Perguntar
Fechar

Melhores posições para engravidar: isso existe mesmo?

Dra. Juliana Guimarães
Dra. Juliana Guimarães
Enfermeira doutorada em Saúde Pública

Não existem muitos estudos científicos que comprovem uma determinada posição como melhor para engravidar, principalmente porque a fertilidade está relacionada a diversos outros fatores. Por exemplo, a posição do útero, algumas mulheres apresentam útero retrovertido, outras anterovertido, sendo uma posição mais adequada para uma posição uterina do que para a outra.

Entretanto, um grupo de pesquisadores francês publicou em 2011 um estudo sobre o tema, no qual concluiu que as melhores posições para engravidar seriam a de "missionário" e "de quatro", pois durante a penetração a ponta do pênis fica diretamente alinhada ao colo do útero, permitindo um alcance mais profundo do esperma. Embora confirme também, que o excesso de preocupação possa dificultar a concepção.

Portanto, para que a gravidez ocorra, o mais importante é que a relação sexual aconteça durante o período fértil e que a mulher esteja ovulando.

Gravidez

6 Dicas para Engravidar

1. Conhecimento sobre a Anatomia

É importante que homens e mulheres conheçam seus corpos, e saibam como eles funcionam. Especialmente para as mulheres, o conhecimento sobre os seus corpos sempre foi um tabu; e para algumas, ainda o é. Conhecer o próprio corpo e saber identificar, em seu ciclo menstrual, o período fértil e os sinais de ovulação são primordiais para que a gravidez possa ocorrer.

Muco vaginal elástico e semelhante à clara de ovo, dores abdominais de um lado ou em ambos os lados do abdômen, temperatura corporal mais baixa, libido e umidade vaginal aumentadas e escape de sangue de cor marrom são alguns sinais de ovulação.

Para casais que pretendem engravidar recomenda-se intensificar a frequência das relações sexuais neste período.

Veja mais:

Como calcular o período fértil?

2. Parar de tomar anticoncepcional

Aguarde pelo menos duas menstruações ocorrerem antes de iniciar as tentativas de engravidar. Este é um tempo adequado para que os ovários retomem suas funções hormonais normais e o endométrio, tecido que reveste internamente o útero, volte a crescer. Com a recuperação da espessura do endométrio, o útero estará mais preparado para receber o óvulo fecundado. Estudos mostram que a chance de os abortos espontâneos ocorrerem é de 10 a 15% quando a mulheres engravidam logo após a suspensão do uso de anticoncepcional, o que se deve ao fato de o endométrio ainda estar muito fino para sustentar o óvulo.

3. Evitar fumar e/ou utilizar outras drogas

O tabagismo e/ou o uso de outras drogas podem alterar a qualidade dos óvulos e comprometer a fertilidade.

4. Ter cuidado com o peso e a alimentação

O peso interfere na fertilidade. Se o seu Índice de Massa Corporal está muito abaixo ou muito acima da faixa normal, poderá levar mais tempo para conseguir engravidar. Buscar uma alimentação saudável com orientação do nutricionista ajudará a construir um bom plano alimentar que pode tornar seu organismo mais saudável e facilitar a ocorrência de gravidez.

5. Fazer um check-up ginecológico

Informar à ginecologista que você e seu parceiro pretendem engravidar é importante. A partir desta informação, o(a) médico(a) já efetua o exame ginecológico preventivo e os demais exames necessários (hemograma, dosagem de hormônios, entre outros).

6. Ter atenção à idade

O fator isolado mais importante que pode comprometer a fertilidade feminina é a idade. Mulheres com idade superior a 35 anos com tentativas de engravidar durante 6 meses sem sucesso, devem buscar o especialista em fertilidade para não perder muito tempo. Se houver ovários policísticos ou problemas nas trompas, ou o homem, tem problemas com sêmen, não se deve esperar este prazo de seis meses. O correto é procurar rápido um especialista.

A decisão de engravidar deve ser um plano comum do casal. Ambos devem estar dispostos a cuidar de sua saúde para que a gestação aconteça. É importante que procurem orientação médica e sigam as recomendações para evitar problemas de saúde, para preservar a saúde da mãe e do feto e para fortalecer os vínculos afetivos.

Para saber mais:

Quero engravidar: o que devo fazer?