Perguntar
Fechar
Muco na urina, o que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Muco na urina, geralmente, é sinal de células epiteliais, uma descamação natural da camada interna do trato urinário. Pode haver ainda, cristais e leucócitos acumulados. Trata-se apenas de uma observação no resultado do exame de urina, sem relevância clínica, ou seja, nem sempre é sinal de alguma doença.

No entanto, a presença de muco na urina pode indicar também algum problema de saúde como:

  • Infecção do trato urinário - nesse caso é comum a presença de grande quantidade de leucócitos no exame, ardência e urgência para urinar;
  • IST (infecção sexualmente transmissível) - as ISTs levam a uma irritação na mucosa do trato urinário, causando dor, ardência, corrimento vaginal e muco na urina;
  • Pedra nos rins - a passagem de pedras ou "areia" pelo trato urinário, causa descamação na mucosa e com isso, o aumento das células e muco na urina;
  • Câncer de bexiga - embora mais raro, a doença pode ter como um dos primeiros sinais, a presença de grande quantidade de muco na urina e perda de peso sem motivo aparente.

As células epiteliais são as próprias células do trato urinário que descamam, por isso é normal que apareçam na urina. Porém, passam a ser preocupantes quando se agrupam em forma de cilindro (cilindros epiteliais).

A presença de cristais na urina pode não ter importância clínica, ou, em alguns casos, estar relacionado a um maior risco de formar cálculos renais. Depende do tipo e quantidade de cristais encontrados.

Os leucócitos (glóbulos brancos) são as células de defesa do organismo. A sua presença na urina normalmente indica alguma inflamação nas vias urinárias, como a infecção urinária, mas também podem estar presentes em outras situações, como traumas, contato com substâncias irritantes ou qualquer inflamação que não seja causada por um agente infeccioso.

Cabe ao médico que solicitou o exame de urina interpretá-lo, uma vez que os resultados devem ser analisados em conjunto com a história clínica, os sintomas e o exame físico do paciente.

Filamentos de muco na urina, o que significa?

O filamento de muco na urina, significa a presença de células da mucosa do trato urinário, em uma forma mais estreita e alongada, como um "fio" ou fios de muco.

Para caracterizar a quantidade de filamentos de muco encontrados, alguns laboratórios descrevem por cruzes, por exemplo, se houver pouca quantidade, uma cruz (+), se houver muitos filamentos de muco na urina, três cruzes (+++).

O resultado descrito, auxilia o médico e identificar o problema, ou entender como um padrão normal de descamação da mucosa. Durante a gestação, menstruação e uso de anticoncepcionais, a presença de muco na urina é normal e esperada.

Também pode lhe interessar:

Fezes com muco, o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Fezes com muco pode ocorrer em situações normais, uma vez que o muco é um componente secretado pelo intestino grosso e que, às vezes, é eliminado junto com as fezes quando há um aumento dos movimentos intestinais, como ao comer algum alimento com efeito laxante.

No entanto, quando o muco torna-se frequente, abundante e aparece acompanhado de outros sinais e sintomas pode significar a presença de algum distúrbio intestinal, tais como:

1. Disenteria

Trata-se de uma perda líquida caracterizada pela presença de sangue e muco nas fezes. Normalmente é causada por alguma bactéria ou vírus que invadiu a mucosa intestinal.

2. Síndrome do intestino irritável

Não é uma doença, mas sim um conjunto de sintomas que incluem dor abdominal, estufamento, "intestino preso" e diarreia. É comum haver alternância entre diarreia e prisão de ventre, podendo também surgir muco com as fezes.

3. Pólipos intestinais

São tumores benignos que surgem devido a um crescimento anormal das células da mucosa do intestino. Na maioria dos casos, os pólipos são pequenos e não causam nenhum sintoma. Porém, pólipos maiores podem causar obstrução intestinal ou sangramento, além da possibilidade de haver muco nas fezes.

4. Tumores de cólon e reto

O câncer de intestino pode não causar sintomas nos estágios iniciais. Contudo, nas fases avançadas, podem surgir anemia, cólicas, dores abdominais, náuseas, vômitos, prisão de ventre ou diarreia. As fezes podem ter sangue e muco.

5. Doença de Crohn

Trata-se de uma doença inflamatória que afeta com mais frequência o intestino, mas que pode acometer todo o trato gastrointestinal. Os seus sintomas incluem diarreia (com ou sem muco nas fezes), dor abdominal e perda de peso.

6. Retocolite ulcerativa

É uma inflamação da mucosa localizada dentro da parede do intestino. O seu principal sintoma é a diarreia com presença de sangue e muco nas fezes, podendo causar ainda dor abdominal, febre e emagrecimento.

Leia também:Minhas fezes estão verdes, o que pode ser?

Se o muco nas fezes vier acompanhado de outros sintomas, consulte o/a médico/a de família, clínico/a geral ou gastroenterologista para uma avaliação pormenorizada.

Corrimento vaginal é normal?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O corrimento vaginal é considerado normal quando apresenta coloração clara ou esbranquiçada, parecida com clara de ovo, não possui cheiro forte, não provoca coceira ou ardência. Neste caso, trata-se de uma secreção vaginal normal. Essas secreções podem ficar com uma cor esbranquiçada ou amarelada quando expostas ao ar.

No entanto, corrimento vaginal branco, marrom, cinza, amarelo ou esverdeado, com odor desagradável tipo peixe podre ou azedo, pode ser algum tipo de infecção ou inflamação vaginal que precisa ser avaliada e tratada adequadamente. Nesses casos, o corrimento vaginal pode vir acompanhado de coceira e irritação na vagina e na vulva.

As alterações que podem indicar a presença de uma infecção incluem:

  • Mudança repentina na quantidade, cor, cheiro ou consistência do corrimento vaginal;
  • Coceira, vermelhidão e inchaço na área genital;
  • Sintomas que pioram ou duram mais de uma semana;
  • Bolhas ou outras lesões na vagina ou na vulva;
  • Ardência para urinar ou outros sintomas urinários.

Existem diferentes tipos de infecções que podem causar corrimento vaginal anormal, tais como:

  • Infecções sexualmente transmissíveis (clamídia, gonorreia, tricomoníase);
  • Candidíase (infecção vaginal causada por fungo);
  • Vaginose bacteriana: ocorre quando as bactérias que habitam naturalmente a vagina se multiplicam de maneira exagerada, causando corrimento vaginal cinza, com cheiro de peixe.
Corrimento vaginal na gravidez é normal?

O corrimento vaginal na gravidez também é bastante comum e muitas vezes está relacionado com as alterações fisiológicas que ocorrem nesse período.

Porém, a grávida deve estar atenta a corrimentos vaginais com pus, mau cheiro e que causem prurido (coceira) ou dor abdominal. Estes devem ser sempre investigados e tratados para prevenir complicações para a mãe e para o bebê.

Qual a causa ou origem do corrimento vaginal normal?

A vagina da mulher e o colo do útero são recobertos por um tipo especial de "pele" chamada mucosa. Em geral, todas as mucosas são úmidas e possuem pequenas glândulas produtoras de muco, que é um tipo de secreção viscosa.

Isso significa que a vagina pode ter uma secreção natural ou normal, que é um líquido espesso transparente ou levemente esbranquiçado, sem cheiro e com sabor levemente salgado.

Durante o ciclo menstrual, algumas mulheres podem apresentar alterações hormonais e um aumento da secreção vaginal normal. A excitação sexual também provoca o aumento das secreções normais.

Outros fatores que podem aumentar a quantidade de corrimento vaginal normal incluem ovulação e gravidez.

Como prevenir o corrimento vaginal anormal?
  • Mantenha a área genital limpa e seca, sobretudo se tiver vaginite;
  • Evite usar sabonete e use apenas água para fazer higiene íntima;
  • Faça banhos de imersão em água morna e seque bem a seguir;
  • Em vez de usar uma toalha para se secar, utilize o secador, pois produz menos irritação do que a toalha;
  • Evite duchas vaginais: muitas mulheres se sentem mais limpas se usarem ducha, mas isso piora os sintomas porque elimina as bactérias saudáveis que habitam a vagina e ajudam a proteger contra infecções;
  • Evite usar aerossóis, fragrâncias ou produtos de higiene feminina na área genital;
  • Não use absorventes internos enquanto estiver com uma infecção vaginal;
  • Se tiver diabetes, mantenha um bom controle dos níveis de açúcar no sangue;
  • Use roupas largas e sem meia-calça;
  • Use calcinhas de algodão;
  • Não usar calcinha quando possível;
  • Limpe-se sempre da frente para trás e lave-se bem após usar o banheiro;
  • Use camisinha para evitar infecções sexualmente transmissíveis.

A presença de corrimento vaginal branco, marrom, cinza, amarelo ou esverdeado, com odor desagradável, deve ser avaliada por um médico ginecologista.

Fezes com muco em bebês e crianças é grave? O que pode ser?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Fezes com muco em bebês e crianças podem não representar uma doença grave. Em bebês, quando ocorre a dentição, por conta da deglutição da saliva, um potencial irritante intestinal, pode haver evacuação com muco.

Um pouco de muco nas fezes pode ser algo normal, no entanto, caso note grande quantidade de muco nas fezes, acompanhado de outros sintomas, como diarreia, sangue nas fezes ou febre, deve procurar um médico para uma avaliação.

Principais causas de muco nas fezes de bebês e crianças

Algumas possíveis causas de evacuação com muco são: infecções intestinais, doença inflamatória intestinal ou síndrome do intestino irritável.

Infecções intestinais

Podem ser causadas por vírus, bactérias ou protozoários, que normalmente se associam a um aumento no número das evacuações e dor abdominal.

As infecções intestinais causam um estado inflamatório do trato gastrointestinal, chamada de gastroenterite. Além da diarreia e dores abdominais, outros sintomas vômitos, presença de muco ou sangue nas fezes, em alguns casos também pode ocorrer febre.

Leia mais em: Quais são os sintomas de uma infecção intestinal em bebês?

Infecção intestinal causada por vírus

As infecções intestinais causadas por vírus é a principal causa de sintomas de gastroenterite em crianças pequenas. Em alguns casos de gastroenterite viral pode surgir muco nas fezes, embora esse seja um sintoma normalmente mais frequente e exacerbado nas infecções intestinais de origem bacteriana.

Costumam ser quadros auto-limitados, com duração de alguns dias. Nos casos em que a criança apresenta grande quantidade de diarreia ou vômitos é essencial manter a hidratação, através do aumento da ingesta hídrica ou mesmo do uso de soro de reidratação.

Medicamentos para aliviar a dor abdominal ou a febre podem ser prescritos por um médico quando necessário.

Infecção intestinal causada por bactérias

As gastroenterites bacterianas causam com maior frequência a presença de sangue e muco nas fezes. A criança também pode apresentar febre, mal-estar e ficar mais prostrada.

A abordagem também consiste no controle rigoroso da hidratação. Sendo que em alguns casos pode ser necessário prescrever medicamentos antibióticos.

Estas doenças, se causadas por bactérias ou protozoários, muitas vezes requerem tratamento com medicações específicas;

Doenças inflamatórias intestinais

São doenças crônicas, capazes de causar uma reação inflamatória da mucosa do sistema digestivo. Existem três doenças inflamatórias intestinais: a doença de Crohn, a retocolite ulcerativa e a colite indeterminada.

Normalmente se associam a evacuações com sangue, aumento no número de evacuações e dor abdominal. Estas doenças requerem tratamento específico.

Síndrome do intestino irritável

A Síndrome do intestino irritável é uma doença capaz de causar diarreia com muco em crianças dos 6 meses aos 5 anos.

A criança pode apresentar alteração do hábito intestinal com aumento da frequência das evacuações, que usualmente se associa a dor abdominal e alternância entre diarreia e constipação.

Para uma melhor avaliação do hábito intestinal e para determinar se será necessário tratamento, você deve procurar um pediatra.

Leia tambèm: sangue nas fezes do bebê, o que pode ser?

Quando devo me preocupar com o muco nas fezes de bebês e crianças?

A presença de muco nas fezes é motivo de preocupação e deve ser melhor avaliada quando a criança também estiver apresentando:

  • Sangue nas fezes;
  • Sinais de desidratação: boca seca, choro sem lágrimas, sede constante. Não urina há mais de 4 ou 6 horas, se for bebê ou não urina há mais de 6 ou 8 horas, se for uma criança mais velha;
  • Dor abdominal intensa;
  • Falta de apetite ou sede e deixa de comer ou beber líquidos por horas;
  • Mudança de comportamento, como ficar mais sonolento, desanimado ou choroso;
  • Prostração;
  • Febre alta.

Na presença de algum dos sintomas descritos, consulte um médico de família ou pediatra.

Também pode ser do seu interesse:

Bebê de 1 ano que faz cocô 4 vezes ao dia, é normal?

Muco nas fezes durante a gravidez é normal?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Muco nas fezes durante a gravidez pode ser normal, desde que não esteja associado a outros sintomas, como dor abdominal, evacuação com sangue ou pus, diarréia, e ocorre por um aumento dos movimentos intestinais, como quando se utiliza um laxativo. Na presença de outros sintomas, não é normal e pode refletir:

  • infecção intestinal, causada por vírus, protozoário ou bactéria, que talvez precise de tratamento específico;
  • doença inflamatória intestinal, como doença de Crohn e retocolite ulcerativa, que normalmente associam-se à dor abdominal e diarréia, e necessitam tratamento, a depender do grau de intensidade dos sintomas;
  • síndrome do intestino irritável, que usualmente se associa a dor abdominal e alternância entre diarréia e constipação e requer tratamento a depender do grau de intensidade dos sintomas;
  • pólipos intestinais.

Se você apresentar fezes com muco, deve comunicar imediatamente o seu obstetra ou procurar um pronto atendimento.

Muco branco nas fezes: as 10 causas mais comuns e o que fazer
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

As causas mais comuns de muco branco nas fezes são a intolerância a lactose, doenças inflamatórias intestinais, como doença de Crohn e retocolite, tumores ou infecção.

O muco intestinal normal, é uma secreção de aspecto gelatinoso, amarelo-claro, produzida em pequena quantidade pela parede do intestino, para lubrificar e facilitar a passagem das fezes.

A presença de muco branco nas fezes sugere um processo inflamatório na parede do intestino. Entenda um pouco mais sobre as causas mais comuns e as suas características.

1. Intolerância a lactose

A lactose é o açúcar encontrado no leite e seus derivados, como queijos e iogurtes. Pessoas com intolerância à lactose possuem dificuldade em quebrar e absorver essa substância. Com isso, o açúcar se deposita na parede do intestino, causando uma inflamação.

Sintomas: Diarreia com muco branco, dores abdominais, falta de apetite e perda de peso.

Tratamento: Dieta com restrição total ou parcial de lactose. Nem sempre é preciso a restrição absoluta desses alimentos, principalmente, para crianças em fase de desenvolvimento. Sendo assim, o mais indicado é que procure um profissional da área, nutrólogo ou nutricionista, para avaliação e orientação quando a dieta, caso a caso.

2. Doença de Crohn

A doença de Crohn é uma doença inflamatória crônica, que causa lesões na parede do sistema gastrointestinal, em qualquer região, da boca até o ânus, embora seja mais frequente acometer o intestino. É uma doença hereditária, com importante comprometimento na qualidade de vida do paciente.

Sintomas: Diarreia frequente, com a presença de muco branco ou amarelado e por vezes, sangue nas fezes. Além disso, é comum a presença de dores abdominais, perda de peso, cansaço e desnutrição.

Tratamento: A doença ainda não tem cura, e o tratamento se baseia em reduzir a inflamação e aliviar os sintomas. Os medicamentos mais usados são os corticoides, mesalazina, imunossupressores e orientação alimentar. A cirurgia é menos frequente, porém em alguns casos pode ser indicada.

3. Retocolite ulcerativa

Doença inflamatória intestinal crônica, de origem autoimune, semelhante à doença de Crohn, mas que atinge o intestino grosso, causando uma inflamação contínua. A doença está relacionada ainda a um maior risco de câncer no intestino.

Sintomas: Episódios de diarreia recorrente e frequente, com presença de muco branco, com ou sem sangue nas fezes, urgência em evacuar, dor e desconforto no ânus e dor abdominal que alivia após a evacuação.

Tratamento: O objetivo do tratamento é a melhora na qualidade de vida dessas pessoas, com a redução do número de crises e do risco de evoluir para câncer. Os medicamentos mais indicados são a mesalazina, corticoide, imunossupressores e mais raramente, cirurgia.

4. Doença celíaca

A doença celíaca tem origem genética e autoimune. É caracterizada por reações inflamatórias na mucosa intestinal, quando em contato com alimentos ricos em glúten como o trigo, centeio, cevada e aveia.

Sintomas: Diarreia prolongada, por mais de 3 semanas na maioria das vezes, com muco esbranquiçado ou amarelado nas fezes. Pode haver ainda, sangue nas fezes, dores abdominais, náuseas, perda de peso e, nas crianças, irritabilidade, deficit no crescimento e acompanhamento escolar.

Tratamento: Dieta rigorosa, evitando alimentos que contenham glúten e deve ser iniciada assim que seja confirmada a doença. Em geral, o diagnóstico depende de uma biópsia intestinal.

5. Síndrome do intestino irritável

A síndrome do intestino irritável é uma doença funcional, mais comum entre as mulheres de meia-idade, onde o intestino apresenta uma sensibilidade aumentada a determinados alimentos, estresse ou infecções. Com isso aumenta o peristaltismo dando origem aos sintomas gastrointestinais.

Sintomas: Cólicas abdominais frequentes, diarreia que pode vir com muco branco ou amarelo-claro, intercalando com períodos de constipação, excesso de gases e flatulência.

Tratamento: A primeira medida deve ser identificar e tratar o agente causador dos sintomas. No caso de alimento, evitá-lo. Para casos de ansiedade, procurar um psicólogo e tratamento específico.

Uma dieta balanceada e atividade física regular também contribuem para a redução dos sintomas. E mais recentemente, um tratamento promissor, é o transplante de microbiota fecal.

6. Câncer

As células tumorais em crescimento desordenado, estimulam uma produção excessiva de muco.

Sintomas: Fezes com muco esbranquiçado ou amarelado, perda de peso e, menos frequentemente, dores abdominais.

Tratamento: O gastroenterologista e o oncologista devem solicitar um biópsia para determinar o tipo, a extensão e gravidade do tumor, para só então planejar o melhor tratamento. O tratamento definitivo pode incluir cirurgia, quimioterapia e/ou radioterapia.

7. Diverticulite

Os divertículos são pequenas bolsas formadas na parede do intestino, comum em pessoas idosas, que podem não causar sintomas, até que aconteça uma inflamação, a diverticulite.

Sintomas: Dor abdominal, na região inferior esquerda na grande maioria das vezes, diarreia com muco branco, febre e mal-estar.

Tratamento: Se houver sinal de infecção, o tratamento é feito com antibióticos e nos casos mais graves, pode ser preciso cirurgia de urgência.

A dieta rica em fibras e boa hidratação, evita a constipação e reduz o risco de uma crise de diverticulite.

8. Fissura anal

A fissura é uma ferida linear na mucosa do ânus, que acomete tanto homens quanto mulheres, em qualquer faixa etária. Traumas, fezes endurecidas e diarreia infecciosa são as causas mais comuns, mas doenças inflamatórias e vasculares também dão origem a essa ferida.

Sintomas: Dor anal intensa, por horas após uma evacuação, diarreia com muco branco e/ou sangue vivo nas fezes.

Tratamento: Dieta rica em fibras, aumento da ingesta de água, laxantes, gel de lidocaína tópico e banhos de assento são a primeira opção de tratamento. Para os casos crônicos e que não respondem, pode ser indicada cirurgia de correção da ferida.

9. Hemorroidas volumosas

A presença de hemorroidas de grande volume também causam inflamação na parede do intestino e maior produção de muco esbranquiçado.

Sintomas: Diarreia com muco branco, sangue nas fezes de coloração vermelho vivo, coceira e dor anal.

Tratamento: Dieta rica em fibras e aumentar o consumo de água por dia, a fim de evitar fezes endurecidas e/ou constipação. Medicamentos tópicos para aliviar os sintomas e cirurgia para os casos de ruptura ou obstrução retal, pelo volume da hemorroida.

10. Gastroenterite

Nas infecções intestinais, as bactérias dão origem a inflamação na mucosa do intestino, responsável pela maior presença de muco e por vezes, de sangue nas fezes.

Sintomas: Diarreia com muco branco, pus e/ou sangue, febre, dor na barriga, mal-estar e fraqueza. A criança pode inclusive desenvolver desidratação rapidamente, é preciso estar atento.

Tratamento: Dieta balanceada, sem deixar de se alimentar, muita água, especialmente em crianças e antibiótico.

Quando procurar um médico?

Sempre que perceber um aumento exagerado de muco nas fezes, seja ele branco, amarelado ou esverdeado, é importante informar ao seu médico de família ou gastroenterologista para avaliação.

Especialmente nos casos de muco associado a:

  • Febre (temperatura axilar acima de 37,8º)
  • Emagrecimento
  • Sangue nas fezes
  • Feridas ou fissuras no ânus

O médico gastroenterologista é o especialista para avaliar, diagnosticar e tratar esses casos.

Saiba mais sobre a presença de muco nas fezes nos artigos:

Muco nas fezes durante a gravidez é normal?

Fezes com muco em bebês e crianças é grave? O que pode ser?

Referências:

  • FBG - Federação Brasileira de Gastroenterologia
  • Mayo Clinic - Chron's disease overview. 2020.
  • Mahesh Gajendran, et al.; A comprehensive review and update on ulcerative colitis. Dis Mon. 2019 Dec;65(12):100851.
  • Alexandros Hadjivasilis, et al.; New insights into irritable bowel syndrome: from pathophysiology to treatment. Ann Gastroenterol. Nov-Dec 2019;32(6):554-564.
Quando muco nas fezes é preocupante?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O muco nas fezes, passa a ser preocupante, nas seguintes situações:

  • Muco com sangue nas fezes
  • Muco de cor verde (fezes verdes)
  • Melena (fezes escuras)
  • Febre alta (acima de 38 graus)
  • Diarreia com muco e dor abdominal intensa
  • Emagrecimento sem motivo aparente.

Portanto, se observar a presença de muco nas fezes, associada a uma das situações descritas, é importante que procure um gastroenterologista, ou um serviço de emergência, para avaliação médica criteriosa.

Muco com sangue nas fezes, o que pode ser?

O sangue nas fezes pode ser de cor vermelho vivo ou vermelho bem escuro, por vezes a cor se torna preta, dependendo de quanto tempo o sangue passou dentro do trato gastrointestinal.

Quando o sangramento é ocorre na parte superior do sistema digestivo, como no esôfago, estômago e intestino delgado, ele passa por todas as etapas de digestão, por isso se torna escuro e com cheiro muito desagradável. As fezes escuras, quase negras são chamadas de melena.

A melena se caracteriza pela cor escura, brilhosa, aspecto pegajoso, com cheiro forte e extremamente desagradável. Geralmente sinaliza um problema grave, como uma úlcera sangrando no estômago ou um tumor.

As fezes com sangue vermelho vivo, sugere um problema próximo à região do reto ou ânus, onde acontece a saída das fezes, por isso não passa pelo processo de digestão, são exemplos, as hemorroidas e fissura anal.

Sendo assim, na presença de sangue nas fezes ou melena (fezes pretas), procure um serviço de urgência médica!

Muco e fezes verde, é perigoso?

Sim, pode ser perigoso.

As fezes com muco esverdeado, ou fezes verdes, na maioria das vezes ocorre por uma infecção intestinal, neste caso deve ser devidamente tratada para que a infecção evolua para uma sepse (infecção generalizada).

A infecção intestinal, também conhecida por gastroenterite, tem como sintomas ainda, dor na barriga, febre, naúseas, vômitos e diarreia também devem aparecer. O tratamento deve ser feito com uso de antibióticos, medicação que precisa de receita médica e orientações.

O médico da família ou gastroenterologista, são os médicos responsáveis por essa avaliação e tratamento.

Muco nas fezes, o que pode ser? O que devo fazer?

As causas mais comuns de muco nas fezes são:

  • Intolerância alimentar (leite, glúten, açúcar)
  • Doenças inflamatórias intestinais (doença de Crohn, retocolite ulcerativa)
  • Síndrome do intestino irritável
  • Gastroenterite (infecção intestinal)
  • Câncer de intestino
  • Hemorroidas
Intolerância alimentar

Pessoas com intolerância a algum alimento, como lactose, glúten ou açúcar, dão origem a uma reação inflamatória na parede do intestino, que produz maior quantidade de muco. Esta é uma forma de o organismo se proteger e assim, essa secreção fica mais visível junto as fezes.

Os sintomas são de dor e cólica abdominal intensa após o consumo do alimento, diarreia com muco náuseas, mal-estar e febre. O tratamento deve ser orientado pelo gastroenterologista e nutricionista, para evitar alimentos com o produto, sem comprometer a nutrição.

Doença de Crohn e Retocolite

As doenças inflamatórias crônicas do intestino promovem o aumento da produção de muco, pela inflamação na parede do intestino. Além disso, podem causar perda de peso, falta de apetite e alterações frequentes no hábito intestinal, por vezes com constipação e outras, diarreia.

Trata-se de um importante diagnóstico diferencial do tumor maligno do intestino. O tratamento varia de acordo com a gravidade, com uso de corticoides e imunossupressores. Mais raramente pode haver necessidade de cirurgia. O gastroenterologista é o médico responsável por essa conduta.

Síndrome do intestino irritável

A síndrome do intestino irritável se caracteriza por alterações constantes no hábito intestinal (diarreia e/ou constipação), muco nas fezes, cólicas, que aliviam após a evacuação e excesso de gases.

O tratamento deve ser individualizado, mas inclui dieta orientada, psicoterapia e medicamentos para o alívio da dor, como anti espasmódicos, probióticos e analgésicos.

Gastroenterite

As fezes amolecidas, com presença de muco e de sangue ao mesmo tempo, sugerem uma agressão a parede do intestino. Uma infecção intestinal, pela bactéria clostridium difficile, é uma causa comum de diarreia sanguinolenta com muco verde. Nesse caso, é comum também a febre, dor abdominal e mal-estar importante.

O tratamento é realizado com dieta orientada, hidratação e antibiótico, em alguns casos. O médico clínico geral ou gastroenterologista podem definir a melhor opção, caso a caso.

Câncer de intestino

O sangue nas fezes também pode significar um problema mais grave como o câncer de intestino. Neste caso, é comum o sintoma de perda de peso, sem uma causa que o justifique. A dor não é um sintoma comum, pelo menos no início da doença.

O tratamento deve ser conduzido pelo oncologista e gastroenterologista, e varia de acordo com o tipo e estadiamento do tumor. Pode incluir cirurgia, quimioterapia, radioterapia e imunoterapia.

Hemorroidas

As hemorroidas são veias dilatadas localizadas na região do reto e do ânus, que estimulam uma produção exagerada de muco pela parede do intestino e podem se romper durante a passagem das fezes, causando sangramento anal. Por isso, os sintomas são de muco e sangue nas fezes, dor e urgência para evacuar.

O tratamento é feito pelo proctologista, com banho de assento, pomadas, e por vezes, cirurgia para ressecção da veia comprometida.

O que é o muco nas fezes?

O muco é uma espécie de secreção produzida pelo intestino, que protege a mucosa do órgão, lubrifica o tubo intestinal, e assim evita machucados na mucosa durante a passagem das fezes.

No entanto, essa secreção é produzida em pequena quantidade, de coloração amarelada, ou amarelo-claro, por isso normalmente não é visualizada.

No momento em que a secreção passa a ser visualizada a olho nu, aparece em grande quantidade, e/ou muda de coloração, é um sinal de doença ou problemas gastrointestinais.

O médico gastroenterologista é o especialista para avaliar, diagnosticar e tratar esses casos.

Neste assunto pode lhe interessar ainda:

Tipos de fezes: o que o cocô revela sobre a sua saúde?

Fezes escuras com sangue, o que é?

Referências:

  • FBG - Federação Brasileira de Gastroenterologia
  • Alexandros Hadjivasilis, et al.; New insights into irritable bowel syndrome: from pathophysiology to treatment. Ann Gastroenterol. Nov-Dec 2019;32(6):554-564.