Perguntar
Fechar

Sibutramina

Posso beber álcool se estiver tomando Sibutramina?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

Não, não deve beber álcool tomando sibutramina. Embora o fabricante do produto informe que a toma de dose única de sibutramina juntamente com álcool não tenha causado alterações adicionais do desempenho psicomotor ou do raciocínio, não está claro qual a dose exata que se poderia ingerir de forma segura. Além disso, cada indivíduo pode apresentar uma reação diferente à interação do medicamento com o álcool, o que torna não recomendável essa ingestão, uma vez que não há conhecimento dos efeitos que podem ser provocados. 

A sibutramina é um medicamento para o tratamento da obesidade que age reduzindo a fome e aumentando a sensação de satisfação após ter comido (saciedade). Seu uso deve ser acompanhado de um programa para reeducação alimentar, com diminuição da ingesta de calorias e aumento da atividade física.

A sibutramina só pode ser comprada com receita médica e seu uso deve ser orientado e acompanhado pelo médico que poderá ser um clínico geral ou um endocrinologista.

Remédios para emagrecer
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Existem indicações médicas precisas para a perda de peso como a obesidade mórbida, hipertensão arterial, diabetes entre outras doenças, não é desse tipo de tratamento que eu quero discutir e sim tratar aqui da questão que mais leva as pessoas a procurar remédios para emagrecer: o fator estético. Este é disparado o principal motivo e é também o que mais preocupa, muitas pessoas cometem abusos de medicação correndo sérios riscos de saúde. Independente dos motivos que te levaram a buscar informações sobre remédios para emagrecer vamos discutir o que realmente interessa.

O primeiro passo importante quando se fala sobre remédios para emagrecer é que na verdade eles não existem, nenhum dos remédios prescritos para emagrecer emagrece, eles são na verdade inibidores de apetite como a sibutramina (existem outros inibidores de apetite e outros remédios que não são inibidores de apetite, vou citar apenas esse por ser o mais usado e seu uso é liberado pela Anvisa*). Boa parte do tratamento e uso de remédios para emagrecer deve partir desse princípio básico: os remédios para emagrecer não emagrecem. Tendo isso em mente partimos para o segundo passo: para o remédio fazer o resultado esperado (perda de peso) você precisa ajudar o remédio a te ajudar. Pode soar estranho dito dessa forma, mas é exatamente isso. O remédio para emagrecer só poderá desenvolver todo seu potencial emagrecedor se você ajudar o remédio.

Explicando melhor: apenas entenda que para emagrecer você terá que fazer dieta, existe muitos tipos de dieta que você encontra na internet ou em revista (algumas dietas são bem estranhas), a melhor dieta para o seu caso é aquela preparada especialmente para você por um nutricionista. A maioria das pessoas que procuram remédio para emagrecer já fez algum tipo de dieta. Praticamente todas as dietas são boas para emagrecer, mas as pessoas não conseguem emagrecer porque não conseguem manter a dieta por muito tempo. Ai é que entram os remédios para emagrecer: você começa a tomar o remédio, sua fome diminui consideravelmente, o que permite que você siga sua dieta sem sentir fome. É muito mais fácil fazer dieta quando não se tem fome.

O terceiro passo no uso de remédios para emagrecer é o tempo de uso do medicamento. As pessoas querem perder peso rapidamente, usar o remédio por um curto período de tempo e emagrecer rápido demais é o caminho do fracasso. A perda de peso tem que ser lenta e gradual. Vou descrever uma situação ideal: Usar sibutramina todos os dias tomando 1 comprimido as 10:00 da manhã por 1 ano e perder 3 a 4kg no primeiro mês, 2 a 3 kg no segundo mês e perder 1 a 2kg por mês por mais 10 meses; isso totalizaria um mínimo de 15 kg e um máximo de 27kg. Não seria maravilhoso perder entre 15 e 27kg? É claro que sim, mas boa parte das pessoas não quer esperar todo esse tempo. Esse tempo de um ano é muito importante porque ele é a garantia de que dificilmente você retornará a ganhar peso, o tão indesejado efeito sanfona.

“Então doutor o senhor quer dizer que mesmo tomando remédios para emagrecer vou ter que fazer dieta, só falta dizer que vou ter que fazer exercícios também?” E a resposta é sim. Emagrecer fazendo exercícios é mais fácil, mais rápido, mais saudável e você define melhor o corpo. Emagrecer sem exercícios acaba deixando o corpo mole e mal definido. Emagrecer com exercícios acelera o processo e deixa você muito mais bonito(a).

Os efeitos colaterais da sibutramina são: aumento da pressão arterial e agitação psicomotora (entre o os inibidores de apetite parece ser o que apresenta o menor número de efeitos colaterais). De todos os pacientes que eu já prescrevi esta medicação tive apenas 2 casos de abandono do tratamento por aumento da ansiedade e nervosismo causados pelo remédio.

*receita médica especial controlada, apenas fornecida por médicos devidamente registrados na Anvisa. Evite a auto-medicação ela pode trazer risco para a sua saúde. Não adquira remédios para emagrecer sem consultar seu médico, somente um médico pode fazer a correta avaliação dos riscos e benefícios do uso desse tipo de medicação e decidir qual é o mais indicado para seu caso ou se é mesmo necessário o uso de remédios para emagrecer.

Se parar de tomar sibutramina vou engordar de novo?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Se parar de tomar sibutramina pode engordar de novo, como ocorre com outros tratamentos para emagrecer que são interrompidos. Por isso, a prescrição da sibutramina deve estar sempre associada a um programa de reeducação alimentar e atividade física.

Muitas pessoas têm receio de parar de tomar sibutramina e engordar o dobro que emagreceu, o que é conhecido como "efeito rebote". Isso pode ocorrer quando o tratamento medicamentoso não é acompanhado de atividades físicas e aconselhamento e reeducação nutricional.

Veja também: Não consigo engordar. O que pode ser e o que fazer para engordar?

A principal ação da sibutramina é aumentar a sensação de saciedade e, consequentemente, reduzir a quantidade ingerida de comida (calorias), criando condições para uma mudança duradoura dos hábitos alimentares da pessoa. Além disso, o medicamento contribui para reduzir os episódios de compulsão por doces, chocolates e carboidratos.

Por isso, durante o uso da medicação deve-se associar uma reorientação nutricional juntamente com atividades físicas capazes de proporcionar uma continuidade no peso final alcançado mesmo após a parada do uso da medicação.

A sibutramina possui vários efeitos colaterais e apresenta algumas contra-indicações, então ela deve ser indicada e utilizada sob supervisão de um/a médico/a endocrinologista.

Sibutramina pode causar câncer no estômago?

Não, sibutramina não causa câncer no estômago. O medicamento pode provocar outros efeitos colaterais, como todo remédio, mas ele nunca seria comercializado se houvesse indícios de que o seu uso poderia causar qualquer tipo de câncer.

Os efeitos colaterais mais comuns da sibutramina são:

  • Boca seca;
  • Aumento da pressão arterial;
  • Dor de cabeça;
  • Prisão de ventre;
  • Taquicardia (batimentos cardíacos acelerados);
  • Insônia.

A sibutramina também pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares, como derrame e infarto, em pessoas que já têm uma predisposição elevada para desenvolver essas doenças.

Apesar dos seus efeitos colaterais, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (ABESO) afirmam que a sibutramina é o único medicamento usado no tratamento da obesidade com ação central, aprovado no Brasil para uso a longo prazo.

A sibutramina é um medicamento de tarja preta e só pode ser utilizado com prescrição e supervisão de um médico endocrinologista.

Podem também lhe interessar os artigos: Se parar de tomar sibutramina vou engordar de novo?; Posso beber álcool se estiver tomando Sibutramina?

Estou tomando Sibutramina, posso tomar anestesia no dentista?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

Sim, o uso da Sibutramina não apresenta nenhuma contra-indicação formal à associação com anestésicos locais, no caso, a anestesia realizada pelo dentista.

Porém, a Sibutramina, substância utilizada no tratamento de perda de peso em indivíduos obesos pode provocar, como um de seus efeitos colaterais, o aumento da pressão arterial. Sendo assim, é prudente verificar se não apresenta hipertensão e se sim, se ela está controlada, principalmente nos casos e que o dentista opte por utilizar anestésico local (normalmente xilocaína) com vasoconstritor (habitualmente adrenalina), pois nessa situação poderá ocorrer um aumento agudo da pressão arterial.

O médico clínico geral ou o médico que prescreveu a Sibutramina devem ser consultados em relação à possibilidade do aumento da pressão arterial e quais são os cuidados a seguir nessa situação.

Acho que estou grávida e estava tomando sibutramina...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Suspenda o uso e procure um médico ginecologista/obstetra. Fique tranquila, o uso na gravidez deve ser suspenso, mas não existem evidências de teratogênese (malformações fetais), apenas não deve ser usado devido a falta de dados consistentes sobre esse medicamento.

Fiz exame toxoplasmose e gravidez, em uso de sibutramina...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Toxoplasmose é uma coisa e gravidez é outra, uma não tem nada a ver com a outra. Seu exame de gravidez é negativo, então significa (em teoria) que você não está grávida. E seu exame de toxoplasmose significa que você já teve toxoplasmose em algum momento da sua vida, curou e agora só tem os anticorpos (detectados pelo exame) para toxoplasmose.

Tomo hidroclorotiazida, posso tomar sibutramina ou orlistat?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Se o seu médico receitar para você não há nenhum problema em tomar esses medicamentos (só a sibutramina costuma causar aumento de pressão).

Usa cloridrato de sibutramina e descobriu que está grávida!
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A suspensão do uso é correta, sibutramina não deve ser usada durante a gestação. A princípio não existe relatos de mal formações fetais com o uso da sibutramina.

Meu pai tem 59 anos e começou tratamento para emagrecer...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A medicação pode sim ter haver com o estado mental do seu pai, precisa voltar ao médico e contar toda essa situação, para que ele tome as medidas necessárias para o caso do seu pai.

Remédios para emagrecer – normas vigentes no Brasil
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Os remédios para emagrecer chamados inibidores do apetite liberados pela Anvisa para o consumo no Brasil são a sibutramina e os derivados de anfetamina (femproporex, dietilpropiona e mazindol) todos eles, atualmente, somente podem ser vendidos com receita médica especial controlada tipo B-2 que fica retida nas farmácias. A farmácia no momento da compra repassa as informações diretamente para a Anvisa por meio de um registro eletrônico. Com esses dados a Anvisa pode controlar melhor o consumo.

A sibutramina considerada de primeira classe no tratamento da obesidade deixou de ser vendida como medicamento comum e passou a integrar a categoria de drogas que exigem a receita especial. Inclusive houve um período em que a venda havia sido temporariamente suspensa, depois foi retomada com os critérios já citados. Tudo ocorreu depois que estudos apontaram que o consumo de sibutramina aumenta o risco de problemas cardíacos.

Outro ponto importante é que esses remédios já estavam na mira dos organismos reguladores porque estão entre os medicamentos que registraram maiores aumentos de consumo nos últimos anos no Brasil, esse aumento muito grande no consumo chamou até a atenção de organismos internacionais, tanto que o Brasil é apontado por organismos internacionais como o maior consumidor deste tipo de produto em todo o mundo.

Antes da adoção do novo método de controle dos remédios para emagrecer a Anvisa cogitou banir de vez a comercialização de todos os remédios para emagrecer que atuam no sistema nervoso central: a sibutramina e os derivados de anfetamina (femproporex, dietilpropiona e mazindol). Pela anvisa a única droga para o tratamento da obesidade que continuará liberada será o orlistate (Xenical).

Vamos falar um pouco do Orlistat (Xenical) que originalmente foi desenvolvido como um possível tratamento para a dislipidemia (colesterol e triglicerídeos elevados) mas, quando perceberam que tinha a habilidade de promover a perda de peso, o foco mudou. O Orlistat é um potente inibidor das lipases pancreáticas, o que reduz a digestão das gorduras no intestino, diminuindo em 30% a absorção da gordura ingerida através da alimentação. A maior dificuldade no uso do Orlistat é a baixa adesão ao tratamento devido a um efeito colateral bastante comum e muito indesejado: as fezes tornam-se gordurosas e os pacientes tem episódios freqüentes de diarréias.

Quais os riscos de aumentar a dosagem da Sibutramina?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Pode exacerbar todos os possíveis efeitos colaterais. Jamais faça isso acreditando que terá um efeito maior sobre a perda de peso, é tolice e imprudência.