o intestino (duto biliar), dificultando a sua passagem ou obstruindo-a. Quando isso ocorre, é provocada uma cólica biliar, normalmente cerca de meia hora após a refeição, com dor intensa na região direita superior do abdômen, que se espalha para o tórax e/ou região das costelas e superior das costas. Em alguns casos, também podem ocorrer náuseas, vômitos, febre e icterícia (pele e mucosas amareladas).

Somente o fato de se ter pedras na vesícula biliar não leva à alterações das suas funções e por isso é comum não haver qualquer sintoma. Eles só surgem quando há o deslocamento da pedra para o duto biliar, comprometendo a passagem da bile. O tratamento para eliminar os cálculos da vesícula pode ser feito através de medicamentos, cirurgia por via laparoscópica ou litotripsia (método de destruição dos cálculos por meio de ondas de choque extracorpóreas).

O  clínico geral ou o gastrocirurgião são os médicos indicados para diagnosticar e tratar os problemas relacionados aos cálculos biliares. 

Qual é o tratamento para vesícula preguiçosa?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

O tratamento para a vesícula preguiçosa depende da identificação correta do problema digestivo. Vesícula preguiçosa é uma expressão popularmente usada para problemas digestivos com sintomas variados que, muitas vezes, não são originados na vesícula, como no caso da dispepsia ou do refluxo gastro-esofágico. A vesícula tem como função armazenar a bile (produzida no fígado) e eliminá-la no intestino, onde age na digestão das gorduras. 

Os sintomas de intolerância à alimentos gordurosos, frequentemente associada à enjoos e, às vezes, vômitos, sensação de empachamento e gases (distensão abdominal), dor de cabeça e dor intensa e aguda do lado direito e superior do abdômen podem ocorrer devido a presença de pedras ou cálculos na vesícula que dificultam ou bloqueiam a eliminação da bile.

O tratamento definitivo para a presença de pedra na vesícula (colelitíase) é cirúrgico. Geralmente é realizado para as pessoas que apresentam sintomas ou em presença de pedras menores que 0,5 cm maiores que 2 cm. Preferencialmente, a cirurgia é feita por meio da laparoscopia, sendo a vesícula retirada com o auxílio de um aparelho dotado de câmera e pinças especiais (videolaparoscópio), que é introduzido no abdômen através de pequenos cortes. Esse método permite uma recuperação e alta hospitalar mais rápida e com menos dor.

Leia também: O que não pode comer quem tem problemas na vesícula?

Quando os sintomas são leves ou não há a possibilidade de realizar a cirurgia devido à outros problemas, como más condições clínicas do paciente, pode-se fazer o tratamento com o uso de anti-inflamatórios, medicamentos para dor (analgésicos e antiespasmódicos) e medicamentos que de acordo com a composição do cálculo, podem diluí-lo. A dieta com pouca gordura também é indicada nesses casos para auxiliar no alívio dos sintomas.

Dependendo da localização da pedra pode ser realizada a remoção do cálculo por via laparoscópica ou endoscópica. Outra opção seria a litotripsia, que é um método de destruição dos cálculos por meio de ondas de choque extracorpóreas, comumente utilizado nos casos de pedra nos rins.

Para se identificar se o problema digestivo é causado pela vesícula biliar, pelo estômago ou fígado, às vezes é necessário recorrer a um especialista (gastroenterologista), que poderá utilizar, além da história e do exame clínico, o auxílio de exames de ultrassonografia, tomografia, endoscopia e análises laboratoriais para chegar ao diagnóstico correto.

A ausência de vesícula pode danificar o fígado?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A ausência de vesícula não danifica o fígado, apenas a digestão de certos alimentos pode ser mais difícil, principalmente aqueles ricos em gordura, porém o fígado pode sim ser acometido por qualquer doença independente da presença ou não da vesícula biliar. O ideal é manter uma alimentação saudável e equilibrada, pobre em gorduras, sem excessos de proteínas e ricas em vegetais.

Fiz a cirurgia de retirada de vesícula há 4 dias...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Não existe efeito sobre o peso. Atividade física tem que perguntar para seu médico. Não há problemas em comer alimentos com ômega-3. Deve evitar alimentos gordurosos.