Suicídio

Como prestar socorro a uma pessoa que ingeriu Diazepam de forma errada?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Os primeiros socorros que devem ser prestados a uma pessoa que ingeriu Diazepam® ou qualquer outro medicamento de forma inadequada, seja com doses elevadas ou pessoas com contraindicação à medicação, são:

  1. Não provocar vômitos, pelo risco de broncoaspiração;
  2. Não oferecer água, leite ou qualquer outro líquido à vítima, pelo mesmo motivo, a pessoa pode não estar no seu estado de consciência adequado para engolir;
  3. Ligar imediatamente para um serviço de desintoxicação para receber as informações de socorros:
  • CEATOX-SP (Centro de Assistência Toxicológica) do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas através do número 0800 014 8110, ou para
  • Disque Intoxicação da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) através do número 0800 722 6001; neste número sua ligação será transferida para o Centro de Informação e Assistência Toxicológica (Ciats) mais próximo da sua cidade. Existem mais de 30 centros pelo país, regulados pela ANVISA.

No caso de demorar ou não conseguir contato, leve a pessoa, com urgência, para um pronto socorro ou hospital mais próximo. Se possível leve junto a embalagem do Diazepam® (ou medicamento que tenha feito uso).

Ao ligar para um dos centros de informações sobre intoxicação, tenha consigo as seguintes informações:

  • Idade e peso da vítima (mesmo que só aproximado);
  • Há quanto tempo ocorreu a ingestão do Diazepam®;
  • Qual a dose do Diazepam® e quantos comprimidos acredita ter sido usado (pode olhar a caixa para ter ideia de quantos já foram retirados);
  • Os sintomas que a pessoa está apresentando;
  • Tenha a embalagem do medicamento em mãos;
  • Número de telefone para contato.

Se a pessoa tiver ingerido uma quantidade de Diazepam® maior do que a que costuma ser indicada, ela poderá apresentar os seguintes sintomas:

  • Sonolência;
  • Falta de coordenação motora;
  • Dificuldades na fala;
  • Movimentos anormais dos olhos;
  • Pressão baixa;
  • Dificuldade respiratória;
  • Coma.

Portanto, no caso de socorrer alguém que tenha feito uso em excesso de Diazepam® ou qualquer outra medicação, tente contato com urgência nos centros de informação e Assistência Toxicológica, citados acima e siga as orientações.

Tenho 12 anos e apresento muitos sintomas de bipolaridade...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A maioria das pessoas que acreditam serem bipolares, são na verdade apenas depressivas. Você precisa de tratamento, porque o diagnóstico está fácil. Não adianta nada saber o que você tem se não tratar, qual o sentido de saber o que você tem se não vai fazer nada a respeito, então é melhor nem saber.

Leia também: Diferenças entre Esquizofrenia e Transtorno Bipolar

E não é você que deve dizer aos seus pais o que você tem, quem deve dizer aos seus pais o que você tem e o que precisa ser feito é seu médico. Vá ao médico, converse com seus pais, apenas diga que você está precisando de ajuda, ou converse com outro adulto da sua família que você tenha confiança. O que você precisa fazer é buscar ajuda.

Sou muito triste, estressado e muito nervoso, pode ser depressão?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, pode ser depressão e é importante procurar ajuda. A depressão pode cursar com diferentes sintomas, os principais são a tristeza profunda sem motivo aparente e a falta de prazer em qualquer atividade, mesmo naquelas que anteriormente traziam alegria e eram agradáveis. Os pensamentos suicidas também são indicativos de depressão com um grau importante de acometimento.

Outros sintomas de depressão são:

  • Irritabilidade, angústia, ansiedade;
  • Desânimo, cansaço fácil;
  • Desinteresse, falta de motivação e apatia;
  • Falta de vontade e dificuldade de tomar decisões;
  • Sentimentos de medo, insegurança, desespero ou vazio;
  • Pessimismo, ideias de culpa e baixa auto-estima;
  • Dificuldade de concentração, raciocínio mais lento e esquecimento;
  • Diminuição da libido e do prazer sexual;
  • Perda ou aumento do apetite;
  • Insônia ou aumento do sono;
  • Dores e outros sintomas físicos sem causa justificável.

É importante lembrar que a depressão é uma doença que tem tratamento, portanto, caso esteja apresentando os sintomas acima procure ajuda profissional, o seu médico pode orientá-lo sobre o tratamento, em alguns casos o psicólogo pode ser essencial também.

Leia mais em:

Como saber se tenho Depressão?

As 4 formas para combater a Depressão.