Perguntar
Fechar
Qual é a diferença entre ecografia e ultrassom?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Ecografia ou ultrassom é o mesmo exame. São apenas nomes diferentes para o mesmo exame, que no caso da gestante pode ser feito por via vaginal (transvaginal ou endovaginal - mesma coisa), principalmente no começo da gravidez ou pode ser feito pela barriga principalmente no meio e final da gravidez.

Grávida de 16 semanas, ultrassom já dá para ver o sexo?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim, a partir da 13ª semana de gestação já é possível saber o sexo do bebê pela ultrassonografia. Entretanto, essa estimativa pode variar de acordo com a posição do bebê, implantação da placenta da mãe, com o tipo do aparelho e experiência do profissional que está realizando o exame.

A data ideal e mais segura para essa avaliação, se dá a partir da 15ª e 16ª semana de gestação, quando os órgãos genitais do bebê estão completamente formados, facilitando a diferenciação do sexo.

Além da ultrassonografia, existem outros métodos seguros, que facilmente identificam o sexo do bebê, desde a 8ª semana de gestação, como o teste de sexagem fetal, através da coleta de pequena amostra de sangue da mãe, e o teste de urina, vendido em farmácias.

A sexagem fetal já pode ser colhida a partir de 8 semanas, e o teste de urina, a partir de 10 semanas de gestação. São métodos de alta eficácia, tendo como pontos negativos, o alto custo e não estarem ainda, disponibilizados na rede pública de saúde.

Saiba mais sobre esse assunto nos links abaixo:

Referência:

FEBRASGO - Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.

Yee-Ming Chan, et al. Evaluation of the infant with atypical genitalia (disorder of sex development). UpToDate: Dec 31, 2018.

Ultrassom para descobrir o sexo do bebê
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Quando o ultrassom mostra que o bebê é um menino é difícil o médico estar errado porque ele precisa ver o pênis do menino para dizer que é menino. No caso da menina não há nada para ver, então é mais fácil o médico errar o sexo. Menino a chance de erro é muito pequena e menina a chance de erro é maior.

O que é "golf ball" fetal que surge no ultrassom?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Golf ball é um achado que pode surgir no exame de ultrassom do coração do feto a partir do 2º trimestre de gravidez. Isoladamente, o golf ball é um achado sem importância, nem consequências. Na maioria dos casos, desaparece espontaneamente por volta da 22ª e 25ª semana de gestação e não representa nada de grave.

Não se sabe ao certo por que ocorre, mas acredita-se que faça parte de estruturas tendíneas ou musculares do coração e que se movimenta juntamente com elas. O nome "golf ball" é devido ao aspecto do achado, que é redondo, branco e pequeno, fazendo lembrar uma bola de golf.

Ainda é controverso se ele pode estar ou não associado a anomalias genéticas, como as síndromes de Down (trissomia do 21), Patau (trissomia do 13), Edwards (trissomia do 18) e síndrome de Turner.

Por isso, ao detectar o achado, o médico examina cuidadosamente o feto à procura de sinais que possam indicar alguma doença cromossômica e avalia outros fatores de risco como idade materna acima de 35 anos, presença de alteração cromossômica ou cardiopatia em filho anterior.

Se o feto não apresentar nenhuma alteração estrutural, o golf ball deixa de ter importância, desaparecendo em mais de 90% dos casos durante o 3º trimestre de gravidez.

Para maiores esclarecimentos, fale com o médico obstetra ou o médico responsável pelo pré-natal.

Ultrassom revelou fígado aumentado e com gordura. Pode ser grave?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Depende. Fígado aumentado e com gordura tanto pode ser uma condição simples, que não vai lesionar o fígado, como pode evoluir para uma inflamação com lesão do órgão. Na maioria dos casos, o acúmulo de gordura no fígado tem evolução benigna.

Nos casos mais graves, a situação pode evoluir para cirrose hepática, que causa lesão permanente no fígado. O risco de cirrose é maior em pacientes idosos e diabéticos.

Por que tenho gordura no fígado? Quais as causas?

O acúmulo de gordura no fígado é o resultado de uma alimentação com excesso de gordura que o organismo não consegue metabolizar. Principalmente quando se trata de um excesso de ingesta de gordura saturada e gordura trans.

A gordura trans é facilmente depositada no fígado. Este tipo de gordura está presente em bolachas, salgadinhos, frituras, manteigas, margarinas, pães de queijo, entre outros.

Outra importante causa de fígado gordo é o consumo de álcool. Boa parte dos indivíduos que bebem regularmente desenvolvem fígado gordo, uma vez que o álcool permite uma rápida acumulação de gordura no fígado.

Contudo, mesmo pessoas que não consomem bebidas alcoólicas podem ter fígado gordo. Nestes casos, o acúmulo de gordura no fígado é causado por excesso de peso, diabetes e níveis elevados de colesterol ou triglicerídeos.

O fígado gordo também pode ser causado por:

  • Uso de medicamentos, como amiodarona, estrógenos, corticoides, tamoxifeno, antirretrovirais, tetraciclinas;
  • Doenças metabólicas genéticas;
  • Rápida perda de peso;
  • Formas artificiais de nutrição;
  • Ingestão de toxinas, como produtos químicos.
  • Predisposição hereditária.

Também pode lhe interessar: Fígado inchado: o que pode ser?

Qual o tratamento para fígado gordo?

Não existe um tratamento específico para fígado gordo e nenhum medicamento é totalmente eficaz nessa situação.

Por isso, o tratamento baseia-se numa série de medidas, que incluem:

  • Alterações no estilo de vida, com perda de peso, dieta e exercícios físicos;
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Controlar doenças associadas, como diabetes;
  • Controlar os níveis de colesterol e triglicerídeos.

Esses cuidados são fundamentais para o sucesso no tratamento do fígado gordo. Mesmo se o paciente estiver usando algum medicamento, ele não será muito efetivo sem essas medidas.

É importante lembrar que o acúmulo de gordura no fígado é reversível, se estiver numa fase inicial.

O tratamento do fígado gordo deverá ser acompanhado pelo médico hepatologista ou gastroenterologista.

Virgem pode fazer ultrassom transvaginal?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Não é recomendado a realização do ultrassom transvaginal em mulher virgem.

Para mulher virgem, é indicada a ultrassonografia abdominal.

A ultrassonografia transvaginal não é o exame indicado para avaliação ginecológica em pacientes virgens. Quando for necessária uma avaliação das estruturas e órgãos pélvicos, o/a médico/a pode solicitar o ultrassom abdominal para as mulheres virgens. Esse exame também é capaz de demonstrar as estruturas como o útero, ovários, trompas, presença de massa pélvica, etc.

A perda da virgindade é associada ao rompimento do hímen durante a primeira relação sexual. Durante o ultrassom transvaginal, o/a médico/a introduz o aparelho na vagina da paciente e, caso tenha o hímen intacto, pode causar ruptura dessa membrana.  Por isso, não é recomendado a realização da ultrassonografia transvaginal em mulheres virgens.

Caso a mulher seja virgem, é importante informar para o/a profissional de saúde que poderá solicitar outros exames no lugar da ultrassonografia transvaginal.

Hipertrofia Coluna de Bertin e bifidez renal tem que operar?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A hipertrofia na Coluna de Bertin é uma variação anatômica e geralmente não está associada a nenhum problema. A bifidez renal é uma alteração anatômica que pode estar associada a estenose do ureter (obstrução do fluxo de urina) e aumento da incidência de infecção urinária. Operar ou não operar tudo vai depender do grau de alteração e das consequências dessas alterações.

O exame de ultrassom pode errar a data das semanas de gestação?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

"Errar" não é uma palavra para ser usada neste caso porque o ultrassom não é um exame exato, depende muito da experiência do médico que faz o exame. 10 ultrassom feitos por 10 pessoas diferentes pode dar 10 datas diferentes para a sua gestação.

Se fizer ultrassom não preciso fazer Papanicolau?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O exame Papanicolau (Preventivo) e a ultrassonografia possuem funções diferentes e podem se complementar.

O exame preventivo é realizado com objetivo de identificar alterações nas células do colo do útero e vagina para detectar precocemente lesões ou doenças como câncer do colo do útero. O exame é feito com a raspagem superficial de secreções vaginais e do colo do útero que o/a profissional coloca em uma lâmina. Essa lâmina irá para avaliação em laboratório e após alguns dias o resultado é acessível.

A ultrassonografia transvaginal serve para avaliar órgãos e estruturas pélvicas da mulher como útero, endométrio, ovários, trompas uterinas, etc. É um exame de imagem em que, através de um aparelho, o/a médico/a visualiza de imediato normalidades ou possíveis alterações nessa região.

Por essa razão, os dois exames são diferentes e servem para propósitos distintos. A mulher deve realizar os dois se forem pedidos separadamente. O resultado dos exames podem complementar a decisão clínica do/a médico/a.

Leia também:

Existe diferença entre Papanicolau e preventivo?

Qual a diferença de fazer o preventivo e a transvaginal?

Posso fazer ultrassom transvaginal estando com sangramento?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Precisa fazer essa pergunta para o serviço de ultrassonografia que vai fazer seu exame, do ponto de vista médico você pode fazer o exame mesmo com sangramento, porém algumas clínicas não realizam o exame se estiver com sangramento.

Um nódulo na mama: devo fazer outro ultrassom?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O ultrassom só vai mostrar o que realmente existe em sua mama, dificilmente um novo nódulo vai surgir em tão pouco tempo.

Ultrassom transvaginal mostrou cistos nos ovários, é grave?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A presença de cistos nos ovários não é necessariamente uma condição grave de saúde.

Cistos nos ovários e uma situação frequente na maioria das mulheres.Esses cistos surgem porque o folículo que se desenvolve dentro do ovário não cresce o suficiente para se transformar em óvulo, ser expulso do ovário e desencadear a ovulação. Dessa forma, os folículos vão se acumulando no ovário na forma de cisto.

A presença de cistos nos ovários pode ser uma condição benigna que não apresenta riscos para a mulher. Isso dependerá de como o cisto se apresenta, se há ruptura ou torção e se, em consequência disso, há algum sintoma preocupante como dores em baixo ventre, sangramento vaginal intenso, febre, etc.

Quando os ovários com policistos são associados a um conjunto de outros sinais e sintomas, a mulher pode manifestar a Síndrome dos Ovários Policísticos. 

As mulheres com Síndrome dos Ovários Policísticos podem ter dificuldade de engravidar pois apresentam o ciclo menstrual irregular.

É fundamental que todo exame seja mostrado para o/a profissional de saúde que o solicitou para fazer uma análise completa do caso e correlacionar com os aspectos clínicos do/a paciente.