Perguntar
Fechar

Hipotireoidismo

Fiz um exame de sangue - TSH e o resultado deu alterado?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O resultado deste exame significa que você tem hipotireoidismo. O ideal é aguardar 30 dias, refazer o exame e se continuar alterado vai ter que começar a tratar. Procure seu médico ou um endocrinologista.

Exame do hormônio tireoestimulante (TSH) alterado...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O ideal é a confirmação desse resultado alterado com a repetição do exame em um tempo específico a critério do seu médico, confirmada a alteração tem indicação de tomar remédio e continuar investigação para averiguar a tireoide.

Fimose ou hipotireoidismo interfere no tamanho do pênis?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O tamanho do pênis está ligado a vários fatores, sendo que o principal é o genético. Cirurgia de fimose não interfere com o crescimento do pênis. Hipotireoidismo não interfere com o crescimento do pênis (porque seu filho toma remédio e deve estar controlado). Talvez a única medida que pode ser adotada e que pode resultar em alguma mudança é a perda de peso. A pessoa que está acima do peso tende a produzir na gordura periférico o hormônio feminino estrogênio que pode interferir com o desenvolvimento das características sexuais secundárias (o que inclui parte do desenvolvimento do pênis)

Fiz um TSH e deu... será que tenho hipotireoidismo?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O exame está acima do normal, o que sugere hipotireoidismo, porém o diagnóstico somente pode ser fornecido pelo seu médico no consultório, um único exame de TSH alterado nem sempre é suficiente para firmar esse diagnóstico.

Sinto dores e dormência há mais de um ano nas mãos...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Você está preocupada e procurando uma causa para sua dor e dormência e como não encontra fica frustada, claro que em parte é porque além de não encontrarem uma causa os médicos, também não encontram uma solução. Precisa procurar um caminha alternativo para resolver seu problema: procure um médico homeopata, os remédios homeopáticos podem ser uma boa alternativa para você.

Fiz exame de TSH e deu um pouca aumentado...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

è uma pequena alteração que isoladamente não confirma o diagnóstico de hipotireoidismo, precisa levar esse exame a um médico para continuar a investigação.

Quem tem hipotireoidismo pode engravidar?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, mulheres com hipotireoidismo podem engravidar, desde que a doença esteja controlada. O hipotireoidismo, quando não tratado, pode causar problemas de fertilidade e dificultar a gravidez.

Além disso, já se sabe que mulheres com doenças da tireoide de longa duração têm menos chances de engravidar ou, quando conseguem, é mais difícil manter a gestação até o fim.

O hipotireoidismo é responsável por cerca de 2% dos casos de infertilidade feminina, pois provoca disfunções na ovulação. A falta do hormônio T4 da tireoide também diminui as taxas de fertilização e desenvolvimento do embrião.

Porém, mais da metade das mulheres com hipotireoidismo conseguem engravidar depois de manter a doença sob controle. Se a doença estiver sendo controlada, as chances de engravidar e de ter uma gestação sem problemas são as mesmas de uma mulher que não tem hipotireoidismo.

Sem tratamento adequado ou se não for tratado adequadamente, o hipotireoidismo aumenta os riscos de complicações durante a gravidez, como abortamento, hipertensão arterial, descolamento de placenta, menor crescimento do feto, nascimento prematuro e morte ao nascimento.

Filhos de mães com hipotireoidismo também podem apresentar uma diminuição do coeficiente cognitivo.

Por isso, o TSH de pacientes com hipotireoidismo deve ser avaliado na primeira consulta pré-natal e novamente a cada 3 meses. Boa parte dessas grávidas precisa receber um aumento da dose diária de T4 para não prejudicar o desenvolvimento do bebê.

Para esclarecer mais dúvidas converse com o seu médico obstetra.

Leia também:

Hipotireoidismo e gravidez: que cuidados é preciso ter?

O que é hipotireoidismo e quais os sintomas?

Hipotireoidismo tem cura? Qual o tratamento?

Hormônio da paratireoide (PTH) baixo: quais os sintomas e tratamento?

Hipotireoidismo tem cura? Qual o tratamento?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O hipotireoidismo não tem cura. Trata-se de uma doença crônica que muitas vezes requer tratamento durante toda a vida. Contudo, através da reposição do hormônio tireoidiano, o hipotireoidismo pode ser totalmente controlado. O medicamento é administrado sob a forma de comprimidos que devem ser tomados diariamente.

A medicação usada no tratamento do hipotireoidismo contém um hormônio feito em laboratório (levotiroxina) que substitui o hormônio T4 produzido pela tireoide. O hormônio tireoidiano T3 raramente é utilizado.

O medicamento geralmente é tomado de manhã, ainda em jejum e pelo menos 30 minutos antes do café da manhã, para que os alimentos não interfiram na absorção. Caso a pessoa tenha que tomar outra medicação no mesmo horário, recomenda-se esperar 30 minutos para tomá-la, para não atrapalhar a absorção da levotiroxina.

Uma vez que a doença não tem cura, o tratamento não incide sobre a causa do hipotireoidismo, mas sobre a falta do hormônio tireoidiano. Por isso, grande parte das pessoas com hipotireoidismo precisa tomar a medicação até o fim da vida. A dose de hormônios administrada é definida através do exame de TSH.

O papel da medicação é desempenhar a função do hormônio tireoidiano, como se a tireoide estivesse funcionando normalmente.

O tratamento do hipotireoidismo causa efeitos colaterais?

Se a carga hormonal for elevada, pode causar efeitos colaterais ao longo do tempo, como alterações no funcionamento do coração, arritmias, aumento do apetite, tremores, insônia e perda de massa óssea. 

Por outro lado, se a pessoa não tomar a quantidade necessária de hormônios, o seu metabolismo continuará lento e os sintomas do hipotireoidismo permanecerão.

Contudo, assim que a dosagem é ajustada, os sintomas desaparecem, sem prejuízos na qualidade de vida do paciente.

As doses de hormônio muitas vezes precisam ser ajustadas ao longo do tratamento, inclusive durante a gestação. Encontrar a dose adequada de hormônio para cada pessoa pode levar semanas. Por essa razão, no início do tratamento, as dosagens podem aumentar progressivamente.

Quais as consequências se o hipotireoidismo não for tratado?

É importante começar a tratar o hipotireoidismo tão logo ele seja identificado. Sem tratamento, a doença pode causar enfraquecimento do coração e diminuição dos batimentos cardíacos, gerando falta de ar, inchaço, aumento da pressão arterial e do colesterol.

Porém, com o tratamento adequado, se a pessoa tomar corretamente a medicação e os níveis de TSH estiverem normais, é possível ter uma vida normalmente ativa.

Vale ressaltar que as dosagens de hormônios são feitas em microgramas ao invés de miligramas, como acontece com a maioria dos remédios. Por isso, não é recomendado mandar manipular o medicamento, para não haver risco de errar a dose e reduzir a absorção do hormônio pelo corpo. 

O especialista responsável pelo tratamento do hipotireoidismo é o médico endocrinologista. Os medicamentos e as dosagens devem ser sempre ajustadas pelo médico responsável pelo tratamento e nunca devem ser alterados sem indicações do profissional.

Tenho hipotireiodismo que começou com o diagnóstico de TSH...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Os sintomas podem sim ser causados por isso, Talvez ou depende é a resposta para o hipotereoidismo ter evoluído para hipertireoidismo. "Normal" é não ter alteração no TSH.

Tenho hipotireoidismo, fiz exames TSH e T4 livre...
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O valor do TSH está satisfatório, porém o valor do T4 livre está um pouco baixo.

Entretanto o exame deverá ser avaliado em conjunto com o exame clínico e demais exames. Na concordância dos exames pode haver a necessidade de ajustar a dose do medicamento.

Tratamento do hipotireoidismo

No hipotireoidismo, acontece uma deficiência na produção dos hormônios T3 e T4 pela tireoide, devido a causas diversas, sendo a mais comum a doença autoimune - Tireoidite de Hashimoto. A hipofunção da tireoide leva a uma redução do metabolismo, dando origem a todos os sinais e sintomas encontrados na doença.

Feito o diagnóstico, o paciente deverá manter um acompanhamento regular com médico endocrinologista ou clínico geral, para toda a vida, porque sempre que houver alguma alteração no seu organismo, seja estilo de vida, alimentação ou mesmo situações emocionais, pode haver necessidade do ajuste das doses da medicação, sem que haja prejuízo para a pessoa.

Da mesma forma que acontece em outras doenças crônicas, como a hipertensão, diabetes mellitus, entre outras.

Leia também: Hipotireoidismo tem cura? Qual o tratamento?

O que é o exame de TSH?

O exame de TSH (hormônio tireoestimulante), consiste na dosagem sérica desse hormônio, que é produzido pela glândula hipófise e tem a função de estimular a tireoide. A tireoide por sua vez, tem a função de produzir e secretar os hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina), os quais regulam o metabolismo do organismo.

A produção do TSH é diminuída quando a tireoide está funcionando de forma adequada. Ou seja, os hormônios estão com níveis normais ou acima do normal. Ao contrário, quando existe uma produção insuficiente de T3 e T4, o organismo sinaliza por estimulação retrógrada, para a hipófise, que então aumenta sua produção de TSH para tentar compensar estimulando ainda mais a glândula tireoide.

Portanto, quando a dosagem de TSH está aumentada fala a favor de hipotireoidismo, hipofunção da tireoide. O TSH reduzido, pode ser sinal de hipertireoidismo.

Os valores de referência variam pouco, de acordo com os critérios de cada laboratório, por isso é obrigatório a descrição dos valores de referência ao lado dos resultados: Prematuros (28 a 36 semanas): 0,7 a 27 mUI/L Até 4 dias: 1,0 a 39,0 mUI/L 2 a 20 semanas: 1,7 a 9,1 mUI/L 21 semanas a 20 anos: 0,7 a 6,4 mUI/L 21 a 54 anos: 0,4 a 4,2 mUI/L 55 a 87 anos: 0,5 a 8,9 mUI/L

E o T4 livre...

O T4 livre (tiroxina livre circulante no sangue) é um dos hormônios produzidos pela tireoide.

Sua dosagem no sangue, junto aos demais exames, TSH e por vezes o T3, auxiliam no diagnóstico de hipo e ou hipertireoidismo. No hipotireoidismo, os níveis costumam estar reduzidos, provocando os sintomas de lentidão, pele seca, sonolência e constipação, devido a redução do metabolismo.

Leia também: O que é hipotireoidismo e quais os sintomas?

Já no hipertireoidismo, os níveis estão elevados, o que resulta nos sintomas de hiperfunção, como agitação, ansiedade, irritabilidade, pele quente e úmida, perda de peso, taquicardia e olhos saltados.

Leia também: O que é hipertireoidismo e quais os sintomas?

O exame de T4 livre é mais útil e por isso mais solicitado na prática clínica, do que o teste de T3 ou T3 livre.

Valores de referência para a maioria da população é: Recém-nascidos e crianças: 2,6 a 6,3 ng/dL Adultos: 0,8 a 2,7 ng/dL.

Existe um cuidado que deve ser lembrado para uma maior confiabilidade nos exames, que é o preparo do paciente. É preciso estar em jejum por pelo menos 8 horas e colher o sangue antes de tomar a medicação da manhã, ou no mínimo, quatro horas após a ingestão do medicamento.

Para maiores informações, procure um médico clínico geral ou endocrinologista.

O que é hipotireoidismo e quais os sintomas?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O hipotireoidismo é uma doença da tireoide que caracteriza-se pela pouca produção dos hormônios tireoidianos T3 e T4. Os sintomas podem incluir falta de energia, cansaço, lentidão, sonolência, constipação intestinal, facilidade em se resfriar, pele seca, unhas quebradiças, queda de cabelo, ganho de peso e depressão. 

Nas mulheres, o hipotireoidismo pode causar irregularidades na menstruação, diminuindo a fertilidade.

Os sintomas do hipotireoidismo são decorrentes da diminuição do metabolismo causada pela baixa produção dos hormônios da tireoide.

As causas do hipotireoidismo podem estar relacionadas com uma perda gradual da função da tireoide ou com a retirada da glândula após cirurgia.

A Tireoidite de Hashimoto é uma das principais causas de hipotireoidismo na população adulta, sobretudo mulheres. Trata-se de uma doença autoimune, em que os anticorpos do próprio corpo atacam a tireoide, causando uma inflamação crônica na glândula. A tireoide inflamada pode aumentar de volume e ter a sua função prejudicada, levando à baixa produção de hormônios.

O hipotireoidismo se manifesta quando os níveis de hormônios tireoidianos já não são suficientes para manter o metabolismo de forma adequada. Como resultado, todo o organismo funciona de forma mais lenta.

O hipotireoidismo pode surgir em qualquer idade, embora seja mais frequente em mulheres com mais de 40 anos e homens acima de 60 anos de idade.

O diagnóstico do hipotireoidismo é feito através do exame TSH, juntamente com a dosagem dos níveis de hormônios T3 e T4.

Veja também: TSH baixo, o que significa?

Se não tratado, o hipotireoidismo leva ao enfraquecimento do coração, redução dos batimentos cardíacos, provocando falta de ar ao realizar exercícios físicos e inchaços (principalmente nos tornozelos), além de aumentar a pressão arterial e o colesterol.

O diagnóstico da doença pode ser feita pelo clínico geral, médico de família ou endocrinologista.

Saiba mais em:

Hipotireoidismo tem cura? Qual o tratamento?

Hipotireoidismo e gravidez: que cuidados é preciso ter?

Quem tem hipotireoidismo pode engravidar?

Hipotireoidismo e gravidez: que cuidados é preciso ter?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os principais cuidados que se deve ter com o hipotireoidismo na gravidez é manter sempre as dosagens do medicamento ajustadas e fazer o acompanhamento pré-natal com a frequência recomendada. Se o hipotireoidismo não for devidamente tratado durante a gestação, o cérebro do bebê pode não crescer e se desenvolver adequadamente.

Por isso, é muito importante que o hipotireoidismo seja diagnosticado de preferência antes de engravidar ou logo no início da gravidez. Mulheres que pretender engravidar deveriam fazer os exames antes mesmo de começar a tentar.

Durante a gestação, as doses da medicação podem sofrer alterações e precisam ser ajustadas. O ajuste das dosagens de hormônio tireoidiano é feita conforme os resultados do exame de TSH.

Veja também: TSH baixo, o que significa?

O tratamento do hipotireoidismo em bebês deve começar logo após o nascimento. O atraso no início do tratamento pode prejudicar o crescimento e o desenvolvimento mental da criança.

Mantendo esses cuidados, é possível ter uma gravidez saudável. Contudo, é importante frisar a importância em tratar adequadamente o hipotireoidismo antes ou durante a gestação.

A falta de hormônios produzidos pela tireoide (T3 e T4) deixa o metabolismo mais lento. Logo, todos os órgãos e tecidos da mãe funcionam mais lentamente, prejudicando o desenvolvimento físico e mental da criança.

Assim sendo, compareça às consultas marcadas do pré-natal com o/a médico/médica de família ou obstetra e tome a medicação diária na dosagem indicada em cada consulta.

Leia também: 

Quem tem hipotireoidismo pode engravidar?

O que é hipotireoidismo e quais os sintomas?

Hipotireoidismo tem cura? Qual o tratamento?