Perguntar
Fechar

Insônia

Café - Benefícios e malefícios
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O consumo moderado de café (duas a quatro xícaras ao dia) exerce efeito na prevenção de doenças como depressão, cirrose hepática, doença de Alzheimer, asma, diabetes tipo 2, cálculos biliares, câncer de intestino, alguns tipos de dores de cabeça, doença de Parkinson. Previne o consumo de drogas e álcool. Melhora a atenção e desempenho mental. Contém vitaminas, sais minerais, antioxidantes que combatem os radicais livres e cafeína, a principal amina ativa do café, que é absorvida rapidamente e chega ao cérebro em cerca de 20 minutos após a ingestão, onde age aumentando a influência do neurotransmissor dopamina.

A cafeína é um estimulante e como tal pode interferir no sono e causar insônia. Seu uso durante a gravidez é desaconselhado devido ao aumento do risco de aborto e mal formações congênitas. O uso regular da cafeína pode levar ao vício e a descontinuidade da ingestão de café nessas situações leva a sintomas de abstinência como dor de cabeça, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração e rigidez muscular.

Leia também: Cafeína tira a dor de cabeça?

O consumo exagerado pode levar a alguns malefícios que são atribuídos ao uso do café. Efeito diurético e perda de minerais e vitaminas, causando enfraquecimento do organismo. Possui uma relação direta com a doença fibrocística que é precursora do câncer de mama. Pode causar irritação da pele e outras doenças dermatológicas como verrugas e psoríase e favorecer o aparecimento de pólipos intestinais. Provoca aumento da secreção de ácido cloridrico (azia constante) no estômago levando ao aparecimento de gastrite e úlcera.

Dormir pouco emagrece ou engorda?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Dormir pouco pode favorecer o ganho de peso, devido ao impacto que o sono de má qualidade tem no apetite e no gasto energético, podendo levar ao ganho de peso.

Isso porque dormir pouco está associado a alterações nos hormônios que controlam a fome. Os níveis de leptina, que reduz o apetite, baixam, enquanto que os níveis de grelina, que estimula o apetite, aumentam. Isso já ocorre quando a pessoa dorme menos de 8 horas por noite.

Além disso, quem dorme muito pouco (cerca de 4 horas por noite) tem mais vontade de comer alimentos calóricos, ricos em carboidratos, como doces e massas, por exemplo.

Outro fator que contribui para que as pessoas que dormem pouco engordem, é que estas têm menos chances de serem ativas fisicamente, o que leva a um gasto energético mais reduzido.

Portanto, dormir pouco pode contribuir para o ganho de peso, aumentando o risco de obesidade e outros problemas decorrentes do ganho de peso.

Além disso a privação de sono de qualidade no decorrer do tempo pode levar a diversos problemas como cansaço, fadiga, diminuição da produtividade e problemas de memória.

Caso sinta que não dorme adequadamente seja procure um médico de família ou clínico geral para uma avaliação inicial.

Também pode lhe interessar:

Dormir pouco faz mal a saúde? Quais as consequências?

É normal uma bebê de 8 meses não dormir a noite toda?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Os bebês quando pequenos costumam acordar de duas em duas horas para mamar e alguns bebês mantem essa rotina. Quando a criança começa a ter problemas para dormir duas situações podem estar ocorrendo: 1) A rotina da sua casa é inadequada para o bebê, ou não existe uma rotina, ou ele é pouco rígida, crianças pequenas precisam de rotinas rígidas; todos os dias tudo deve acontecer sempre no mesmo horário (comer, brincar e dormir). O dia é para ficar acordado e a noite é para dormir (apague todas as luzes, se ela acordar durante a noite, evite muita movimentação, muitas luzes e barulho, jamais brinque com ela durante a madrugada, faça o que precisa ser feito (trocar fraldas e mamadeira) e faça ela dormir novamente, não importa o quanto ela lute contra isso você precisa ser firme. Se ela mama muito a noite é importante retirar gradualmente todas as mamadas da noite, dê a janta e depois só o café da manhã pela manhã. 2) (menos provável) seu bebê pode estar sofrendo de estresse ou ansiedade, sim isso pode acontecer e muitas vezes pode estar relacionado com o que acontece na casa e o que está acontecendo com as pessoas da casa ou coisas que podem estar acontecendo com ela.

Quais são as causas da insônia?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

As causas da insônia são várias e podem estar relacionadas com transtornos mentais (depressão, ansiedade, síndrome do pânico, estresse pós-traumático, distúrbios do sono), problemas emocionais (separação, perda amorosa, desemprego, pobreza e outras condições de vida), doenças físicas (fibromialgia, dores, disfunções hormonais, doenças respiratórias ou digestivas) e estilo de vida (uso prolongado de medicamentos, drogas, estimulantes, cafeína e bebidas alcoólicas).

Outra causa frequente de insônia é a apneia do sono, caracterizada por curtas pausas na respiração que levam a pessoa a despertar várias vezes durante a noite, prejudicando a qualidade do sono. Nestes casos, a pessoa pensa ter dormido o suficiente, mas se sente cansada ao acordar e sonolenta durante o dia seguinte, uma vez que não teve o sono reparador.

O estresse emocional causado por dificuldades financeiras, problemas afetivos ou no trabalho, ansiedade e depressão também podem causar insônia. Esses problemas muitas vezes estão associados a uma atividade mental intensa, com grande fluxo de pensamentos e preocupações, tornando difícil pegar no sono.

Sentir dores durante a noite também pode provocar insônia, bem como doenças neurológicas como doença de Parkinson, Acidente Vascular Cerebral ("Derrame") e doença de Alzheimer.

Cerca de 30% a 50% das pessoas com insônia têm transtornos de humor, como depressão e ansiedade; as doenças físicas, especialmente relacionadas à dor, estão presentes em cerca de 10% dos casos; o uso abusivo de substâncias ocorre em 10% dos casos e cerca de 10% das pessoas com insônia possuem distúrbios do sono.

A insônia pode ser uma combinação de diversos fatores e que muitas vezes há predisposição para a pessoa desenvolver o problema.

O que é insônia?

A insônia caracteriza-se por uma experiência de sono inadequada ou de má qualidade, mesmo que haja oportunidade e condições favoráveis para dormir, prejudicando as atividades pessoais, sociais e profissionais realizadas durante o dia.

A insônia com duração inferior a 4 semanas é considerada aguda, enquanto que as insônias que duram mais de 4 semanas são consideradas crônicas.

Quais são os sintomas da insônia?

Uma pessoa com insônia pode ter dificuldade para começar a dormir ou manter o sono, ter um período de sono muito curto e insuficiente (acordar muito cedo) ou ter um sono de má qualidade ou não restaurador. Para caracterizar um quadro de insônia, é necessário que os sintomas ocorram pelo menos 3 noites na semana.

Outros sintomas da insônia incluem: acordar frequentemente durante a noite, ansiedade ou agitação antes ou depois de dormir, sensação de cansaço ao acordar, pesadelos, sonolência durante o dia, cansaço, dificuldade de concentração, atenção, aprendizado e memória, falta de energia, irritabilidade, queda do rendimento nos estudos ou no trabalho.

Qual é o tratamento para insônia?

O tratamento da insônia pode ser feito com medicamentos específicos, como as benzodiazepinas, além de psicoterapia e tratamento da doença de base que está causando a insônia. A medicação tem ação rápida, mas o tratamento da insônia é mais eficaz quando são associados os medicamentos às medidas não farmacológicas. Atividades físicas regulares e redução do estresse causado pelo trabalho e/ou família podem ajudar a equilibrar o sono. Além disso, melhorar a qualidade do sono pode ser uma boa medida de combate à insônia.

Leia mais em:10 dicas para melhorar a qualidade do sono

Quando a insônia é transitória, ocorrendo em uma ou algumas noites, não traz consequências graves e muitas vezes pode ser considerada normal. Porém, se a insônia durar meses ou anos, pode trazer graves prejuízos para a vida do indivíduo e precisa ser avaliada pelo/a médico/a.

É normal ter insônia na gravidez?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. A mulher grávida pode ter insônia principalmente no final da gravidez (último trimestre).

Durante a gravidez, o sono é fragmentado, leve e algumas mulheres têm dificuldade em ter um sono profundo. A limitação dos movimentos para achar uma posição confortável, dores nas costas, cãibras, ansiedade, vontade de urinar durante a noite e pouca atividade física podem explicar a dificuldade em ter um sono relaxante. 

Para evitar isso, aconselha-se manter um horário regular para dormir; praticar atividades físicas leves; ter uma alimentação equilibrada com baixa dose de cafeína; evitar beber muito líquido antes de ir para a cama; dormir em um ambiente calmo (sem televisão, com pouca luz); colocar travesseiros entre as pernas e evitar muitos cochilos durante o dia.

Também pode lhe interessar o artigo: 10 Dicas para Melhorar a Qualidade do Sono

Tire suas dúvidas com seu/sua médico/a durante as consultas do pré-natal.

Tenho depressão e insônia e tomei 3 comprimidos juntos...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Conte isso para seus familiares ou alguém próximo em quem confia e pode te ajudar, procure um serviço de emergência hoje e volte no seu médico da depressão assim que possível, para contar a ele esse episódio de tentativa de suicídio.

Qual o tratamento para insônia?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

tratamento para insônia é principalmente constituído por:

  • Higiene do sono;
  • Técnicas de relaxamento;
  • Terapia cognitivo-comportamental
  • Outros tipos de terapia
  • Uso de medicação.

Essa escolha será feita tendo em conta a causa identificada da insônia e o padrão de sono, trabalho e atividades diárias de cada indivíduo.

A higiene do sono consiste em alguns hábitos que devem ser evitados principalmente antes do horário de dormir e algumas mudanças no ambiente. Isso inclui evitar bebidas estimulantes, cafeína e álcool antes de dormir além de não fumar, especialmente no período noturno, praticar atividade física regularmente mas evitar nos momentos antes de dormir. A pessoa deve evitar deitar com fome, mas é recomendado não comer uma alimentação pesada durante à noite. Ir para a cama realmente quando estiver com sono, não se forçando para dormir. O ambiente do quarto deve ser calmo, tranquilo, longe de barulhos sonoros excessivos e de luminosidade, especialmente evitar assistir televisão na cama antes de dormir.

Leia também:

10 Dicas para Melhorar a Qualidade do Sono

8 dicas para regular o seu sono

Técnicas de relaxamento, yoga, tai chi chuan, massagens, aromoterapia, cromoterapia e algumas ervas medicinais podem ser usadas como forma de tratamento.

Os medicamentos sedativos e que induzem ao sono devem ser usados com muita precaução e apenas com indicação médica.

Saiba mais em:

Distúrbios do sono: Quais os principais tipos e como identificá-los?

Quais os sintomas dos distúrbios do sono?

Quais são as fases do sono e o que acontece em cada uma delas?

Meu filho de 15 anos não consegue dormir direito... o que pode ser?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Isto é um sintoma chamado insônia e geralmente está associado com problemas emocionais (depressão ou ansiedade, entre outras causas) o ideal é levar seu filho ao médico para correto diagnostico e tratamento.

Nos últimos meses eu não tenho sentido fome...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Precisa procurar um médico, a falta de apetite é somente um dos sintomas do seu problema de saúde, precisa tratar a doença toda e não somente um dos sintomas.

Leia também: Sinto muita fome: o que pode ser?

Perdi meu bebê com 8 meses gestação, estou inconformada...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Além do psicólogo que vai te ajudar muito, você precisa ir também a um psiquiatra, vai precisar de medicamentos para sair desse momento difícil da sua vida. O que você tem é o que chamamos de depressão reativa, é algo perfeitamente esperado para uma pessoa que teve uma perda tão infeliz como a que você teve, mas não se desespere, não fique achando que já está ficando "louca", é só começar a tratar que logo você vai começar a se sentir melhor.

Há 2 anos tive depressão bipolar, porém agora estou tendo sensação de palpitação, corpo trêmulo, irritada, tenho momentos de muita tristeza. O que devo fazer?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Precisa voltar para seu médico ou para um outro que possa te ajudar, seus sintomas são nitidamente compatíveis com um quadro de depressão (não chega a ser uma bipolaridade como foi no passado), mas precisa procurar ajuda novamente antes que as coisas tomem proporções maiores e a situação fique pior.