Cafeína tira a dor de cabeça?

Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, a cafeína pode tirar a dor de cabeça. Acredita-se que a propriedade que a cafeína tem de dilatar os vasos sanguíneos do corpo e contrair os vasos sanguíneos do cérebro, seja, pelo menos em parte, responsável pelo alívio de algumas dores de cabeça conseguido pela ingestão de cafeína.

Substâncias que dilatam os vasos sanguíneos, como o álcool, pode causar dores de cabeça vasculares. Já a cafeína tem ação vasoconstritora, ou seja, contrai os vasos sanguíneos, o que pode ajudar a combater a dor causada pela dilatação dos vasos sanguíneos da cabeça.

A cafeína é frequentemente adicionada a medicamentos para dor porque melhora a absorção e aumenta o efeito analgésico do remédio.

Muitos pacientes afirmam que uma xícara de café forte pode ajudar a aliviar uma enxaqueca ou até mesmo acabar com ela, quando tomada logo no início da dor de cabeça.

Falta de cafeína dá dor de cabeça?

É importante lembrar que pessoas que consomem grandes quantidades de cafeína, como as que bebem café em excesso, podem apresentar vários sintomas quando deixam de ingerir a substância durante mais tempo que o habitual.

Um dos sintomas da abstinência da cafeína é a dor de cabeça. Nesses casos, a dor de cabeça costuma surgir principalmente quando a pessoa acorda mais tarde que o normal.

Isso acontece porque depois de tantas horas, os níveis de cafeína na circulação sanguínea já baixaram muito, causando sintomas, entre eles a dor de cabeça.

Este tipo de dor de cabeça geralmente é latejante, semelhante à dor da enxaqueca, e só costuma passar depois de uma ou duas xícaras de café.

Outros sintomas que a falta de cafeína pode causar:

  • Taquicardia (aumento dos batimentos cardíacos);
  • Alterações na pressão arterial, metabolismo e apetite;
  • Insônia;
  • Agitação;
  • Tremores.

Para maiores esclarecimentos sobre os efeitos da cafeína no tratamento da dor de cabeça, fale com o/a seu/sua médico/a de família ou com o/a médico/a neurologista.