Perguntar
Fechar
Qual é o tratamento para foliculite no couro cabeludo?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O tratamento da foliculite no couro cabeludo pode ser feito com higiene e uso de antibióticos locais ou por via oral, dependendo da sua gravidade. Normalmente, a foliculite no couro cabeludo resolve-se espontaneamente, muitas vezes sem necessitar de tratamento específico.

Algumas medidas caseiras ajudam a aliviar a dor e o incômodo como aplicar compressas mornas e evitar o atrito no local, bem como a depilação e raspagem dos pelos.

Se a foliculite persistir, pode ser necessário utilizar pomadas com antibiótico ou realizar uma drenagem para eliminar o pus.

Tratamento das foliculites superficiais no couro cabeludo

As foliculites mais comuns são as superficiais. Nesse caso a infecção é localizada somente na região de saída do pelo (folículo piloso), podendo ter a presença de pontos de pus no local, com vermelhidão ao redor.

O seu tratamento deve ser feito, inicialmente, com limpeza local em muitos casos já é o suficiente para amenizar os sintomas. Eventualmente pode ser necessário o uso de pomada com antibiótico. Casos de maior gravidade ou de recidiva necessitam de medicamento antibiótico por via oral.

Tratamento das foliculites profundas no couro cabeludo

As foliculites profundas no couro cabeludo, como as foliculites decalvantes e dissecantes, são causadas por infecções profundas dos folículos pilosos.

Podem apresentar como sinais e sintomas a presença de bolhas com pus, vermelhidão, formação de crostas, cicatrizes elevadas (queloides) e áreas com falta de cabelo (alopécia).

O seu tratamento deve ser realizado com limpeza local e uso de antibióticos específicos para a bactéria causadora da infecção, por meio da realização de cultura da secreção e teste bacteriológico (antibiograma).

Quais são as causas de foliculite no couro cabeludo?

As causas da foliculite no couro cabeludo estão relacionadas ao atrito, como pelo uso de chapéus ou bonés, uso de pomadas e cremes para outros problemas do couro cabeludo ou ainda à falta de higiene.

O que é foliculite?

A foliculite é uma infecção bacteriana superficial do folículo piloso. Assim, a foliculite pode aparecer em qualquer parte do corpo que contenha pelo. Contudo, as foliculites são mais comuns em regiões da pele submetidas à depilação ou atrito frequente como rosto (barba), axilas, virilha e coxas.

Geralmente um clínico geral ou médico de família pode tratar a foliculite, em casos mais extensos e graves ou recidivantes pode ser necessária a avaliação por um dermatologista.

Pode também lhe interessar:

O que é um furuncúlo e como se forma?

O que é um abcesso?

Estou com manchas avermelhadas no couro cabeludo...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Provavelmente é uma micose, mas a maioria das micoses de couro cabeludo são resistentes ao cetoconazol. Para ter certeza do que é o ideal é fazer um exame (raspado de couro cabeludo) volte para o dermatologista.

Coceira na cabeça é sinal de doença no couro cabeludo?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, coceira na cabeça pode ser sinal de inflamações e infecções no couro cabeludo, como foliculite (inflamação no local onde nasce o fio de cabelo), micose, dermatite seborreica (caspa) e dermatite de contato (alergia).

A foliculite é uma infecção bacteriana superficial do folículo capilar, local de saída do pelo. Pode seu causada por atritos, como coçar, usar chapéus ou bonés, uso de pomadas e cremes para outros problemas do couro cabeludo ou ainda devido à falta de higiene.

A micose é uma infecção fúngica que pode ocorrer em várias partes do corpo. A Tinea capitis é a micose que afeta o couro cabeludo e caracteriza-se pelo aparecimento de uma área em que há queda de cabelos, normalmente acompanhada de coceira e descamação.

Veja também: Que tipos de micose existem? 

A dermatite seborreica é um processo inflamatório do couro cabeludo causado pelo aumento da produção das glândulas sebáceas. Os seus principais sinais e sintomas são a descamação (caspa) e a coceira no couro cabeludo.

Saiba mais em: Dermatite seborreica tem cura? Qual o tratamento?

A coceira na cabeça também pode ser causada por produtos irritantes ou alérgenos, como tinturas para o cabelo, que provocam um processo inflamatório na pele. É a chamada dermatite de contato.

Há ainda a pediculose, que é a infestação dos cabelos por piolhos. Os seus principais sintomas são a coceira intensa no couro cabeludo, presença de lêndeas (ovos dos piolhos) e pequenas manchas vermelhas no couro cabeludo decorrentes da picada do inseto.

Veja aqui qual é o melhor tratamento para acabar com piolhos.

Portanto, a coceira na cabeça é um sintoma de que algo não está bem. Nesses casos, o ideal é consultar o/a médico/a dermatologista, médico/a de família ou clínico/a geral para uma adequada avaliação do seu couro cabeludo.

Também podem lhe interessar:

Coceira que piora durante a noite: o que pode ser?

Coceira no corpo, o que pode ser e o que fazer?

Coceira nas mãos: o que pode ser e o que fazer?

Tenho caroços dos dois lados do pescoço e feridas no couro cabeludo. O que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Esses caroços dos dois lados do pescoço provavelmente são "ínguas" decorrentes das feridas no couro cabeludo, ou seja, devem ser os gânglios linfáticos do pescoço que estão inchados devido à infecção no couro cabeludo, semelhante ao que se verifica quando se está com amigdalite.

No entanto, existem muitas outras causas de nódulos ou caroços no pescoço. A mais comum são os gânglios linfáticos aumentados devido a infecções bacterianas ou virais, câncer, entre outros.

caroços nos músculos do pescoço, geralmente na parte da frente, que são causados ​​por lesões ou torcicolo, enquanto que a maioria dos caroços na pele ou logo abaixo dela é causada ​​por cistos, como os cistos sebáceos, por exemplo.

Doenças ou câncer da tireoide também podem produzir um ou mais nódulos no pescoço, além de inchaço local.

Em crianças, a maioria dos caroços no pescoço tem como causa infecções tratáveis, embora o tratamento deva começar rapidamente para prevenir complicações ou propagação da infecção.

Nos adultos, quanto mais avançada for a idade, maior é a probabilidade de que o caroço no pescoço seja um câncer, principalmente em indivíduos que fumam ou bebem em excesso. No entanto, a maioria desses nódulos não é câncer.

Todo e qualquer tipo de caroço ou nódulo no pescoço deve ser avaliado pelo/a médico/a. Recomenda-se consultar o/a clínico geral ou médica/o de família que, dependendo da avaliação clínica, poderá ou não encaminhar para um/a outro/a especialista.

Micose no couro cabeludo: quais as causas, sintomas e tratamento?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A micose no couro cabeludo é causada pela presença de fungos na cabeça, mais precisamente no couro cabeludo. A micose na cabeça é chamado de tinea capitis. A micose no couro cabeludo é causada por fungos denominados dermatófitos.

Os fungos são microorganismos que podem viver nos tecidos mortos do cabelo (fungo capilar), das unhas e das camadas externas da pele, prosperando em áreas quentes e úmidas.

Micose no couro cabeludo (tinea capitis)

Os fungos que causam micose na cabeça podem se espalhar facilmente. A tinea capitis é mais comum em crianças e tende a desaparecer na puberdade. No entanto, a micose no couro cabeludo pode ocorrer em pessoas de qualquer idade.

O que pode causar micose no couro cabeludo?

O risco de desenvolver micose no couro cabeludo é maior se:

  • Houver pequenas lesões no couro cabeludo;
  • A cabeça não for lavada com frequência;
  • O couro cabeludo ficar molhado por muito tempo, como quando a pessoa transpira em excesso, por exemplo.

A pessoa pode desenvolver micose na cabeça se tiver contato direto com alguma micose localizada em qualquer parte do corpo de outra pessoa.

A micose capilar também pode ser transmitida através de pentes, chapéus ou roupas que foram usadas por alguém com micose. A infecção também pode ser transmitida por animais de estimação, principalmente gatos.

Quais são os sintomas de micose no couro cabeludo?

A tinea capitis pode afetar parcialmente ou totalmente o couro cabeludo. As áreas da cabeça afetada pela micose apresentam as seguintes características:

  • Queda de cabelo com pequenos pontos pretos, devido aos fios de cabelo que se soltaram;
  • Formato redondo;
  • Pele escamosa, que pode estar vermelha ou inchada, o que indica a presença de inflamação;
  • Presença de feridas com pus;
  • Coceira intensa;

A pessoa pode apresentar ainda febre baixa e presença de gânglios no pescoço.

A micose no couro cabeludo pode causar queda de cabelo e cicatrizes duradouras na cabeça.

Qual é o tratamento para micose no couro cabeludo?

O tratamento para micose no couro cabeludo é feito com medicamento antifúngico por via oral, que mata os fungos no cabelo. O remédio precisa ser tomado durante 4 a 8 semanas.

O tratamento da tinea capitis inclui ainda o uso de shampoo para micose no couro cabeludo, contendo cetoconazol ou sulfeto de selênio. O shampoo pode reduzir ou impedir a propagação do fungo, mas não é suficiente para curar a micose na cabeça. Além disso, é importante manter o couro cabeludo limpo.

Assim que o shampoo começar a ser usado, deve-se ter os seguintes cuidados:

  • Lavar as toalhas com água quente e sabão e secá-las em alta temperatura;
  • Deixar os pentes e as escovas de cabelo de molho por uma hora, numa mistura de água sanitária (cloro) com água. A solução deve ter uma parte de cloro e dez partes de água. Isso deve ser feito por 3 dias seguidos.

Além disso, ninguém na casa deve compartilhar pentes, escovas de cabelo, chapéus, toalhas, fronhas ou capacetes com outras pessoas.

A micose no couro cabeludo pode ser difícil de ser eliminada. Além disso, a tinea capitis pode voltar a aparecer, mesmo após o tratamento. Porém, em muitos casos, os casos de micose na cabeça tendem a melhorar espontaneamente após a puberdade.

O médico dermatologista é o especialista responsável pelo diagnóstico e tratamento da micose no couro cabeludo.

O que causa queda de cabelo e como tratar?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A queda de cabelo parcial ou total é chamada de alopecia. A perda de cabelo ocorre gradualmente e pode acontecer de forma localizada ou generalizada. Em geral, todos nós perdemos cerca de 100 fios de cabelo por dia, sendo que o couro cabeludo contém cerca de 100.000 cabelos.

Quais as causas da queda de cabelo? Hereditariedade

Homens e mulheres tendem a perder a espessura e a quantidade de cabelos com a idade. Este tipo de queda de cabelo geralmente não é causado por doença e está relacionado com envelhecimento, herança genética e alterações no hormônio testosterona.

A perda de cabelo hereditária ou padrão afeta muito mais homens do que mulheres. A calvície masculina pode acontecer a qualquer momento após a puberdade. Aos 70 anos, cerca de 80% dos homens mostram algum sinal de queda de cabelo.

Estresse físico ou emocional

O estresse físico ou emocional pode causar a queda de mais da metade do cabelo. Esse tipo de perda de cabelo é chamado eflúvio telógeno. O cabelo tende a cair em mechas ao lavar, pentear ou passar as mãos pelos cabelos.

Nesses casos, a queda de cabelos pode ocorrer depois de semanas ou meses do episódio de estresse. Depois disso, a perda de cabelo tende a diminuir durante 6 a 8 meses. O eflúvio telógeno geralmente é temporário, mas pode se tornar crônico.

As causas desse tipo de queda de cabelo incluem:

  • Febre alta ou infecção grave;
  • Parto;
  • Grandes cirurgias, doenças graves, sangramento súbito;
  • Estresse emocional intenso;
  • Dietas radicais, especialmente aquelas que não contêm proteínas suficientes;
  • Medicamentos (retinoides, pílulas anticoncepcionais, beta-bloqueadores, bloqueadores dos canais de cálcio, alguns antidepressivos e anti-inflamatórios).

Algumas mulheres entre 30 e 60 anos podem notar uma queda de cabelo que afeta todo o couro cabeludo. A perda de cabelo pode ser abundante no início e depois diminui ou cessa gradualmente. A causa desse tipo de eflúvio telógeno não é conhecida.

Outras causas de queda de cabelo

Outras causas de queda de cabelo, especialmente se a perda de cabelo seguir um padrão incomum, incluem:

  • Alopecia areata (áreas sem cabelos ou pelos que surgem no couro cabeludo, na barba, nas sobrancelhas, podendo ainda haver queda de cílios);
  • Anemia;
  • Doenças autoimunes, como lúpus;
  • Queimaduras;
  • Doenças infecciosas, como sífilis;
  • Excesso de lavagens do cabelo ou uso excessivo de secador;
  • Alterações hormonais;
  • Doenças da tireoide;
  • Puxar os cabelos continuamente ou esfregar o couro cabeludo;
  • Radioterapia;
  • Micose do couro cabeludo;
  • Tumor no ovário ou nas glândulas suprarrenais;
  • Penteados que aumentam muito a tensão nos folículos capilares;
  • Infecções bacterianas do couro cabeludo.
Qual é o tratamento para queda de cabelo?

A queda de cabelo causada por menopausa ou parto geralmente desaparece depois de 6 meses a 2 anos. A perda de cabelo devido a doença (como febre), radioterapia, uso de medicamentos ou outras causas, não necessita de tratamento. Nesses casos, o cabelo volta a crescer quando a doença cessar ou o tratamento terminar.

O uso de extensões, perucas ou mudanças de penteado podem ajudar a disfarçar a queda de cabelo. As perucas não devem ser suturadas (costuradas) no couro cabeludo devido ao risco de cicatrizes e infecções.

Podem ser indicados ainda medicamentos em forma de solução, como minoxidil, para serem aplicados no couro cabeludo e estimular o crescimento do cabelo. Outros medicamentos, como hormônios, podem ser prescritos para diminuir a perda de cabelo e promover o crescimento.

Para tratar a queda de cabelo em homens, podem ser utilizadas medicações como finasterida e dutasterida para diminuir a perda de cabelo e gerar novo crescimento capilar.

Se a queda de cabelo for causada pela deficiência de alguma vitamina, recomenda-se o uso de suplemento.

O transplante capilar também pode ser indicado em algumas situações de queda de cabelo.

O médico dermatologista é o especialista indicado para diagnosticar e tratar casos de perda de cabelo.

Alopecia areata: o que é, quais as causas, sintomas e tratamento?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Alopecia areata é uma doença que caracteriza-se por áreas redondas de falha no cabelo e que pode levar à calvície total. A alopecia capilar afeta apenas o couro cabeludo, provocando um "buraco" nos cabelos, que caem em forma de círculo num lugar específico. Já na alopecia areata universal, mais rara, ocorre queda dos pelos de todo o corpo. Devido às suas características, a alopecia areata é popularmente chamada de "peladeira" ou "pelada".

A doença pode afetar homens, mulheres (alopecia feminina) e crianças (alopecia infantil). Alguns indivíduos com essa condição têm histórico de alopecia na família.

A alopecia areata não é contagiosa e por isso não se "pega" nem é transmitida de pessoa para pessoa.

Quais as causas da alopecia areata?

As causas da alopecia areata estão associadas a fatores genéticos. Trata-se de uma doença autoimune, uma vez que o sistema imunológico da própria pessoa ataca os folículos capilares saudáveis. Em algumas pessoas, a perda de cabelo pode ocorrer após um evento marcante na vida, como doença, gravidez ou trauma.

Alopecia areata Quais os sintomas da alopecia areata?

A queda de cabelo ou de pelos geralmente é o único sintoma da alopecia areata. Algumas pessoas também podem sentir uma sensação de queimação ou coceira nos locais sem cabelo.

A alopecia areata geralmente começa com uma ou mais áreas de perda de cabelo na cabeça que medem de 1 a 4 cm. As falhas no cabelo ocorrem com mais frequência no couro cabeludo.

Porém, em algumas pessoas, a alopecia também pode surgir na barba, nas sobrancelhas, nos pelos pubianos, nos braços ou nas pernas. Também pode haver fendas nas unhas.

As áreas onde o cabelo caiu são lisas, redondas e podem ser da cor de pêssego. Às vezes, são observados cabelos que parecem com pontos de exclamação nas bordas das partes calvas.

Cerca de 6 meses após o início dos sintomas, a alopecia pode causar a queda de todo o cabelo. Contudo, isso não acontece em todos os casos e é um evento raro.

Qual é o tratamento para alopecia areata?

Se a perda de cabelo não for generalizada, a alopecia melhora e reverte totalmente e o cabelo volta a crescer em alguns meses, sem necessidade tratamento. Quando a queda de cabelo é mais intensa, o tratamento da alopecia areata pode incluir injeção de corticoides sob a pele, uso de pomada com corticoides, terapia com luz ultravioleta, além de outros medicamentos aplicados na pele.

Contudo, não existe um tratamento eficaz ou específico para tratar a alopecia. O objetivo do tratamento é controlar a doença, diminuir as falhas de cabelo e evitar que surjam novas áreas de perda de cabelo ou peso.

Alopecia areata tem cura?

Em geral, a alopecia areata melhora totalmente após alguns meses, com a recuperação total do cabelo. Quando voltam a crescer, os cabelos podem ser brancos, voltando depois à sua cor normal.

No entanto não é possível falar exatamente em cura definitiva, porque algumas pessoas acometidas podem apresentar outros episódios de queda de cabelo no decorrer da vida. Raramente os fios podem não voltar. Isso normalmente ocorre em casos de:

  • Alopecia areata que começa em idade precoce;
  • Eczema;
  • Alopecia prolongada;
  • Perda de cabelo generalizada ou completa do couro cabeludo ou do corpo.

O médico dermatologista é o especialista responsável pelo diagnóstico e tratamento da alopecia areata.