Perguntar
Fechar

Menopausa

Após a menstruação meus seios continuam muito doloridos...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Seios doloridos e inchados é realmente comum antes da menstruação (coisa que incomoda as mulheres e os homens), porém como você mesmo disse isto tende a passar assim que a menstruação desce, geralmente quando não passa significa que a mulher tem algum tipo de distúrbio hormonal (geralmente com excesso de hormônios), mas voltando a sua pergunta que fala sobre a menopausa (na menopausa existe a falta dos hormônios), então acredito que isso não deve ser decorrente da menopausa, até porque em teoria faltam uns 5 anos para você chegar na menopausa. Provavelmente o que você tem é apenas uma alteração hormonal que na maioria das vezes tende a melhorar em poucos dias (as vezes meses). O importante lembrar que você já tem 45 anos então deve fazer a mamografia regularmente.

Qual nível de estradiol e fsh é considerado menopausa?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Menopausa significa "parada da menstruação", que ocorre devido ao declínio dos níveis de hormônios sexuais, ocorre redução de Estradiol e Progesterona e aumento do FSH e LH, Beta-HCG não é utilizado nessa avaliação. O valor em si tem pouco importância, a relação entre os valores somados aos sintomas que motivaram a solicitação dos exames levam o médico a fazer a interpretação do resultado. Se está procurando por valores de referência procure em outro site. Este é um site para tirar dúvidas sobre saúde e doenças. Não forneço valores de referência de exames, até porque eu não guardo esses valores na memória, existem outras coisas mais interessantes para guardar na memória.

Veja também: Qual é a função do estradiol?

Que exames posso fazer para saber se estou na menopausa?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O exame mais indicado para saber se a mulher entrou na menopausa é o FSH (hormônio folículo estimulante). A elevação desse hormônio indica a diminuição da função ovariana e consequente entrada na menopausa.

Porém, em algumas situações como uso de reposição hormonal, investigação de menopausa precoce ou presença de sangramento vaginal, outros exames são solicitados para complementar a avaliação como: LH, estradiol, prolactina, testosterona, cortisol, beta-hCG.

A história clínica de pelo menos 12 meses sem menstruação é o critério diagnóstico mais preciso para saber se a mulher está na menopausa. O período de transição entre os anos férteis e a entrada na menopausa é chamado climatério. Nesse período, os ciclos menstruais são irregulares e algumas mulheres podem apresentar alguns sintomas como ondas de calor, diminuição na lubrificação vaginal, distúrbios do sono, alterações no humor e dor nas articulações.

A menopausa não é uma doença, ela é mais uma fase do ciclo de vida da mulher e deve ser entendida de forma natural para possibilitar uma vivência saudável.

Caso esteja apresentando sintomas indesejados, procure o/a ginecologista ou o/a médico/a de família para avaliar a necessidade de investigação de algum desses sintomas.

Menstruação abundante pode ser sinal de menopausa?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, menstruação abundante pode ser sinal de que a menopausa (última menstruação) está mais próxima. Um dos sintomas que antecedem a menopausa é a irregularidade menstrual, com ciclos mais longos ou mais curtos e com alteração do fluxo.

A pré-menopausa começa aos 40 anos de idade e caracteriza-se por alterações da menstruação e sintomas como mudanças de humor, distúrbios do sono, falta de interesse sexual, entre outros. No final desse período, mais de 80% das mulheres começam a ter as conhecidas ondas de calor.

Por volta dos 45 anos de idade, tem início a perimenopausa. Essa fase antecede a chegada da menopausa, que em média ocorre entre os 48 e 50 anos, e se estende por até 12 meses depois da última menstruação. É marcada pelos mesmos sintomas da pré-menopausa, porém mais intensos.

Veja também: Quais os sintomas da menopausa?

Um dos principais sinais que indicam o início da perimenopausa é a alteração dos ciclos menstruais, que tornam-se mais irregulares (mais curtos ou mais longos), com variações também no fluxo, que pode ser mais abundante. Há mulheres que chegam inclusive a ter hemorragias.

Todos esses sintomas estão relacionados com o desequilíbrio na produção dos hormônios estrogênio e progesterona que ocorre nos ovários.

A menstruação deixa de existir após a menopausa e os demais sintomas desaparecem 2 ou 3 anos após a última menstruação, por volta dos 52 ou 53 anos de idade.

Informe o seu médico de família ou ginecologista sobre as suas alterações menstruais e esclareça as suas dúvidas sobre os sintomas da menopausa.

Dor nos seios pode estar relacionado com a menopausa?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. Dor nos seios e aumento da sensibilidade nas mamas são sintomas comuns no período de transição para a menopausa. Esses sintomas normalmente reduzem com o passar do tempo e com a entrada definitiva da mulher na menopausa.

A explicação é devido à flutuação da concentração do hormônio estrogênio na circulação sanguínea que ocorre nesse período de transição.

A sensibilidade mamária aumentada pode estar presente em algumas fases do ciclo menstrual (principalmente antes da menstruação) e ser caracterizada normal e transitória.

Porém, dor nos seios pode ser devido a outros problemas de saúde como cistos, nódulos, inflamação mamária (mastite), tabagismo, uso de anticoncepcionais ou terapia de reposição hormonal, etc.

A mulher que sente dores nos seios frequentes deve procurar um serviço de saúde para avaliação com clínico/a geral, médico/a de família e/ou ginecologista.   

Quais os sintomas da menopausa?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os primeiros sintomas da menopausa começam a aparecer por volta dos 45 anos de idade, uma vez que a última menstruação da mulher (menopausa) ocorre, em média, aos 50 anos. Os principais sintomas que antecedem a menopausa são: 

  • Ondas de calor;
  • Suores noturnos;
  • Distúrbios do sono;
  • Ciclos menstruais irregulares, mais curtos ou mais longos;
  • Secura vaginal;
  • Alterações de humor (irritação, tristeza), desinteresse, dificuldade de concentração e depressão.

Esses são os sintomas, que a maioria das mulheres sentem, anunciam a chegada da menopausa e estão relacionados com o desequilíbrio na produção dos hormônios estrogênio e progesterona pelos ovários. Esses sintomas terminam 2 ou 3 anos após a última menstruação em torno dos 53 ou 54 anos.

Também pode lhe interessar: Calor na cabeça gostaria de saber o que é?

Após a menopausa, os sintomas estão mais associados aos baixos níveis de estrogênio e podem ser:

  • Atrofia e perda da lubrificação vaginal, dor na relação sexual;
  • Diminuição da libido;
  • Atrofia da uretra, que pode levar à incontinência urinária;
  • Diminuição da elasticidade da pele;
  • Maior risco de osteoporose e doenças cardiovasculares;
  • Aumento da cintura e dos braços;
  • Queda e quebra de cabelo.

O/a médico/a ginecologista ou endocrinologista pode esclarecer melhor quais são os sintomas da menopausa e tirar eventuais dúvidas.

Quais os sintomas de disfunção hormonal feminina?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Os sintomas no caso de disfunção hormonal feminina podem ser diversos, variando principalmente de acordo com qual hormônio está alterado, se está aumentado ou diminuído, ou ainda se existe mais de um hormônio alterado.

Entretanto, podemos citar alguns dos sintomas que mais encontramos na prática médica, são eles:

  • Irregularidade nos ciclos menstruais: As alterações hormonais deixam os períodos menstruais irregulares, seja na frequência de ciclos em um mês, ou na quantidade de fluxo sanguíneo durante a menstruação;
  • Alterações de humor: Irritabilidade, ansiedade, nervosismo e depressão podem estar relacionados com disfunções hormonais;
  • Mudanças na pele e pelos: Oleosidade excessiva, cravos, espinhas, pele ressecada, excesso de pelos ou queda de cabelo importante;
  • Infertilidade: Apesar da fertilidade feminina diminuir naturalmente com o passar dos anos, as disfunções hormonais podem dificultar uma gravidez mesmo em mulheres jovens, pois diminuem a capacidade reprodutiva da mulher;
  • Alterações ginecológicas: Ressecamento vaginal, diminuição do desejo sexual, dor durante o ato sexual.

Os sintomas da disfunção hormonal feminina manifestam-se sobretudo na TPM (tensão pré-menstrual), na menopausa, gravidez e na síndrome dos ovários policísticos (SOP).

Se observar algum desses sintomas descritos, consulte um médico ginecologista ou endocrinologista.

Quais os sintomas da menopausa precoce?

O primeiro sintoma da menopausa precoce é a menstruação irregular antes dos 40 anos de idade, com ciclos menstruais mais curtos ou mais longos. Depois, os sinais e sintomas podem incluir ondas de calor, transpiração noturna, insônia, alterações de humor e secura vaginal. Há casos em que a mulher perde o interesse pelas coisas e pode até entrar em depressão.

A menopausa precoce, também conhecida como falência ovariana prematura, além de impedir a gravidez, pode aumentar as chances de derrames e infarto, bem como causar osteoporose e envelhecimento precoce.

Essas complicações da menopausa precoce são devidas à diminuição da produção dos hormônios femininos estrógeno e progesterona, que tem ação protetora sobre os ossos e o sistema cardiovascular.

O diagnóstico da menopausa precoce é confirmado por exames de dosagem hormonal realizados durante um período de 60 dias seguidos, além de ultrassom para analisar o tamanho dos ovários, que ficam menores e podem quase nem chegar a ser vistos durante o exame.

Veja também: Quais os sintomas da menopausa?

Causas

A menopausa precoce pode ter as seguintes causas:

  • Hipotireoidismo autoimune;
  • Lúpus eritematoso sistêmico;
  • Insuficiência renal;
  • Endometriose;
  • Fatores genéticos;
  • Radioterapia ou quimioterapia;
  • Tabagismo.

Contudo, há muitos casos em que a falência ovariana prematura não tem uma causa conhecida.

Tratamento

Para evitar os efeitos colaterais e sintomas da baixa produção de hormônios, é indicada a reposição hormonal, desde que a mulher não apresente nenhuma contraindicação ao tratamento.

A reposição hormonal é contraindicada para pacientes sedentárias, com câncer ou que já tiveram a doença, história na família de infartos precoces ou ainda que tenham níveis elevados de colesterol e triglicerídeos.

Nesses casos, o tratamento da menopausa precoce deve ser feito através da prática de atividade física e reposição de cálcio e vitamina D.

É fundamental que a paciente realize o tratamento da menopausa precoce para prevenir todas as possíveis complicações, inclusive a secura vaginal, causada pela falta de estrogênio e progesterona.

Por isso, mulheres com idade inferior a 40 anos e que ficam mais de 4 meses ser ter período menstrual podem estar com os primeiros sintomas da menopausa precoce e devem procurar um médico ginecologista.

Saiba mais em:

Menstruação abundante pode ser sinal de menopausa?

Dor nos seios pode estar relacionado com a menopausa?

Posso estar entrando na menopausa?