Perguntar
Fechar
O que é dermatite atópica?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Dermatite atópica é uma doença crônica que causa inflamação da pele. O eczema atópico, como também é conhecido, é mais comum em bebês e costuma ter causas genéticas. Os sinais e sintomas incluem coceira, vermelhidão, bolhas e descamação da pele. O tratamento é feito com pomadas, medicamentos por via oral e cuidados para prevenir as crises.

A dermatite atópica é considerada um distúrbio genético. Pessoas com eczema atópico geralmente possuem casos de dermatite atópica na família, asma, bronquite e rinite alérgica.

Quais são os sintomas da dermatite atópica?

Os sinais e sintomas da dermatite atópica incluem coceira intensa e constante, aparecimento de bolhas que vazam e formam crostas, secreção ou sangramento da orelha, além de mudança do tom de pele, que fica mais clara ou escura. De tanto coçar, podem surgir áreas esfoladas ou mais espessas na pele.

O primeiro sinal da dermatite atópica normalmente é uma mancha vermelha que coça. A coceira é intensa e a pele fica muito seca, podendo se tornar áspera em algumas áreas. Após as crises, ocorre um período de remissão em que a doença não se manifesta.

Alguns fatores podem piorar ou desencadear as crises, tais como alergias, gripe, pele seca, exposição ao sol ou à água, ambientes muitos quentes ou muito frios e estresse.

Dermatite atópica em bebês e crianças

A dermatite atópica em bebês geralmente se manifesta entre 3 e 6 meses de idade. A inflamação afeta sobretudo o rosto, o pescoço e o couro cabeludo, causando erupções, crostas e bolhas na pele.

Em crianças, a dermatite atópica pode surgir entre os 2 e os 12 anos de idade. Nessa fase, os sinais e sintomas aparecem principalmente no pescoço, dobras da pele, cotovelo, punhos, dorso das mãos, parte posterior dos joelhos e tornozelos.

Como é o tratamento da dermatite atópica?

O tratamento da dermatite atópica é feito com pomadas, cremes e medicamentos por via oral. A medicação serve para aliviar a coceira, diminuir o ressecamento da pele e combater a inflamação.

Além disso, é essencial controlar os fatores que desencadeiam as crises para evitar recidivas. O tratamento adequado permite manter a doença sob controle e prevenir novas crises.

A dermatite atópica tende a melhorar gradualmente com o passar do tempo. Muitas crianças apresentam uma melhora significativa por volta dos 5 anos e a maioria deixa de ter crises na adolescência. A permanência da dermatite atópica na fase adulta é rara.

O/a médico/a pediatra, alergologista, dermatologista e/ou médico/a de família pode ser procurado/a para uma avaliação e diagnóstico da doença.

Qual é o tratamento para dermatite atópica?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O tratamento da dermatite atópica é feito com pomadas, cremes e medicamentos administrados por via oral. O objetivo é aliviar a coceira, diminuir o ressecamento da pele e combater a inflamação. Além disso, é essencial controlar os fatores que desencadeiam as crises para evitar recidivas. 

Dentre os remédios usados para tratar a dermatite atópica estão as pomadas com corticoides (controlam a inflamação) e os anti-histamínicos (diminuem a coceira).

Nos casos mais graves, pode ser necessário tomar corticoides por via oral ou intravenosa. Se a pele estiver infeccionada, também são indicados antibióticos de uso tópico ou oral.

A aplicação de compressas frias pode ajudar a aliviar a coceira. Tirando isso, não se deve aplicar nenhum produto, receita ou remédio caseiro sem indicação médica, pois pode provocar infecções e agravar o quadro.

Dermatite atópica tem cura?

A dermatite atópica não tem cura, mas com o tratamento adequado e os devidos cuidados, é possível manter a doença sob controle.

Contudo, a dermatite atópica tende a melhorar gradualmente com o tempo. Por volta dos 5 anos de idade, a criança já pode apresentar uma melhora considerável e muitas deixam de ter crises na adolescência. São poucos os casos em que a dermatite atópica permanece até à idade adulta.

Como prevenir a dermatite atópica?

Alguns fatores podem piorar ou desencadear as crises, como alergias, gripe, pele seca, exposição ao sol ou à água, ambientes muitos quentes ou muito frios e estresse.

Por isso, além do tratamento medicamentoso, é importante ter alguns cuidados para prevenir novas crises de dermatite atópica e diminuir o tempo de duração das mesmas, tais como:

⇒ Evitar o contato da pele com detergentes, cosméticos coloridos e perfumados, produtos de limpeza, bijuterias e qualquer outro agente irritante;

⇒ Usar sabonete próprio para bebês e crianças ou que seja indicado para pele sensível e com tendência para alergias;

⇒ Usar pouco sabonete no banho para não ressecar a pele;

⇒ Evitar banhos demorados com água quente; dar preferência a banhos curtos (5 minutos), com água morna ou fria;

⇒ Lavar o corpo com as mãos, sem usar bucha ou esponja;

⇒ Aplicar hidratante no corpo após o banho, diariamente; nas áreas em que a pele continua ressecada, o hidratante deve ser aplicado mais de uma vez ao dia;

⇒ Se o hidratante causar ardência devido à maior sensibilidade da pele, pode-se usar vaselina semi-sólida ou líquida no lugar do creme;

⇒ Usar roupas de algodão, evitando tecidos sintéticos;

⇒ Evitar agasalhar demais a criança;

⇒ Aplicar protetor solar sempre que for à piscina e, quando sair da água, secar a pele com a toalha e aplicar o creme hidratante imediatamente;

⇒ Evitar usar amaciantes para lavar as roupas.

O/a médico/a dermatologista, pediatra, alergologista ou médico/a de família pode ser consultado para uma avaliação adequada e indicação do melhor tratamento da dermatite atópica.

Tenho dermatite atópica, esta doença tem cura?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Dermatite atópica não tem cura, mas com o tratamento adequado e ao se tomar alguns cuidados para prevenir as crises, é possível manter a dermatite sob controle, e com o decorrer do tempo é possível deixar de ter crises.

No caso da dermatite atópica em bebês e crianças pequenas, a doença geralmente melhora gradualmente conforme a criança cresce. Por volta dos 5 anos de idade, a dermatite atópica já pode apresentar uma melhora considerável, sendo que a maioria das crianças deixa de ter crises na adolescência.

Porém, há casos em que a dermatite atópica permanece até à fase adulta, embora sejam pouco comuns

Qual é o tratamento para dermatite atópica?

O tratamento da dermatite atópica é feito com cremes que hidratam a pele, eventualmente também são usados pomadas e medicamentos via oral que aliviam a coceira, diminuem o ressecamento da pele e combatem a inflamação.

Além disso, é essencial controlar os fatores que desencadeiam as crises para evitar recidivas.

Dentre os remédios usados para tratar a dermatite atópica estão as pomadas com corticoides, usados quando há exacerbação dos sintomas (controlam a inflamação) e os anti-histamínicos (diminuem a coceira).

Se a pele estiver infeccionada, também são indicados antibióticos em pomadas ou por via oral.

Existe algum tratamento natural ou caseiro para dermatite atópica?

Não existe um tratamento natural ou com produtos caseiros para dermatite atópica. Aliás, aplicar qualquer produto, receita ou remédio caseiro sem indicação do médico pode provocar inflamações ou infecções na pelee piorar o quadro.

Existem vários cuidados e medidas para evitar novas crises ou diminuir o tempo de duração dos sintomas, tais como:

  • Usar pouco sabonete no banho para evitar ressecar a pele;
  • Evitar banhos demorados com água quente; dar preferência a banhos curtos (5 minutos), com água morna ou fria;
  • Lavar o corpo com as mãos, sem usar bucha ou esponja;
  • Aplicar hidratante no corpo após o banho, diariamente; nas áreas em que a pele continua ressecada, o hidratante deve ser aplicado mais de uma vez ao dia;
  • Se o hidratante causar ardência devido à maior sensibilidade da pele, pode-se usar vaselina semi-sólida ou líquida no lugar do creme;
  • Usar roupas de algodão, evitando tecidos sintéticos;
  • Evitar se agasalhar muito ou usar muita roupa;
  • Aplicar protetor solar sempre que for à piscina e, quando sair da água, secar a pele com a toalha e aplicar o creme hidratante imediatamente;
  • Evitar usar amaciantes para lavar as roupas;
  • A aplicação de compressas frias pode ajudar a aliviar a coceira.
  • Evitar o contato da pele com detergentes, cosméticos coloridos e perfumados, produtos de limpeza, bijuterias e qualquer outro agente irritante;
  • Usar sabonete hidratante próprio indicado para pele sensível.

Converse com o médico de família, pediatra ou clínico geral caso apresente mais dúvidas. Em casos mais graves pode ser necessário o acompanhamento pelo médico dermatologista.

Saiba mais em: O que é dermatite atópica?

Dermatite atópica deixa a pele branca para sempre?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não necessariamente, se a dermatite atópica for adequadamente tratada e o processo inflamatório que acomete a pele for controlado e prevenido é possível controlar os sintomas e reverter as alterações na pele, permitindo que a cor da pele volte ao normal. 

No entanto, a dermatite atópica é uma doença crônica, em que os sintomas podem voltar a aparecer mesmo após remissão da doença.

É mais frequente em crianças, 90% dos casos surgem antes dos 5 anos de idade. Nos adultos os sintomas surgem com menos intensidade, e é mesmo possível que algumas pessoas que tenham tido episódios de dermatite atópica na infância não tenham mais na idade adulta. 

A dermatite atópica é uma das principais doenças alérgicas da pele, de origem genética, e está frequentemente associada a outras atopias (doenças alérgicas) como asma e rinite alérgica.

Causa um processo inflamatório crônico da pele, levando a sintomas como: pele extremamente seca, coceira intensa (prurido), que pode levar a ferimentos da pele por conta do ato de coçar, e mudança da textura da pele, que torna-se mais grossa, avermelhada ou esbranquiçada.

Saiba mais sobre a doença em: O que é dermatite atópica?

O tratamento consiste basicamente em hidratação abundante e diária da pele, além de evitar o contato com alérgenos e irritantes da pele como produtos cosméticos, como sabonetes e shampoos com perfume, produtos de limpeza, pó, pólen, cigarro e água quente.

Leia mais sobre o tratamento em: Qual é o tratamento para dermatite atópica?

Procure o seu médico de família, ou pediatra ou clínico geral para mais orientações. Em casos graves e extensos da dermatite atópica pode ser necessário o acompanhamento também por um médico dermatologista.

Pode também lhe interessar:

Tenho dermatite atópica, esta doença tem cura?

As principais diferenças entre a dermatite atópica e a psoríase
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A dermatite atópica e a psoríase são duas doenças de pele de natureza crônica e inflamatória.

Dermatite atópica: doença que surge já na infância, é bastante frequente e leva a formação de eczema, que são lesões avermelhadas, endurecidas e ressecadas. As lesões tipicamente coçam muito.

Psoríase: doença crônica, que acomete principalmente adultos, sendo rara na infância, provoca a formação de placas avermelhadas, que apresentam intensa descamação. É uma doença relativamente comum, mas é mais rara do que a dermatite atópica e tem natureza autoimune.

Principais diferenças 1. Idade de início dos sintomas
  • Dermatite atópica: geralmente na infância.
  • Psoríase: geralmente no começo da vida adulta.
2. Faixa etária mais frequente
  • Dermatite atópica: crianças.
  • Psoríase: adultos.
3. Localização no corpo
  • Dermatite atópica: variável conforme a faixa etária, mas algumas áreas comuns são a região externa de cotovelos e joelhos, pescoço, tornozelos e punhos.
  • Psoríase: variável, mas atinge principalmente região externa de cotovelos e joelhos.
4. Características das lesões
  • Dermatite atópica: a pele fica seca e apresenta intensa coceira. Pode-se formar áreas com pele endurecida, espessa e escoriada. Crostas também podem estar presentes.
  • Psoríase: formação de placas e manchas vermelhas, esbranquiçadas ou acinzentadas com presença descamação. Pode atingir também unhas, palmas das mãos e plantas dos pés.
5. Presença de prurido (Coceira)
  • Dermatite atópica: a coceira é bastante intensa, é uma das principais característica da dermatite atópica.
  • Psoríase: pode ou não estar presente, geralmente também não é tão intensa.
6. Doenças associadas
  • Dermatite atópica: Rinite Alérgica e Asma.
  • Psoríase: Artrite psoriásica, doenças cardiovasculares, metabólicas e outras doenças autoimunes.
Como se diferencia as lesões da dermatite atópica e da psoríase?

A dermatite atópica leva a dois sintomas principais: pele seca e coceira intensa. Podem ser formadas áreas vermelhas, elevadas, pruriginosas, com formação de crostas ou exsudato.

Lesões crônicas de dermatite atópica podem deixar a pele mais endurecida e escoriada, por conta do ato de coçar a pele frequentemente. Além disso, as lesões de dermatite atópica podem apresentar alguma descamação, que geralmente não é tão intensa quanto a descamação que ocorre na psoríase.

Dermatite atópica

A psoríase, por sua, vez também pode se manifestar de diferentes formas. A forma mais comum é a psoríase em placas, na qual, ocorre a formação de placas vermelhas, acinzentadas ou esbranquiçadas que formam constantemente escamas, ou seja, são lesões de pele que apresentam descamação constante.

As placas da psoríase podem coçar, mas diferentemente da dermatite atópica, a coceira não é tão intensa, sendo também pouco frequente.

Psoríase Qual a diferença na localização das lesões?

A dermatite atópica pode se apresentar em diferentes áreas do corpo, sendo algumas regiões do corpo mais frequentemente acometidas do que outras.

Em bebês e crianças a dermatite atópica pode atingir bochechas, couro cabeludo e áreas extensoras das pernas e braços. Em crianças maiores e adolescentes é a comum a formação de placas de eczema em áreas flexoras (internas) de joelhos e cotovelos, além de pescoço, punhos e tornozelos. Já nos adultos as lesões da dermatite atópica também atinge principalmente áreas flexoras de joelhos e cotovelos.

Em relação à psoríase as placas vermelhas com formação de escamas, típicas da doença, atingem principalmente o couro cabeludo, áreas extensoras (externas) dos cotovelos e joelhos, e região entre às nádegas. Outras possibilidades de local de acometimento são o canal auditivo, o umbigo, as palmas das mãos, as solas dos pés e as unhas.

Qual a diferença na idade de início dos sintomas? E qual a faixa etária mais frequente?

A dermatite atópica geralmente começa na primeira infância, cerca de 85% dos casos surgem antes dos 5 anos, sendo que 60% das vezes os sintomas podem surgir já no primeiro ano de vida.

Os sintomas tendem a melhorar ou aliviar a medida que a criança cresce, sendo que costumam ser mais persistentes nas crianças que apresentaram os sintomas mais tardiamente.

Já a psoríase embora possa surgir em qualquer faixa etária é mais frequente entre os 30 e os 39 anos e entre os 50 e os 69 anos, portanto é uma doença mais associada aos adultos, sendo rara na infância.

Ambas as doenças podem apresentar momentos de melhora e recidiva das lesões de pele, e momentos de piora dos sintomas.

Qual o tratamento da dermatite atópica e da psoríase?

A base do tratamento da dermatite atópica é o uso de diário e constante de hidratantes. Em casos mais graves da doença pode ser necessário o uso de medicamentos como corticoides ou mesmo imunossupressores, como a ciclosporina ou o metotrexato.

O tratamento da psoríase também se beneficia muito da hidratação da pele. Em casos leves o uso de hidratantes, pomadas tópicas, contendo corticoesteroides e exposição solar pode ser suficiente para a melhora das lesões de pele.

Em casos graves, na psoríase, pode ser necessário o uso de fototerapia ou medicação como retinoides, metotrexato, ciclosporina. Medicamentos biológicos também pode ser utilizados nos casos severos, como o adalimumabe, o etanercepte, o infliximabe, entre outros.

Na suspeita de dermatite atópica ou psoríase, consulte um dermatologista ou médico de família para o correto diagnóstico e tratamento.

Coceira na pele pode ser dermatite atópica? Saiba os sintomas
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A coceira na pele é sim um dos sintomas de dermatite atópica, também caracterizada pela presença de lesões avermelhadas que, às vezes, descamam.

A dermatite atópica é uma inflamação crônica das camadas superficiais da pele e é muito comum em pessoas com tendência a desenvolver alergias ou portadores de doenças como bronquite, asma e rinite.

Quais os sintomas da dermatite atópica? Marcas na pele provocadas pela coceira na dermatite atópica.

Em geral, a dermatite atópica tem início quando a pessoa ainda é bebê, com menos de 4 meses de vida. Os sintomas incluem:

  • Surgimento de áreas vermelhas na pele;
  • Bolhas e/ou escoriações;
  • Coceira intensa na pele que piora com a transpiração;
  • Pele seca ou espessa devido ao ato de coçar e esfregar a pele repetidas vezes;
  • As lesões de pele aparecem em uma única área do corpo ou em alguns locais específicos: parte da frente do pescoço, mãos, braços, área anterior dos cotovelos e atrás dos joelhos, especialmente em crianças e adultos.

Nos bebês as áreas de vermelhidão no rosto se espalham para o couro cabeludo, pescoço, braços, mãos, pés e pernas. Grandes superfícies do corpo podem ser afetadas.

O que posso fazer para aliviar a coceira?

Alguns cuidados com a pele são importantes para aliviar a coceira e evitar que as lesões provocadas pela dermatite atópica piorem. As recomendações são para:

  • Tomar banho apenas uma vez ao dia: muitos banhos durante o dia contribuem com o ressecamento da pele e pode piorar a coceira;
  • Utilizar sabonetes que promovam a hidratação da pele como, por exemplo, os sabonetes de aloe vera. Evite os sabonetes comuns;
  • Manter a pele hidratada por meio do uso de hidratantes ou vaselina após o contato com a água;
  • Secar o corpo, após o banho ou qualquer contato com a água, fazendo movimentos de pressão na pele. Evite esfregar a pele como normalmente fazemos, pois o ato de esfregar pode piorar as lesões;
  • Sempre usar cremes hidratantes imediatamente após o banho, enquanto a pele estiver úmida;
  • Cuidar da sua saúde emocional. O estresse piora as manifestações da doença. Para isto, pratique atividade física, faça meditação e/ou desenvolva hábitos que proporcionam prazer.
Dermatite atópica tem cura?

Não. A dermatite atópica não tem cura. Ela se torna mais leve aos 5 anos de idade. Porém, na adolescência e na vida adulta os surtos de dermatite atópica são comuns.

Qual o tratamento da dermatite atópica?

Por não ter cura, o tratamento da dermatite atópica consiste em manter os cuidados com a pele, sobretudo controlar os fatores que desencadeiam as crises, com o objetivo de aliviar a coceira, minimizar e/ou melhorar as lesões.

Além dos cuidados com a pele, alguns medicamentos orais e locais como creme e unguentos de corticoides podem ser utilizados para aliviar a coceira. Os corticoides também podem ser administrados por via oral.

A fototerapia (exposição a luz ultravioleta) é uma outra modalidade de tratamento que pode ajudar a melhorar as lesões provocadas pela dermatite atópica.

Para definir o melhor tratamento é importante a avaliação das lesões e do histórico do paciente. Para isso, consulte um médico de família, clínico geral ou dermatologista.

Como a dermatite atópica é diagnosticada?

O diagnóstico de dermatite atópica é feito pela avaliação das características da lesão de pele e do histórico familiar do paciente.

É importante informar se você tem tendência a alergias ou se tem histórico de alergias na família. Testes na pele ou exames de sangue podem ser necessários.

O médico de família, clínico geral ou dermatologista são os profissionais mais indicados para diagnosticar dermatite atópica.

Leia mais

Referência

Sociedade Brasileira de Dermatologia