Hemoglobina

Hemoglobina baixa, o que pode ser?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

A hemoglobina é uma substância de cor vermelha presente no interior das hemácias (glóbulos vermelhos) e os valores baixos de hemoglobina é que caracterizam a anemia, que pode ser causada por vários distúrbios que provoquem uma redução da sua produção na medula, um aumento da velocidade da sua destruição ou uma perda de sangue.

hemoglobina um pouco abaixo do normal pode ser um resultado normal para muitas pessoas e, geralmente, não deve ser causa de preocupação. É comum as mulheres grávidas apresentarem valores de hemoglobina um pouco abaixo do normal. 

A hemoglobina baixa causa:

  • Palidez cutânea;
  • Descoramento das mucosas;
  • Redução dos níveis de oxigênio nos órgãos do corpo, levando ao cansaço fácil e falta de ar na realização de atividades físicas e até mesmo nas rotinas do dia-a-dia.

Doenças que levam à redução da produção da hemoglobina:  

  • Deficiência de ferro ou vitaminas;
  • Cirrose;
  • Leucemia;
  • Linfomas;
  • Anemia aplástica;
  • Hipotiroidismo;
  • Insuficiência renal;
  • Medicamentos, como os usados no tratamento do câncer e da AIDS.

​Doenças que levam a um aumento na velocidade da destruição da hemácias:

  • Anemia falciforme;
  • Talassemia;
  • Distúrbios que causam o aumento do baço (esplenomegalia);
  • Porfiria;
  • Vasculites.

Veja também: Anemias Causas, Sintomas e Tratamentos – Anemia Ferropriva

 Distúrbios que levam à perda de sangue:

  • Distúrbios de coagulação;
  • Sangramentos no aparelho digestivo;
  • Distúrbios menstruais que causam sangramento exagerado.

Para um diagnóstico adequado é necessário avaliar a história clínica e todos os sinais e sintomas associados para se chegar a conclusão de qual a causa da anemia, se por perda sanguínea, falta de produção ou por destruição das hemácias.

Também pode ser do seu interesse: 

Minha hemoglobina está baixa: o que fazer?

Hemácias normocíticas e normocrômicas é anemia?

Para que serve o eritrograma e quais os valores de referência?

O médico hematologista é o especialista indicado para avaliar as causas de anemia.

Quais são as causas da hemoglobina baixa?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

As causas para a hemoglobina baixa estão relacionadas a distúrbios que causam a redução da quantidade de hemácias no sangue. A hemoglobina é uma substância de cor vermelha presente no interior das hemácias (glóbulos vermelhos). Valores baixos de hemoglobina caracterizam a anemia.

Esses valores baixos podem ser causados por problemas que levam à redução da produção das hemácias, ao aumento da velocidade da sua destruição ou à perda de sangue.

A hemoglobina é uma proteína que tem como função transportar o oxigênio dos pulmões para os tecidos do corpo através do sangue. Quando a hemoglobina está baixa, o transporte de oxigênio para as células do corpo fica prejudicada.

Porém, a hemoglobina um pouco abaixo do limite pode ser um resultado normal para muitas pessoas e, geralmente, não deve ser causa de preocupação. É comum as mulheres grávidas apresentarem valores de hemoglobina um pouco abaixo do normal.

Que doenças podem causar redução da produção de hemácias e hemoglobina?

As doenças que podem deixar a hemoglobina baixa incluem anemias por falta de ferro ou vitaminas, cirrose, leucemia, linfomas, insuficiência renal, anemia aplástica, hipotireoidismo, e uso de medicamentos, como os usados no tratamento do câncer e da AIDS.

Que doenças aumentam a velocidade de destruição das hemácias e hemoglobina?

Dentre as doenças que podem causar um aumento da velocidade de destruição das hemácias, deixando a hemoglobina baixa, estão: anemia falciforme, talassemia, distúrbios que causam o aumento do baço (esplenomegalia), porfiria e vasculites.

Quais distúrbios levam à perda de sangue e deixam a hemoglobina baixa?

Uma vez que a hemoglobina baixa também pode ser um sinal de perda sanguínea, alguns distúrbios que provocam hemorragia também devem ser levados em consideração, tais como: distúrbios da coagulação, sangramentos no sistema digestivo e distúrbios menstruais com sangramento exagerado.

Quais são os sintomas de hemoglobina baixa?

A hemoglobina baixa causa palidez, descoramento das mucosas e redução dos níveis de oxigênio em todos os órgãos do corpo, levando à sensação de fraqueza, cansaço fácil e falta de ar, até mesmo para a realização de atividades das rotinas diárias.

Para um diagnóstico adequado é necessário avaliar a história clínica e os sinais e sintomas associados para se chegar a conclusão de qual é a causa da anemia, se por perda sanguínea, falta de produção ou por destruição das hemácias.

O clínico geral ou o médico de família podem diagnosticar e iniciar o tratamento das anemias. Em casos mais complicados pode ser necessário o acompanhamento também pelo hematologista.

Hemoglobina na urina é grave? O que pode ser?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Hemoglobina na urina (hemoglobinúria) pode ser consequência potencialmente grave de diversas condições. É importante diferenciá-la da presença de glóbulos vermelhos na urina (hematúria). Apenas o exame de urina (urina I) pode diferenciá-las.

O sintoma da hemoglobinúria, quando presente, é alteração na coloração da urina, que se torna avermelhada.

As causas de hemoglobinúria são várias e estão listadas a seguir.

  • Glomerulonefrite aguda;
  • Queimaduras extensas;
  • Malária;
  • Doenças hematológicas, como hemoglobinúria paroxística noturna, em que a hemoglobinúria ocorre à noite; púrpura trombocitopênica trombótica (TTP); anemia falciforme;
  • Síndrome hemolítico-urêmica, doença infecciosa causada por um tipo de bactéria Escherichia coli;
  • Pielonefrite;
  • Reação transfusional;
  • Tuberculose do trato urinário;
  • Envenenamento por chumbo.

É necessária um avaliação de urgência, pois pode ocorrer insuficiência renal em virtude da hemoglobinúria, sendo necessária hidratação endovenosa vigorosa e uso de manitol e bicarbonato. Dependendo da gravidade e da causa da hemoglobinúria, é necessária internação em unidade de terapia intensiva.

Também pode lhe interessar: 

Nitrito na urina: O que isso significa?

Corpos cetônicos positivo no exame de urina: O isso significa?

Bactérias na urina são sinal de infecção urinária?

Minha hemoglobina está baixa: o que fazer?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Se a sua hemoglobina está baixa, você deve primeiro saber qual é a causa dessa anemia. Se a hemoglobina estiver baixa por falta de ferro e vitaminas, é fundamental comer alimentos ricos em ferro e, junto com eles, incluir alimentos ou sucos com vitamina C, pois esta vitamina aumenta a absorção de ferro pelo organismo.

Os alimentos ricos em ferro indicados em casos de hemoglobina baixa são:

  • Carnes de boi e de porco;
  • Fígado de boi;
  • Miúdos de galinha;
  • Coração;
  • Feijão;
  • Gema de ovo;
  • Cereais matinais;
  • Beterraba;
  • Vegetais verde escuros (agrião, rúcula, espinafre).

É importante lembrar que o ferro das carnes vermelhas é mais facilmente assimilado pelo organismo do que aquele presente nos vegetais.

Além disso, como foi dito no início, é importante associar o consumo dos alimentos ricos em ferro com outros ricos em vitamina C, para potencializar a absorção de ferro pelo corpo.

Alguns alimentos ricos em vitamina C:

  • Acerola pura ou em polpa congelada;
  • Pimentão amarelo cru;
  • Folha de mandioca;
  • Caju;
  • Goiaba;
  • Salsa;
  • Laranja;
  • Cheiro verde;
  • Couve de Bruxelas;
  • Mamão papaia;
  • Kiwi;
  • Morango.

A hemoglobina é a substância que dá cor vermelha ao sangue e que está presente nos glóbulos vermelhos (hemácias).

A hemoglobina baixa pode ter diversas causas e o tratamento deve ser feito de acordo com as mesmas.

Consulte o/a médico/a clínico/a geral ou médico/a de família para uma consulta detalhada, identificação da possível causa da anemia e indicação do tratamento adequado.

Saiba mais em: 

Eritrócitos baixos no hemograma, o que pode ser?

Para que serve o eritrograma e quais os valores de referência?

Quais são os valores de referência da hemoglobina glicada?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Os valores de referência para hemoglobina glicada dependem do paciente e do motivo pelo qual o médico o solicitou.

Para o diagnóstico de diabetes, consideram-se valores acima de 6,5%, confirmados em outra ocasião. Indivíduos com valores entre 5,7% e 6,4% são considerados de alto risco para o desenvolvimento de diabetes.

Para indivíduos já com diagnóstico de diabetes, a hemoglobina glicada pode ser utilizada para o seguimento do controle da doença, refletindo a média das glicemias nos últimos três meses. O valor de hemoglobina glicada mantido abaixo de 7% (método HPLC) protege contra o surgimento e a progressão das complicações microvasculares do diabetes (sequelas oculares e renais) e da neuropatia. Todavia, tendo em conta que a glicemia e os problemas vasculares têm uma correlação contínua, para uma boa parte dos pacientes é importante tentar alcançar o valor mais próximo da normalidade. No entanto deve se procurar não aumentar o número de episódios de hipoglicemia repetidos. O controle muito rígido pode não ser benéfico em todos os pacientes. Indivíduos com longa duração do diabetes, e/ou que tenham mantido mau controle glicêmico por longos períodos, assim como como aqueles que apresentam complicações crônicas já instaladas (alteração ocular, renal, aterosclerose, neuropatia), podem ter alvos de HbA1C menos rígidos (até 8%). 

O diagnóstico e seguimento do diabetes deve ser feito por médico clínico geral ou endocrinologista.

Hemoglobina glicada, o que é?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A hemoglobina glicada (HbA1c) é uma forma de hemoglobina, resultado da reação entre a glicose do sangue e a proteína hemoglobina. Sendo assim, quanto mais açúcar temos no sangue, maior será a formação de HbA1c.

A hemoglobina ligada ao açúcar, tem uma vida média de 90 dias, por isso os seus valores representam a média de glicemia, dos últimos 3 meses. O que justifica por vezes, uma diferença entre esse exame e o exame de glicemia de jejum.

A glicemia de jejum avalia o nível de açúcar no sangue exatamente daquele momento que colheu a amostra de sangue no laboratório. Dependendo de quantas horas de jejum e da última refeição do paciente, esse valor pode ser alto, baixo ou normal. Já os valores de HbA1c não se alteram.

Por isso não é raro um exame de glicemia ser normal, ou baixa, e a hemoglobina glicada alta nos casos de diabetes mal controlado. Isso significa que os últimos meses foram de açúcar alto no sangue, apesar daquele momento a glicemia estar normal ou baixa.

Para que serve o exame de hemoglobina glicada?

A principal função da HbA1c é auxiliar no diagnóstico e acompanhamento da diabetes.

Como os valores demonstram a média de açúcar no sangue, esse valor é mais fidedigno principalmente na análise do controle da diabetes.

Se os resultados da HbA1c e a glicemia de jejum forem muito diferentes, o mais indicado é repetir o exame com a orientação de manter os hábitos de vida e de alimentação antes de coletar o exame de sangue.

Quais são os valores de referência da hemoglobina glicada?

Para fazer o exame de hemoglobina glicada, não é necessário estar em jejum. O exame é feito através da coleta de uma pequena amostra de sangue.

Para diagnóstico do diabetes, os valores de referência são:

  • Valores menores que 5,7%: ausência de diabetes;
  • Valores entre 5,7% e 6,4%: diagnóstico de pré-diabetes;
  • Valores maiores ou iguais a 6,5%: diabetes.

Para o controle do diabetes, os valores de referência são:

  • Valores entre 4 e 6%: controle adequado;
  • Valores entre 6 e 7%: controle moderado da diabetes;
  • Valores maiores de 7%: diabetes mal controlada.

Os valores abaixo de 7% indicam um menor risco de complicações vasculares, enquanto valores superiores a 7%, além de indicar uma descompensação da doença, elevam consideravelmente os riscos de complicações da diabetes.

Quando dosar a hemoglobina glicada?

No acompanhamento do diabetes, com a doença sob controle, o exame deve ser repetido a cada 6 meses, mas nos casos de controle inadequado ou em ajustes de doses, é medida a cada 3 meses.

O rastreio de diabetes em pessoas com baixo risco para a doença, pode ser feito uma vez ao ano.

Para diagnóstico e tratamento do diabetes, é necessário procurar um médico clínico geral, médico de família ou endocrinologista.