Perguntar
Fechar

Endometriose

Estou tentando engravidar e meus seios estão inchados. Posso estar grávida?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim, se os seus seios estão inchados e você teve relações durante a ovulação, pode ser que esteja grávida. Seios inchados e doloridos são alguns dos sintomas de gravidez.

Outros sinais e sintomas de gravidez incluem:

  • Atraso da menstruação;
  • Cansaço;
  • Tontura;
  • Sonolência;
  • Inchaço abdominal.

Porém, é importante lembrar que seios inchados também podem ser um sinal de que você vai menstruar. É muito comum as mulheres ficarem com os seios inchados e doloridos durante a TPM. Além disso, o próprio uso do anticoncepcional também pode deixar os seios inchados.

Espere pela sua menstruação. Se houver atraso, aguarde uma semana e faça um teste de gravidez de farmácia. Se der positivo, marque uma consulta com a/o ginecologista, médica/o de família ou clínica/o geral para iniciar o acompanhamento pré-natal. Se der negativo, espere mais uma semana e se a menstruação continuar atrasada, repita o teste. 

Endometriose pode virar câncer?

Sim, endometriose pode virar câncer em cerca de 1% dos casos. No caso da endometriose ovariana, o risco de desenvolvimento de câncer de ovário pode chegar a 2,5%.

As chances da endometriose evoluir para câncer de ovário aumentam em casos de infertilidade. Porém, é possível reduzir esse risco através do uso deanticoncepcionais hormonais, assim como acontece com mulheres que não têm endometriose.

Os casos de câncer ovariano relacionados à endometriose costumam se manifestar ainda nas fases iniciais, com lesões de baixo grau e com maiores chances de cura, quando comparados com os casos não associados à endometriose.

Também há estudos que associam a endometriose a um maior risco de desenvolvimento de câncer no intestino, abdômen, rins, tireoide, cérebro, mamas, pele, além de tumores endócrinos.

A endometriose profunda caracteriza-se pela presença de lesões de endometriose com mais de 5 mm de profundidade.

Saiba mais em: O que é endometriose profunda e quais os sintomas?

Normalmente essas lesões surgem na forma de nódulos e podem acometer qualquer órgão pélvico, sobretudo os ligamentos uterinos, vagina, intestino e bexiga.

É importante salientar que a endometriose é uma doença benigna e a sua associação com o desenvolvimento de câncer depende também de outros fatores, como predisposição genética e fatores ambientais.

Leia também:

Endometriose tem cura? Qual o tratamento?

Quais são os sintomas do câncer de ovário?

O que é endometriose profunda e quais os sintomas?

Endometriose profunda é uma forma grave de endometriose, que caracteriza-se pela presença de tecido endometriótico (lesões) com mais de 5 mm de profundidade.

Essas lesões de endometriose profunda normalmente surgem na forma de nódulos e são ricas em fibrose, um tecido conjuntivo endurecido semelhante a uma cicatriz.

A endometriose profunda pode acometer qualquer órgão da pelve, sobretudo os ligamentos uterinos, intestino, reto, vagina, bexiga e ureteres.

Os principais sintomas da endometriose profunda são:

  • Cólicas menstruais (dismenorreia);
  • Dor durante a relação sexual (dispareunia);
  • Dor pélvica;
  • Ciclos menstruais irregulares;
  • Dor à mobilização do colo do útero durante o exame ginecológico;
  • Diarreia durante o período menstrual.

Quando a doença atinge os ovários pode provocar o desenvolvimento de endometrioma, um cisto ovariano preenchido com sangue escuro envelhecido e tecido endometrial.

Leia também: O que é endometrioma?

A presença de endometrioma pode ser um indicador de gravidade da endometriose profunda, uma vez que o número médio de lesões de endometriose profunda é maior em mulheres com endometrioma.

A endometriose profunda não tem cura, mas possui tratamentos que melhoram a qualidade de vida da paciente.

Saiba mais em: Como é a cirurgia de endometriose?

O diagnóstico e tratamento da endometriose é da responsabilidade do médico ginecologista.

Também podem lhe interessar os artigos:

O que é endometriose intestinal? Quais os sintomas?

Endometriose tem cura? Qual o tratamento?

Endometriose pode virar câncer?

Endometriose tem cura? Qual o tratamento?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

A cura para a endometriose ainda é controversa. Considera-se que a cura só ocorreria através da retirada do útero (histerectomia) e possivelmente dos ovários (ooforectomia), além da retirada cirúrgica dos focos de endometriose presentes em outros locais (intestino, bexiga, pulmões, peritônio), o que, claro, só deve ser indicado em pacientes com doença muito grave e que não desejam mais engravidar.

Há diversas modalidades de tratamento para endometriose:

  • esperar, para ver se ocorre melhora espontânea;
  • uso de anti-inflamatórios;
  • uso de medicações ou dispositivos, com objetivo de que a paciente pare de menstruar de 6 meses a um ano, como: contraceptivos orais ("pílula"), DIU com progesterona, danazol, gestrinona, leuprolide, goserelina, inibidores de uma enzima chamada aromatase.
  • cirúrgico: por videolaparoscopia, com objetivo de destruir implantes de células do endométrio, ou definitiva, na tentativa de "curar" a endometriose.

O seguimento e o tratamento deve ser feito por médico ginecologista.

Leia também:

Como é a cirurgia de endometriose?

Tenho endometriose: posso engravidar?

O que é endometriose profunda e quais os sintomas?

Endometriose pode virar câncer?

Quais são os sintomas da endometriose?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Os sintomas da endometriose podem ser variados, e incluem: dor pélvica (no baixo ventre ou "pé da barriga"), que pode ocorrer diariamente, ou apenas no período menstrual; dores durante relação sexual; dificuldade para engravidar; alterações do hábito intestinal durante o período menstrual, como dores, sangramentos ou diarreia e alterações do hábito urinário, como dor e/ou sangramento ao urinar.

Como a endometriose ocorre pela presença de células do endométrio (camada interna do útero) fora de seu lugar habitual e sujeitas às alterações hormonais, é uma pista importante para o diagnóstico o fato dos sintomas aparecem ou piorarem ciclicamente, junto com a menstruação.

No caso de haver sintomas similares, é necessário uma avaliação ginecológica.

Leia também:

O que é endometriose profunda e quais os sintomas?

O que é endometriose intestinal? Quais os sintomas?

Qual a diferença entre endometriose e endometrioma?

O endometrioma é um cisto que acomete principalmente o ovário, sendo considerado uma forma de manifestação localizada da endometriose.

A endometriose é o crescimento de tecido do endométrio (camada mais interna do útero) fora da cavidade uterina.

A endometriose é uma doença benigna, que caracteriza-se pela presença de tecido endometrial em outros locais que não o útero, tais como:

  • Ovários;
  • Peritônio (tecido que recobre os órgãos);
  • Intestino;
  • Ligamentos uterinos;
  • Região posterior do colo uterino.

A endometriose pode se manifestar de forma difusa ou localizada. O endometrioma pode ser definido como uma forma de manifestação localizada da endometriose.

Leia também: O que é endometriose?

O conteúdo do endometrioma é composto por sangue escuro envelhecido e tecido endometrial. Esses cistos acometem os ovários em cerca de 70% dos casos, podendo medir mais de 7 cm em alguns casos.

Ainda não se sabe ao certo a origem do endometrioma. Uma das teorias sugere a penetração de um foco de endometriose localizado na superfície do ovário.

Outra admite que o cisto se forma a partir de sangue menstrual que se deposita na superfície do ovário e penetra no órgão.

Saiba mais sobre endometrioma, seus sintomas e tratamento em:

O que é endometrioma?

Endometrioma tem cura? Qual o tratamento?

Tanto o endometrioma como a endometriose possuem tratamento, que pode incluir medicamentos, terapia hormonal e cirurgia.

O médico ginecologista é o responsável pelo diagnóstico e escolha do tratamento mais indicado.

Qual a diferença entre adenomiose e endometriose?

A diferença entre adenomiose e endometriose é que a adenomiose caracteriza-se pela invasão do endométrio (tecido que reveste a parte mais interna do útero) no miométrio (parte muscular do útero, enquanto que na endometriose o endométrio cresce fora da cavidade uterina.

A endometriose é a presença de endométrio em outros locais que não o útero, tais como ovários, peritônio (tecido que recobre os órgãos), intestino, ligamentos localizados atrás do útero, região atrás do colo uterino.

Na adenomiose o tecido endometrial cresce por dentro da parede uterina (miométrio), desenvolvendo também glândulas do endométrio na mesmo local.

Portanto, adenomiose e endometriose não são a mesma coisa. As doenças são diferentes, apesar de ambas serem dependentes do hormônio estrogênio, o que significa que quanto maior é a exposição ao estrogênio, maior é o crescimento da doença.

Leia também: O que é endometriose?; O que é adenomiose e quais os sintomas?

Outra semelhança entre adenomiose e endometriose, é que as duas estão relacionadas com infertilidade. Sabe-se que a endometriose está presente em até 50% das mulheres inférteis e a adenomiose em até 14% dos casos.

A endometriose pode surgir junto com a adenomiose em até 20% dos casos, o que eleva ainda mais os riscos de infertilidade.

Por outro lado, a adenomiose acomete com mais frequência mulheres que já engravidaram ou que já foram submetidas a curetagem, miomectomia ou parto cesárea, ao contrário do que ocorre com a endometriose.

Tanto na endometriose como na adenomiose, o objetivo do tratamento é combater o endométrio que está presente onde não deveria estar. O tratamento pode incluir medicamentos hormonais e não hormonais, além de cirurgias.

Também pode lhe interessar: Endometriose pode virar câncer?

O médico ginecologista é o responsável pelo diagnóstico e tratamento da adenomiose e endometriose.

Toda dor ao ter relação pode ser endometriose?

Não, nem toda dor durante a relação sexual é causada por endometriose, apesar dessa ser uma causas comum da dispareunia. Sentir dor na relação também pode estar relacionado com:

  • Falta de lubrificação: Pode causar dor no momento da penetração, pois o atrito pode provocar microfissuras na mucosa da vagina se ela não estiver com a lubrificação adequada. Como a dor diminui a excitação e o prazer, a lubrificação fica ainda mais reduzida, o que cria um ciclo;
  • Cistite (infecção urinária na bexiga): Pode causar ardência, incômodo ou dor durante ou após a relação sexual devido à proximidade entre a vagina e a bexiga;
  • Candidíase: Normalmente provoca dor intensa na hora da penetração. A candidíase é uma infecção causada por um fungo e que geralmente está associada a um corrimento branco, podendo também causar coceira (saiba mais em: Quais são os sintomas da candidíase?);
  • Vaginismo: Provoca dor durante a tentativa de penetração. A dor é decorrente de um espasmo muscular do assoalho pélvico, que fecha a entrada da vagina e impede a penetração. O vaginismo pode ter origem fisiológica ou psicológica (veja também: O que é vaginismo e quais os sintomas?).

Outras causas frequentes de dor durante a relação sexual incluem:

  • Foliculites, furúnculos;
  • Bartolinites (inflamação das glândulas de Bartholin - leia também: O que é bartolinite? Tem cura?);
  • Inflamações no útero;
  • Doença inflamatória pélvica;
  • Aderências pélvicas;
  • Retroversão uterina;
  • Cistos, tumores e inflamação dos ovários.

O tratamento da dispareunia depende da doença ou condição responsável pelo problema. Causas físicas podem ser tratadas com medicamentos e cirurgias. Se a origem da dispareunia for psicológica, é indicada terapia sexual.

O médico ginecologista é o responsável pelo diagnóstico e deverá conduzir ou indicar o tratamento mais adequado, de acordo com o caso.

O que é endometriose?

Endometriose é a presença do endométrio (tecido que reveste a parte interna do útero e que sangra durante a menstruação) fora do útero. O endométrio se desenvolve em outras partes do corpo, causando inflamação.

O hormônio estrogênio, produzido nos ovários, é o responsável pelo crescimento da doença, pois é ele que estimula o crescimento do endométrio.

O mesmo estímulo que o endométrio sofre no útero durante a menstruação, também ocorre nas regiões afetadas pela endometriose, podendo causar dores ou alterações nos órgãos afetados. 

A endometriose está presente em cerca de 10 a 15% das mulheres e surge mais frequentemente nas mulheres mais jovens, em idade reprodutiva.

A doença se desenvolve principalmente na cavidade pélvica, em locais como:

Ainda não se sabe exatamente qual a causa da endometriose. Acredita-se que o seu desenvolvimento possa estar relacionado com a genética ou com a imunidade que não consegue inibir o surgimento da doença.

Quais os sintomas da endometriose?
  • Cólica menstrual;
  • Dificuldade para engravidar (30 a 40% dos casos);
  • Diarreia ou prisão de ventre e dor para evacuar durante o período menstrual;
  • Desconforto ou dor durante a relação sexual;
  • Dor para urinar ou presença de sangue na urina durante a menstruação;
  • Dores contínuas no baixo ventre, independentemente do período menstrual.

Vale lembrar que os sintomas da endometriose não ocorrem necessariamente todos ao mesmo tempo, variando em cada mulher.

Leia também:

Quais são os sintomas da endometriose?

O que é endometriose profunda e quais os sintomas?

Como é o tratamento para endometriose?

O tratamento da endometriose é feito com medicamentos hormonais ou cirurgia, dependendo da sua localização, extensão e gravidade.

O tratamento medicamentoso é indicado na maioria dos casos e também serve para diminuir as chances da doença voltar após a cirurgia.

Em geral, os medicamentos usados são anticoncepcionais orais ou injetáveis, ou o sistema intrauterino com hormônio (progestagênio).

O tratamento cirúrgico da endometriose é indicado quando não há melhoras com a medicação ou em casos mais avançados.

A cirurgia normalmente é feita por videolaparoscopia e retira todos os focos de endometriose.

Veja também: Endometriose tem cura? Qual o tratamento?

O diagnóstico da endometriose pode ser difícil, às vezes necessitando de vários exames, tais como ultrassonografia, ressonância magnética nuclear ou videolaparoscopia.

O ginecologista é o especialista responsável pelo diagnóstico e tratamento da endometriose.

Saiba mais sobre endometriose em:

Tenho endometriose: posso engravidar?

Qual a diferença entre adenomiose e endometriose?

Endometriose pode virar câncer?

Qual a diferença entre endometriose e endometrioma?

Tenho endometriose: posso engravidar?

Sim, quem tem endometriose pode engravidar, embora tenha menos chance de conseguir engravidar naturalmente. Sem tratamento, a possibilidade de uma gravidez espontânea é de cerca de 50%.

A cirurgia por videolaparoscopia é uma opção de tratamento para pacientes com endometriose que pretendem engravidar naturalmente. O procedimento retira as lesões da endometriose e as aderências, aumentando as chances de uma gravidez natural.

Existem ainda as técnicas de reprodução assistida como a inseminação intrauterina e a fertilização in vitro (bebê de proveta).

O tratamento normalmente usado para a endometriose, através de hormônios e anticoncepcionais, não pode ser aplicado quando a mulher pretende engravidar pois ela deixaria de ovular.

A endometriose pode impedir uma gravidez?

Sim, se não for tratada adequadamente, a endometriose pode impedir a mulher de engravidar, tornando-a infértil. Sabe-se que cerca de 40% das mulheres com problemas de infertilidade possuem endometriose.

Algumas razões por que a endometriose pode impossibilitar uma gravidez:

  • Obstrução das trompas de Falópio;
  • Aderências que impedem o encontro do óvulo com os espermatozoides;
  • Produção de substâncias e células inflamatórias que atrapalham a interação do óvulo com o espermatozoide;
  • Alterações na ovulação;
  • Alterações nos folículos e nos embriões;
  • Anormalidades na musculatura do útero;
  • Distúrbios na implantação do embrião no útero.

Também pode lhe interessar: Endometriose e gravidez, pode ocorrer algum problema?

Endometriose tem cura?

A endometriose não tem cura, mas possui diversas opções de tratamento. Normalmente são utilizados medicamentos anticoncepcionais que controlam e interrompem a menstruação, evitando assim o acúmulo interno de sangue.

Leia também:

Endometriose tem cura? Qual o tratamento?

Endometriose pode virar câncer?

Quem tem endometrioma pode engravidar?

O tipo de tratamento depende da gravidade dos sintomas e do grau da endometriose.

Se você tem endometriose e pretende engravidar, consulte um médico ginecologista.

Endometriose e gravidez, pode ocorrer algum problema?

A endometriose não atrapalha o desenvolvimento da gravidez e dificilmente poderá trazer riscos à gestação. A partir do momento que a mulher está grávida, a endometriose deixa de ser um problema.

Engravidar com endometriose também não oferece nenhum risco de sequelas ou à saúde do bebê.

A gravidez é até considerada uma forma de tratamento para a endometriose, uma vez que a mulher fica pelo menos 9 meses sem menstruar, sem contar o período de amamentação.

Endometriose aumenta as chances de gravidez de risco?

Mulheres com endometriose profunda podem ter mais chances de abortamentos no 1º trimestre de gravidez, embora o risco seja apenas ligeiramente maior do que nas grávidas que não têm endometriose.

Outras possíveis complicações são:

  • Gravidez tubária;
  • Parto prematuro;
  • Rompimento dos vasos sanguíneos do útero;
  • Complicações com a placenta;
  • Eclâmpsia;
  • Necessidade de parto cesária.

Por isso é recomendável que casos de endometriose profunda ou grave sejam tratados antes de começar a tentar engravidar.

Pode também lhe interessar o artigo: Tenho endometriose: posso engravidar?

Porém, a grande maioria das gestantes com endometriose não apresenta nenhum tipo de complicação por conta da doença e desenvolvem a sua gravidez normalmente.

Devo parar de tomar os remédios para endometriose durante a gravidez?

Em princípio, sim, pois a própria gravidez já é uma forma de tratar a endometriose.

Contudo, como nos casos de endometriose profunda os riscos de abortamento podem aumentar ligeiramente, o médico pode optar por manter uma dose elevada de progesterona nos primeiros 3 meses de gestação para diminuir o risco de aborto. 

É importante lembrar que esse medicamento não prejudica a mãe nem o feto e ajuda a reduzir os efeitos da endometriose.

Depois do 1º trimestre, já não há nenhum risco da endometriose aumentar devido à grande produção de progesterona, que é o hormônio com ação contrária ao estrógeno (responsável pela endometriose). Assim, a mulher fica protegida da doença enquanto está grávida.

Tenho que continuar o tratamento da endometriose quando não estiver mais grávida?

Sim, depois do nascimento do bebê, a mãe deve retomar o seu tratamento para endometriose, conforme orientação do seu médico ginecologista.

Leia também:

Endometriose tem cura? Qual o tratamento?

Endometriose pode virar câncer?

O que é endometriose intestinal? Quais os sintomas?

Endometriose intestinal é o crescimento de tecido do endométrio (camada mais interna do útero) no intestino. Trata-se de um tipo de endometriose profunda, uma forma grave de endometriose que caracteriza-se pela presença de lesões com mais de 5 mm de profundidade.

As lesões da endometriose intestinal normalmente aparecem na forma de nódulos e possuem muita fibrose, um tecido conjuntivo endurecido semelhante a uma cicatriz.

Os principais sintomas da endometriose intestinal são: dor ao evacuar ou sangramento intestinal durante a menstruação. Esses são os sinais e sintomas típicos da endometriose intestinal. Além deles, a mulher também pode apresentar:

  • Cólicas menstruais (dismenorreia);
  • Dor durante a relação sexual (dispareunia);
  • Dor pélvica;
  • Ciclos menstruais irregulares;
  • Diarreia durante o período menstrual.

O tratamento da endometriose intestinal pode ser feito com medicamentos hormonais ou cirurgia. A medicação não é capaz de curar a doença, mas pode ser eficaz para controlar a dor. Contudo, mesmo sem apresentar sintomas, a endometriose pode evoluir.

Casos mais graves de endometriose intestinal, em que há diminuição do calibre do intestino, precisam obrigatoriamente de tratamento cirúrgico. A cirurgia também é indicada quando o tratamento hormonal não é satisfatório.

A cirurgia é feita por videolaparoscopia e remove por completo as lesões intestinais. O tratamento cirúrgico é muito eficaz no controle da dor e a taxa de complicações é baixa, melhorando significativamente a qualidade de vida das mulheres.

Leia também: Como é a cirurgia de endometriose?

O médico ginecologista é o especialista responsável pelo diagnóstico e tratamento da endometriose intestinal.

Saiba mais em:

O que é endometriose?

O que é endometriose profunda e quais os sintomas?

Quais são os sintomas da endometriose?