Perguntar
Fechar

Menstruação 4 dias atrasada, posso estar grávida?

Minha menstruação está há 4 dias atrasada. Tive sangramento de escape há mais ou menos 15 dias atrás. Posso estar grávida?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Pode estar grávida sim, espere mais alguns dias e se continuar o atraso faça o exame de gravidez. Se você teve relação sexual desprotegida estando fértil existe a possibilidade de ter engravidado. O atraso menstrual é o principal sintoma do começo de uma gestação.

No entanto, para confirmar a gravidez é essencial a realização de um teste de gravidez. Isto porque atrasos menstruais pequenos de 1 a 8 dias isoladamente não necessariamente são ocasionados por gravidez e é muito comum entre as mulheres.

Pequenas oscilações hormonais durante o ciclo menstrual podem levar a variação de alguns dias na data da menstruação. Por isso, é importante fazer um teste de gravidez para confirmar ou descartar essa hipótese.

Quais outros sintomas indicam o inicio de uma gravidez?

Além do atraso menstrual, alguns sintomas como náuseas, enjoos, dores pélvicas ou cólicas, sensação de inchaço, sensibilidade mamária também podem ser sintomas do começo de uma gestação. Esses sintomas, contudo, costumam aparecer apenas a partir da quinta ou sexta semana de gestação, além disso, nem todas as mulheres os apresentam.

A partir de quantos dias de atraso menstrual posso estar gravida?

São considerados significativos atrasos menstruais com mais de 15 dias de duração ou duas semanas. Atrasos assim persistentes levantam a hipótese de gravidez ou outros problemas de saúde que podem levar a ausência de menstruação.

Quais são as outras causas de atraso menstrual?

Outros problemas que também podem levar a atraso menstrual são: disfunção tireoidiana, síndrome do ovário policístico, hiperprolactinemia, distúrbios de ansiedade ou estresse, anorexia ou obesidade, entre outros problemas. Portanto, após duas ou mais semanas de atraso menstrual é importante procurar um médico para uma avaliação.

Para mais informações consulte o seu médico de família ou ginecologista.