Perguntar
Fechar

O que é adrenalina e quais os seus efeitos no nosso corpo?

Dra. Juliana Guimarães
Dra. Juliana Guimarães
Doutora em Saúde Pública

A adrenalina ou epinefrina é um hormônio produzido por glândulas localizadas sobre os rins (glândulas suprarrenais) que tem como função preparar o corpo para reagir em situações de euforia, medo ou estresse emocional.

Este hormônio tem concentração muito baixa no sangue em condições normais, porém quando sentimos excitação, medo ou sensação de perigo, é secretado em maior quantidade no sangue para que o nosso corpo se prepare para correr, pular ou efetuar movimentos que exigem reflexos rápidos.

Grito de medo

Efeitos da adrenalina

Em momentos de grande empolgação ou em situações de luta ou fuga do perigo, real ou imaginário, a adrenalina é secretada em maior quantidade e produz no corpo diversos efeitos:

  • Estimula o coração aumentando a frequência cardíaca;
  • Aumenta o fluxo sanguíneo para a musculatura;
  • Amplia o estado de atenção do cérebro, o que provoca reações mais rápidas e estimulam a memória;
  • Acelera a frequência respiratória;
  • Aumenta a pressão arterial;
  • Nos pulmões, provoca a abertura dos brônquios;
  • Promove a dilatação das pupilas, o que facilita a visão quando nos encontramos em locais escuros;
  • Aumenta a concentração de glicose no sangue pela transformação do glicogênio e gordura em açúcar;
  • Produz energia extra por meio do aumento da glicemia (açúcar no sangue);
  • Inibe a atividade digestiva e excretora para economizar energia;
  • Aumenta a sudorese (suor).

O que estimula a produção de adrenalina?

Salto de parapente

A produção de adrenalina é estimulada quando passamos por situações que demandam respostas rápidas tanto do nosso cérebro, como do nosso corpo.

Prática de esportes

Praticar esportes, especialmente os esportes radicais, como voo livre, rapel, salto de paraquedas e escalada aumentam os níveis de adrenalina no sangue.

Lembre-se que a alta concentração de adrenalina na corrente sanguínea aumenta a pressão arterial, o que se constitui em um risco para quem tem problemas cardíacos. Por este motivo, antes de iniciar a prática de qualquer esporte radical efetue exames médicos que avaliem a saúde do seu coração.

Momentos importantes da vida e vivência de emoções fortes

Situações que podem acarretar mudança na sua vida, como a realização de um concurso, provas em geral, entrevistas ou momentos nos quais você será avaliado, provocam no corpo o aumento da excreção de adrenalina.

Do mesmo modo, a vivência de emoções fortes como alegria intensa, excitação, ansiedade e raiva também fazem com que seja aumentada a produção de adrenalina pelo organismo.

Medo, perigo e estresse

Diante de ocasiões que nos causam medo, sensação de perigo iminente, preocupação e estresse intensos com situações que possam vir a acontecer, somos colocados em estado de luta ou fuga, para enfrentar tais situações, pela ação da adrenalina. Estes estados – luta ou fuga – são desencadeados exatamente pelo aumento da quantidade de adrenalina lançados na nossa corrente sanguínea.

Redução da glicemia

A redução dos níveis de açúcar no sangue (glicemia) aumenta a produção de adrenalina para que ocorra a transformação de gorduras e glicogênio em glicose.

Adrenalina e estresse

Pessoas que vivem sob estresse constante mantém elevadas as concentrações de adrenalina no sangue, uma vez que seu corpo e seu cérebro se encontram sempre em estado de alerta.

Este estado permanente de atenção e de ativação dos mecanismos de reação rápida do corpo trazem diversos riscos para a saúde. Entre eles estão: doenças cardiovasculares, pressão alta, arritmias cardíacas, desenvolvimento de distúrbios hormonais, neurológicos, psiquiátricos e auto-imunes.

Neste caso, busque realizar atividades que auxiliam no relaxamento e na redução do estresse. Você pode praticar atividade física em academias ou ao ar livre, fazer yoga, meditação, dança ou qualquer atividade que ajude a mediar o estresse diário. Se necessário, não tenha vergonha de procurar atendimento psicológico ou psiquiátrico. Estes profissionais podem ser muito importantes quando estamos submetidos a situação de estresse elevado.

Adrenalina pode ser usada como medicamento?

Sim. A adrenalina pode ser usada em sua forma sintética como medicamento. Entretanto, o uso da adrenalina sintética é efetuado somente em ambiente hospitalar e não é encontrado para compra livre em farmácias.

O medicamento é indicado em casos de:

  • Asma grave;
  • Parada cardiorrespiratória: como estimulante do coração e vasoconstritor (provoca a contração dos vasos sanguíneos);
  • Reações alérgicas graves (reações anafiláticas);
  • Redução intensa da pressão arterial.