O que é fibrose pulmonar? Tem cura?

Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Fibrose pulmonar é uma doença crônica não infecciosa, que se caracteriza pela substituição do pulmão por tecido cicatricial (fibrose), interferindo na capacidade pulmonar de realizar as trocas gasosas. O tecido fibroso é bem menos elástico que os pulmões, dificultando a respiração.

A fibrose pulmonar tanto pode evoluir lentamente, ao longo de anos, como pode apresentar uma progressão mais rápida, de poucos meses.

Fibrose pulmonar: causas, sintomas e tratamento

Apesar da evolução lenta e progressiva ser a mais comum, a fibrose pulmonar não deixa de ser fatal, provocando a morte do indivíduo cerca de 2 a 4 anos após o diagnóstico.

A doença afeta sobretudo homens com mais de 60 anos, fumantes ou ex-fumantes.

Fibrose pulmonar tem cura? Existe tratamento?

A fibrose pulmonar idiopática não tem cura. Uma vez instalada, a fibrose não desaparece. Entretanto, em 2016, foi liberado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), uma medicação promissora, capaz de retardar a progressão da doença.

Até o momento, não foram apresentados estudos suficientes para definir resultados confiáveis em relação a resposta ao medicamento, especialmente quanto ao aumento do tempo de sobrevida média. Porém, os resultados evidenciaram melhora na qualidade de vida desses pacientes, pela primeira vez após outras opções de tratamento.

Se houver um processo inflamatório significativo, podem ser usados ainda medicamentos como corticoides, azatioprina e a ciclofosfamida.

A possibilidade de um transplante de pulmão também deve ser avaliada, principalmente nos casos de demora no diagnóstico e nos casos já mais avançados. O transplante pode melhorar a qualidade de vida do paciente e aumentar o tempo de sobrevida.

Indivíduos que apresentam uma diminuição da oxigenação sanguínea são tratados com administração de oxigênio. Nos casos em que a redução da oxigenação só acontece durante um esforço, o paciente pode utilizar dispositivos portáteis de oxigênio.

A fisioterapia respiratória pode melhorar a qualidade de vida do paciente e também pode ser indicada.

Quais as causas da fibrose pulmonar?

A fibrose pulmonar idiopática tem causa desconhecida (idiopática quer dizer “causa desconhecida”).

Porém, alguns casos de fibrose pulmonar são consequência de doenças que afetam os pulmões. Nesses casos, a fibrose não é idiopática e não é considerada uma doença em si, mas sim uma complicação de uma doença pulmonar anterior.

Além das doenças pulmonares, a fibrose pulmonar pode ser causada por:

  • Doenças autoimunes, como artrite reumatoide, esclerodermia e polimiosite;
  • Exposição a substâncias tóxicas como metais pesados, alcatrão, asbesto e sílica, bactérias, fungos ou radiação;
  • Uso de certos medicamentos;
  • Infecções virais;
  • Contato frequente com aves;
  • Fatores genéticos.

Quais são os sintomas da fibrose pulmonar?

Os sintomas mais comuns da fibrose pulmonar são:

  • Falta de ar, que piora progressivamente;
  • Respiração curta e rápida;
  • Tosse seca durante mais de 6 meses;
  • Dedos em baqueta de tambor;
  • Perda de peso e apetite.

Com o tempo, as extremidades do corpo, como as pontas dos dedos, podem ficar azuladas devido à falta de oxigenação. Algumas pessoas referem ainda dores musculares e articulares.

Inicialmente os sintomas da fibrose pulmonar podem ser leves e passar despercebidos. No entanto, com a evolução da fibrose, os sintomas vão piorando e a pessoa apresenta dificuldade e falta de ar para realizar tarefas simples, como trocar de roupa ou tomar banho.

É possível prevenir a fibrose pulmonar?

Não. Não há maneiras de prevenir a fibrose pulmonar idiopática, mas sabe-se que o tabagismo está fortemente associado à doença e, por isso, deve ser evitado.

Além disso, o afastamento de fatores de risco, como a exposição a certas substâncias tóxicas, bem como o tratamento precoce de doenças pulmonares associadas à fibrose pulmonar, também podem ajudar a prevenir alguns casos.

Existe uma forma familiar de fibrose pulmonar idiopática (representa menos de 5% dos casos), em que pelo menos 2 membros da família são acometidos. Assim, se uma pessoa tiver um familiar de 1º grau com a doença e apresentar algum dos sintomas, deve procurar um médico imediatamente o pneumologista para uma avaliação.

O pneumologista é o especialista responsável pelo diagnóstico e tratamento da fibrose pulmonar.