Perguntar
Fechar

O que é dispneia e quais são as causas?

A "falta de ar" ou dispneia é a sensação de dificuldade para respirar. Geralmente ocorre por causas cardíacas e pulmonares, mas pode ser causada por diversas outras condições. A dispneia pode acontecer por vários mecanismos, como por exemplo:

  • Quando a concentração de oxigênio no ar está baixa, como nas grandes altitudes;
  • Quando algo obstrui as vias aéreas;
  • Quando o coração está fraco ou há alguma obstrução ao fluxo sanguíneo e não é possível levar sangue oxigenado para os tecidos;
  • Quando há algum problema no pulmão que impede a troca dos gases (gás carbônico e oxigênio);
  • Quando o sangue não consegue transportar oxigênio adequadamente, como nos casos de anemia grave ou hemácias (glóbulos vermelhos) malformadas.

Dispneia: o que é, quais as causas, os sintomas e o tratamento

Quais são as causas da dispneia?

Obstrução das vias aéreas: Asma; bronquite e agravamento para bronquite crônica, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), fibrose cística, enfisema, síndrome de Loëffler (causada por algumas verminoses, pela passagem da larva para o pulmão, os brônquios e a laringe), câncer de laringe ou faringe, obstrução nasal e edema da laringe.

Doenças da pleura e do parênquima pulmonar:

  • Doenças contagiosas: pneumonia, tuberculose, outras infecções pulmonares;
  • Doenças não contagiosas: fibrose pulmonar, atelectasia, pneumonite por hipersensibilidade (alveolite alérgica extrínseca, pneumonite alérgica intersticial), trombose nas artérias dos pulmões, doença pulmonar intersticial, câncer de pulmão, derrame pleural volumoso, pneumoconiose, pneumotórax, edema pulmonar não cardiogênico ou síndrome do desconforto respiratório, sarcoidose.

Doença vascular pulmonar: embolia pulmonar, hipertensão pulmonar e síndrome da veia cava superior.

Imobilização do diafragma: lesão do nervo frênico.

Restrição do volume do tórax: espondilite anquilosante, costelas fraturadas, cifose ou escoliose da coluna vertebral, obesidade, pectus excavatum grave (deformidade do tórax e osso esterno caracterizada por uma depressão do osso esterno e costelas na frente do tórax).

Desordens do sistema cardiovascular: dissecção aórtica (dissecção da aorta), cardiomiopatia, doença cardíaca congênita, arritmias cardíacas, Síndrome CREST (Esclerodermia Limitada), insuficiência cardíaca, cardiopatia isquêmica, hipertensão maligna, doenças do pericárdio (incluindo tamponamento cardíaco e pericardite constritiva), edema pulmonar, angina do coração (angina de peito ou angina pectoris), embolia pulmonar, doença cardíaca valvular (valvopatias ou valvulopatias).

Doenças do sangue e do metabolismo: anemia grave, hipotireoidismo, insuficiência adrenal, acidose metabólica, sepse ou septicemia, leucemia.

Distúrbios que afetam os nervos e músculos da respiração: esclerose lateral amiotrófica (doença de Lou Gehrig), Síndrome de Guillain-Barré ou polirradiculoneurite aguda, esclerose múltipla, miastenia grave ou miastenia gravis, Síndrome de Turner, Síndrome miastênica de Lambert-Eaton, Síndrome da Fadiga Crônica.

Doenças psicológicas: transtorno de ansiedade e ataques de pânico.

Medicamentos: Fentanil (fármaco do grupo dos opioides), entre outros.

Outras causas de dispneia: intoxicação por monóxido de carbono, gravidez, ferimentos internos no tórax, hemorragia súbita volumosa e aspiração de corpo estranho.

Quais são os sintomas da falta de ar?

A dispneia é um sintoma e não uma doença por si só. A falta de ar pode ser um sinal de que os tecidos do corpo não estão recebendo uma quantidade suficiente de oxigênio.

A dispneia se manifesta por desconforto ou dificuldade para respirar, além de poder causar outros sintomas como cansaço (mesmo ao realizar tarefas leves e simples) e sensação de aperto no peito.

Se as extremidades do corpo, como nariz, lábios ou dedos, ficarem com uma coloração azulada ou arroxeada, é um sinal de que está faltando oxigênio para os tecidos. Nesses casos, deve-se procurar atendimento médico com urgência.

Qual é o tratamento para dispneia?

O tratamento da dispneia depende da sua causa, podendo incluir o uso de medicamentos administrados por via oral, injeção ou inalação, uso de oxigênio, ventilação mecânica, em situações de maior gravidade intubação, entre outras formas de tratamento.

Em caso de dispneia, um médico clínico geral ou médico de família. Ele poderá avaliar detalhadamente, através de anamnese, exame físico e eventuais exames complementares, qual é o diagnóstico correto, orientar e prescrever o melhor tratamento. Em algumas situações pode ser necessário o acompanhamento por outros especialistas como o cardiologista ou pneumologista.