Perguntar
Fechar

Quem tem hipertrofia uterina pode engravidar?

Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim, quem tem hipertrofia uterina pode engravidar, embora a condição possa dificultar a gravidez, devido às alterações na estrutura uterina, entretanto existem métodos de tratamento e auxílio para esses casos.

gestante

Quando a mulher apresenta hipertrofia uterina, ou seja, a perda da estrutura normal da musculatura uterina, que nesse caso se torna mais grossa, aumentada; pode ocorrer um desequilíbrio nos estágios normais do processo de gestação. Como no transporte dos espermatozoides através do útero, dificultando a fecundação do óvulo, até a implantação do óvulo na parede uterina, pela maior resistência, o que justifica a dificuldade de engravidar de algumas mulheres com esta condição.

Causas de hipertrofia uterina

Uma causa frequente de hipertrofia uterina é a adenomiose, que se caracteriza pela invasão da parte mais interna do útero (endométrio) na camada muscular do órgão (miométrio).

Além da hipertrofia uterina, a adenomiose provoca diversas alterações estruturais e funcionais no útero que acabam por dificultar a gravidez, tais como:

  • Alterações na vascularização do endométrio, que podem impedir a implantação do embrião no útero;
  • Interferência no transporte do óvulo pelas trompas até ao útero;
  • Anomalias moleculares, que levam a episódios de aborto precoce;
  • Problemas na secreção de proteínas de adesão no endométrio;
  • Alterações genéticas;
  • Altas concentrações de radicais livres no útero.

Leia mais sobre adenomiose em:

O que é adenomiose e quais os sintomas? e Quem tem adenomiose pode engravidar?

Outra causa comum é a própria gravidez, mas nesse caso, com o intuito de acomodar e proteger de forma segura o bebê, já com a gestação estabelecida. Nesse caso é uma hipertrofia compensatória e benéfica do organismo da mulher. E após o parto, a musculatura vai retornando à forma anterior habitual.

Podemos citar ainda como causas de hipertrofia, a presença de tumores na parede do útero, miomas, excesso de atividades físicas, como musculação e uso de hormônios.

Qual o tratamento para hipertrofia uterina?

O tratamento para hipertrofia uterina, quando necessário, varia de acordo com a sua causa.

No caso de adenomiose, é realizado tratamento à base de medicamentos hormonais. Se não for atingido o objetivo, pode ser indicado o tratamento cirúrgico. Para cada caso existe um tratamento específico.

Leia também: Qual o tratamento para hipertrofia uterina?

O diagnóstico e o tratamento da hipertrofia uterina são da responsabilidade do/a médico/a ginecologista.

Também pode lhe interessar: O que é hipertrofia uterina?