Nódulos

Qual o tratamento para fibroadenoma mamário?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

O tratamento para fibroadenoma mamário pode ser feito através de controle clínico-radiológico ou cirurgia. Nos tumores menores, em pacientes com menos de 25 anos, pode ser efetuado o controle clínico e ecográfico semestral. Se o fibroadenoma apresentar crescimento progressivo, é indicada a sua remoção cirúrgica.

Nos fibroadenomas múltiplos e pequenos, o médico também pode optar pelo seguimento clínico-radiológico como forma de tratamento. A decisão tem como objetivo evitar as múltiplas incisões que seriam necessárias para remover os tumores por meio de cirurgia.

Contudo, mulheres com mais de 35 anos de idade devem ser sempre submetidas ao tratamento cirúrgico. O procedimento pode ser feito por mamotomia (eficaz para tumores de até 1,5 cm), crioablação (promove a morte do tumor por congelamento a temperaturas extremamente baixas) ou remoção do tumor com incisão cirúrgica.

Dependendo da localização e do tamanho do nódulo, a paciente retorna para casa no mesmo dia da cirurgia ou permanece internada após procedimento e volta para casa no dia seguinte.

A cirurgia de fibroadenoma mamário é rápida e a recuperação costuma ser completa, sendo necessários apenas alguns dias de repouso até a retirada dos pontos e cicatrização completa.

O tratamento do fibroadenoma de mama é da responsabilidade do médico mastologista, que deverá orientar a paciente sobre as vantagens e desvantagens de cada modalidade terapêutica.

Saiba mais em:

O que é um fibroadenoma mamário e quais os sintomas?

Fibroadenoma mamário pode virar câncer?

O que pode ser caroços pelo corpo?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Podem ser lipomas múltiplos, os lipomas são a principal causa de presença de nódulos ou "caroços", na população, embora existam outras causas que sempre devem ser investigadas.

O que são lipomas?

São tumores de pele benignos, formados por um conjunto de células de gordura, que podem aparecer em qualquer local do corpo, incluindo vísceras e cavidades, e geralmente não causam sintomas.

Os lipomas são bem delimitados, arredondados, de consistência firme, indolor a palpação. O diagnóstico costuma ser clínico, porém existe indicação de pedidos de exames de imagem, nas seguintes situações: Nódulos dolorosos, mal delimitados, de crescimento rápido, nódulos muito grandes (acima de 5 cm), ou quando causam algum sintoma.

Saiba mais em: O que é um lipoma?

Outras causas de "caroços" pelo corpo incluem:
  • Linfonodos aumentados (íngua)
  • Hematomas
  • Cistos epidérmicos
  • Cistos pilosos ou sebáceos
  • Neurofibromas
  • Nódulos reumáticos
  • Tumores subcutâneos malignos

O aumento dos linfonodos, popularmente conhecido por "íngua", acontece nas regiões aonde se encontram os gânglios linfáticos, principalmente na região do pescoço, axilas, virilha e atrás dos joelhos. Durante um processo de inflamação e infecção, os gânglios aumentam seu metabolismo e produção de anticorpos no organismo, aumentando, portanto, seu volume e se tornando mais "quentes" e dolorosos.

O hematoma é uma coleção de sangue em forma de coágulos, que costumam acontecer após traumas. Sua coloração é mais azulada e são dolorosos à palpação.

Os cistos epidérmicos e sebáceos se caracterizam pela maior mobilidade do nódulo à palpação, visto que apresentam material mais "amolecido" no seu interior. Pode haver sinal de inflamação ao redor do cisto, como vermelhidão e calor local.

Os neurofibromas são tumorações benignas, que se desenvolvem na pele, subcutâneo ou órgãos internos e que geralmente não causam dor. Podem causar grande desconforto ou ansiedade dependendo da localização e tamanho.

Os nódulos reumáticos costumam ser endurecidos e dolorosos, com piora da dor em temperaturas frias e ao acordar, devido ao repouso prolongado da articulação.

Os tumores malignos são divididos em diferentes classes, com características e evolução próprias, entretanto, na sua maioria, se apresentam como uma ferida de difícil cicatrização. Somente um médico especializado, dermatologista, é capaz de o diagnóstico correto para esses casos.

Por vezes, devido à grande variedade de possibilidades, é necessário um exame de biópsia para definição do diagnóstico e tratamento. Procure um médico dermatologista para avaliação e conduta.

Percebi um carocinho no lado direito do pescoço da minha filha de 5 anos. Devo me preocupar?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O que você diz "carocinhos" são na verdade linfonodos, pequenos órgãos de defesa espalhados em todo o corpo eles aumentam de tamanho quando necessitam "trabalhar" para a defesa da região próxima de onde estão localizados. Então geralmente aumentam em casos de infecção e inflamação e em casos mais raros câncer (provavelmente essa é sua preocupação). Como sua filha já tem eles há muito tempo e eles não aumentaram de tamanho, então fique tranquila.

Fiz uma punção em nódulos no pescoço...
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O resultado final será dado pelo seu médico, mas fique tranquilo não há sinais de câncer neste exame. Não há no exame descrição de atipia, ou de características que sugiram malignidade.

Quando é indicada a punção de nódulo tireoidiano?

A punção de nódulos tireoidianos costuma estar indicada na presença de nódulos que apresentam características sugestivas de malignidade como:

  • Nódulos sólidos;
  • Nódulos sólidos císticos: maior que 1,5 cm ou maior que 1,0 cm mas com componente sólido hipoecoico e microcalcificações, ou margens irregulares,ou mais alto do que largo na visão transversal;
  • Nódulos espongiformes e maiores que 2 cm;
  • Nódulos menores que 1 cm mas que apresentam características de malignidade ou estão presentes em pessoas que já apresentam maior risco de terem nódulos malignos.

A grande maioria dos nódulos tireoidianos são benignos, muitos apresentam estrutura cística que praticamente descartam potencial de malignidade. Nessa situação não é necessária realização de punção e o nódulo requer apenas acompanhamento clínico.

Como entender o resultado de uma punção de nódulo de tireoide?

O resultado da punção do nódulo tireoidiano é categorizado em um sistema de classificação chamado Bethesda:

Classe I (Insatisfatória ou não diagnóstica): a amostra de tecido colhida é insuficiente ou não permite nenhuma avaliação ou diagnóstico.

Classe II (Benigno): não há células sugestivas de malignidade, portanto, não é necessário novos exames e não está indicado nenhum tratamento.

Classe III (Atipia ou significado indeterminado ou lesão folicular de significado indeterminado): Foram encontradas células com alterações e não é possível descartar malignidade, portanto, a depender do contexto clínico e do resultado do ultrassom realizado previamente o médico pode optar por repetir o exame ou encaminhar para cirurgia.

Classe IV (Neoplasia folicular ou suspeito para neoplasia folicular): Nessa situação também é necessário diferenciar entre lesão maligna ou benigna, mas só a punção não é suficiente, por isso o médico encaminhará para a cirurgia.

Classe V (Suspeito de malignidade): Esse resultado mostra alta suspeita de lesão maligna portanto a conduta tomada é realização de cirurgia com retirada de todo o lobo acometido ou de toda a tireoide (tireoidectomia total).

Classe VI (Maligno): Há a presença clara de neoplasia maligna, na maioria dos casos está indicada a tireoidectomia total.

Lembre-se que todo exame deve ser interpretado pelo médico que o solicitou, que a partir dele conseguirá determinar o melhor diagnóstico possível e a linha de tratamento a seguir. Portanto, para avaliação de nódulos de tireoide e interpretação de exames consulte o seu médico.

Tive toxoplasmose e surgiram módulos no meu pescoço?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Sim. Os nódulos de toxoplasmose (linfonodos aumentados por causa da toxoplasmose) demoram muito para voltarem ao seu tamanho normal ou nunca mais voltam

Íngua na axila: o que pode ser?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Íngua na axila pode ter muitas causas. A presença de um nódulo ou caroço na axila pode ser sinal de inchaço dos gânglios linfáticos (linfonodos), infecções ou cistos.

Os gânglios linfáticos são pequenos órgãos de defesa localizados em várias partes do corpo, como axilas, virilha e pescoço. Os linfonodos atuam como filtros que podem reter micro-organismos invasores (vírus, fungos, bactérias) ou células cancerígenas. Quando isso acontece, os gânglios aumentam de tamanho, dando origem à íngua, que pode ser sentida sob a forma de um caroço ou nódulo na axila.

Existem diversas doenças e condições que podem deixar os linfonodos aumentados e causar íngua na axila. Dentre elas estão:

  • Infecção no braço ou na mama;
  • Infecções sistêmicas, como mononucleose, AIDS ou herpes;
  • Câncer, como linfoma e câncer de mama.

A presença de cistos ou abscessos subcutâneos também podem produzir ínguas grandes e dolorosas na axila. Podem ser causados por depilação com lâmina e uso de antitranspirantes (não desodorantes). Esses nódulos ocorrem com mais frequência em adolescentes, quando começam a se depilar.

A presença de íngua na axila pode ser causada ainda por:

  • Doença da arranhadura do gato;
  • Lipomas (tumores gordurosos benignos);
  • Uso de certos medicamentos ou vacinas.

O tratamento da íngua na axila depende da causa. No caso das mulheres, o caroço pode ser sinal de câncer de mama, o que requer atenção especial e uma avaliação imediata por um médico.

Uma vez que a presença de caroços ou nódulos na axila pode indicar a presença de doenças graves, é altamente recomendável que na presença de ínguas nesse local, seja consultado um médico clínico geral ou médico de família para que a causa seja devidamente diagnosticada e tratada.

Sintomas no corpo que você não pode ignorar: caroços, nódulos, íngua, emagrecimento...
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Frequentemente surgem sintomas novos no nosso corpo, como um caroço, um nódulo, uma íngua, a percepção de emagrecimento, mudanças na cor da pele, entre outros. A pergunta é, quando devem ser um motivo de preocupação?

Certos sintomas são totalmente normais e correspondem às respostas do organismo a um estímulo externo ou a situações passageiras. Porém, outros sintomas podem representar um sinal de alerta, que deve ser pesquisado o mais breve possível.

Sinais e sintomas alarmantes!

Os sinais e sintomas de alerta, que indicam a necessidade de procurar atendimento médico de forma urgente, são principalmente:

1. Ínguas que duram mais de 2 semanas

A íngua é o termo popularmente utilizado para o aumento dos gânglios linfáticos, ou linfonodos.

Os linfonodos são pequenos órgãos de defesa do nosso organismo, localizados no sistema linfático por todo o corpo, com maior quantidade nas regiões do pescoço, axilas e virilha. São responsáveis pela produção de linfa, células de defesa e ainda pela eliminação de germes e células anormais da circulação.

Por isso, em situações de inflamação ou infecção, esses gânglios (ínguas) aumentam de tamanho a fim de agir com mais efetividade, porém regridem em poucos dias, quando o problema está sanado.

Entretanto, o câncer ou outras doenças mais graves, podem originar gânglios aumentados, que não causam dor nem sinal de inflamação, e duram mais de 3 a 4 semanas. São considerados sinal de alerta e devem ser avaliados por um médico da família ou clínico geral, quanto antes.

2. Emagrecimento sem alteração na dieta ou atividade física intensa

A perda de peso sem uma dieta com esse objetivo ou atividades físicas intensas, pode ser um sinal de alarme. Aproximadamente 40% dos pacientes com câncer, apresentam o emagrecimento como primeiro sintoma da doença.

Não está bem esclarecido o motivo, mas parece estar associado a alterações no metabolismo e sistema imunológico.

Na presença de perda de peso, procure um médico clínico geral, ou médico da família para avaliação adequada, o mais rapidamente possível.

3. Febre persistente

A febre é mais um sinal precoce e comum aos pacientes com câncer. Assim como a perda de peso, o motivo da febre persistente nos casos de tumor maligno, não é bem compreendido, porém é um sinal comum.

Sendo assim, nos casos de febre inexplicada, que permanece por mais uma semana, associada ou não a outros sintomas, deve ser investigada. Procure um médico da família ou clínico geral, para avaliação.

4. Pele amarelada (Icterícia)

A icterícia, ou pele amarelada, é o depósito de bilirrubina indireta na pele. A bilirrubina é o pigmento resultante do metabolismo das hemácias, que segue para o fígado, onde é convertida em bilirrubina direta, armazenada na vesícula e eliminada na urina e nas fezes. O acúmulo desse pigmento na pele, sugere um problema no fígado ou vesícula biliar, como por exemplo o câncer.

Existem outras causas de aumento de bilirrubina no sangue, e consequente icterícia, inclusive causas de emergência médica, como a colangite. Portanto, nos casos de icterícia, o mais adequado é que procure uma emergência para avaliação imediata.

5. Manchas brancas na boca

A presença de manchas brancas ou esbranquiçadas na mucosa oral, especialmente em tabagistas, pode ser um sinal precoce de tumor maligno.

Pode indicar também, uma leucoplasia (lesão pré-cancerosa), que se não for tratada rapidamente, evolui para o câncer de boca.

Procure um médico da família ou clínico geral, para essa avaliação e orientações direcionadas ao seu caso.

6. Tosse persistente

A tosse persistente, que dura por mais de 4 semanas, sem motivo que justifique, pode ser o inicial de um câncer de pulmão ou trato respiratório superior.

A característica mais comum nos casos de câncer, é a tosse produtiva, com secreção purulenta ou sanguinolenta, associada a outros sintomas como dor torácica, febre, emagrecimento, falta de ar e história de tabagismo (fumante ativo ou passivo).

O médico pneumologista é o mais indicado para essa avaliação.

7. Rouquidão e tosse seca

A rouquidão sem causa aparente e persistente, é mais um sinal alarmante, pois sugere o comprometimento do trato respiratório ou região cervical.

Procure um médico da família ou clínico geral, para descartar a possibilidade de um tumor de laringe, esôfago, tireoide ou pulmonar.

Outros sintomas que não podemos ignorar

Outros sintomas que não devem ser ignorados, mesmo que não sejam alarmantes são:

1. Caroços no pescoço, embaixo do queixo, nas axilas e virilha

Os casos de caroços, ou ínguas na região do pescoço, embaixo do queixo, axilas e virilhas, regiões de grande concentração de gânglios linfáticos, costumam representar apenas o aumento dos linfonodos, como resposta a uma inflamação ou infecção próxima a essa região. São reações de defesa do organismo, a um determinado problema.

São encontrados nos episódios de sinusite, amigdalite, resfriado comum, pelo "encravado", entre outros. Contudo, o caroço regride completamente dentro de uma ou duas semanas, após a resolução do problema, o que não representa um sinal de alerta.

Como na grande maioria das vezes é uma resposta benigna do organismo e regride espontaneamente com a resolução da inflamação, não tem tratamento específico, porém deve ser acompanhado pelo médico assistente.

2. Nódulos nos braços, barriga ou dorso

O nódulo, ou nódulos encontrados nos braços, barriga, dorso ou nas pernas, podem representar um acúmulo de gordura local, chamado lipoma(s).

O lipoma é um tumor de pele benigno, formado por células de gordura maduras, bem delimitado, indolor e sem sinal de infecção. É o tumor de pele mais comum na população. Mais frequente no adulto, pode ser encontrado em todo corpo, inclusive nos órgãos internos.

Não causa problemas físicos, limitações ou maiores preocupações.

O tratamento costuma ser de acompanhamento, devido a sua benignidade. Ou pode ser indicada cirurgia para sua retirada, por motivos estéticos ou na presença de sintomas, por exemplo quando comprime um nervo ou estruturas nobres.

De qualquer forma o médico cirurgião geral ou cirurgião plástico devem ser procurados para confirmação desse diagnóstico e orientação caso a caso.

Lipomas 3. Caroço na nuca

Na região da nuca, além dos linfonodos, podemos dizer que os nódulos encontrados estão mais associados a contraturas musculares e lipomas.

As contraturas são nódulos dolorosos, geralmente associados a postura inadequada ou mal jeito, e com piora da dor à movimentação da cabeça ou do pescoço.

Por isso nesses casos o mais indicado é a colocação de um colar cervical em espuma, permanecer mais tempo em repouso e quando necessário, os medicamentos com melhor resposta, são os relaxantes musculares.

Mais uma vez o diagnóstico deve ser confirmado por um médico clínico geral ou médico da família, para evitar problemas secundários.

4. Caroço na virilha

Além da íngua por inflamação nessa região, outras causas comuns de aparecimento de "caroço" na virilha são a hérnia inguinal e as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

A hérnia inguinal é a passagem de uma parte do intestino por um orifício na parede do abdômen. Por isso é mais comum quando a pessoa está de pé ou exerce uma força maior no abdômen, que empurra esse pedaço da alça pelo orifício, como na tosse ou exercícios físicos.

No caso da hérnia, o "caroço" não tem sinal de infecção, mas pode causar dor, sensação de peso e incômodo na região pélvica.

Embora não seja um sintoma de maior risco, a hérnia é sempre uma indicação cirúrgica, para correção desse orifício na parede do abdômen. Por isso, se identificar um caroço na virilha sugestivo de hérnia inguinal, procure um médico cirurgião geral para avaliação e tratamento mais apropriado, o mais breve possível.

As DSTs são doenças adquiridas no contato sexual desprotegido e podem cursar com gânglios aumentados (ínguas) na virilha. O cancro mole ou bubão, causado pela bactéria Haemophilus ducrey, e a AIDS, são as doenças que mais cursam com esse sintoma.

Na suspeita de doenças sexualmente transmissíveis, procure um médico ginecologista para avaliação e tratamento.

Quando devo procurar o médico?

Nos sinais e sintomas abaixo listados, recomendamos procurar um atendimento médico para melhor avaliação e orientações. São eles:

  • Caroço que não regride após 2 semanas,
  • Febre persistente ou febre noturna diária (mesmo que febre baixa),
  • Emagrecimento sem causa aparente,
  • Cansaço, fadiga que não era habitual,
  • Dificuldade de engolir, dor na garganta ao se alimentar,
  • Feridas que não cicatrizam,
  • Tosse persistente ou rouquidão,
  • "Olho" ou ponto purulento no local do caroço,
  • Drenagem de secreção purulenta no local do caroço.

Na presença de um sinal ou sintoma com as características acima, procure um médico clínico geral ou médico da família para identificar o problema e oferecer as devidas orientações.

Tenho 18 e nódulos no seios, tenho chance de ter câncer?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Sim, assim como todas as mulheres, porém nem sempre a existência de nódulos benignos é um indicativo de uma chance maior.