Perguntar
Fechar

Exame de Urina: como se preparar e entender os resultados

Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O exame de urina é indicado para pesquisar, principalmente, doenças do aparelho urinário, embora possa indicar vários outros problemas, como doenças no fígado ou diabetes.

Os exames são classificados em tipo 1 (EAS), exame de urina de 24 horas e urinocultura.

O exame de urina tipo 1 é o mais solicitado, também chamado de EAS – Exame Anormal de Sedimento. O exame de 24h é usado como complementar e a urinocultura é o mais específico, capaz de identificar exatamente a bactéria presente, nos casos de infecção.

Como coletar a urina?

  • A urina deve ser coletada em recipiente próprio, geralmente fornecido pelo laboratório;
  • Não é necessário jejum, mas de preferência a urina da manhã;
  • Para as mulheres, é recomendado fazer a higiene, apenas com água, antes da coleta;
  • Coletar a urina desprezando o jato inicial, para evitar que resíduos presentes na uretra atrapalhem o resultado do exame;
  • A urina deve ser analisada no máximo duas horas após a coleta;
  • Informar ao funcionário se estiver em uso de qualquer medicamento.

1. Exame de urina tipo 1 (EAS)

O resultado do exame é comparado aos dados e valores definidos como normais, para um exame de urina. Esses valores podem ser verificados na tabela abaixo, mas podem variar um pouco, dependendo do laboratório.

Componentes Parâmetros Normais
Coloração Amarelo citrino ou amarelo claro
Aspecto Límpida
ph de 5,5 a 7,5
Densidade 1,005 a 1,030
Glicose Ausente
Proteínas Ausentes
Corpos cetônicos Ausentes
Hemoglobina Ausente
Bilirrubina Ausente
Urobilinogênio Ausente
Nitritos Ausentes
Leucócitos Poucos/alguns/ausentes
Células epiteliais Raras

Os valores são de fácil compreensão, entretanto, esses valores devem ser analisados em conjunto com a queixa da pessoa e demais exames que tenham sido solicitados.

A interpretação pelo médico que o solicitou, garante uma melhor avaliação e tratamento direcionado.

Como identificar uma infecção urinária?

A urina com infecção urinária, costuma ter um ou mais dos seguintes fatores alterados:

  • Coloração turva,
  • PH alterado, para mais ou menos, dependendo do tipo de bactéria,
  • Leucócitos aumentados, presença de bactérias, sendo as alterações mais marcantes,
  • Nitritos presentes e
  • Hemoglobina presente, nos casos mais graves.

Além das alterações na urina, é comum as queixas de dor no baixo ventre, ardência ao urinar, maior frequência de urina e em pequenas quantidades.

O tratamento deve ser feito com antibióticos, o mais breve possível para evitar complicações como a pielonefrite ou a insuficiência renal.

Leia mais: Qual o tratamento para infecção urinária?

Explicação dos componentes do exame e o que podem significar

Coloração alaranjada ou avermelhada da urina

Pode ocorrer pela presença de sangue na urina, como nos casos de cálculo renal ou infecção urinária. Certos medicamentos também podem alterar a coloração da urina para azul, verde ou laranja. Por este motivo, informe sempre o uso de medicamentos, quando entregar a urina coletada ao profissional no laboratório.

Urina turva

A urina turva é causada pela presença de bactérias ou descamações em excesso das células do sistema urinário. A causa mais comum é a infecção urinária.

pH da urina

  • Elevado (acima de 7,5): pode ser provocado por cálculos renais, infecção do sistema urinário e uso de medicamentos.
  • Reduzido (abaixo de 5,5): indica perda de potássio, dieta rica em proteínas, infecção do sistema urinário por uma bactéria específica (Escherichia colli), diarreias severas, uso de anestésicos ou medicamentos.

Densidade (concentração da urina)

  • Densidade reduzida, ou mais diluída, pode ocorrer por quadro de Insuficiência renal crônica, hipotermia, aumento da pressão intracraniana, diabetes e hipertensão arterial
  • Densidade elevada, mais concentrada, são causadas por quadros de diarreias e vômitos, febre, diabetes mellitus, insuficiência cardíaca, entre outras.

Proteína na urina

A presença de proteínas na urina é comum nos casos de doenças renais ou diabetes.

Glicose na urina

Mais comum em diabéticos, mas portadores de doenças renais podem apresentar o mesmo aumento de glicose no exame de urina.

Corpos cetônicos na urina

Achado comum em pacientes diabéticos ou em caso de jejum prologando. Por este motivo o jejum não pe indicado antes do exame, e pode interferir no seu resultado.

Hemoglobina na urina

São as células vermelhas do sangue. Portanto, se houver hemoglobina no exame de urina, significa que há sangue na urina. Ocorre por hemorragias do sistema urinário, infecções urinárias, cálculo renal, entre outras doenças. Se uma mulher em período menstrual realizar exame de urina, apresentará hemoglobina na urina por contaminação.

Portanto, não é confiável o exame de urina realizado durante o período menstrual.

Bilirrubina na urina

A bilirrubina atribui à urina uma cor muito amarela. A presença de bilirrubina no exame de urina pode ser provocada por doenças do fígado ou da vesícula.

No entanto, os bebês recém-nascidos costumam ter valores altos de bilirrubina, sem significar um problema. Sendo assim, não havendo outras alterações, o exame pode ser considerado normal para essa faixa etária.

Urobilinogênio na urina

Os seus valores anormais são comuns em doenças do fígado.

Nitrito

Indica presença de infecção urinária bacteriana, de forma indireta. Isso porque a urina contém nitrato naturalmente, e algumas bactérias são capazes de transformar esse nitrato em nitrito, o que aumenta a sua concentração na urina.

Leucócitos na urina

Os leucócitos são células de defesa, por isso quando aumentados indicam inflamações ou infecções do trato urinário.

Células epiteliais na urina

Presença de células epiteliais, indica lesão no trajeto por onde a urina passa. As lesões podem acometer os rins ou qualquer parte do aparelho urinário.

2. Exame de Urina de 24 horas

Este exame é feito por meio de análise de toda urina eliminada durante um dia inteiro (24 horas). Utiliza-se um recipiente grande para acumular essa urina, cedido pelo laboratório.

Em laboratório, serão analisadas basicamente a quantidade de urina e a sua composição. Pode auxiliar no diagnóstico de perda de proteínas, problemas no sistema de filtração dos rins e, em mulheres grávidas.

Exame com grande importância ainda no diagnóstico de pré-eclâmpsia.

3. Urinocultura

Exame específico para identificar a bactéria que está causando a infecção urinária. Permite também verificar a sensibilidade ou resistência da bactéria aos antibióticos testados. Este exame torna o tratamento mais eficaz.

IMPORTANTE: a alteração de cada um dos componentes do exame de urina pode indicar diferentes doenças que requerem cuidados individualizados. Somente o médico pode interpretá-los corretamente e indicar o melhor tratamento.

Pode também interessar:

O que são piócitos na urina?

Bactérias na urina são sinal de infecção urinária?