Perguntar
Fechar

Azia Constante

Azia Constante - Tratamento
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A azia não é uma doença propriamente dita e sim um sintoma que pode aparecer como uma queixa isolada e eventual que ocorre com muita frequência quando abusamos de alguns tipos de bebidas ou alimentos. Quando a azia é constante ela pode ser sintoma de algumas doenças do aparelho digestivo.

A azia é um sintoma proveniente do esôfago e em alguns casos do estômago. A azia é sentida como uma queimação ou ardência que ocorre desde a região denominada epigástrio “boca do estômago” passando pelo região retroesternal “osso no meio do peito”, região anterior do pescoço até a garganta.

Para entendermos porque a azia ocorre precisamos entender que o nosso estômago é recoberto por um tipo especial de epitélio capaz de suportar o pH baixo (muito ácido) que é normal para o estômago.

Só o estômago possui este tipo de epitélio, o esôfago e as outras partes do aparelho digestivo não têm esse tipo de epitélio e, portanto não estão protegidos da acidez estomacal.

A causa básica da azia é o refluxo de material ácido proveniente do estômago (quando o conteúdo gástrico sai do estômago) para o esôfago e garganta. Ou em algumas situações quando a acidez é muito grande ou a proteção estomacal é destruída a azia é sentida no estômago.

A azia constante é um sintoma bastante incômodo e que leva um grande número de pessoas a procurar ajuda médica. A endoscopia digestiva alta é o exame de escolha na avaliação inicial da azia, porém sua indicação deve ser feita por um médico. Nem todos os pacientes com azia tem indicação de realizar o exame. Pacientes jovens, pacientes com quadro leve ou de pouca data e sem nenhum fator de risco associado podem postergar o exame, só o médico durante a consulta pode avaliar a necessidade de se fazer a endoscopia digestiva alta. A azia geralmente está associada aos quadros de refluxo gastro-esofágico, gastrite e esofagite. A azia pode em casos menos frequentes estar associada a casos de úlcera péptica e câncer de estômago ou esôfago. Atualmente existe tratamento específico para cada uma das causas de azia, vou limitar-me aqui a passar apenas algumas orientações gerais que podem se adotadas por todos os pacientes e que ajudam muito no tratamento e prevenção da azia.

Leia também: O que fazer para aliviar azia?

Há algum tempo os pacientes saiam do consultório do gastroenterologista com a receita dos medicamentos em uma mão e na outra uma lista enorme com todos os alimentos que não deveria comer. Essas listas eram bastante restritivas. A regra atual é bem simples: não ingira aquilo que lhe faz mal. A maioria dos pacientes em pouco tempo consegue identificar os alimentos e bebidas que lhe causam azia, esses alimentos variam muito de pessoa para pessoa.

“doutor se algo me causa azia é claro que eu não vou comer ou beber” a afirmação parece bastante óbvia, mas por incrível que parece a maioria das pessoas continua ingerindo comidas e bebidas que causam azia mesmo sabendo que vão ter azia. Outras recomendações importantes: evite ficar muitas horas sem comer e quando comer evite quantidades muito grandes de alimentos na mesma refeição, portanto o ideal é comer várias vezes por dia e um pouco de cada vez e evite deitar logo após as refeições.

Agora apresento minha lista de proibições para o tratamento da azia constante (esta serve para todos os pacientes e acreditem ajuda muito, pacientes com quadro leve muitas vezes, nem precisam tomar remédios): cigarro, bebidas alcoólicas, café, açúcar e todos os alimentos ricos em açúcar, chimarrão, alimentos gordurosos (qualquer coisa frita nem pensar), alimentos condimentados, frutas cítricas, tomate e derivados.