O que é amigdalite caseosa?

A amidalite crônica caseosa, também conhecida por tonsilite crônica caseosa, é relatada pelo paciente como sensação de desconforto ou irritação frequente da garganta. O cáseo (ou caseum) amigdaliano (do latim "caseus", que significa queijo) é formado nas amígdalas (precisamente nas criptas amigdalianas, que são cavidades nas amígdalas), e lembra pequenas bolinhas de queijo do tamanho de um grão de arroz, no fundo da garganta.

Restos de alimentos e a própria descamação da mucosa que recobre as amígdalas entram nestes orifícios e "apodrecem" no interior destas criptas. O cáseo nada mais é que estes restos de comida e descamação putrefatos, associados a leucócitos, em forma de massa viscosa.​ Esses cáseos podem ser expelidos na fala, tosse ou espirros.

Pode ocorrer em qualquer idade, e é muito comum, inclusive em pessoas que nunca tiveram infecções nas amígdalas. Traz desconforto e insegurança no trabalho e no convívio social, uma vez que a eliminação do cáseo e a halitose (mau hálito) podem ocorrer a qualquer instante. Também pode haver maior predisposição a infecções de repetição, saburra lingual, doenças periodontais, porém geralmente não há febre.

O diagnóstico é simples, feito no exame físico através da oroscopia (visualização da cavidade bucal).

Os tratamentos propostos podem ser são clínicos (através do uso de anti-inflamatórios e gargarejos com soluções salinas e anti-sépticas) ou cirúrgicos (tonsilectomias convencionais ou assistidas por laser).

Em caso de suspeita de amigdalite caseosa, um médico (preferencialmente um otorrinolaringologista) deverá ser consultado para confirmação diagnóstica, orientação e tratamento adequados.